Recommended Posts

36 minutos atrás, oxeboxing disse:

Vou até anotar aqui viu, e você tem treinado boxe ou só kickboxing mesmo?

Voltei  a treinar boxe eu ate hj não  sei como esses  cara equilibram  pq o nível  cai quando  vc não  ta ali repaginando pq se vc for pro kickboxing  querendo   lutar boxe vc se ferra uma hora ai  c aprende ,cotovelos,joelho  ,chute ssu boxe  já  cai é complicado 

Kelson mudou o boxe de Santa Catarina,Para tem muita  gente  boa e caras são  alem de técnico  racudos.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
22 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Esse tópico  deveria está  na principal .

Dentro do esperado pra 54 anos Tyson  esta voando ,rapido,forte explosivo 

Não  é  mma..Rafael Cordeiro  estava no corner um brasileiro  treinando  uma lenda.

Seria melhor com mais midia afinal  é  o Tyson  e sobre Roy fora de forma mostrou um tem um excelente  jogo na longa e um otimo jogo de clinch mesmo fora do auge

Mas pensei 54 anos depois de toda droga,depressão,bebida, a lyta seria uma merda especialistas,treinadores  mas existem  exceções e Iron Mike é  uma, foi um prazer o ver de volta 

Deus faz seres humanos  especiais  e esses  cara é  um..Pelé,Jordan  etc

@masterblaster bem que  a gente  falava desse cara..

 

Salve Nego, quanto tempo, tudo bem? Rapaz, me desculpe o sumiço, mas fiquei meio mal aqui (não foi Covid, mas uma virose muito forte) e agora estou 100%. Salve @oxeboxing e meu conterrâneo @Daniel Mendoza, como estão?

Puxa, vocês não deixaram nada que faltasse comentar sobre essa luta. Eu fiquei feliz demais vendo o Tyson se apresentar daquela forma, lembrando o Iron de antigamente. Veio mais preparado que nas suas últimas lutas. E ali nem deu para ver o quanto ele estava preparado, Aliviou nos golpes, nitidamente estava se segurando, bateu basicamente só na cintura e mesmo assim o oponente abriu o bico. Acho que se fosse nas regras reais, no máximo no segundo round ele nocautearia no Roy. Aliás, na forma em que estava, nocautearia muito pugilista da atualidade. Impecável na movimentação e timing.

E tem duas coisas que me chamaram a atenção.

Uma, primeiro vou passar uma idéia que tenho e depois comentar. Movimentação e deslocamento são coisas totalmente distintas. O pugilista jogar mais plantado ou ficar deslizando pelo ringue a torto e direito é movimentação, e desde que bem feita, cada uma serve de acordo com a propensão do atleta sem ser necessariamente melhor. O espectador é que acaba escolhendo qual enche mais seus olhos. Agora, deslocamento é que são elas. O passinho para o lado, o semicírculo com a perna de trás ( e às vezes com a da frente), o passo para frente na diagonal, com jogo de cabeça ou pêndulo... quem faz isso bem feitinho já tem mais de meio caminho andado. E o Tyson sempre fez com maestria, matando diferença de envergadura com habilidade ímpar. Isso estava lá. E o punch também estava, mas este não pudemos ver. Então um Tyson como não víamos há muito tempo mesmo foi o que tivemos o privilégio de assistir. Muito motivado.

E aí entra a outra coisa que me chamou atenção: a importância de um mestre como o Rafael Cordeiro.

O Tyson se perdeu demais depois da morte do Cus D'Amato. Um dos melhores treinadores de boxe, mas o que o tornava tão especial? Fazer o lutador se sentir acolhido, parte de uma família, jogar uma carga enorme de treino e responsabilidade em cima do atleta, motivando-o a, no ringue, ser mais do que às vezes era na vida pessoal. E como o Cordeiro trabalha? Exatamente da mesma forma! Quem treinou na CB sabe como ele e o Fedrigo tornavam aquilo uma casa e todos membros de uma grande família. Eu que fiquei pouco tempo por lá me senti assim. Você se sente acolhido, sente que alguém se importa com o que vai acontecer com você, sente confiança e também se sente cobrado demais, então acaba dando seu melhor. E foi assim que o Cordeiro trabalhou com o Tyson. Como o Cus faria. Aliás, Cordeiro ficou mais responsável pela preparação física do que pelo boxe em si. Mas a motivação é que foi o diferencial. Isso ficava nítido nos intervalos dos rounds, quando o Rafael falava com o Tyson. Falava macio, baixo, passava respeito. E ele sempre fez isso e funcionou, com Shogun, Wand,  Werdum, RDA  e todo mundo que treinou com ele. Até o iniciante que nunca tinha calçado uma luva era tratado com igual respeito por ele.

Então, esses pontos me chamaram muito a atenção e quis dividir aqui. 

Mas adorei ver o Tyson, deu baile em muita gente.

Agora oxeboxing, aquela luta do youtuber com o jogador de basquete realmente nem merece comentários. Luta de leigo. Não merecia ser o co-main event. As outras foram muito boas mesmo, mas na do Badou Jack achei uma disparidade técnica imensa entre ele e o adversário. Mas foi muito legal. Mas lutas de verdade foram as preliminares, né?

Prazer falar com vocês meus amigos, grande abraço!

Em tempo: quem viu pelo Canal Combate conseguiu ver a Ana Hissa passando vergonha, comentando a luta como se fosse de MMA: "Marquei 2 a 1"..., enquanto o Daniel Fucs, esse sim, convidado que entende muito e narra boxe há mais de 15 anos comentava: "ACHO que está 20 a 18...". Em um ponto lá para o final ela fala "o Roy está só agarrando, não está sendo o Roy que entrava e saía e se movimentava tão bem, não concorda, Fucs?", e ele responde: "Estou comentando isso desde o começo da transmissão!" KKKK! E o Rhodes é outra figura. Zoando o Fucs chamando ele de Cid Moreira estava engraçado pra caramba! 

Share this post


Link to post
Share on other sites
11 minutos atrás, masterblaster disse:

Salve Nego, quanto tempo, tudo bem? Rapaz, me desculpe o sumiço, mas fiquei meio mal aqui (não foi Covid, mas uma virose muito forte) e agora estou 100%. Salve @oxeboxing e meu conterrâneo @Daniel Mendoza, como estão?

Puxa, vocês não deixaram nada que faltasse comentar sobre essa luta. Eu fiquei feliz demais vendo o Tyson se apresentar daquela forma, lembrando o Iron de antigamente. Veio mais preparado que nas suas últimas lutas. E ali nem deu para ver o quanto ele estava preparado, Aliviou nos golpes, nitidamente estava se segurando, bateu basicamente só na cintura e mesmo assim o oponente abriu o bico. Acho que se fosse nas regras reais, no máximo no segundo round ele nocautearia no Roy. Aliás, na forma em que estava, nocautearia muito pugilista da atualidade. Impecável na movimentação e timing.

E tem duas coisas que me chamaram a atenção.

Uma, primeiro vou passar uma idéia que tenho e depois comentar. Movimentação e deslocamento são coisas totalmente distintas. O pugilista jogar mais plantado ou ficar deslizando pelo ringue a torto e direito é movimentação, e desde que bem feita, cada uma serve de acordo com a propensão do atleta sem ser necessariamente melhor. O espectador é que acaba escolhendo qual enche mais seus olhos. Agora, deslocamento é que são elas. O passinho para o lado, o semicírculo com a perna de trás ( e às vezes com a da frente), o passo para frente na diagonal, com jogo de cabeça ou pêndulo... quem faz isso bem feitinho já tem mais de meio caminho andado. E o Tyson sempre fez com maestria, matando diferença de envergadura com habilidade ímpar. Isso estava lá. E o punch também estava, mas este não pudemos ver. Então um Tyson como não víamos há muito tempo mesmo foi o que tivemos o privilégio de assistir. Muito motivado.

E aí entra a outra coisa que me chamou atenção: a importância de um mestre como o Rafael Cordeiro.

O Tyson se perdeu demais depois da morte do Cus D'Amato. Um dos melhores treinadores de boxe, mas o que o tornava tão especial? Fazer o lutador se sentir acolhido, parte de uma família, jogar uma carga enorme de treino e responsabilidade em cima do atleta, motivando-o a, no ringue, ser mais do que às vezes era na vida pessoal. E como o Cordeiro trabalha? Exatamente da mesma forma! Quem treinou na CB sabe como ele e o Fedrigo tornavam aquilo uma casa e todos membros de uma grande família. Eu que fiquei pouco tempo por lá me senti assim. Você se sente acolhido, sente que alguém se importa com o que vai acontecer com você, sente confiança e também se sente cobrado demais, então acaba dando seu melhor. E foi assim que o Cordeiro trabalhou com o Tyson. Como o Cus faria. Aliás, Cordeiro ficou mais responsável pela preparação física do que pelo boxe em si. Mas a motivação é que foi o diferencial. Isso ficava nítido nos intervalos dos rounds, quando o Rafael falava com o Tyson. Falava macio, baixo, passava respeito. E ele sempre fez isso e funcionou, com Shogun, Wand,  Werdum, RDA  e todo mundo que treinou com ele. Até o iniciante que nunca tinha calçado uma luva era tratado com igual respeito por ele.

Então, esses pontos me chamaram muito a atenção e quis dividir aqui. 

Mas adorei ver o Tyson, deu baile em muita gente.

Agora oxeboxing, aquela luta do youtuber com o jogador de basquete realmente nem merece comentários. Luta de leigo. Não merecia ser o co-main event. As outras foram muito boas mesmo, mas na do Badou Jack achei uma disparidade técnica imensa entre ele e o adversário. Mas foi muito legal. Mas lutas de verdade foram as preliminares, né?

Prazer falar com vocês meus amigos, grande abraço!

Engraçado  mestre como as coisas vão  e voltam e desuso.

Já  ouvir falar que abordagem  do Cus  era errada hoje vc ver o Rafarl fazendo  igual  .

Cara é  o Mike Tyson  não  qualquer  sum não  é  um estudioso da arte da guerra e viu qye aquele  brasileiro tem algo especial.

Mestre como ver hoje Ascenção  da arte em pé  brasileira. 

Vc ver hoje o Alex uma referência  dando seminários  no exterior e  c ver o Rafael  Cordeiro  treinando  a lenda falar o que do Iron Mike?

Detalhe são  tecnicas aprendida em solo brasileiro. 

As vezes  eu falo de intercâmbios  o Deivisson é campeão do UFC  treinando  em Belém 

Share this post


Link to post
Share on other sites

@masterblaster esse deslocamento que comentou, concordo plenamente. A movimentação, deslocamento e posicionamento às vezes são tratadas como tudo sendo a mesma coisa quando se fala em "movimentação", mas são elementos que podem - e devem - ser vistos separados mesmo. Saber para onde ir, como ir, como e onde se posicionar, em especial na curta, enche muitos os olhos mesmo. O Tyson sempre fez isso muito bem. Aqueles pequenos passos abrindo ângulos,  os giros dele acompanhando a fuga do Jones eram lindos, mesmo errando os golpes, a mecânica do movimento é muito bonita. A própria movimentação dele de cercar e abafar sempre foi muito boa, ainda está lá, tanto que praticamente todo oponente para vencer teve que apelar para clinchs.

O "problema" Tyson é que ele se limitava a isso, não sabia fazer bem outros elementos, ele foi afiado para fazer um certo tipo de jogo. A meu ver o ponto fraco dele sempre foi não saber boxear andando para atrás. Mas nesse jogo dele, de abafar, cercar, encurtar e soltar a mão, ele enchia muito os olhos em diversos elementos, nunca foi só soltar a mão com ignorância na curta. Eu acho exagero falar que ele está entre os melhores lutadores da história, mas falar que ele está entre os melhores boxeadores infighters da história não é. hehe 

No que ele se propõe a fazer e foi 'afiado' para fazer, ele enche os olhos de quem assiste. O deslocamento e posicionamento dele na curta são impressionantes. Eu acho muito "mais fácil" saber saber se movimentar, descolar e se posicionar corretamente na longa do que na curta. Um outro cara, mais recente, que fazia esses deslocamentos e posicionava muito bem na curta - claro, nas devidas proporções - era o Ricky Hatton, gostava muito de ver ele lutando na curta. Mas é incomparável a qualidade deles. 

A performance do Tyson foi muito boa mesmo, melhor do que eu imaginava. O Roy Jones que me decepcionou. Soltou só jab praticamente, nem cruzado vimos, quando raramente soltou a mão de trás foi só para fazer sequência rápido, mas sem nenhuma contundência. Acho que, no contexto dele, era totalmente plausível lutar mais na defensiva contra o Tyson, mas esperava ver uma "defesa agressiva", não só uma defesa evasiva e com o único objetivo de anular o Tyson. 

Mas achei muita boa a luta também. Tomara que as próximas sejam sem restrições, como Tyson podendo caçar a cabeça também. Quem sabe as próximas não sejam longe de comissões atléticas dos EUA haha   

Sempre um prazer falar com você também, meu caro. Fico feliz que esteja melhor.

Abs.

Edited by Daniel Mendoza

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Daniel Mendoza disse:

@masterblaster esse deslocamento que comentou, concordo plenamente. A movimentação, deslocamento e posicionamento às vezes são tratadas como tudo sendo a mesma coisa quando se fala em "movimentação", mas são elementos que podem - e devem - ser vistos separados mesmo. Saber para onde ir, como ir, como e onde se posicionar, em especial na curta, enche muitos os olhos mesmo. O Tyson sempre fez isso muito bem. Aqueles pequenos passos abrindo ângulos,  os giros dele acompanhando a fuga do Jones eram lindos, mesmo errando os golpes, a mecânica do movimento é muito bonita. A própria movimentação dele de cercar e abafar sempre foi muito boa, ainda está lá, tanto que praticamente todo oponente para vencer teve que apelar para clinchs.

O "problema" Tyson é que ele se limitava a isso, não sabia fazer bem outros elementos, ele foi afiado para fazer um certo tipo de jogo. A meu ver o ponto fraco dele sempre foi não saber boxear andando para atrás. Mas nesse jogo dele, de abafar, cercar, encurtar e soltar a mão, ele enchia muito os olhos em diversos elementos, nunca foi só soltar a mão com ignorância na curta. Eu acho exagero falar que ele está entre os melhores lutadores da história, mas falar que ele está entre os melhores boxeadores infighters da história não é. hehe 

No que ele se propõe a fazer e foi 'afiado' para fazer, ele enche os olhos de quem assiste. O deslocamento e posicionamento dele na curta são impressionantes. Eu acho muito "mais fácil" saber saber se movimentar, descolar e se posicionar corretamente na longa do que na curta. Um outro cara, mais recente, que fazia esses deslocamentos e posicionava muito bem na curta - claro, nas devidas proporções - era o Ricky Hatton, gostava muito de ver ele lutando na curta. Mas é incomparável a qualidade deles. 

A performance do Tyson foi muito boa mesmo, melhor do que eu imaginava. O Roy Jones que me decepcionou. Soltou só jab praticamente, nem cruzado vimos, quando raramente soltou a mão de trás foi só para fazer sequência rápido, mas sem nenhuma contundência. Acho que, no contexto dele, era totalmente plausível lutar mais na defensiva contra o Tyson, mas esperava ver uma "defesa agressiva", não só uma defesa evasiva e com o único objetivo de anular o Tyson. 

Mas achei muita boa a luta também. Tomara que as próximas sejam sem restrições, como Tyson podendo caçar a cabeça também. Quem sabe as próximas não sejam longe de comissões atléticas dos EUA haha   

Sempre um prazer falar com você também, meu caro. Fico feliz que esteja melhor.

Abs.

Já  fui anti Tyson  mas ele é  efetivo vc pode falar que ele não  dos mais técnicos  mas é  impossível   não  falar  que  é  um dos melhores  nos pesados.

Ele sem nada das redesde hj sem internet  era um fenômeno  vc faz musculação  fica forte todo fala  ta igual  a Mike Tyson. 

O cara referência  de poder.

Sugar,Eder Jofre (sim incomparável  no Brasil  a qualquer stricker),entre tantos tecnicamente  ele está  abaixo  simplesmente  pq não  é  um estilo pra ensinar ninguém  sabe fazer talvez o Teddy Atlas mas vejo mas o Cus que se foi..

Mas pense qualquer  o lutador deboxe perfeito  pra lutae contra  chutadores o que encurtar  e solta o braço ou seja Tyson.

No vale tudo eu sinceramente  não  enxergaria o Rickson o vencendo  na verdade Iron faria homicídios  dentro no ringue eu digi os wrestling  quw fossem no nivel bem baixo o kerr ou Karelin mas lutadores  de jiu jitsu esquece pra mim seria vítimas seja os Gracie  ou Machado ate o Ruas  seria vítima.

@masterblaster

Esvazie  a caixa de mensagens 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Daniel Mendoza disse:

@masterblaster esse deslocamento que comentou, concordo plenamente. A movimentação, deslocamento e posicionamento às vezes são tratadas como tudo sendo a mesma coisa quando se fala em "movimentação", mas são elementos que podem - e devem - ser vistos separados mesmo. Saber para onde ir, como ir, como e onde se posicionar, em especial na curta, enche muitos os olhos mesmo. O Tyson sempre fez isso muito bem. Aqueles pequenos passos abrindo ângulos,  os giros dele acompanhando a fuga do Jones eram lindos, mesmo errando os golpes, a mecânica do movimento é muito bonita. A própria movimentação dele de cercar e abafar sempre foi muito boa, ainda está lá, tanto que praticamente todo oponente para vencer teve que apelar para clinchs.

O "problema" Tyson é que ele se limitava a isso, não sabia fazer bem outros elementos, ele foi afiado para fazer um certo tipo de jogo. A meu ver o ponto fraco dele sempre foi não saber boxear andando para atrás. Mas nesse jogo dele, de abafar, cercar, encurtar e soltar a mão, ele enchia muito os olhos em diversos elementos, nunca foi só soltar a mão com ignorância na curta. Eu acho exagero falar que ele está entre os melhores lutadores da história, mas falar que ele está entre os melhores boxeadores infighters da história não é. hehe 

No que ele se propõe a fazer e foi 'afiado' para fazer, ele enche os olhos de quem assiste. O deslocamento e posicionamento dele na curta são impressionantes. Eu acho muito "mais fácil" saber saber se movimentar, descolar e se posicionar corretamente na longa do que na curta. Um outro cara, mais recente, que fazia esses deslocamentos e posicionava muito bem na curta - claro, nas devidas proporções - era o Ricky Hatton, gostava muito de ver ele lutando na curta. Mas é incomparável a qualidade deles. 

A performance do Tyson foi muito boa mesmo, melhor do que eu imaginava. O Roy Jones que me decepcionou. Soltou só jab praticamente, nem cruzado vimos, quando raramente soltou a mão de trás foi só para fazer sequência rápido, mas sem nenhuma contundência. Acho que, no contexto dele, era totalmente plausível lutar mais na defensiva contra o Tyson, mas esperava ver uma "defesa agressiva", não só uma defesa evasiva e com o único objetivo de anular o Tyson. 

Mas achei muita boa a luta também. Tomara que as próximas sejam sem restrições, como Tyson podendo caçar a cabeça também. Quem sabe as próximas não sejam longe de comissões atléticas dos EUA haha   

Sempre um prazer falar com você também, meu caro. Fico feliz que esteja melhor.

Abs.

Pois é, meu amigo. Achei válido fazer essa distinção para ficar um pouco evidenciado que não é se movimentar muito como o Roy fazia ou ficar plantado como o Tyson ainda faz. O mais importante é o deslocamento ao fazer isso, como e onde o  atleta se coloca e o proveito que tira da situação.

Agora, naquela "divergência convergente" que às vezes temos ao comentar as lutas, penso parecido com você quanto ao "problema" do Tyson, mas com uma conclusão que talvez seja um pouquinho diferente. Concordo sim que o Tyson sempre pecou na ausência de alguns fundamentos. Mas faço uma divisão entre a técnica quando vista da parte teórica e a técnica quando vista na parte prática.

Na parte teórica alguns fundamentos careciam de técnica sim, especialmente na longa. Nunca se viu um lutador completo ali,

Entretanto, na parte prática é que acho um pouco diferente. Nessa patamar defino técnica como o conjunto de meios que leva o atleta ao resultado mais efetivo, e aí obviamente ela não fica estática, passa a mudar e permear de acordo com o estilo do lutador.

E desse ponto de vista, o conjunto de meios do Tyson sempre foi soberbo. O approach impecável, a  movimentação justa e mínima para os lados, o punch, a precisão... não precisou mais do que isso para colocá-lo como o maior demolidor dos pesados, e imbatível até ser derrotado por si mesmo. Nunca necessitou de mais do que os fundamentos que possuía, de tão bem que os utilizava. E com isso, venceu gente reputada como muito mais técnica do que ele, aliás, muitas vezes em segundos. Nesse ponto acho que a técnica dele era perfeita, e do meu ponto de vista, acho justo considerá-lo dos melhores lutadores da história. Até porque o melhor critério para se avaliar o sucesso do lutador são as vitórias e como foram obtidas. Um atleta com tantos nocautes na conta e tamanha perfeição nas lutas não pode ser desconsiderado. Mas é apenas minha opinião e entendo muito a sua também.

Obrigado pela preocupação conterrâneo, mas foi só uma virose braba, vaso ruim não quebra! kkk!

Grande abraço meu amigo!

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, masterblaster disse:

Pois é, meu amigo. Achei válido fazer essa distinção para ficar um pouco evidenciado que não é se movimentar muito como o Roy fazia ou ficar plantado como o Tyson ainda faz. O mais importante é o deslocamento ao fazer isso, como e onde o  atleta se coloca e o proveito que tira da situação.

Agora, naquela "divergência convergente" que às vezes temos ao comentar as lutas, penso parecido com você quanto ao "problema" do Tyson, mas com uma conclusão que talvez seja um pouquinho diferente. Concordo sim que o Tyson sempre pecou na ausência de alguns fundamentos. Mas faço uma divisão entre a técnica quando vista da parte teórica e a técnica quando vista na parte prática.

Na parte teórica alguns fundamentos careciam de técnica sim, especialmente na longa. Nunca se viu um lutador completo ali,

Entretanto, na parte prática é que acho um pouco diferente. Nessa patamar defino técnica como o conjunto de meios que leva o atleta ao resultado mais efetivo, e aí obviamente ela não fica estática, passa a mudar e permear de acordo com o estilo do lutador.

E desse ponto de vista, o conjunto de meios do Tyson sempre foi soberbo. O approach impecável, a  movimentação justa e mínima para os lados, o punch, a precisão... não precisou mais do que isso para colocá-lo como o maior demolidor dos pesados, e imbatível até ser derrotado por si mesmo. Nunca necessitou de mais do que os fundamentos que possuía, de tão bem que os utilizava. E com isso, venceu gente reputada como muito mais técnica do que ele, aliás, muitas vezes em segundos. Nesse ponto acho que a técnica dele era perfeita, e do meu ponto de vista, acho justo considerá-lo dos melhores lutadores da história. Até porque o melhor critério para se avaliar o sucesso do lutador são as vitórias e como foram obtidas. Um atleta com tantos nocautes na conta e tamanha perfeição nas lutas não pode ser desconsiderado. Mas é apenas minha opinião e entendo muito a sua também.

Obrigado pela preocupação conterrâneo, mas foi só uma virose braba, vaso ruim não quebra! kkk!

Grande abraço meu amigo!

Muhhmad Ali não era completo?

Não  tinha tanto punch compensava  com a mira laser,fora mente e queixo o qual  Tyson  pecava. 

Vc viu o Tyson  lembrou de seu mestre  pouci antes da morte?

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Engraçado  mestre como as coisas vão  e voltam e desuso.

Já  ouvir falar que abordagem  do Cus  era errada hoje vc ver o Rafarl fazendo  igual  .

Cara é  o Mike Tyson  não  qualquer  sum não  é  um estudioso da arte da guerra e viu qye aquele  brasileiro tem algo especial.

Mestre como ver hoje Ascenção  da arte em pé  brasileira. 

Vc ver hoje o Alex uma referência  dando seminários  no exterior e  c ver o Rafael  Cordeiro  treinando  a lenda falar o que do Iron Mike?

Detalhe são  tecnicas aprendida em solo brasileiro. 

As vezes  eu falo de intercâmbios  o Deivisson é campeão do UFC  treinando  em Belém 

Uma abordagem errada igual a do Cus ou do Cordeiro é o que qualquer atleta precisa para ficar top, isso sim.

E sempre te falei que o striking brasileiro, notadamente o kickboxing nunca foi fraco como alguns falavam, e hoje você vê bem isso. Sempre teve lutadores técnicos absurdamente bons, que até hoje passam desconhecidos, até porque em sua época o esporte era mais visto e valorizado na Europa do que aqui. Daí se dizer que  kickboxing holandês era mais forte do que o nosso. Repito, aqui tinha gente que ia treinar e perguntava o que era full contact porque não sabia, mas acabava ficando excelente, capaz de disputar em pé de igualdade com qualquer lutador holandês ou italiano. Eu mesmo convivi com um que tinha um cartel de 109 lutas invicto.

Não é à toa que o Poatan treina aqui. 

Ah, vou esvaziar a caixa! kkkk!

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, masterblaster disse:

Pois é, meu amigo. Achei válido fazer essa distinção para ficar um pouco evidenciado que não é se movimentar muito como o Roy fazia ou ficar plantado como o Tyson ainda faz. O mais importante é o deslocamento ao fazer isso, como e onde o  atleta se coloca e o proveito que tira da situação.

Agora, naquela "divergência convergente" que às vezes temos ao comentar as lutas, penso parecido com você quanto ao "problema" do Tyson, mas com uma conclusão que talvez seja um pouquinho diferente. Concordo sim que o Tyson sempre pecou na ausência de alguns fundamentos. Mas faço uma divisão entre a técnica quando vista da parte teórica e a técnica quando vista na parte prática.

Na parte teórica alguns fundamentos careciam de técnica sim, especialmente na longa. Nunca se viu um lutador completo ali,

Entretanto, na parte prática é que acho um pouco diferente. Nessa patamar defino técnica como o conjunto de meios que leva o atleta ao resultado mais efetivo, e aí obviamente ela não fica estática, passa a mudar e permear de acordo com o estilo do lutador.

E desse ponto de vista, o conjunto de meios do Tyson sempre foi soberbo. O approach impecável, a  movimentação justa e mínima para os lados, o punch, a precisão... não precisou mais do que isso para colocá-lo como o maior demolidor dos pesados, e imbatível até ser derrotado por si mesmo. Nunca necessitou de mais do que os fundamentos que possuía, de tão bem que os utilizava. E com isso, venceu gente reputada como muito mais técnica do que ele, aliás, muitas vezes em segundos. Nesse ponto acho que a técnica dele era perfeita, e do meu ponto de vista, acho justo considerá-lo dos melhores lutadores da história. Até porque o melhor critério para se avaliar o sucesso do lutador são as vitórias e como foram obtidas. Um atleta com tantos nocautes na conta e tamanha perfeição nas lutas não pode ser desconsiderado. Mas é apenas minha opinião e entendo muito a sua também.

Obrigado pela preocupação conterrâneo, mas foi só uma virose braba, vaso ruim não quebra! kkk!

Grande abraço meu amigo!

Claro, respeito seu ponto de vista. Sempre muito lúcido e bem embasado.

Eu acho que ele foi um dos mais impressionantes, sem dúvida. Mas isso de o que faz alguém ser o melhor é sem dúvida subjetivo. Até mesmo a questão conceitual quando a ser técnico hehe

Eu vejo a 'técnica' como a forma com a qual se consegue aplicar determinado movimento com o maior aproveitamento racionais do corpo e das forças mecânicas que o envolvem, junto a efetividade ao usar ela, não necessariamente na efetividade do resultado sobre o oponente em si. Então a técnica, a meu ver, seria para cada golpe. Um lutador pode ter um jab muito técnico, mas um chute sem técnica, digamos assim. Eu tendo a dar mais valor para o movimento em si, a forma com a qual ele é executado, pq acho que isso o lutador controla totalmente e pode mudar só com dedicação, treino e estudos. Cada indivíduo pode melhor isso por si só. O poder de efetividade no resultado, o poder de finalização dele e da técnica, não é só ele que controla. Alguns nascem com mais punch e explosão, outros menos. Vc pode melhorar, mas nisso a natureza se sobrepõe. Então acaba que vejo valorizar mais o 'fim' como sendo um pouco injusto, já que um lutador pode ter uma técnica perfeita, que potencialize todo o poder do golpe, mas não ter punch e por isso o poder de finalização, ou seja, da efetividade no resultado, ser muito baixo. hehe

Dito isto, é importante frisar que a técnica, tal qual eu vejo, quanto a forma mais racional, eficiente mecanicamente de aplicar um movimento, não é necessariamente o fator mais decisivo de um combate, ou não faz necessariamente um lutador melhor que outro. Como bem disse, o Tyson deitava lutadores muito mais 'técnicos' em outros elementos do boxe que ele. hehe Mas também há de se considerar que o Tyson era muito mais técnico na aproximação e ataque na curta que o oponente na defesa desta situação. Mas aí entra explosão, punch, etc., fatores que o atleta pode aprimorar, mas não controla.   

Eu não vejo o Tyson entre os melhores pq vejo ele como "desequilibrado", digamos assim. Excepcional na curta, a meu ver MUITO técnico em todos os elementos que envolvem ela, mas caia muito o nível nas outras distâncias e outros jogos. Não que fosse ruim na média distância, por ex, mas bem pior que na curta. Houveram outros que conseguiam lutar na curta, média e longa com maestria, verdadeiros gênios. Dominar um estilo de jogo já é absurdo, todos então, e aplicar eles em cima dos melhores do mundo, é algo que eu acho absurdo. Mesmo que estes não tivessem o poder de finalização do Tyson, acho que isso, e a forma com a qual eu olha a técnica, faz com que eu os considere boxeadores melhores. Eu tendo a valorizar muito o 'como' e não priorizar necessariamente mais o 'fim', pelo que já expliquei hehe Mas sem dúvida o seu posicionamento é legítimo e totalmente compreensível. No final das contas, o resultado mais efetivo é deitar o adversário hahahaha

Quanto ao poder de destruição, pensando na possibilidade de finalizar uma luta rápida frente a qualquer um, sem dúvida ele está entre os melhores. Não sei se o melhor, mas sem dúvida está entre os melhores. Era um monstro. E nem acho que seria racional tentar fazer dele um boxeador completo, pelas valências físicas, o melhor era treinar ele tal qual foi treinado mesmo. E independente do ranking, sem dúvida é e sempre será uma lenda no Boxe. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Já  fui anti Tyson  mas ele é  efetivo vc pode falar que ele não  dos mais técnicos  mas é  impossível   não  falar  que  é  um dos melhores  nos pesados.

Ele sem nada das redesde hj sem internet  era um fenômeno  vc faz musculação  fica forte todo fala  ta igual  a Mike Tyson. 

O cara referência  de poder.

Sugar,Eder Jofre (sim incomparável  no Brasil  a qualquer stricker),entre tantos tecnicamente  ele está  abaixo  simplesmente  pq não  é  um estilo pra ensinar ninguém  sabe fazer talvez o Teddy Atlas mas vejo mas o Cus que se foi..

Mas pense qualquer  o lutador deboxe perfeito  pra lutae contra  chutadores o que encurtar  e solta o braço ou seja Tyson.

No vale tudo eu sinceramente  não  enxergaria o Rickson o vencendo  na verdade Iron faria homicídios  dentro no ringue eu digi os wrestling  quw fossem no nivel bem baixo o kerr ou Karelin mas lutadores  de jiu jitsu esquece pra mim seria vítimas seja os Gracie  ou Machado ate o Ruas  seria vítima.

@masterblaster

Esvazie  a caixa de mensagens 

Se vc pensar só das categorias dos pesados vc já diminui o número de lutadores de uma forma absurda hehe 

Mas não acho que o Tyson tem o melhor estilo para MMA lutadores que encurtam ficam muito vulneráveis a clinch e queda. Grappler é muito pior para um boxeador que os chutadoresm a meu ver. Vejo lutadores que lutam na longa, ou da média para a longa, com muita movimentação evasiva, boa envergadura, e preferencialmente bons contra golpes, com mais chances de terem sucesso no MMA. E claro, boa defesa contra chutes hahaha Preferencialmente com punch hahaha 

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Daniel Mendoza disse:

Se vc pensar só das categorias dos pesados vc já diminui o número de lutadores de uma forma absurda hehe 

Mas não acho que o Tyson tem o melhor estilo para MMA lutadores que encurtam ficam muito vulneráveis a clinch e queda. Grappler é muito pior para um boxeador que os chutadoresm a meu ver. Vejo lutadores que lutam na longa, ou da média para a longa, com muita movimentação evasiva, boa envergadura, e preferencialmente bons contra golpes, com mais chances de terem sucesso no MMA. E claro, boa defesa contra chutes hahaha Preferencialmente com punch hahaha 

Falo no vale tudo antigo.

Cara no mma nos pesados aonde Lewis  um gordo balofo é  top...

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Falo no vale tudo antigo.

Cara no mma nos pesados aonde Lewis  um gordo balofo é  top...

Acho que dinâmica se mantém, sem movimentação evasiva e boa base de wrestling ou equivalentes, ele seria quedado fácil por lutadores fortes que mergulhassem na perna. 

E mesmo se não, Tyson só faria uma luta por noite, iria quebrar a mão na primeira luta lutando sem luva  hahahahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 minutos atrás, Daniel Mendoza disse:

Acho que dinâmica se mantém, sem movimentação evasiva e boa base de wrestling ou equivalentes, ele seria quedado fácil por lutadores fortes que mergulhassem na perna. 

E mesmo se não, Tyson só faria uma luta por noite, iria quebrar a mão na primeira luta lutando sem luva  hahahahaha

Rickson o venceria pra vc?

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Claro, respeito seu ponto de vista. Sempre muito lúcido e bem embasado.

Eu acho que ele foi um dos mais impressionantes, sem dúvida. Mas isso de o que faz alguém ser o melhor é sem dúvida subjetivo. Até mesmo a questão conceitual quando a ser técnico hehe

Eu vejo a 'técnica' como a forma com a qual se consegue aplicar determinado movimento com o maior aproveitamento racionais do corpo e das forças mecânicas que o envolvem, junto a efetividade ao usar ela, não necessariamente na efetividade do resultado sobre o oponente em si. Então a técnica, a meu ver, seria para cada golpe. Um lutador pode ter um jab muito técnico, mas um chute sem técnica, digamos assim. Eu tendo a dar mais valor para o movimento em si, a forma com a qual ele é executado, pq acho que isso o lutador controla totalmente e pode mudar só com dedicação, treino e estudos. Cada indivíduo pode melhor isso por si só. O poder de efetividade no resultado, o poder de finalização dele e da técnica, não é só ele que controla. Alguns nascem com mais punch e explosão, outros menos. Vc pode melhorar, mas nisso a natureza se sobrepõe. Então acaba que vejo valorizar mais o 'fim' como sendo um pouco injusto, já que um lutador pode ter uma técnica perfeita, que potencialize todo o poder do golpe, mas não ter punch e por isso o poder de finalização, ou seja, da efetividade no resultado, ser muito baixo. hehe

Dito isto, é importante frisar que a técnica, tal qual eu vejo, quanto a forma mais racional, eficiente mecanicamente de aplicar um movimento, não é necessariamente o fator mais decisivo de um combate, ou não faz necessariamente um lutador melhor que outro. Como bem disse, o Tyson deitava lutadores muito mais 'técnicos' em outros elementos do boxe que ele. hehe Mas também há de se considerar que o Tyson era muito mais técnico na aproximação e ataque na curta que o oponente na defesa desta situação. Mas aí entra explosão, punch, etc., fatores que o atleta pode aprimorar, mas não controla.   

Eu não vejo o Tyson entre os melhores pq vejo ele como "desequilibrado", digamos assim. Excepcional na curta, a meu ver MUITO técnico em todos os elementos que envolvem ela, mas caia muito o nível nas outras distâncias e outros jogos. Não que fosse ruim na média distância, por ex, mas bem pior que na curta. Houveram outros que conseguiam lutar na curta, média e longa com maestria, verdadeiros gênios. Dominar um estilo de jogo já é absurdo, todos então, e aplicar eles em cima dos melhores do mundo, é algo que eu acho absurdo. Mesmo que estes não tivessem o poder de finalização do Tyson, acho que isso, e a forma com a qual eu olha a técnica, faz com que eu os considere boxeadores melhores. Eu tendo a valorizar muito o 'como' e não priorizar necessariamente mais o 'fim', pelo que já expliquei hehe Mas sem dúvida o seu posicionamento é legítimo e totalmente compreensível. No final das contas, o resultado mais efetivo é deitar o adversário hahahaha

Quanto ao poder de destruição, pensando na possibilidade de finalizar uma luta rápida frente a qualquer um, sem dúvida ele está entre os melhores. Não sei se o melhor, mas sem dúvida está entre os melhores. Era um monstro. E nem acho que seria racional tentar fazer dele um boxeador completo, pelas valências físicas, o melhor era treinar ele tal qual foi treinado mesmo. E independente do ranking, sem dúvida é e sempre será uma lenda no Boxe. 

Ponto de vista muito válido também, sem sombra de duvida. Na verdade essa divergência parcial é muito bacana. Não teria a menor graça todo mundo pensando igual, né? Eu não aprenderia nada nunca. E com o conterrâneo é quase impossível não aprender alguma coisa. Como você disse, fica muito subjetiva essa avaliação, então na verdade poderíamos ter (e não é o caso aqui) opiniões totalmente distintas e ambas estarem certas.

Respeito bastante sua análise. Muito coerente e bem fundamentada.

No final das contas lógico que o Tyson não era o conjunto completo, mas até por isso ficava ainda mais especial, na minha opinião. Porque o que tinha se mostrava mais do que suficiente. Mas no quesito técnica do seu modo de ver, o oponente dele nessa luta de sábado, no auge, era mais técnico sim.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Muhhmad Ali não era completo?

Não  tinha tanto punch compensava  com a mira laser,fora mente e queixo o qual  Tyson  pecava. 

Vc viu o Tyson  lembrou de seu mestre  pouci antes da morte?

Pior que o Fernando antes de morrer era ainda mais pilhado. Sempre era divertido e aterrorizante subir no ringue com ele. Certeza de nunca sair inteiro. kkk!

Agora, metendo o pitaco nesse debate seu e do conterrâneo @Daniel Mendoza sobre o Tyson no MMA. Normalmente concordaria com o mineiro sobre os pugilistas que lutam na curta e seus resultados no MMA. Mas no caso específico do Tyson, penso um pouco diferente. Lógico que é só hipótese e levando em consideração como ele era há 20 anos atrás. Mas ainda assim, ele é atarracado e com pernas curtas, tem o centro de gravidade muito baixo. Se treina um pouco de defesa de quedas e sprawl, complica para ser derrubado. Só de inclinar o tronco um pouco para frente já dificultaria. E outra, muito rápido e potente. Não vejo o oponente entrando sem levar ao menos um daqueles ganchos ou, agarrando, um cruzado de cima para baixo. Em se tratando de quem é, principalmente com luva de MMA, isso equivaleria praticamente a um nocaute. E não seria um só, seria uma sequencia brutal entrando durante a tentativa de queda, vinda de um monstro que só treinou esse tipo de porrada a vida inteira. Ainda tinha a malandragem da briga na rua e um pescoço que seria difícil prender. E ainda teria o fator psicológico, né? Imagina alguém tentando entrar com uma tentativa de quedas no raio de ação em que justamente o Iron é mais perigoso. Como estaria a confiança desse sujeito? Se não acreditasse muito no que estaria fazendo, só a tentativa já seria desastrosa.

Quanto ao Rickson, até pela diferença de peso, acho que dificilmente derrubaria, mas com certeza seria muito golpeado. Se derrubasse óbvio que faria um estrago, mas não consigo ver esse cenário.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now