Eder Jofre55

Admin
  • Content Count

    5916
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About Eder Jofre55

Profile Information

  • Gender
    Not Telling

Recent Profile Visitors

12007 profile views
  1. O Charles provou de vez que é luta dura pra qualquer um que queira tirar a cinta dele ,está no mesmo patamar de Poirier ,Justin, Chandler, Conor ,Dariush considero dois degraus abaixo e acredito que só disputa o cinturão por alguma lesão ou outra variável de alguém do top 4 ,se lutar contra qualquer dos que estão entre os citados acima perde em uma escalada rumo ao ts! Algo a corrigir todos tem, sempre, no estágio atual o campeão é completo ,merecedor da cinta e um perigo real a todos os principais desafiantes, isso que eu acho mais bacana, o Chandler não conseguiu impor seu jogo como fez com o Hooker ,e perdeu na área que levava mais perigo ,teve susto sim ,do outro lado tinha um baita adversário, queriam que fosse um passeio, sem riscos? Quanto ao Ferguson cansei de defender seu estilo e achar sim que tinha chances contra o Khabib até a luta com o Justin, que era pra ter sido contra o russo! Tinha certeza que esse papo de bola de cristal de se afirmar agora que as derrotas chegaram e de forma contundentes que ele seria derrotado de forma fácil pelo russo, os buracos sempre existiram e doze vezes ele superou, ah mas o Khabib é a pica da das galáxias ,ia fazer iso e mais aquilo ,Ferguson não veria cor da bola ,é impossível nocautear ou finalizar esse russo etc... esse quase esporte não existiria ou seria muito menos relevante se o inesperado, a zebra ,o inacreditável ou dêem o nome que quiserem não existisse! E o Ferguson era o cara na época com as credenciais para fazer isso, com todos os buracos que ele tinha e conseguia superar ,na raça, no cardio absurdo, no queixo ,na imprevisibilidade e por doze vezes consecutivas na dita categoria mais encardida do evento , por esses fatos eu sempre acreditei que seria possível, é tão absurdo assim acreditar nisso na época?
  2. Vitória épica, emocionante e a confirmação que faltava, quando a chance do título chegou ele conseguiu ganhar e convencer! Só tem tubarões nessa categoria? Sim , e Charles é definitivamente um deles, isso é o mais bacana ,ou tanto quanto ser campeão, não é um rei frágil ou com uma coroa por acaso ,quem quiser tomar vai ter que lutar muitooo pra isso , parabéns ao Charles e a equipe!
  3. Contra os fatos não dá pra argumentar, o que eu desconfiava na luta contra o Charles se confirmou agora, bater e apanhar é chover no molhado quando se fala de Tony Ferguson, Dariush é um bom lutador e fez uma luta estratégica, foi pra ganhar nos pontos e quase finalizou no chão, fez um jogo mais amarrado do que o do Charles, até porque não tem a mesma qualidade técnica do brasileiro! O que ficou evidente é como ele está mais lento nas ações , pela primeira vez me pareceu cansar ,no sentido de não conseguir se desvencilhar daquele jogo chato estilo carrapato que o Dariush fazia e que em outras épocas iria acabar em finalização ou voltando a luta em pé e com o adversário frustrado! Tinha público, tinha adrenalina, aquele olhar de maluco pilhado, coração e vontade de vencer, mas as guerras definitivamente entregaram a conta, o corpo sabe de cor o que tem que fazer mas não rende como antes, o raciocínio pra se embolar e voltar ao jogo depois de um atraso e virar a luta e o cardio diferenciado, a resistência acima da média que eram dois de seus principais atributos já não estão mais lá, assim como Cerrone ,Matt Brown, Sanches, BJ ... caras que protagonizaram muitas guerras que ficarão pra sempre entre as lutas inesquecíveis na memória , o tempo é mais curto pra quem não se protege o tempo todo!
  4. UFC 262: Charles do Bronx nocauteia Michael Chandler e é campeão peso-leve do UFC Brasileiro tem atuação de gala na luta principal do UFC 262, sofre no primeiro round, mas volta arrasador para o segundo round e se torna o segundo brasileiro campeão da categoria Combate.com Quem disse que para ser rei é preciso nascer em Londres, ter uma mãe rainha, falar inglês e se chamar Charles? Enquanto o mundo inteiro aguarda que o filho mais velho da Rainha Elizabeth, da Inglaterra, algum dia assuma a coroa do trono britânico, outro Charles, nascido no Guarujá, filho de família simples e trazido ao mundo por dona Ozana Oliveira, provou que realeza de verdade não se herda, mas se conquista. Após quase 11 anos e 28 batalhas no octógono, Charles do Bronx tomou para si o cinturão dos pesos-leves do UFC ao derrotar o americano Michael Chandler por nocaute aos 19s do segundo round neste sábado, no UFC 262, em Houston (EUA). Se os recordes na carreira já deixavam o brasileiro na elite do MMA, o cinturão o coloca na família real do esporte no país. Charles do Bronx mostra o cinturão de campeão peso-leve no UFC 262 — Foto: Getty Images A luta A luta começou com um chute baixo de Charles do Bronx que derrubou Michael Chandler. O americano tentava acertar a linha de cintura do brasileiro, que conseguiu a derrubada. Chandler tentou encaixar uma guilhotina, mas Do Bronx se defendeu e inverteu a posição, dominando as costas de Chandler. Com o cadeado fechado na cintura, o brasileiro viu Chandler explodir e sair da posição, se levantando e voltando a ficar de pé. Do Bronx se levantou e, na trocação, recebeu dois golpes fortes do americano e caiu junto à grade. O brasileiro se defendia com a guarda fechada, tentando evitar os fortes golpes do rival. Charles do Bronx nocauteou Michael Chandler no UFC 262 — Foto: Getty Images A volta para o segundo round foi brutal. Charles do Bronx avançou sobre Michael Chandler e encaixou uma esquerda devastadora. Chandler sentiu e o brasileiro encaixou uma sequência duríssima de golpes, derrubando o americano e forçando o árbitro a encerrar a luta, decretando a conquista do cinturão dos pesos-leves para Charles do Bronx. Dariush vence Ferguson com atuação pragmática Lutando com o livro de regras debaixo do braço, o peso-leve iraniano Beneil Dariush venceu o americano Tony Ferguson por decisão unânime dos juízes (triplo 30-27) no co-evento principal do UFC 262. Fazendo um jogo eficiente para não dar espaço ao rival em nenhum momento, o iraniano dominou o rival no chão e venceu todos os rounds basicamente da mesma forma, impondo a Ferguson a sua terceira derrota seguida. Beneil Dariush festeja a vitória sobre Tony Ferguson no UFC 262 — Foto: Getty Images A luta começou com Dariush tomando a iniciativa do combate, conectando golpes seguidos em Ferguson. O americano tentava responder, mas o iraniano botava pressão e derrubou o rival junto à grade. Por baixo no chão, Ferguson tentou encaixar um triângulo, mas não conseguiu. Dariush jogava golpes seguidos no "ground and pound", mas não tinha precisão, errando a maioria. Mesmo assim, ele mantinha Ferguson sob domínio no solo, terminando o round por cima. Dariush voltou para o segundo round tentando voltar a pressionar o americano, mas ao chegarem na grade, Ferguson tentou encaixar um triângulo de mão, mas o braço não estava bem ajustado. O iraniano voltou a atacar no "ground and pound" enquanto Ferguson apenas se defendia. Em um descuido do iraniano, Ferguson inverteu a posição, mas Dariush encaixou uma chave de calcanhar. O americano desfez a posição acertando chutes no braço do iraniano, que manteve o domínio no chão até o intervalo. Beneil Dariush encaixa uma chave de tornozelo em Tony Ferguson no UFC 262 — Foto: Getty Images O iraniano recomeçou a luta tentando pressionar Ferguson, e conseguiu mais uma vez derrubá-lo junto à grade. O americano não conseguia se livrar de Dariush, que o mantinha sob controle com a guarda passada. Ferguson tentava um estrangulamento, mas o iraniano mantinha a pressão e não dava espaço para o americano trabalhar, ficando por cima no chão até o fim da luta. Confira todos os resultados do evento: CARD PRINCIPAL Charles do Bronx venceu Michael Chandler por nocaute técnico aos 19s do R2 Beneil Dariush venceu Tony Ferguson por decisão unânime (triplo 30-27) Rogério Bontorin venceu Matt Schnell por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28) Katlyn Chookagian venceu Viviane Araújo por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27) Edson Barboza venceu Shane Burgos por nocaute técnico a 1m16s do R3 CARD PRELIMINAR André Sergipano venceu Ronaldo Jacaré por finalização aos 3m59s do R1 Lando Vannata venceu Mike Grundy por decisão dividida (29-28, 27-30 e 30-27) Jordan Wright venceu Jamie Pickett por nocaute técnico aos 1m04s do R1 Andrea Lee venceu Antonina Shevchenko por finalização aos 4m52s do R2 Priscila Pedrita venceu Gina Mazany por nocaute técnico aos 4m51s do R2 Tucker Lutz venceu Kevin Aguilar por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28) Christos Giagos venceu Sean Soriano por finalização aos 3m59s do R2
  5. Verdade, eu nunca disse que o Ferguson estava no mesmo nível do russo, acreditava que ele pudesse ganhar pela sua imprevisibilidade e a sequência de vitórias, mesmo com todas as falhas, Dariush fez uma luta chata, mas eficiente e suficiente pra ganhar quase sem apertos ,isso é que conta, eu gostaria de ser brindado com um banho de sangue como ambos já fizeram outras vezes !
  6. Você disse ,se não estiver enganado que ele ia passar o trator, não foi isso que vi ,dominou na estratégia e correu riscos de ser finalizado também ,essa certeza que o Khabib venceria fácil só fazendo a luta pra saber ,agora é fácil tirar o cara pra nada ,vou continuar torcendo por ele enquanto mostrar esse coração!
  7. Ela sabe disso, o negócio é ganhar da Amanda antes que ela se aposente e "roubar " um pouco do mito e do legado que ela conquistou, depois ela se preocupa com quem vai lutar pra defender seu título, se conseguir ganhar da leoa é claro, tenho minhas dúvidas quanto a isso!
  8. Ela fala em fazer história, ser a melhor de todas ,bater a Amanda, pra fazer isso só indo para o UFC, penas acho que ela consegue bater ,galos sem chances, quanto a categoria é o de menos, penas feminino é quase virtual e a Amanda não reclama , leves é ainda mais complicado de se achar adversárias ! Se ela quer reconhecimento vai ter baixar pra 66 ,caso contrário vai ser uma bi campeã olímpica que espancou desconhecidas e ganhou um milhão por ano na PFL !
  9. Vou na maré contrária analisando o contexto em que se deu a luta contra o Justin ,Ferguson ia lutar contra o Khabib ,a luta caiu e ele aceitou o Justin ,um adversário que tem um jogo totalmente diferente e ainda cometeu a estupidez de bater o peso sem necessidade ,pagou o preço na luta , não que não pudesse perder se isso não tivesse acontecido , ficou muito tempo na vitrine ,sem ser campeão e sendo estudado por todos que estavam atrás dele ,só acredito que não seria a surra que tomou ,sem fazer nada ,salvo uma balançada que deu no adversário no fim do segundo round e já estava estragado e sem timing pra conseguir mais alguma coisa ! Contra o Do Bronx nem deveria ter aceito ,talvez aquela coisa de querer apagar uma derrota ,ainda mais do jeito que foi e enfrentou um Charles perfeito ,como nunca foi até aqui e que precisa repetir a fórmula ao máximo hoje caso a luta se prolongue se quiser voltar com a cinta ! Dariush se não inventar de mudar o seu jogo e vir estratégico ,sem partir pra cima ,sem dar giro na luta ,querendo pontuar ao invés de tentar definir como é do seu estilo a luta tem tudo pra ser das melhores da noite ,claro que o Ferguson sendo o velho carniceiro de duas lutas atrás ,é esperar pra ver !
  10. Sei lá ,vou esperar pra ver ,são seis derrotas nas ultimas dez lutas ,muito tempo parado e performances irregulares ,ou volta com fome ou vai ficar nessa até se aposentar !
  11. PFL anuncia duelos da 2ª rodada no peso-leve e no peso-pena, em 10 de junho. Confira! Anthony Pettis encara Alex Martinez em Atlantic City, nos leves. Atual campeão Natan Schulte enfrenta Mikhail Odintsov por vaga nas semifinais, e Joilton Peregrino luta com Clay Collard Combate.com A Professional Fighters League (PFL) anunciou nesta quinta-feira as lutas para a segunda rodada da temporada regular das categorias peso-pena (até 66kg) e peso-leve (até 70kg), em card programado para 10 de junho, mais uma vez na bolha criada pela organização num hotel cassino em Atlantic City, no estado de New Jersey. Será a hora decisiva para todos os dez lutadores de cada uma das categorias poderem garantir uma das quatro vagas nas semifinais. O evento ainda terá a estreia no MMA da bicampeã olímpica de boxe Claressa Shields, que luta no peso-leve contra Brittney Elkin. Peso-leve Na categoria dos leves, nenhum lutador que venceu fez mais que três pontos na primeira rodada, o que deixa a disputa ainda mais acirrada e aberta. Clay Collard, que bateu Anthony Pettis, encara Joilton Peregrino nesta rodada, tendo o brasileiro vindo de derrota. Pettis, uma das grandes apostas para a temporada, enfrenta Alex Martinez, que venceu na rodada anterior. O brasileiro e atual campeão Natan Schulte enfrenta Mikhail Odintsov, de Belarus, com ambos tendo perdido na primeira rodada. O polonês Marcin Held, que venceu Natan, encara o canadense e ex-UFC Olivier Aubin-Mercier, que não esteve na primeira rodada por conta de uma lesão e só estreia agora, com chance única para somar pontos. Vale ressaltar que o brasileiro Raush Manfio, que substituiu Aubin-Mercier lutando como reserva, não disputa a segunda rodada, já que o canadense está pronto para voltar. Na verdade, segundo apurou o Combate com o próprio lutador, ele vai receber a bolsa e se pesará. Caso algum dos titulares das cinco lutas tenha problemas com a balança, ele entra em ação se passar sem problemas por ela. Raush Manfio venceu Joilton Peregrino na primeira rodada, e sem lutar novamente não terá chances matemáticas de seguir adiante. E completa o card dos leves o duelo entre Akhmed Aliev - que vem de vitória - e Loik Radzhabov. Confira a classificação do peso-leve: Peso-leve classificação PFL — Foto: Divulgação Peso-pena No peso-pena (até 66kg), o inglês Brendan Loughnane lidera a classificação isolado com seis pontos, após nocautear Sheymon Moraes no primeiro round. Agora, ele encara Tyler Diamond, que tem três pontos na classificação depois de vitória por decisão unânime. Esse será o único duelo entre dois lutadores que somaram pontos na primeira rodada dos penas. O atual campeão Lance Palmer enfrenta Lazar Stojadinovic, ambos vindo de derrotas por pontos. Já Bubba Jenkins, que bateu o campeão na primeira rodada e somou três pontos, encara o francês Anthony Dizy, que perdeu na primeira luta. Movlid Khaybulaev, que tem três pontos, será o adversário de Sheymon Moraes. E completa o torneio o duelo entre Chris Wade, que já tem três pontos, com Arman Ospanov, que ficou com a vaga do sul-coreano Sung Bin Jo, que não foi liberado pelos médicos para lutar no próximo mês. Confira a classificação do peso-pena: PFL 2021 #4 10 de junho de 2021, em Atlantic City (EUA) CARD PRINCIPAL: Peso-leve: Anthony Pettis x Alex Martinez Peso-pena: Bubba Jenkins x Anthony Dizy Peso-pena: Brendan Loughnane x Tyler Diamond Peso-leve: Claressa Shields x Brittney Elkin CARD PRELIMINAR: Peso-leve: Clay Collard x Joilton Peregrino Peso-leve: Natan Schulte x Mikhail Odintsov Peso-pena: Lance Palmer x Lazar Stojadinovic Peso-leve: Marcin Held x Olivier Aubin-Mercier Peso-leve: Akhmed Aliev x Loik Radzhabov Peso-pena: Movlid Khaybulaev x Sheymon Moraes Peso-pena: Chris Wade x Arman Ospanov
  12. Dariush destaca empolgação para encarar Ferguson e adianta: “Vai ser uma guerra” Ag Fight Atual número nove do ranking do peso-leve (70 kg), Beneil Dariush tem, neste sábado (15), uma grande oportunidade de se aproximar do topo da categoria. O iraniano vai medir forças contra Tony Ferguson, ex-campeão interino da divisão, no UFC 262, evento que acontece em Houston (EUA). Pela importância do adversário na história da categoria, o lutador não escondeu a empolgação para entrar logo no octógono. O entusiasmo de Dariush também vai em direção ao seu momento na franquia, totalmente oposto ao de Ferguson. O lutador possui seis vitórias seguidas, enquanto o americano vem de duas derrotas. Entretanto, apesar do rival não vencer desde junho de 2019, Beneil fez questão de valorizar seu histórico no Ultimate. “Vou lutar contra um dos lutadores mais assustadores do UFC, um dos maiores pesos-leves de todos os tempos e estou muito feliz com isso. Mal posso esperar. Só de pensar na luta me faz sorrir. Vai ser uma guerra. Acho que vamos ver o melhor Tony. Estou super empolgado com esse combate”, adiantou o lutador. Mas caso mantenha sua boa fase e engate o sétimo triunfo seguido, Dariush mantém os pés no chão sobre uma possível disputa de cinturão da categoria. O iraniano adiantou que vê outros competidores em sua frente nessa corrida. Vale destacar que no mesmo evento, em sua luta principal, Charles ‘Do Bronx’ e Michael Chandler duelam para saber quem será o novo campeão dos leves. “Não acho que isso (derrotar Tony) me torna o desafiante número um. Eu sei que é estranho porque tenho uma grande sequência vitórias, mas não acho que isso vai me fazer disputar o cinturão. Se Dustin ganhar, acho que ele disputa o título. Mesmo que Conor perca, ele ainda estará na minha frente. Ainda estou atrás de Justin Gaethje também”, concluiu o atleta da Kings MMA, equipe liderada pelo brasileiro Rafael Cordeiro. No UFC desde 2014, Beneil Dariush vive sua melhor fase na organização, tendo vencido seus últimos seis compromissos no octógono mais famoso do mundo. A sequência positiva levou o peso-leve à 9ª posição no ranking da categoria e o colocou no caminho do americano Tony Ferguson, um dos principais nomes da divisão nos últimos anos.
  13. Se a frase foi exatamente essa ela está equivocada , o Dana só vai dar muita grana pra ela se ela der primeiro muita grana para o UFC ,foi assim com todos e não vai ser diferente com ela ,mma não é olímpiada ,ser bi mundial no judô é um feito monstro e ajuda muito mas vai ter que mostrar serviço contra uma tal de Amanda Nunes se quiser passar de fase !
  14. Tem tudo pra ser uma luta divertida, Marreta parece não ser mais o mesmo mas o JW só vive de golpes acrobáticos então fica complicado de apostar em alguém, minha torcida vai para o Marreta , entre os dois é o que acredito que possa ainda fazer mais guerras boas de assistir!
  15. As derrotas não desmerecem e nem diminuem o quão bom , fora da curva esse cara foi , merece descansar depois de tantas batalhas!