Último Imperador

Política, Polêmicas e afins.

Recommended Posts

6 minutos atrás, Silverchair disse:

Sim, claro, de láico o estado não tem nada. Concordo que termos raizes ortodoxas.

Mas eu não mostrei nenhum viés religoso ou político no que disse. Tentei ser o mais próximo da ciencia possível até pra não levar esse assunto a um campo social.

E é até um equívoco seu achar que atribuir um pensamento dito como conservador é coisa de religião. Religiões não criminalizam o homossexualismo, essa má interpretação é coisa de pessoas com pouca instrução que propagam isso em nome de uma fé baseada em uma leitura de seu escrito religioso.

A questão é que muitas das nossas noções de certo e errado são carregadas dessa influência, muitas vezes sem pesar fatores que fazem muito mais sentido sob o ponto de vista lógico, sendo que as vezes nem ao menos nos damos conta dessa influência. Contestar isso nas nossas ações é um exercício que deveria ser constante, mas que não é estimulado pela cultura dominante. Muito pelo contrário.
Mas enfim, como você disse, uma mesa de bar seria um cenário muito mais adequado para essas conversas. Me desculpe pelas longas voltas, as vezes eu sou um pouco prolixo.
 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Rucci disse:

A questão é que muitas das nossas noções de certo e errado são carregadas dessa influência, muitas vezes sem pesar fatores que fazem muito mais sentido sob o ponto de vista lógico, sendo que as vezes nem ao menos nos damos conta dessa influência. Contestar isso nas nossas ações é um exercício que deveria ser constante, mas que não é estimulado pela cultura dominante. Muito pelo contrário.
Mas enfim, como você disse, uma mesa de bar seria um cenário muito mais adequado para essas conversas. Me desculpe pelas longas voltas, as vezes eu sou um pouco prolixo.
 

Nada, eu me estendo bem tb quando quero explicar algo.

É engraçado esse lance de certo e errado. Quando falamos em influência religiosa, política ou social eu me sinto até afastado disso.

Eu tenho um pensamento bem radical e meio bizarro.

Eu tenho na minha cabeça que nós somos os únicos seres que não trazemos bem algum pro nosso ecossistema. E é um paradoxo estranho pq nós somos os "inteligente" da parada.

Pare pra pensar, todo ciclo de vida de qualquer espécie tem um propósito importante no nosso meio.

Plantas e animais fazem parte de uma cadeia muito bem desenvolvida pra se manterem vivas. Elas produzem algo que alimenta outra espécie durante sua vida, mantém o equiíbrio populacional através de atos predatórios e quando morrem viram algo substâncial pro seu meio, seja liberando alguma toxina, servindo de alimento, adubo e etc.

 

Nós, por outro lado só desequilibramos.

Nós consumimos de forma desequilibrada, somos os únicos seres que extrai da natureza mais do que precisamos pro consumo.

Nós construímos coisas que destrõem a ordem natural da natureza; prédios, estradas e etc.

Nós modificamos o habitat sem levar em conta a coexistência; arquedutos, barragens, pontes.

Nós, poluímos de forma árbitraria; Seja o ar, o oceano.

Nós escravizamos outros seres por motivos acima e não pro sustento real.

Nossas ferramentas não servem pro bem coletivo; elas mais prejudicam do que ajudam.

Nossa medicina serve pra prolongar uma vida que não segue sua ordem natural.

 

Essa lista iria longe e repare que  eu vou contrário a religiões e tudo mais.

Quando vc fala que a inteligência humana produz coisas naturais,  boas, esse é meu questionamento. O que fizemos pra coexistir? Cade o alimento de graça produzido em laboratório? Cadê um composto pra tornar nosso corpo adubo após morrermos? Cade um spray ou carburador pra recuperar a camada de ozonio?

Nossa reciclagem é uma piada.

 

Então, quando falamos em inteligência e tudo mais, será? será mesmo que somos inteligentes? Ou nós é que somos as bacterias ruins nesse mundo?

Esses parasitas, virus e tudo mais, talvez eles sejam os mocinhos da história. Tentando eliminar quem só caga na situação.

 

Quando vc fala pra eu refletir, eu retorno p vc. Dá uma refletida no q eu acabei de escrever.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E cara, não sei qual tom vc tem interpretado o q tenho escrito.

De forma alguma eu quero ser grosseiro. Curto esse tipo de assunto, me empolgo e as vezes posso me exceder.

Pesso perdão caso eu tenha passado uma impressão ruim.

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Silverchair disse:

Nada, eu me estendo bem tb quando quero explicar algo.

É engraçado esse lance de certo e errado. Quando falamos em influência religiosa, política ou social eu me sinto até afastado disso.

Eu tenho um pensamento bem radical e meio bizarro.

Eu tenho na minha cabeça que nós somos os únicos seres que não trazemos bem algum pro nosso ecossistema. E é um paradoxo estranho pq nós somos os "inteligente" da parada.

Pare pra pensar, todo ciclo de vida de qualquer espécie tem um propósito importante no nosso meio.

Plantas e animais fazem parte de uma cadeia muito bem desenvolvida pra se manterem vivas. Elas produzem algo que alimenta outra espécie durante sua vida, mantém o equiíbrio populacional através de atos predatórios e quando morrem viram algo substâncial pro seu meio, seja liberando alguma toxina, servindo de alimento, adubo e etc.

 

Nós, por outro lado só desequilibramos.

Nós consumimos de forma desequilibrada, somos os únicos seres que extrai da natureza mais do que precisamos pro consumo.

Nós construímos coisas que destrõem a ordem natural da natureza; prédios, estradas e etc.

Nós modificamos o habitat sem levar em conta a coexistência; arquedutos, barragens, pontes.

Nós, poluímos de forma árbitraria; Seja o ar, o oceano.

Nós escravizamos outros seres por motivos acima e não pro sustento real.

Nossas ferramentas não servem pro bem coletivo; elas mais prejudicam do que ajudam.

Nossa medicina serve pra prolongar uma vida que não segue sua ordem natural.

 

Essa lista iria longe e repare que  eu vou contrário a religiões e tudo mais.

Quando vc fala que a inteligência humana produz coisas naturais,  boas, esse é meu questionamento. O que fizemos pra coexistir? Cade o alimento de graça produzido em laboratório? Cadê um composto pra tornar nosso corpo adubo após morrermos? Cade um spray ou carburador pra recuperar a camada de ozonio?

Nossa reciclagem é uma piada.

 

Então, quando falamos em inteligência e tudo mais, será? será mesmo que somos inteligentes? Ou nós é que somos as bacterias ruins nesse mundo?

Esses parasitas, virus e tudo mais, talvez eles sejam os mocinhos da história. Tentando eliminar quem só caga na situação.

 

Quando vc fala pra eu refletir, eu retorno p vc. Dá uma refletida no q eu acabei de escrever.

É bem isso, mas não acho que o que você citou seja algo que é diferenciado na nossa espécie. Nós somos frutos da natureza, aleatória como ela é e seguindo princípios básicos comuns a outros animais. Somos uma espécie invasora que deixou a África há milhões de anos atrás e se espalhou por outros continentes onde não tinha predadores naturais. O que uma espécie invasora faz nessa situação? Basicamente o que nós temos feito, consome os recursos naturais e se multiplica até que eles se esgotem.

A ironia na minha opinião é que nós temos até potencial para mudar esse comportamento destrutivo, mas isso tudo depende de um cérebro que não foi projetado com um intuito outro que não fosse a sobrevivência de curto prazo. Por mais que tenhamos faíscas de genialidade, o nosso potencial é na maioria desperdiçado até pela forma como esse mesmo cérebro, primitivo, tribalista, moldou nossas relações sociais e de desenvolvimento. Quantas crianças você acha que atingem seus verdadeiros potenciais da forma como vivemos hoje, dando peso aos valores que compartilhamos predominantemente socialmente?

É um grande desafio lidar com essas questões a uma escala como a que chegamos em termos de população. Eu comentei numa mensagem anterior que eu e minha esposa não temos a intenção de ter filhos, esse é um dos motivos. É também um dos motivos de eu achar o argumento da reprodução como um motivos para diminuir pessoas sexualmente fora do padrão um argumento fraco. Definitivamente, se tem algo que não falta no mundo é humano. rsrs

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cd8YeaQUUAAxUQl.jpg

 

Essas coisas podem ou não ter relação entre elas.

Reconhecer grupos minoritários não é querer que as pessoas sejam ou 'estar na moda', é apenas desconstruir a ideia de 'aberração' ou 'antinatural'. São e sempre serão minoria, fato. É apenas reconhecer que nem todos se identificam com o que a sociedade espera do papel social que a pessoa que nasceu com orgão sexual do macho ou fêmea cumpram (papeis masculinos e femininos respectivamente). Ser humana é complexo, e muitas pessoas mesmo nascendo com orgãos de macho e fêmea não se reconhecem com a identidade e expressão masculina ou feminia. Entender isso e repeitar é muito diferente de achar que as pessoas não devem mais agir como homens e mulheres. Esse terrorismo conservador é triste.

E a compreensão de gênero como uma construção social é algo que não é só da ciência humanas, psicologia e medicina já reconhecem isso. O que é ser homem ou ser mulher vc aprender com a sociedade, não é seu orgão sexual que te ensina que tal e tal coisa é de home, e tal e tal coisa é de mulher. Isso a gente aprende. A maioria absoluta sempre vai ser cumprir o que a gente aprende mesmo, maior dos que nascem com sexo de macho e fêmea, vão ser héteros e cumprir ter identidade e expressão de gênero masculina e feminina. Mas a minoria que não é assim é um % significativo que deve ser respeitado, e não que tem que se encaixar em uma dicotomia que algumas pessoas inventaram que é a única que existe, mesmo ciências de diferentes áreas falando que não é assim.

 O problema é que as pessoas se cegam as informações científicas por questões ideológicas e selecionam quais informações são válidas, as que desconstroem a visão ideológica dela elas 'ignoram' ou 'desqualificam'.

Sugiro que quem quer saber de verdade sobre o assunto e não só causar ou defender posição ideológica ou política, leia sobre o assunto, o que a neurobiologia fala, o que a psicologia fala, o que a antropologia, sociologia, etc. Não leia o que políticos ou pastores falou que elas falaram, leiam pesquisadores da área. E não adianta ler um que corrobora com o que pensa e ignorar diversos outros, leia vários, veja qual é a visão hegemônica nas áreas. 

Edited by Daniel Mendoza

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cd8YeaQUUAAxUQl.jpg

 

Esse quadrinho não é perfeito mas é bem didático. Podem entender e aprender ou ignorar. Só saibam que não é questão de opinião. Sua opinião e de outros que pensam como vc não define a complexidade do ser humano ou muito menos o que outras pessoas pensam, sentem ou se identificam. 

Edited by Daniel Mendoza

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Rucci disse:

É bem isso, mas não acho que o que você citou seja algo que é diferenciado na nossa espécie. Nós somos frutos da natureza, aleatória como ela é e seguindo princípios básicos comuns a outros animais. Somos uma espécie invasora que deixou a África há milhões de anos atrás e se espalhou por outros continentes onde não tinha predadores naturais. O que uma espécie invasora faz nessa situação? Basicamente o que nós temos feito, consome os recursos naturais e se multiplica até que eles se esgotem.

A ironia na minha opinião é que nós temos até potencial para mudar esse comportamento destrutivo, mas isso tudo depende de um cérebro que não foi projetado com um intuito outro que não fosse a sobrevivência de curto prazo. Por mais que tenhamos faíscas de genialidade, o nosso potencial é na maioria desperdiçado até pela forma como esse mesmo cérebro, primitivo, tribalista, moldou nossas relações sociais e de desenvolvimento. Quantas crianças você acha que atingem seus verdadeiros potenciais da forma como vivemos hoje, dando peso aos valores que compartilhamos predominantemente socialmente?

É um grande desafio lidar com essas questões a uma escala como a que chegamos em termos de população. Eu comentei numa mensagem anterior que eu e minha esposa não temos a intenção de ter filhos, esse é um dos motivos. É também um dos motivos de eu achar o argumento da reprodução como um motivos para diminuir pessoas sexualmente fora do padrão um argumento fraco. Definitivamente, se tem algo que não falta no mundo é humano. rsrs

Não amigo, nós somos diferenciados negativamente sim.

A forma como vivemos não é sustentável. Toda nossa vida é baseada em recursos finitos e não sustentáveis. Diferente de qualquer outra espécie.

 

Concordo quando vc diz que teriamos potêncial pra mudar. Daí eu levantei a duvida de se éramos realmente inteligentes ou não. Nós somos parasitas. A gente consome o corpo que nos mantém vivos e a progressão de destruição é maior que a de restauração.

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Rucci disse:


É um grande desafio lidar com essas questões a uma escala como a que chegamos em termos de população. Eu comentei numa mensagem anterior que eu e minha esposa não temos a intenção de ter filhos, esse é um dos motivos. É também um dos motivos de eu achar o argumento da reprodução como um motivos para diminuir pessoas sexualmente fora do padrão um argumento fraco. Definitivamente, se tem algo que não falta no mundo é humano. rsrs

Ter filho é um desafio nesse nosso mundo.

Se pensar, bastava termos apenas 1 filho. Em menos de 200 anos já teríamos diminuido pra mais da metade a população mundial.

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 horas atrás, Silverchair disse:

Não amigo, nós somos diferenciados negativamente sim.

A forma como vivemos não é sustentável. Toda nossa vida é baseada em recursos finitos e não sustentáveis. Diferente de qualquer outra espécie.

 

Concordo quando vc diz que teriamos potêncial pra mudar. Daí eu levantei a duvida de se éramos realmente inteligentes ou não. Nós somos parasitas. A gente consome o corpo que nos mantém vivos e a progressão de destruição é maior que a de restauração.

Populações de espécies invasoras tendem a fazer isso. Nós somos mais destrutivos pela quantidade, ocupação territorial e tecnologia, mas há registros de extinções em massa que podem ter sido causadas pelo mesmo fenômeno, exceto pela parte tecnológica. A biologia chama de beco sem saída evolutivo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Silverchair e @Rucci, desculpem a intrusão, mas é só para dar parabéns aos dois pela postura e respeito no debate de um assunto tão espinhoso e complicado. É invejável a conduta de vocês, com abertura à ideia do outro e sem impositividade. Os pontos de vista acabam convergindo em muita coisa.

 E parabéns de verdade, estou ora concordando com um ora com outro, mas aprendendo demais, com o raciocínio e a postura de vocês. 
 

Muito obrigado e grande abraço!

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, masterblaster disse:

@Silverchair e @Rucci, desculpem a intrusão, mas é só para dar parabéns aos dois pela postura e respeito no debate de um assunto tão espinhoso e complicado. É invejável a conduta de vocês, com abertura à ideia do outro e sem impositividade. Os pontos de vista acabam convergindo em muita coisa.

 E parabéns de verdade, estou ora concordando com um ora com outro, mas aprendendo demais, com o raciocínio e a postura de vocês. 
 

Muito obrigado e grande abraço!

@Rucci é um gentlamen! Acho que fui incisivo demais em alguns momentos e ele sempre com respostas focada no raciocínio dele.

Aprendo muito debatendo com gente assim.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, masterblaster disse:

@Silverchair e @Rucci, desculpem a intrusão, mas é só para dar parabéns aos dois pela postura e respeito no debate de um assunto tão espinhoso e complicado. É invejável a conduta de vocês, com abertura à ideia do outro e sem impositividade. Os pontos de vista acabam convergindo em muita coisa.

 E parabéns de verdade, estou ora concordando com um ora com outro, mas aprendendo demais, com o raciocínio e a postura de vocês. 
 

Muito obrigado e grande abraço!

Imagine, meu caro. A construção de um ambiente positivo é responsabilidade de todos nós. Discordar é até desejável, mas o respeito é algo que nos possibilita realmente levar algo de bom nos debates, afinal, ninguém vê tudo ao mesmo tempo, né? Na maioria, senão todas as vezes, diferentes pontos de vista nos aproximam mais das verdades do que um só. @Silverchair aceitou  convite ao debate e se portou como todos devemos nos portar, com respeito e cordialidade. No fim, todo mundo sai ganhando.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now