Último Imperador

Política, Polêmicas e afins.

Recommended Posts

6 horas atrás, fninja disse:

 

Agora o maior erro mesmo dele foi não ter chamado o cara de filho da puta, pelo menos ia fazer trabalho comunitário no puteiro, ia ser bem mais interessante...

Roubou minha piada haha

Share this post


Link to post
Share on other sites

É complicado cara. Eu entendo a linha de argumentação do porquê não é bacana chamar o outro cara de viado. Mas eu também sou muito brincalhão, sempre gostei de falar merda e não me importo de fazerem piada de mim. É difícil racionalizar e aceitar que, realmente, algumas coisas podem mudar.

Eu sou o maior defensor do movimento LGBT, muitas pessoas falam que não existe preconceito, ou que o preconceito contra gays não é tão grande contra pareça, mas é sim. Eu sei. Não porque eu seja gay (e não teria problema nenhum se eu fosse), mas um dos melhores amigos meus é homossexual e vejo o que ele passa. Eu sinto a diferença no tratamento e a diferença de olhares de reprovação vindo em nossa direção quando eu e minha esposa saímos para jantar com um casal de amigos (homem e mulher) vs. quando eu e minha esposa saímos para jantar com esse meu brother e o namorado dele (que nem sequer se beijam em público, só ficam abraçados e de mão dadas). Portanto, temos muito a evoluir sim ainda como sociedade. Nota Isso não tem nada a ver com ser de direita, ou esquerda: se você é a favor ou contra privatização, se você quer mais ou menos estado. Tá um saco essa de querer categorizar tudo em direita e esquerda.

 

 

 

Edited by antamoeba

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Já mudou muito e continua mudando. Estamos falando de movimentos de "movimentos sociais", não sobre 'ativistazinhos'. E historicamente os movimentos sociais mudaram MUITAS coisas, boa parte da nossa qualidade de vida são devido a essas lutas. Essa ofensa do Werdum é algo simbólico, qualquer pessoa midiática que ofender outra assim e for empregado de uma empresa maior terá que se retratar, faz parte dessa mudança de mentalidade. É apenas parte de um processo maior.

Você está de parabéns!

Conseguiu mostrar o outro lado da história.

Sempre leio os seus posts, apesar que na maioria das vezes são longos rs.

Mas aqui você deu uma verdadeira aula.

Confesso que quando vi a notícia também achei exagerada a atitude do UFC, afinal o Werdum não teve intenção de ser preconceituoso. No entanto fui mudando de ideia ao ler os posts da galera e principalmente os seus.

Ainda tem muito preconceito aqui, infelizmente...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sério, pra que isso? E o Ferguson tbm o chamou de maricón, vai prestar serviço comunitário tb?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 30/09/2017 at 6:12 PM, Daniel Mendoza disse:

A maior parte dos preconceitos são passados de forma não intencional, sem que tenhamos a intenção de o fazer ou a consciência que estando reproduzindo ideias preconceituosas, como debochar ou xingar alguém chamando de viado, piadas com esse teor, etc. Um cara ser viado ou maricon não é uma ofensa. Esse combate de mudança a mentalidade é tido como mimimi e chatísse por muitos, mas eu vejo como importante para a mudança de crenças sociais enraizadas, de serem tratados e vistos como iguais. Cada vez mais os movimentos sociais têm lutado por esse reconhecimento que é uma mudança cultural da forma de vermos e significados o homossexual. Desassociar da ideia de ofensa é parte do processo, UFC como uma empresa midiática não pode ignorar essa mudança da sociedade civil. As pessoas podem reclamar, mas o fato é que os tempoa estão mudando. É normal que em toda obra progressiva tenha uma onda de resposta conservadora, mas historicamente, essas mudanças de ganho de direitos e reconhecimentos sócias em democracias não retrocedem. 

Sei que minha opinião é contrária a de muitos, mas peço por favor que mantenhamos o respeito com visões divergentes.

21 horas atrás, siso_ disse:

alguém já te agrediu por andar de mão dada na rua com uma mulher? você já deixou de conseguir um emprego por ser hetero? você teve que assumir sua heterosexualidade perante sua família e sociedade? alguém já matou algum conhecido/a seu por ser heterosexual? me fale mais sobre heterofobia. ninguém quer implantar uma ditadura LGBTTT, o que eles buscam são direitos iguais, respeito, e acaba que isso implica em mudanças naquilo que até certo tempo era considerado normal. sinceramente,se deixar de usar o termo "viado" ou qualquer outro termo que, por mais que hoje não tenha essa conotação, tenha origem preconceituosa, ajudar nisso, pra mim vale a pena. palavrão é o que não falta ofender alguém

12 horas atrás, spiderk disse:

Existe uma diferenca entre ser gay e viado. (...)

Posts muito longos acabam sendo chatos e não lidos. Posts muito curtos acabam sendo rasos. Difícil decidir.

É natural do ser humano xingar em um momento de raiva. E daí? Bem, marica, já vimos que não pode, filho da puta, também não, vai ofender as prostitutas. Bobo, idiota, imbecil, retardado, também não, alguém com deficiência mental pode se ofender, "tomar no c...", também não, pois também tem referência homossexual. Então, por essa lógica, os xingamentos, os desabafos, serão todos abolidos, porque sempre alguém pode se ofender. Mas isso é razoável? O Siso falou que xingamento não falta, mas não mencionou um. Então, convenhamos, é um problema sem solução, quando colocado nessa perspectiva de não se usar ou falar nada que alguém possa se ofender, pois o xingamento é justamente isso, é algo para se usar num momento de raiva para ofender alguém. Concordo que ser viado não deveria ser xingamento, espero que evoluamos algum dia nesse sentido, mas, infelizmente, por razões culturais, ainda o é.

Também me incomoda essa postura seletiva. As mesmas pessoas que reclamam de certos xingamentos, realizam outros, tão preconceituosos quanto. Um exemplo: muitos que se arrolam o título de defensores das minorias são pródigos em ofender os evangélicos de forma preconceituosa. Mas aí, subitamente, as bandeiras da defesa das minorias não se levantam. Aí, pode né? No fundo, há uma forte discussão ideológica, de patrulha, de se admitir os xingamentos contra alguns e não se tolerar contra outros. Ainda que de forma desnecessariamente agressiva, o Nando Moura, mencionado no vídeo pelo spiderk, destaca isso com brilhantismo: são poucas as vozes que se levantam contra o escárnio aos cristãos. Ou seja, a defesa da dignidade só vale para o lado que eu defendo, o outro é "nazista, fascista, homofóbico, racista" e por aí vai. A discussão é rasa e argumentos não são analisados, apenas os interlocutores. Quando o Lula falou do grelo duro e do fato de que a Clara Ant achou que estava no paraíso ao acordar com 4 policiais federais na casa dela, o movimento feminista não escreveu uma linha de repúdio. Ah se fosse o Bolsonaro que tivesse dito as mesmas coisas... E por quê? Porque é inimigo. O Lula é amigo, então pode tudo. É aquela velha história "democracia é quando nós mandamos neles, ditadura é quando eles mandam em nós".

No fundo, acho que o problema está dos dois lados. De um lado, quem ofende sem pensar, de outro, quem se dói por qualquer coisa. Há pouco tempo na história da humanidade jovens de 14 anos iam para a guerra. Nessa época, não havia tempo para ficar xingando os outros por qualquer idiotice ou ficar se ofendendo por qualquer bobagem. Talvez, no fundo, faltem problemas reais a muitas pessoas. Inclusive pra mim, que perdi tempo escrevendo um post longo desses...

18 horas atrás, afterforever disse:

Na verdade Afterforever é a música do black sabbath que deu origem a uma banda holandesa que eu gostava muito na época... Hoje escuto mais heavy metal tradicional e hard rock... É essa banda nem existe mais,rs...

Há muitos anos vi o cd dessa banda na casa de um primo. Nunca relacionei o seu nickname ao nome da banda. Bacana. Nem sabia que a banda não existia mais. Mas se pensarmos nas bandas de metal da década de 90, é bem provável que a maioria tenha acabado ou, no mínimo, tido uma mudança radical na formação

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Stanley Nelson disse:

Daqui a pouco aparece a sociedade protetora dos animais falar que o Werdum ofendeu os cachorros tbm. 

Muito ridículo essa sensura, não pode falar mais porra nenhuma hoje em dia. 

O homossexual pode contar piada de Português mas o Português não pode contar piada de homossexual. 

Puta duble standard esse turminha do mimimi 

 

 

Vou repetir, os mais perigosos sao os que inocentemente acreditam que isso é algo bom.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 30/09/2017 at 4:36 PM, Último Imperador disse:

Porra

Chama de viado mesmo. Qual é o problema disso?

Ofensa é, intencionalmente, definir o outro do que ele não é. Se eu chamar meu chefe (que tem extrema dificuldade em tomar decisões sem que antes se certifique de estar agradando a todos) de político, poderei ser processado pela classe?

Quanta babaquice, quanta palhaçada, quanta viadagem, quanta frescura, quanto homossexualismo ativista.

Quem levantou a questão que levou a isso merecia uma surra de cinturão pra parar com frescura.

 

Não cara, ofender é usar um termo ofensivo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Mestres, antes de me chamar de "os piores" sugiro que estude sobre movimentos sociais e os efeitos dele na sociedade. Pergunte para um homossexual se é melhor ser homossexual agora ou há 60 anos, isso é graça a esses movimentos. Para vc não faz diferença, mas para os homens sexuais fez e faz demais. São movimentos que defendem vítimas de construções históricas injustas e desiguais mesmo. Ignorar a história é andar no escuro, mestre. É graças a Deus podemos influenciar as pessoas para um mundo onde todo mundo deve ser tratado como igual no ato e no pensamento. 

Hoje em dia rolam tremendos exageros, e a busca nao mais é por igualdade, mas sim por privilégios, seja gay, feminazis, negros etc. Só nao ve quem nao quer ou esta cego pra isso por razoes ideologicas.

Daqui a pouco nao vou poder chamar um dos meus melhores amigos de "negão" sem essa patrulha nojenta encher o saco.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 30/09/2017 at 6:12 PM, Daniel Mendoza disse:

A maior parte dos preconceitos são passados de forma não intencional, sem que tenhamos a intenção de o fazer ou a consciência que estando reproduzindo ideias preconceituosas, como debochar ou xingar alguém chamando de viado, piadas com esse teor, etc. Um cara ser viado ou maricon não é uma ofensa. Esse combate de mudança a mentalidade é tido como mimimi e chatísse por muitos, mas eu vejo como importante para a mudança de crenças sociais enraizadas, de serem tratados e vistos como iguais. Cada vez mais os movimentos sociais têm lutado por esse reconhecimento que é uma mudança cultural da forma de vermos e significados o homossexual. Desassociar da ideia de ofensa é parte do processo, UFC como uma empresa midiática não pode ignorar essa mudança da sociedade civil. As pessoas podem reclamar, mas o fato é que os tempoa estão mudando. É normal que em toda obra progressiva tenha uma onda de resposta conservadora, mas historicamente, essas mudanças de ganho de direitos e reconhecimentos sócias em democracias não retrocedem. 

Sei que minha opinião é contrária a de muitos, mas peço por favor que mantenhamos o respeito com visões divergentes.

Sim cara penso o mesmo, mandou muito bem, parabéns. Só acho que um pedido de desculpas (que já havia sido feito) bastaria mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 minutos atrás, Barbas disse:

Posts muito longos acabam sendo chatos e não lidos. Posts muito curtos acabam sendo rasos. Difícil decidir.

É natural do ser humano xingar em um momento de raiva. E daí? Bem, marica, já vimos que não pode, filho da puta, também não, vai ofender as prostitutas. Bobo, idiota, imbecil, retardado, também não, alguém com deficiência mental pode se ofender, "tomar no c...", também não, pois também tem referência homossexual. Então, por essa lógica, os xingamentos, os desabafos, serão todos abolidos, porque sempre alguém pode se ofender. Mas isso é razoável? O Siso falou que xingamento não falta, mas não mencionou um. Então, convenhamos, é um problema sem solução, quando colocado nessa perspectiva de não se usar ou falar nada que alguém possa se ofender, pois o xingamento é justamente isso, é algo para se usar num momento de raiva para ofender alguém. Concordo que ser viado não deveria ser xingamento, espero que evoluamos algum dia nesse sentido, mas, infelizmente, por razões culturais, ainda o é.

Também me incomoda essa postura seletiva. As mesmas pessoas que reclamam de certos xingamentos, realizam outros, tão preconceituosos quanto. Um exemplo: muitos que se arrolam o título de defensores das minorias são pródigos em ofender os evangélicos de forma preconceituosa. Mas aí, subitamente, as bandeiras da defesa das minorias não se levantam. Aí, pode né? No fundo, há uma forte discussão ideológica, de patrulha, de se admitir os xingamentos contra alguns e não se tolerar contra outros. Ainda que de forma desnecessariamente agressiva, o Nando Moura, mencionado no vídeo pelo spiderk, destaca isso com brilhantismo: são poucas as vozes que se levantam contra o escárnio aos cristãos. Ou seja, a defesa da dignidade só vale para o lado que eu defendo, o outro é "nazista, fascista, homofóbico, racista" e por aí vai. A discussão é rasa e argumentos não são analisados, apenas os interlocutores. Quando o Lula falou do grelo duro e do fato de que a Clara Ant achou que estava no paraíso ao acordar com 4 policiais federais na casa dela, o movimento feminista não escreveu uma linha de repúdio. Ah se fosse o Bolsonaro que tivesse dito as mesmas coisas... E por quê? Porque é inimigo. O Lula é amigo, então pode tudo. É aquela velha história "democracia é quando nós mandamos neles, ditadura é quando eles mandam em nós".

No fundo, acho que o problema está dos dois lados. De um lado, quem ofende sem pensar, de outro, quem se dói por qualquer coisa. Há pouco tempo na história da humanidade jovens de 14 anos iam para a guerra. Nessa época, não havia tempo para ficar xingando os outros por qualquer idiotice ou ficar se ofendendo por qualquer bobagem. Talvez, no fundo, faltem problemas reais a muitas pessoas. Inclusive pra mim, que perdi tempo escrevendo um post longo desses...

Há muitos anos vi o cd dessa banda na casa de um primo. Nunca relacionei o seu nickname ao nome da banda. Bacana. Nem sabia que a banda não existia mais. Mas se pensarmos nas bandas de metal da década de 90, é bem provável que a maioria tenha acabado ou, no mínimo, tido uma mudança radical na formação

Ainda bem que você fez esse post. Mandou muito bem, como de costume. E rasos sao essas antas esquerdistas que entoam esses ridiculos mantras, "fascista", "racista" "homofobico"...e quase todos filhos de pais capitalistas e batalhadores, sem os quais seria impossível bancar suas jornadas de DCE e maconha nas Federais Brasil afora.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 30/09/2017 at 6:55 PM, DOCTOR STRANGE disse:

Para não ofender, como deve ser chamado uma pessoa da comunidade GLBT? Ser humano? Pessoa?  Humano? Cara? Ser? Cidadão? Elemento apreciador da companhia de pessoas do mesmo sexo? Terraqueo?

Que tal por "você"? Mas tem outros pronomes tbm.

Edited by Songa

Share this post


Link to post
Share on other sites
31 minutos atrás, Barbas disse:

Posts muito longos acabam sendo chatos e não lidos. Posts muito curtos acabam sendo rasos. Difícil decidir.

É natural do ser humano xingar em um momento de raiva. E daí? Bem, marica, já vimos que não pode, filho da puta, também não, vai ofender as prostitutas. Bobo, idiota, imbecil, retardado, também não, alguém com deficiência mental pode se ofender, "tomar no c...", também não, pois também tem referência homossexual. Então, por essa lógica, os xingamentos, os desabafos, serão todos abolidos, porque sempre alguém pode se ofender. Mas isso é razoável? O Siso falou que xingamento não falta, mas não mencionou um. Então, convenhamos, é um problema sem solução, quando colocado nessa perspectiva de não se usar ou falar nada que alguém possa se ofender, pois o xingamento é justamente isso, é algo para se usar num momento de raiva para ofender alguém. Concordo que ser viado não deveria ser xingamento, espero que evoluamos algum dia nesse sentido, mas, infelizmente, por razões culturais, ainda o é.

Também me incomoda essa postura seletiva. As mesmas pessoas que reclamam de certos xingamentos, realizam outros, tão preconceituosos quanto. Um exemplo: muitos que se arrolam o título de defensores das minorias são pródigos em ofender os evangélicos de forma preconceituosa. Mas aí, subitamente, as bandeiras da defesa das minorias não se levantam. Aí, pode né? No fundo, há uma forte discussão ideológica, de patrulha, de se admitir os xingamentos contra alguns e não se tolerar contra outros. Ainda que de forma desnecessariamente agressiva, o Nando Moura, mencionado no vídeo pelo spiderk, destaca isso com brilhantismo: são poucas as vozes que se levantam contra o escárnio aos cristãos. Ou seja, a defesa da dignidade só vale para o lado que eu defendo, o outro é "nazista, fascista, homofóbico, racista" e por aí vai. A discussão é rasa e argumentos não são analisados, apenas os interlocutores. Quando o Lula falou do grelo duro e do fato de que a Clara Ant achou que estava no paraíso ao acordar com 4 policiais federais na casa dela, o movimento feminista não escreveu uma linha de repúdio. Ah se fosse o Bolsonaro que tivesse dito as mesmas coisas... E por quê? Porque é inimigo. O Lula é amigo, então pode tudo. É aquela velha história "democracia é quando nós mandamos neles, ditadura é quando eles mandam em nós".

No fundo, acho que o problema está dos dois lados. De um lado, quem ofende sem pensar, de outro, quem se dói por qualquer coisa. Há pouco tempo na história da humanidade jovens de 14 anos iam para a guerra. Nessa época, não havia tempo para ficar xingando os outros por qualquer idiotice ou ficar se ofendendo por qualquer bobagem. Talvez, no fundo, faltem problemas reais a muitas pessoas. Inclusive pra mim, que perdi tempo escrevendo um post longo desses...

Há muitos anos vi o cd dessa banda na casa de um primo. Nunca relacionei o seu nickname ao nome da banda. Bacana. Nem sabia que a banda não existia mais. Mas se pensarmos nas bandas de metal da década de 90, é bem provável que a maioria tenha acabado ou, no mínimo, tido uma mudança radical na formação

A vocalista foi pro Nightwish é um dos integrantes montou uma banda parecida chamada Épica,com uma ruiva Simone Simmons... Vc chama Barbas pq? É barbudo? 

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 minuto atrás, Songa disse:

É chato ler tantos comentários preconceituosos nesse tópico.

É,com certeza... Por isso que o foco deveria ser mais MMA e menos discussões de política ou de gênero ou de sexualidade e por aí vai... Não que a discussão não seja valida... Mas só tem relação com MMA pq foi um lutador renomado que foi envolvido na história

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 minutos atrás, afterforever disse:

A vocalista foi pro Nightwish é um dos integrantes montou uma banda parecida chamada Épica,com uma ruiva Simone Simmons... Vc chama Barbas pq? É barbudo? 

Sei quem é, mas não conheço o trabalho. Nightwish conheço, claro, mas mais por causa da Tarja.

Quanto ao nick, apelido que alguns amigos me deram no colégio por conta do sobrenome, nada de barba especificamente, kkkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now