Ultimate Fighter

Membros
  • Content Count

    255
  • Joined

Community Reputation

0 Neutra

About Ultimate Fighter

Recent Profile Visitors

2393 profile views
  1. Campeão dos meio-pesados diz que esperava ser compensado por arriscar a vida contra Francis Ngannou: "Estou disposto a lutar com o cara mais assustador do planeta e eles não me pagam?"A relação entre o UFC e Jon Jones definitivamente sofreu um duro golpe na última quinta-feira. O lutador, que esperava receber um aumento nos valores do seu contrato ao subir para o peso-pesado e fazer uma superluta contra o camaronês Francis Ngannou, foi pego de surpresa com a negativa imediata de reajuste por parte da organização. Em entrevista exclusiva ao programa "MMA Road Show", Jones revelou a conversa que teve com alguém que ele reputa como "um das cabeças do UFC" e a posição que a direção da empresa teve sobre a sua expectativa de receber um reajuste compatível com o passo que ele estava prestes a dar.Jon Jones não escondeu a mágoa com a postura do UFC sobre a sua luta contra Francis Ngannou — Foto: Adriano Albuquerque- Tive uma conversa com um dos cabeças do UFC, e antes mesmo de falarmos sobre dinheiro - e não foi o caso de eu ter pedido muito dinheiro -, eu ouvi um "Não" seco, direto. Eles não falaram nada sobre bilheteria, pandemia ou algo do tipo. Apenas disseram achar que cuidam muito bem de mim e que, se eu quisesse ganhar dinheiro de verdade, esse dinheiro inevitavelmente viria da venda de pacotes de pay-per-view da luta contra Francis Ngannou, e de outras desse nível. Mas o contrato permaneceria o mesmo caso eu subisse para os pesados. O problema é que estava nos meus planos fazer as minhas maiores lutas na reta final da carreira, e agora eu sei que não darei esse tipo de salto na minha vida. É ruim, porque você sente que alguém está te colocando freios, colocando um limite nas suas possibilidades.Jones garantiu que nunca falou abertamente com o UFC sobre a ida para a maior categoria do MMA mundial, mas revelou que, sempre que o assunto foi abordado, ouviu da organização que, quando fosse chegada a hora, a negociação seria em cima de números que mudariam a sua vida. Para ele, isso não foi cumprido nessa semana, mesmo diante do risco que ele acredita que correria em enfrentar alguém muito maior e mais pesado que ele no octógono.- Nós nunca falamos seriamente sobre os pesos-pesados, mas nas poucas vezes em que tocamos no assunto, eles deixaram claro para mim que, quando estivesse pronto para subir de categoria, nós voltaríamos à mesa de negociações e discutiríamos sobre números que mudariam a minha vida. Vamos falar abertamente: Jon Jones x Stipe Miocic? Superluta. Daniel Cormier? Superluta. Logo, Francis Ngannou também é uma superluta. Mesmo que não quisessem mudar o meu contrato, o fato é que eles não estão dispostos a fazer sequer um contrato especial, de apenas uma luta, para que eu enfrente um cara 20kg mais pesado que eu, o cara mais assustador do planeta - Francis Ngannou, o cara que ninguém quer enfrentar. Estou disposto a encará-lo mesmo sendo menor e vocês não querem me pagar US$ 1 a mais? Estão me dizendo que essa luta tem o mesmo valor de eu enfrentar Jan Blachowicz? Me senti insultado. Todos gostariam de me ver correndo esse risco, e eles não me ofereceram nada em troca. Absolutamente nada.Jon Jones diz esperar que o UFC oferecesse um contrato especial para a sua chegada ao peso-pesado — Foto: Evelyn RodriguesA promessa que foi feita pelo UFC, segundo o lutador, era de que, caso ele decidisse subir para os pesados, haveria um novo contrato, com um novo acordo sobre os termos financeiros, e que isso o fez imaginar que, após fazer tudo o que havia para ser feito nos meio-pesados, seria chegada a hora de discutir esses termos. O UFC, no entanto, não teria cumprido essa expectativa, o que desanimou o lutador.- Honestamente, minha situação atual me deixa chocado. O UFC disse a mim e ao meu empresário por anos que, se eu algum dia quisesse chegar a um determinado nível no esporte e realmente quisesse atingir um certo nível de pagamento, eu teria que sair da minha zona de conforto e fazer as mega-lutas, especificamente nos pesos-pesados. eles foram claros quando disseram que reformulariam o meu contrato no dia em que eu decidisse ir para o peso-pesado, e que seria um acordo diferente. Por conta disso, eu sempre tive claro para mim que eu lutaria por muito tempo no peso-meio-pesado, até o momento em que não houvesse mais nada a provar, e me aposentaria como peso-pesado após fazer lutas realmente grandes - colocando tudo em risco contra lutadores que podem causar danos sérios. Na quinta-feira eu descobri que nada disso iria acontecer, e fiquei muito frustrado. Senti que alguém estava colocando um limite no meu horizonte.Jones não escondeu que, se for preciso, abrirá mão do cinturão caso o UFC queira que haja uma disputa, e voltará apenas quando achar que o UFC pagará o valor que ele considera justo para que ele faça uma luta "grande de verdade".Jon Jones diz que Thiago Marreta e Dominick Reyes despontaram para o estrelato após enfrentarem-no — Foto: Getty Images- Se é assim que o UFC se sente em relação a mim, e acha que é isso que eu mereço - não receber uma fatia da torta - então não preciso viver de acordo com a agenda deles. Acho que não preciso responder a eles se é assim que vão me tratar. Não vejo problemas em eles me tirarem o cinturão e fazerem alguém lutar pelo título. Vou voltar quando achar que estou pronto e ver quanto eles estão dispostos a pagar pela luta grande de verdade. Mas, por enquanto, o que eu tenho a ganhar enfrentando Jan Blachowicz ou Dominick Reyes? Não tenho muito a ganhar em nenhuma dessas situações. Sempre deixei claro que os meus melhores dias acontecerão quando eu me tornar um peso-pesado, mas eles fizeram uma lambança imensa. Não vou mentir, estou magoado.Em outro ponto da entrevista, o atleta deixou claro que não se conforma em ver o UFC pagando "dezenas de milhões de dólares" a outros lutadores, e se recusando a aumentar os valores do seu contrato para que ele faça " luta mais arriscada da história do esporte".- Vocês pagam dezenas de milhões de dólares para outros lutadores, mas se recusam a me dar US$ 1 extra para colocar minha vida em risco contra Francis Ngannou? Me pedem para fazer a luta mais arriscada do UFC e não me pagam a mais por isso? Essa é provavelmente a luta mais arriscada da história do esporte, levando-se em conta as habilidades dele e a nossa diferença de tamanho. Onde está a compensação pelo fator de entretenimento de ver Francis Ngannou contra um adversário 20kg mais leve que ele? Qual a minha compensação por isso? Esse é o meu ponto.Para Jon Jones, a necessidade de lutar não é mais uma realidade. O campeã dos pesos-meio-pesados acredita que, no cenário atual da categoria, ele acaba sendo uma espécie de chance de sucesso para seus oponentes, sem ter quase nada a ganhar com isso. Jones citou Thiago Marreta e Dominick Reyes como exemplos de atletas que saíram das suas lutas contra ele com um status muito maior do que quando entraram, mesmo tendo sido derrotados.Jon Jones derrotou Dominick Reyes no UFC 247 — Foto: Getty Images- Acho que estou em uma boa situação na minha vida. Mesmo no meio da acusação de dirigir bêbado - que eu sei que confundiu muita gente e os fez pensar que as coisas estão indo mal - eu estou em uma posição ótima, e não tenho necessidade de lutar. Hoje em dia, eu acho que dou aos meus oponentes uma chance. Se eu não tiver uma performance em altíssimo nível, eu passo a ter mais a perder do que a ganhar. Thiago Marreta foi de um lutador relativamente anônimo ao maior lutador do Brasil após a nossa luta. Dominick Reyes é agora oficialmente o rei de Apple Valley.Aos 32 anos de idade, Jon Jones revelou também que a pandemia do coronavírus o afetou internamente, e acendeu dentro dele uma vontade de fazer as coisas sem ter que esperar muito. Uma delas, segundo ele, é intensificar a mudança corporal para se tornar um peso-pesado quando puder voltar a lutar.- Essa pandemia me ensinou muito sobre a vida, e me mostrou o quanto eu sou abençoado, além de me fazer ver que devo viver enquanto tenho chance. Quando eu for velho, quero me olhar no espelho e dizer que aceitei os maiores desafios, e também quero ter sido recompensado por isso. Mas alguma coisa mudou dentro de mim durante a pandemia. Esse negócio de esperar para ver o que acontece acabou. Quero viver o agora. Estou pronto para ser o melhor pai que puder, o melhor atleta que eu puder, e também para me desafiar. Estou preparado para algumas coisas que sempre quis fazer e me pergunto: "Por que esperar?" Fiz tudo nos meio-pesados, e estou com 32 anos. É a idade perfeita para fazer o que eu quero. Estou em quarentena agora, e tenho tempo para ganhar peso e reaparecer como peso-pesado quando a pandemia acabar.O lutador encerrou a entrevista dizendo que se sente frustrado por sentir que limitaram seu crescimento como atleta ao mostrarem que uma mudança do tamanho que para ele é subir para os pesos-pesados e encarar um grande desafio não teria valor adicional nenhum em comparação ao que ele já faz nos pesos-meio-pesados.Jon Jones gostaria de estrear no peso-pesado do UFC enfrentando o camaronês Francis Ngannou — Foto: Getty Images- Colocaram um limite à minha frente. Eu estava disposto a mergulhar de cabeça e dar um show para os fãs, e eles me frustaram dizendo que isso não tem valor algum. Eu ganharia literalmente a mesma coisa que se lutasse contra Jan Blachowicz. Pergunte a qualquer fã razoável: "Com quem você lutaria?" eles estão me dizendo que não importa contra quem você vá lutar, a sua valorização será a mesma. Eu posso falar a besteira que eu quiser, postar vídeos no Instagram o dia todo e me vestir da melhor maneira que puder, mas não posso controlar quem vai escolher as lutas. De certa forma, vocês estão amarrando as minhas mãos.Também entrevistado pelo programa, o empresário de Jon Jones, Ibrahim Kawa, garantiu que o lutador está ciente do momento financeiro do UFC, abalado pela pandemia e eplas circunstâncias que o novo cenário traz para as empresas em geral, mas ressaltou que o risco que seu cliente corre com essa mudança precisa ser valorizado, independente da sua participação percentual nas vendas de pay-per-view.- O risco de pegar essa luta precisa ser compensado, com ou seu participação no pay-per-view. Não importa. Uma luta contra Jan Blachowicz tem um determinado valor em dinheiro, e o risco é de certa forma muito menor. Quando o risco de enfrentar potencialmente muito mais danos enfrentando um cara que certamente pode causá-los aparece, acho que os números deveriam ser muito mais altos. Jon está assumindo o risco. Onde está o risco do UFC em Jones x Ngannou? Eles não correm risco nenhum. Vão ganhar muito dinheiro, essa é a verdade. Dizer que "não existe a possibilidade dessa luta vender menos de um milhão de pacotes de pay-per-view" não é correr risco.O empresário também explicou que a ideia de Jones é ter a garantia de que a luta acontecerá dentro de termos financeiros que o agradem, para que ele possa se preparar por seis ou sete meses da forma adequada e consiga dar o show que os fãs esperam.- Jon não está pedindo para lutar mês que vem, no meio da pandemia, e exigindo mais dinheiro. O que ele diz é: "Quero saber que tenho uma luta garantida em vista, e precisarei de tempo para preparar o meu corpo. Nesse tempo, se tudo der certo, a pandemia terá acabado e voltaremos à vida normal dentro do possível, e aos negócios. Ele quer de verdade saber que tem uma luta programada para poder ganhar massa muscular da forma correta, e talvez em seis ou sete meses estaremos olhando para uma arena lotada para essa luta.https://globoesporte.globo.com/combate/ ... seco.ghtml
  2. Esse papo de "punch" ou "one punch" é relativo, quem bate mais forte, Cormier ou Ngannou? O Ngannou com certeza bate mais forte, mas quem nocauteou o Miocic? Foi o Cormier, e olha que ambos acertaram porradas limpas na cara do Miocic. Não importa o quão forte vc bata, tudo depende de onde vai pegar o soco e da capacidade de absorção do adversário, tem gente que pode levar uma "cadeirada" na cabeça que não cai. Citaram aí o Anderson Silva como não tendo punch, discordo, o negao batia forte desde a época que era magrinho (78kg), era só ver a expressão de dor dos adversários ao menor toque do brasileiro, seja com os pés, mãos, cotovelos e joelhos, se eles não caiam de primeira é uma mistura de sorte com boa absorção de golpes.
  3. O Ruas tem uma mágoa com essa história tão grande que soa ate esquisito, deveria ter aceito sair na mão quando teve a chance. A fissura dele com essa história de Rickson é tão insana que ele perdeu a chance de ter buscado grandes desafios na carreira, acabou lutando pouco e tendo uma carreira bem modesta, superestimado de mais por uma galera aqui.
  4. Esse é meu receio, pois o wanderlei nas últimas lutas da carreira ligou o modo "showman" e saiu trocando sem se preocupar com contragolpes, foi o que estragou ele. Se ele se preparar seriamente, e lutar fechado como fez na primeira luta com o Cro cop pode dar uma luta até interessante. O problema é que não vale chute, é só boxe, nunca vi o Vanderlei lutar boxe, não sei se ele soca aberto no boxe como faz mma.
  5. Luta estranha, seria excelente com ambos no auge, mas um tem 53 anos, e apesar da forma física excelente eu não gostaria de ver o Tyson tomando porrada na cara e sem luvas. O outro é o Vanderlei que deve ter seus 43 anos, se fizer uma preparação boa pode dar trabalho, mas e um risco desnecessario tomar um soco de encontro do americano sem luvas, mas acho que geral ta subestimando o wanderlei, enfrentar o Tyson ainda que este esteja "velho" já é a motivação que ele precisa, ainda mais após ter visto o Tyson voando nos treinos. Só uma observação, no vídeo do Tyson treinando com o Vitor da pra notar que mesmo alguns bons anos mais velho que o Vitor, ele tá com um físico mais inteiro que o brasleiro, parece que não envelheceu essa disgrama, genética boa.
  6. Eu acho que estão usando muito a expressão "SE" quando se referem Ngannou, "SE" ele aprender isso, "SE" aprender aquilo será imbatível, eu tb acho que "SE" ele fizer tudo isso tem grandes chances de ficar com a cinta e defende-la muitas vezes, mas precisamos analisa-lo baseando-se no que ele apresenta hoje, Ngannou é um fenômeno de força, explosão e velocidade, por isso quase sempre fara lutas emocioantes perdendo ou ganhando, mas o fato é que ainda não mostrou nada além disso, apesar de ter chance de vencer com um golpe ele é totalmente vencivel. Vejam o vídeo abaixo, na parte da luta dele com o Cigano da pra ver que mesmo o brasileiro meio gordo e displicente estava indo bem, esquivando legal, na malandragem, deu até um "passa pé" desequilibrando o negão, tava com pinta de que ia ser o senhor da luta até entrar no tempo errado com o mata cobra e levar a bomba, mas tava sendo o senhor das ações até o golpe fatal. Eu espero que o Ngannou vença todas as suas lutas e o Cigano tbm pra quem sabe ver uma revtanche entre os dois, Cigano parece que encontrou motivação com essa perda de peso, cogitando luta até com o Jones, quem sabe ele não deita um (jones) e depois o outro (Ngannou) Cigano motivado como parece estar pode voltar a ter o "sangue nos zóio" pra não entregar a paçoca no primeiro atraso que levar, boto fé no Cigano ainda. Vídeo
  7. Nome em alta na mídia entre aspas né, pq se o cara desafia Deus e o mundo e depois não luta acaba caindo em descrédito com o público e o tiro sai pela culatra, quem vai patrocinar uma farsa que fala e não faz? Uma coisa é desafiar a galera e lutar, como o borrachinha faz e acredito que o Jones vá fazer, essa luta só não sai se o UFC não quiser.
  8. Alguns dizem que o overeen tem queixo de vidro, outros dizem que ele aguentou a blitz do negao e reverteu a luta, eu já tenho opinião diferente, o Overeen leva muito golpe desnecessário pra um striker tão "técnico" como dizem, sua defesa e esquiva estão horriveis, reflexo quase inexistente, parece que ta em camera lenta, eu julgo a qualidade tecnica de um lutador principalmente pela sua defesa impecavel, isso o Overeen não tem e não tinha nem no seu auge (no mma). Não vejo ele com vontade nem condições de se apresentar melhor do que nessa última luta.
  9. Não consigo entender o raciocínio de alguns aqui quando dizem que o Jones só está querendo "chamar atenção " mas na hora vai amarelar, não vai subir de categoria etc. Essa luta muita gente pagaria pra ver, ou seja, daria muito lucro pro UFC, Jones sabe que se da lucro pro UFC o Dana faz de tudo pra acontecer. Se o jones não quisesse está luta teria ficado quieto, se ele soltou essa declaração nas redes sociais é pq quer lutar com o negonu.
  10. Admiro o Cormier pq ele contraria tudo o que a maioria fala sobre essa suposta evolução do mma, de que atletas de altura X deveriam lutar na categoria y, pois se não for assim fica na desvantagem, ele confia em si e sabe que essa teoria maluca pode ser um tiro no pé, o cara tem 1.80, é gordinho, estrutura óssea pesada, e faz luta dura com qualquer um mesmo estando com certa idade, quando perde é no detalhe. Um cara com 1.80 lutar na categoria 70 kg como dizem é difícil, fica fraco a não ser qque tenha densidade óssea de isopor. O negócio é aceitar seu biótipo e não querer levar vantagem em categorias muito abaixo, pois pode ser um tiro no pé(fraqueza, queda de pressão etc)
  11. Jon Jones tem mais recursos técnicos, além de ter mais inteligência pra sair de situações complicadas durante a luta e reverter tudo a seu favor. O "nega do leite" ou "negonu" como chamam é uma carreta desgovernada, pode complicar se acertar uma mão em cheio, mas ele ainda é meio estabanado socando, a seu favor tem o fato de ser um cara bem pesado (deve ter 120 kg em off) e rápido, por conta desse peso e velocidade a explosão nos golpes são quase sobrenaturais, por isso se ele focar até a exaustão na defesa de quedas, e na boa defesa no chão quando for quedado pode complicar pro Jones. Mas não podemos esquecer que o Jones apesar da canela de "sabiá " é forte pra caramba, o físico engana muito, as vezes a gente olha e não dá nada pro cidadão pelo fisico mas quando bate de frente vê que o caldo engrossa.
  12. O subtítulo que eu botei foi mais pra dar um tom engraçado ao post, sou meio comediante as vezes. Apaguei por achar que tava infringindo as regras rsrs. Borrachinha tem que se concentrar em vencer o nigeriano primeiro, se conseguir isso aí sim pode pensar em categoria de cima. Uma coisa tem que ser considerada, se o marreta, que é mais limitado que o borrachinha fez o que fez, não duvido do borrachinha dar um "calor" no Jon Jones não, agora se vai vencer ou não é outra história.
  13. Achei que tivesse errado a data quando vi os nomes. Tomara que seja um sucesso esse evento, não acompanho muito o Jiu-Jitsu da nova geração mas o pouco que vejo nos vídeos que são divulgados não me agrada, muitas posições ridículas, pouco eficientes, da até vergonha. Espero que o pessoal das antigas reacenda a vontade da nova geração em praticar um Jiu-Jitsu mais real e eficiente.
  14. Pois é, mas derrubar o "chupeta de baleia" Emmanuel Yarborough e seus 317 kg com um tapa, tem que ser O TAPA rsrs
  15. Copiei esse post lá do bjjforum, sei não olhando essas esquivas do Ali, tenho minhas dúvidas se o tyson acharia ele no ringue.Acho que o Sonny era mais foda que o Tyson,até o Mike disse em entrevista que não o venceria. o negão era foda,um Bad Boy com força irreal, só prova que Ali era de outro planeta pois o venceu.Ali era fantástico,ele na época dessas esquivas já estava decadente.