SgtBlackStar

Membros
  • Content Count

    1335
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About SgtBlackStar

Recent Profile Visitors

3173 profile views
  1. Sean Strickland promete fazer Borrachinha sangrar: “Vou fazer isso pelo Brasil” Ex-desafiante ao cinturão peso-médio (84 kg) do UFC, Paulo Costa é um dos principais nomes da sua geração no MMA nacional. Apesar disso, a fama do mineiro entre os fãs brasileiros não é proporcionalmente positiva. Ciente deste cenário, Sean Strickland, próximo adversário de ‘Borrachinha’ no octógono, aproveitou para provocá-lo. Em seu perfil oficial no ‘Instagram’ (veja abaixo ou clique aqui), Sean Strickland prometeu fazer Paulo Borrachinha “sangrar” como uma forma de agradar os ‘haters’ do lutador mineiro no Brasil. Curiosamente, o ex-campeão dos médios do UFC revelou que tem apreço pelo estilo do rival e até se diverte com seu humor nas redes sociais. “Sabe, rapaziada, eu gosto do (Paulo) Costa. Ele é um cara engraçado, ele me faz rir, ele é a favor da liberdade de expressão. Eu gosto daquele cara. Mas eu vou fazer aquele brasileiro sujo sangrar. E quer saber? Eu vou fazer isso pelo Brasil. Porque o Brasil não gosta dele. Então, Brasil, essa vai ser para vocês. Vamos fazer isso”, brincou Strickland, que encara Paulo Borrachinha no UFC 302, no dia 1º de junho. Relação de amor e ódio com os fãs brasileiros Paulo Borrachinha vive uma relação de amor e ódio com os fãs brasileiros. Durante muito tempo, o mineiro foi um dos atletas de MMA mais populares entre os torcedores tupiniquins, que o apoiavam e torciam pelo seu sucesso no Ultimate. Porém, nos últimos anos, o lutador – por conta de algumas polêmicas – ganhou alguns ‘haters’ no Brasil, o que não parece incomodá-lo. Resta saber para quem será a torcida dos brasileiros no duelo entre Borrachinha e Strickland no ‘co-main event’ do UFC 302. https://www.instagram.com/reel/C53yESnPiTT/?utm_source=ig_embed&ig_rid=ebe19710-a96b-4e03-b101-6a7240ed01ea https://agfight.com/ufc/sean-strickland-promete-fazer-borrachinha-sangrar-vou-fazer-isso-pelo-brasil/
  2. Duelo de cinturões? Topuria impõe condição para enfrentar Max Holloway no UFC O espetacular nocaute de Max Holloway sobre Justin Gaethje no UFC 300, que lhe rendeu dois bônus de performance, parecia indicar que várias portas se abririam para o futuro próximo do ex-campeão peso-pena (66 kg), entre elas a de uma nova disputa pelo título até 66 kg da organização. Mas, no que depender do atual detentor do cinturão da categoria, ‘Blessed’ – como o havaiano é conhecido – terá que colocar alguma coisa em jogo para o confronto entre eles acontecer. Em entrevista ao ‘The MMA Hour’, Ilia Topuria exigiu que Max Holloway coloque seu título ‘BMF’ (lutador ‘mais durão’) em jogo para que o havaiano possa desafiá-lo pelo cinturão peso-pena do UFC. Caso contrário, ‘El Matador’, como é conhecido, destacou que o confronto não o interessaria. “Sem o cinturão BMF eu não quero ele (como rival) de forma alguma. Se não (tiver o cinturão BMF em jogo), eu vou lutar com Volkanovski, que merece a revanche mais do que ele. Porque ele tem aquele cinturão, estou empolgado sobre isso. É por isso que eu quero ele. Ele tem dito: ‘Agora eu tenho muitas opções’, isso e aquilo. Ele não tem muitas opções. Eu sou o campeão agora. Eu escolho a data, escolho o local. Ele só tem que estar pronto, tem que esperar pelo chamado. Quando eu quiser, ele tem que estar pronto”, afirmou Topuria. Duelo de estilos Caso se concretize, um embate entre Topuria e Holloway traria à tona um duelo de estilos distintos na trocação. De um lado, um veterano do esporte que tem na sua agilidade e técnica seus principais bastiões para imprimir seu ritmo e ‘afogar’ seus adversários a longo prazo. Do outro, um jovem invicto e com uma pegada incomum para a categoria, dono de golpes singulares que levam os rivais à lona quando atingidos. https://agfight.com/ufc/duelo-de-cinturoes-topuria-impoe-condicao-para-enfrentar-max-holloway-no-ufc/
  3. Sean O’Malley se enfurece com acusação de Marlon Vera e dispara contra equatoriano Campeão dos galos rebate fala em que rival afirma ter tido dificuldade em lidar com oleosidade em seu corpo; atletas se enfrentaram no UFC 299 Após performance de gala no UFC 299, Sean O’Malley se surpreendeu ao ser acusado por Marlon Vera de ter trapaceado no confronto. Na ocasião o equatoriano sugeriu que o campeão dos galos (até 61,2kg.) tivesse usado gel na cabeça para deixar seu corpo oleoso. Enfurecido com a atitude do rival, o norte-americano disparou novamente e se defendeu dos ataques. “Aquelas mensagens eram reais. Eu estava na merd* da sua cabeça. Eu estava em seu cérebro. Estava pensando por ele. Fod*-se ele. E aí ele vem dizendo que meu cabelo estava escorregadio. Você nem chegou perto suficiente para cheirar meu cabelo, deixe-o em paz. O que meu cabelo escorregadio iria interferir?”, disse O’Malley em seu podcast. Inconformado com apoio popular que Marlon Vera recebe, Sean sugeriu que o rival esconda algo prejudicial sobre sua imagem. “Eu não entendo toda essa coisa com o ‘Chito’. Todo mundo parece amar esse cara. Esse otário é um filho da p***. Chito é um merd*. Eu sei coisas que as pessoas não sabem e que mudariam seus pensamentos sobre ele, mas eu não vou expor publicamente”, concluiu. Protagonistas do UFC 299, Sean O’Malley e Marlon Vera se enfrentaram durante cinco rounds. Dominante no confronto, o campeão teve sucesso em sua primeira defesa de título ao triunfar na decisão unânime dos juízes. https://www.superlutas.com.br/noticias/267845/sean-omalley-responde-acusacao-vera/
  4. ‘Medalhista nocauteador’ tem nova luta marcada após estreia avassaladora no UFC Novo astro dos pesados, Robelis Despaigne enfrentará Waldo Cortes-Acosta em evento que será realizado no dia 11 de maio Depois de uma estreia avassaladora no UFC 299, o cubano Robelis Despaigne já tem novo compromisso marcado no Ultimate. Em uma rede social, o empresário do peso pesado (até 120,2kg) anunciou que ele enfrentará o dominicano Waldo Cortes-Acosta em evento que será realizado no dia 11 de maio. Medalhista olímpico de Taekwondo, Robelis é conhecido por terminar de forma rápida suas lutas. Em seus quatro compromissos anteriores, antes de sua estreia no Ultimate, o cubano precisou de apenas 19 segundos para nocautear os seus rivais. No octógono, Despaigne bateu o veterano Josh Parisian em 18 segundos. Promessa para a categoria liderada por Jon Jones, o peso pesado também manteve a invencibilidade no MMA profissional, atingindo a marca de cinco triunfos seguidos, todos pela via rápida e no primeiro round. Contratado do Ultimate desde 2022, Waldo já atuou cinco vezes na maior organização de MMA do mundo, conquistando quatro vitórias, sendo três por decisão e uma por nocaute, e sofrendo apenas uma derrota, para o brasileiro Marcos Rogério de Lima. Aos 32 anos de idade, o cubano possui um retrospecto como profissional de 11 triunfos e apenas um revés. Programado para o dia 11 de maio, o evento marcará o primeiro evento do Ultimate na cidade de St.Louis, no Missouri desde janeiro de 2018. https://www.superlutas.com.br/noticias/267888/nova-luta-robelis-despaigne/
  5. Alvo de processo, UFC chega a acordo e aceita pagar valor bilionário para evitar julgamento; entenda Principal organização de MMA do mundo, o UFC se tornou alvo judicial no denominado ‘processo antitruste’, liderado por um grupo de até 1200 ex-atletas da companhia que alegavam que o Ultimate estava envolvido em um esquema ilegal para adquirir e manter o monopólio e monopsônio do mercado dos lutadores de elite através de contratos exclusivos, coerção e aquisições. O caso iria a julgamento no dia 15 de abril, mas o acordo entre as partes tende a encerrar o processo. Para não ir ao Tribunal, a liga presidida por Dana White aceitou pagar o valor de 335 milhões de dólares (R$ 1,67 bilhões) aos demandantes. Nesta quarta-feira (20), a ‘TKO Group Holdings’ – controladora do UFC – apresentou um informe revelando que a organização havia feito um acordo com as partes lesadas, com a empresa se dispondo a pagar os 335 milhões de dólares. De acordo com o documento, a anuência teria sido alcançada na última quarta-feira (13). “Em 13 de março de 2024, a TKO chegou a um acordo para resolver todas as reivindicações apresentadas em ambas as ações judiciais coletivas ([Cung] Le e [Kajan] Johnson) por um valor total de 335 milhões de dólares a serem pagos pela empresa e suas subsidiárias em parcelas ao longo de um período de tempo acordado. Os termos serão memorizados em um contrato longo e então submetidos ao tribunal para aprovação. A companhia prevê que o valor da liquidação será dedutível para fins fiscais”, informou a controladora do UFC, de acordo com o site ‘MMA Fighting’. Ultimate saiu no lucro com o acordo? As ações judiciais movidas contra o UFC – centralizadas em um grande processo – buscavam até 1,6 bilhão de dólares (R$ 8 bilhões) em danos e centravam-se em supostas violações da ‘Lei Sherman’, que prescreve a regra da livre concorrência entre os envolvidos no comércio, assim como a regulação da competição entre as empresa de um ramo. Sendo assim, há quem julgue que o Ultimate fez um bom negócio ao aceitar o acordo com os demandantes. Os esforços judiciais foram liderados por ex-lutadores como Cung Le, Kyle Kingsbury, Kajan Johnson, Brandon Vera, dentre outros. Os demandantes também buscavam mudanças estruturais nos atuais contratos vigentes do UFC. No entanto, ainda não está claro se tais mudanças faziam parte dos termos finais do acordo. Através das redes sociais, a ‘Associação dos Lutadores de Artes Marciais Mistas’ comemorou a concordância entre as partes. “Estamos satisfeitos com o acordo e divulgaremos mais quando entrarmos com o processo no Tribunal dentro de 45 a 60 dias. Nós amamos todos esses caras!”, destacou a publicação da Associação no ‘X’, antigo Twitter (veja abaixo ou clique aqui). Resumo do processo antitruste contra o UFC As táticas de negociação adotadas pelo UFC estavam no centro de uma disputa judicial. Os demandantes alegavam que a companhia infringiu a lei ao ‘prender’ atletas a contratos de longo prazo, impedindo que os concorrentes pudessem competir no mercado do MMA e também buscassem tais lutadores da elite. Os acusadores do processo antitruste do UFC alegam que tais contratos faziam parte de um esquema ilegal para diminuir os salários e direito dos lutadores. Com um acordo alcançado, o juiz responsável pelo caso, Richard Boulware, precisará assinar o acordo. Se confirmado, não haverá julgamento e ambas as ações ‘antitruste’ serão encerradas. https://agfight.com/ufc/alvo-de-processo-ufc-chega-a-acordo-e-aceita-pagar-valor-bilionario-para-evitar-julgamento-entenda/
  6. Campeão Du Plessis cobra Adesanya por realização de luta no UFC Em janeiro, no Canadá, Dricus du Plessis conquistou o maior feito de sua carreira. O sul-africano superou Sean Strickland por decisão dividida e, assim, se tornou campeão do peso-médio (84 kg) do UFC. Até o momento, ainda não se sabe contra quem e quando o atleta vai colocar o cinturão da categoria em jogo pela primeira vez, mas, se depender do mesmo, o alvo está claro. Du Plessis mencionou Israel Adesanya como adversário ideal e foi além. Decidido a tornar a luta em realidade, o campeão do UFC cobrou o rival publicamente. Recentemente, o nigeriano revelou que a companhia o procurou para atuar no show de número 300, mas explicou que seu retorno à ação teve que ser adiado porque Dricus não se mostrou disposto a competir em abril. Agora, é ‘Stillknocks’ que aponta o desafeto como responsável pelo duelo ainda estar no papel, mas se mantém otimista quanto ao desfecho da negociação. “Então, você afirma que quer arrastar minha carcaça pela África do Sul, portanto, seja um homem de palavra e vamos fazer isso. Estamos tentando, conversando, definitivamente. É isso que as pessoas querem ver e é isso que quero fazer. Quero lutar contra os melhores. Com quem quero lutar? Não me importo, eu sou o campeão. Vou lutar com quem o UFC colocar na minha frente. Mas o que quero é lutar contra quem as pessoas querem me ver lutar”, declarou o campeão do UFC, ao participar do podcast ‘Hustlers Corner’. Registro de Du Plessis no MMA Dricus Du Plessis, de 30 anos, é campeão do peso-médio do UFC e está invicto no octógono, com sete vitórias. No MMA desde 2013, o sul-africano foi campeão do KSW e construiu um cartel composto por 21 triunfos, sendo 19 pela via rápida (dez por finalização e nove por nocaute), e duas derrotas. Seus resultados mais expressivos foram sobre Brad Tavares, Darren Till, Derek Brunson, Robert Whittaker e Sean Strickland. https://agfight.com/ufc/campeao-du-plessis-cobra-adesanya-por-realizacao-de-luta-no-ufc/
  7. Taila Santos explica saída do UFC e revela planos para o GP da PFL: “Mudar de vida” Em sua trajetória no UFC, que teve início em 2019, Taila Santos competiu sete vezes em cinco temporadas – com uma média de pouco mais de um combate por ano. A assiduidade do período, porém, parece não ter agradado a brasileira, que atrelou a falta de lutas e o calendário espaçado como o principal motivo para sua saída da organização presidida por Dana White. Ex-desafiante ao cinturão peso-mosca (57 kg), a catarinense admitiu, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, que também se sentiu desprestigiada em determinado momento pela empresa. Quando, em junho de 2022, enfrentou a então campeã Valentina Shevchenko e foi superada em um duelo parelho via decisão dividida, Taila Santos esperava por uma revanche imediata. Na visão da brasileira, inclusive, assim como para uma parcela de fãs, ela teria feito o suficiente para destronar ‘Bullet’ na ocasião. Uma nova oportunidade pelo título não veio e o já presente incômodo pela falta de frequência no octógono fez com que a relação entre as partes se desgastasse e culminou em sua saída do Ultimate, no fim de 2023. “Já não vinha contente por essa questão de calendário. Estava lutando uma vez por ano, era sempre assim. Estava demorando muito. Depois da minha luta com a Valentina, já foi ficando meio chato. Venci aquela luta. Muita gente queria ver a revanche, ver eu ter outra oportunidade, inclusive eu (…) Esperava por esse merecimento ter essa oportunidade. Mas foram enrolando e não rolou. Essa questão de lutar pouco, aí joga (data) para frente, uma luta aqui, outra lá. O atleta não tem uma agenda, não sabe quando vai lutar. É legal se manter ativa, saber as datas, ter um cronograma. Estava na última luta do meu contrato. A gente conversou e decidimos não renovar, aí ficou por isso. Terminou o contrato e a gente não renovou”, esclareceu Taila. Chance de ‘mudar de vida’ com prêmio milionário Não demorou muito para que Taila achasse uma ‘nova casa’ no MMA. Neste mês, a catarinense assinou oficialmente com a PFL. Na nova liga, a ex-desafiante do UFC participará do tradicional ‘GP’, que coroa os campeões ao final da temporada com o cinturão e o prêmio de 1 milhão de dólares (R$ 5 milhões). De olho na bolsa milionária, Santos garante que o cheque mudaria sua vida financeira. “Esse GP veio em ótimo momento. Estou muito feliz, o sentimento não poderia ser outro. Esse GP é muito bem falado. E todo atleta quer, com certeza, ser bem remunerado. É isso que o GP está fazendo, para o atleta realmente mudar de vida, muito bacana. Todo atleta quer entrar em um evento grande e mudar de vida. A questão de ter um calendário, ter todas as lutas e (poder) ganhar esse 1 milhão é muito bacana. É, de verdade, para mudar de vida. O GP é muito massa por isso. Além do calendário, chegar na final e poder colocar a mão em 1 milhão. Agora é rumo ao 1 milhão (risos)”, projetou a peso-mosca. Postulante como uma das favoritas no torneio entre as mulheres até 57 kg, Taila Santos estreia na PFL no dia 4 de abril, diante de Denise Kielholtz, na primeira rodada da temporada regular do ‘GP’ da categoria. O show será sediado no Texas (EUA). https://agfight.com/entrevistas/taila-santos-explica-saida-do-ufc-e-revela-planos-para-o-gp-da-pfl-mudar-de-vida/
  8. Muay Lao é uma arte marcial tradicional de Laos e nordeste da Tailândia (na província de Sakon Nakhon). É uma denominação regional para o kickboxing indochinês como o muay thai na Tailândia, pradal serey no Camboja, tomoi na Malásia e lethwei em Mianmar. Vi até um documantário de lethwei um dia desses, acho que na NetFlix.
  9. VÍDEO: Jamahal Hill fica inconformado com nocaute de Alex Poatan no UFC 29 Jamahal Hill, que abdicou do título por causa de uma lesão no tendão de Aquiles, assistiu de perto ao nocaute de Alex Poatan sobre Jiri Prochazka no UFC 295, que aconteceu no último sábado (11/11), em Nova York. O ex-campeão ficou incrédulo com a interrupção do árbitro Marc Goddard, que parou a luta no segundo round, após o brasileiro acertar uma série de cotoveladas na cabeça de Prochazka. Hill, que estava na primeira fileira do público, protestou contra a decisão do árbitro, alegando que foi precoce e que Prochazka ainda tinha chances de se recuperar. Ele chegou a discutir com Dustin Poirier e Michael Bisping, que estavam ao seu lado na arena. Hill também demonstrou interesse em enfrentar Poatan pelo cinturão dos meio-pesados, que agora pertence ao brasileiro. VÍDEO: Jamahal Hill fica inconformado com nocaute de Alex Poatan no UFC 295 (msn.com)
  10. Queria deixar meus parabéns ao Poatan, um monstro, baita lutador. Antes de se aposentar, quem sabe não tente o título dos pesados também. Eu acredito, e terá minha torcida.
  11. Tyson Fury e Francis Ngannou protagonizam encarada inusitada antes de duelo histórico no boxe Tyson Fury e Francis Ngannou protagonizam encarada inusitada antes de duelo histórico no boxe. Foto: Reprodução/Twitter© Reprodução/Twitter A expectativa para o confronto entre Tyson Fury e Francis Ngannou, que acontece neste sábado (28/10), na Arábia Saudita, aumentou ainda mais em encarada antes da superluta de boxe. Os dois lutadores ficaram frente a frente, em uma encarada inusitada e com provocações, que contou com a presença do pai de Fury, John Fury, que também tirou a camisa e ficou ao lado do filho. Tyson Fury, que é o atual campeão mundial dos pesos pesados pelo Conselho Mundial de Boxe, não poupou palavras para desafiar Francis, que é o ex-campeão da mesma categoria no UFC. O britânico disse que o franco-camaronês tem apenas uma chance em um milhão de nocauteá-lo e que vai acabar com ele em três rounds. A encarada entre os dois foi marcada por muita tensão e troca de olhares, com Tyson Fury sem camisa e Ngannou vestindo uma camiseta azul. O pai de Fury, John Fury, também ficou sem camisa e se posicionou ao lado do filho, em um gesto de apoio e intimidação. Os dois chegaram a interagir brevemente, mas foram separados pelos organizadores do evento. O duelo entre Tyson Fury e Francis Ngannou será transmitido ao vivo pelo DAZN no Brasil. O vencedor será coroado como o “Homem Mais Impressionante do Planeta” e terá a chance de enfrentar desafios ainda maiores no futuro. VÍDEO: Fury e Ngannou protagonizam encarada amistosa antes de luta no boxe Tyson Fury e Francis Ngannou protagonizam encarada inusitada antes de duelo histórico no boxe (msn.com)