SgtBlackStar

Membros
  • Content Count

    755
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About SgtBlackStar

Recent Profile Visitors

2083 profile views
  1. Confiante, Mousasi avisa Douglas Lima: “Se quer me vencer, precisa me nocautear” Gegard Mousasi tem a chance de recuperar o título do peso-médio – Ag Fight Nesta semana, o Bellator anunciou o combate entre Douglas Lima e Gegard Mousasi, pelo cinturão do peso-médio (84 kg), que ficou vago após Rafael Lovato abrir mão, devido a uma doença. O confronto acontece no dia 9 de maio, na edição 243 do show. No entanto, apesar da luta ainda demorar para acontecer dentro do cage, o duelo já começou fora dele com declarações. O holandês já saiu na frente neste quesito. Em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, Mousasi ressaltou que Lima, atual campeão dos meio-médios (77 kg) da franquia, é um lutador grande e poderia se encaixar perfeitamente na categoria dos médios. Porém, o europeu confia que terá uma vantagem sobre o brasileiro no quesito força, além de já estar acostumado na divisão e deu um recado. “Não sei onde ele sente que tem a vantagem. Eu não estou subestimando ele, porque ele é um lutador infernal, mas eu sinto que sou melhor no confronto. Sinto que tenho o alcance, a técnica e a postura melhores que ele. Eu posso vencê-lo em seus pontos mais fortes, e também posso vencê-lo em seus pontos mais fracos”, disse, antes de dar um aviso ao rival. “Se ele quer vencer, ele precisa me nocautear. E tecnicamente estou melhor. É a única maneira que vejo que ele pode me derrotar: se ele me pegar quando eu cometer um erro. Fora isso, eu posso vencê-lo na disputa”, finalizou o holandês. Essa será a primeira luta de Douglas Lima desde que ele superou o canadense Rory MacDonald e se sagrou campeão dos meio-médios do Bellator, em outubro de 2019. O brasileiro venceu seis das últimas sete lutas dentro do cage. Já Gegard Mousasi, que foi campeão da categoria pela franquia, terá a chance de recuperar o cinturão. Em sua última apresentação, em setembro do ano passado, venceu Lyoto Machida por decisão dividida. https://agfight.com.br/confiante-mousasi-avisa-douglas-lima-se-quer-me-vencer-precisa-me-nocautear/
  2. ‘Do Bronx’ e Kevin Lee fazem encarada séria em evento promocional do UFC Brasília Divulgação/UFC Nesta quarta-feira (12), o Ultimate realizou um media day para promover o UFC Brasília, que acontece dia 14 de março, na Capital Federal. A organização reuniu Kevin Lee, Charles ‘Do Bronx’ e Demian Maia, estrelas do show, além do embaixador Rodrigo ‘Minotauro’. O destaque foi a encarada pouco amistosa entre os atletas do main event. Na hora de ficarem frente a frente, Lee não recuou e ficou bem próximo de ‘Do Bronx’, que tampouco se incomodou com a atitude do rival e mostrou serenidade. Esse confronto pode definir boas posições no ranking do peso-leve (70 kg) da organização. O americano está na oitava posição, enquanto o paulista ocupa o 13º posto. Outra novidade do evento foi o anúncio do substituto do adversário de Bruno ‘Bulldoguinho’, em duelo válido pelo peso-mosca (57 kg). Su Mudaerji, que seria o oponente do brasileiro saiu do show e agora David Dvorak terá a missão de encarar o atleta da casa. Com o card recheado de grandes promessas brasileiras da organização, a procura de ingressos está alta, segundo a organização. Dois setores para o UFC Brasília já estão esgotados. As seções Cadeira e Cadeira Especial não possuem mais entradas disponíveis. Outras áreas do Ginásio Nilson Nelson ainda estão à venda. https://agfight.com.br/do-bronx-e-kevin-lee-fazem-encarada-seria-em-evento-promocional-do-ufc-brasilia/
  3. Engasgado, Raulian Paiva busca primeira vitória no UFC e mira revanche contra compatriota Corte no supercílio de Raulian interrompeu a luta contra Rogério Bontorin – Leandro Bernardes Vindo de duas derrotas e ainda em busca de sua primeira vitória no Ultimate, Raulian Paiva encara Mark De La Rosa neste sábado (15), no UFC Fight Night 167, evento que será realizado na cidade de Rio Rancho (EUA). E, ainda que esteja focado em seu próximo compromisso, o jovem peso-mosca (57 kg), de 24 anos, admite que os dois reveses sofridos em sua curta trajetória na organização ainda estão engasgados em sua garganta. Após conquistar o contrato com o Ultimate ao participar da versão brasileira do programa ‘Contender Series’, o amapaense estreou com derrota para Kai-Kara France, que lutava em casa, na Austrália, em polêmica decisão dividida dos juízes. Já sua segunda apresentação pela maior entidade de MMA do planeta – que aconteceu em agosto do ano passado, contra Rogério Bontorin, no UFC Uruguai – durou pouco mais de dois minutos e foi decidida por interrupção médica em razão de um corte profundo sofrido por Raulian, o que resultou em mais um revés em seu cartel. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o peso-mosca admitiu que sente a necessidade de resolver o que considera como assuntos pendentes com o compatriota e revelou que pretende pedir por uma revanche em caso de vitória neste sábado. Para facilitar a comunicação, Raulian poderá encontrar Bontorin no próprio UFC Fight Night 167, já que seu algoz também estará presente no card do evento, ao encarar Ray Borg. “Pretendo pedir a revanche para o (Rogério) Bontorin porque eu quero terminar o que a gente começou. Para ser sincero, ele não terminou a luta, quem interrompeu a luta foi o médico. A luta estava indo muito bem, e, infelizmente, abriu aquele corte profundo no meu rosto e os médicos não deixaram acabar. Nós precisamos terminar o que começamos. Não tenho nada contra ele, apenas quero terminar o que começamos”, revelou o amapaense, à Ag. Fight. Mas antes de pensar em uma revanche contra seu último algoz, Raulian precisará superar o americano Mark De La Rosa. Também vindo de dois resultados negativos em sequência, o rival do brasileiro ocupa atualmente a décima terceira colocação no ranking até 57 kg do Ultimate, uma posição a frente do amapaense. Acostumado a fazer parte de sua preparação nos Estados Unidos, na renomada equipe ‘Team Alpha Male’, Paiva – em razão do atraso na liberação de seu visto de entrada no país norte-americano – realizou todo seu camp de treinamentos no Brasil, na academia ‘Ronildo Nobre’, e pôde traçar a estratégia que considera ideal para superar seu oponente. “Preparação foi muito boa, treinei muito forte para essa luta. Tentei consertar os erros que eu cometi nas outras lutas e treinei mais forte ainda, buscando a evolução. Quero começar o ano com o pé direito e conquistar a minha primeira vitória no UFC. Não deu tempo de ir para a Team Alpha Male, fiz a preparação toda no Brasil. Fiz todo o meu camp na academia do Ronildo Nobre. Meu visto demorou a sair, só saiu no final de janeiro. Então para não perder tempo, eu fiz meu camp todo no Brasil”, contou o brasileiro, antes de comentar sobre a estratégia que pretende adotar no combate de sábado. “Pretendo explorar muito a trocação. Eu sou maior que ele, tenho a envergadura maior que a dele, e ele é um pouco fraco na trocação. Mas, como eu estou bem treinado, se ele também der brecha no chão, eu posso finalizá-lo”, projetou Paiva, que possui três triunfos por finalização na carreira. No MMA profissional desde 2013, Raulian acumula 18 vitórias e três derrotas em seu cartel. Já seu adversário, Mark De La Rosa, possui 11 triunfos e o mesmo número de reveses que o brasileiro em sua carreira. O UFC Fight Night 167 terá na luta principal o duelo entre os postulantes ao título dos meio-pesados (93 kg) Corey Anderson e Jan Blachowicz. https://agfight.com.br/engasgado-raulian-paiva-busca-primeira-vitoria-no-ufc-e-mira-revanche-contra-compatriota/
  4. Depois dessa entrevista, já estou até com medo dele tomar um KO.
  5. ‘Paraense Voador’ promete golpes inéditos em duelo contra Diego Sanchez Após duas apresentações dentro do octógono, com uma vitória e um derrota, Michel Pereira, mais conhecido como ‘Paraense Voador’, terá um teste de fogo pela frente. Isso porque neste sábado (15), no UFC Rio Rancho, o brasileiro enfrenta o campeão da primeira edição do ‘The Ultimate Fighter’, Diego Sanchez, na co-luta da noite. Entretanto, engana-se quem pensa que o lutador se sente pressionado por esse fato. A motivação parece bem maior. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o lutador de 26 anos adiantou que, mesmo sabendo a relevância desse duelo não pretende mudar seu estilo de atuar. Antes de assinar contrato com a organização, Michel chamava a atenção do público por golpes acrobáticos e pouco vistos em uma luta na modalidade. E no que depender do seu desejo ele vai apresentar mais novidades para os fãs e, por consequência, agradar os patrões. “Sim, claro. Penso muito em inovar, trazer novidades para o mundo ver. Não gosto de ficar sempre no mesmo estilo, fazendo as mesmas coisas. Então com certeza vai ter golpe novo. Vão ter golpes que o mundo nunca viu antes. O UFC entendeu que sou uma nova promessa, um novo popstar na organização. Vim com um estilo para agradar aos fãs, o público e todo mundo. Vou mostrar ao público coisas que outros lutadores não fazem”, explicou. Apesar de admitir que vai buscar novidades para este confronto, Michel não deixou de exaltar a trajetória do seu adversário no Ultimate. Por conta da popularidade de Diego Sanchez, o brasileiro espera aproveitar essa oportunidade para mostrar ainda mais o seu talento. “É a luta mais importante da minha carreira, sem dúvida. Estou muito feliz de encarar um cara com o nome dele, que sempre fez grandes lutas. Ele tem um coração gigante, um cara brigador. Admiro muito esse seu estilo de lutar. Mas chegou o meu momento, minha hora e a grande chance de mostrar ao mundo quem é o verdadeiro ‘Paranese Voador'”, disse. No MMA profissional desde 2011, Michel Pereira tem 23 vitórias, dez derrotas e dois ‘No Contest’ (luta sem resultado) na carreira. No Ultimate desde maio de 2019, o atleta tem um triunfo sobre Danny Roberts, quando venceu por nocaute logo no primeiro round, e um revés para Tristan Connelly, por decisão dos árbitros, ambas no ano passado. https://agfight.com.br/paraense-voador-promete-golpes-ineditos-contra-diego-sanchez/
  6. Dana White revela que viu vitória de Reyes em resultado polêmico do UFC 247 O presidente do Ultimate repercutiu a decisão polêmica e deu sua opinião da luta – Rigel Salazar Sem sombras de dúvidas, o assunto mais discutido do UFC 247 durante a coletiva de imprensa desse sábado (8) foi o resultado controverso da luta principal do evento. Presidente do Ultimate, Dana White foi o principal alvo dos jornalistas presentes na cerimônia. E, de forma ‘escorregadia’, o mandatário da organização afirmou que a vitória poderia ir tanto para Jon Jones quanto para Dominick Reyes, apesar de ter enxergado uma vantagem no confronto a favor do desafiante. Durante a coletiva, Dana minimizou o resultado ao afirmar que pessoas próximas a ele pontuaram o confronto de formas distintas. Desta forma, na visão do presidente, o triunfo poderia ter ido para os dois lados. No entanto, White se mostrou pouco satisfeito com o desempenho dos juízes durante o UFC 247 – sobretudo com o profissional que marcou 49 a 46 em favor de Jones. “A pontuação estava para todos os lados. Joe Silva, nosso ‘ex-matchmaker’, viu um empate. Kevin Iole (jornalista) me falou que viu 3-2 a favor de Jones. Indo para o último round, eu estava marcando 3-1 para o Dominick. Meus filhos estão me atormentando dizendo: ‘Como isso pôde acontecer, pai? Reyes ganhou essa luta’, e a lista de pessoas conversando comigo só aumenta. Não é como se tivesse essa multidão dizendo que foi roubo ou algo do tipo. As pessoas marcaram (a luta) de maneiras diferentes”, relativizou Dana, antes de completar. “Mas a realidade é, quem dá a mínima? Nós não somos juízes, nenhum de nós é juiz. Os árbitros decidem a luta e é isso. Se eu acho que o trabalho dos juízes essa noite foi perfeito? Não acho. Acho que temos trabalho a fazer aqui. Se eu acho que ele (Reyes) merece uma revanche? Sim, com certeza. Mas veremos o que acontece…. Outra coisa, diga o que quiser do Jon Jones, mas ele ganha lutas. Se e quando esses dois se enfrentarem de novo, será ainda melhor do que esta noite”, complementou o presidente do Ultimate. Durante a mesma cerimônia, Reyes garantiu que venceu a luta e afirmou ter sido desrespeitado pelos árbitros do embate. Insatisfeito com o resultado, o desafiante também deixou claro seu interesse em enfrentar Jones novamente no futuro. Resta agora saber se o rei dos meio-pesados segue em sua divisão de origem ou se aventura na categoria dos pesos-pesados. https://agfight.com.br/dana-white-revela-que-viu-vitoria-de-reyes-em-resultado-polemico-do-ufc-247/
  7. Astro do jiu-jitsu brasileiro recebe suspensão de um ano da USADA após flagra O mais novo astro do jiu-jitsu brasileiro não começou 2020 bem. Após vencer quase tudo em 2019, Kaynan Duarte foi flagrado pela USADA (agência antidoping americana) pelo uso de ostarine – substância de aumento de performance proibida pela entidade. O faixa-preta seria suspendo por dois anos, mas recebeu uma redução de metade do seu gancho por cooperar nas investigações da entidade. A USADA fez o anuncio oficial em seu site nessa sexta-feira (7) (clique aqui). O flagra ocorreu no dia 2 de junho de 2019, durante um exame realizado no Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu da Federação Internacional Brasileira de Jiu-Jitsu (IBJJF). O brasileiro aceitou e pena de um afastado – que é retroativa à data do flagra, desta forma, Kayna estará apto a competir novamente em junho deste ano. “Duarte, 22 anos, testou positivo para ostarine como resultado de um teste de drogas em competição realizado no Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu da Federação Internacional Brasileira de Jiu-Jitsu (IBJJF) em 2 de junho de 2019. Embora a IBJJF não seja signatária do Código Mundial Antidopagem, a USADA foi contratada pela IBJJF para realizar testes para o evento e coletou a amostra de Duarte de acordo com o Padrão Internacional para Testes e Investigações da Agência Mundial Antidopagem” escreveu a entidade, antes de falar sobre a redução da pena do brasileiro. “Ostarine é vendido ilegalmente em todo o mundo como uma substância que melhora o desempenho. Atualmente, o Ostarine não está disponível como medicamento de prescrição em nenhum país e seu uso não autorizado pode causar efeitos colaterais graves. No entanto, a ostarina é comumente encontrada como ingrediente declarado e não declarado em muitos suplementos alimentares. Duarte recebeu uma redução de um ano em seu período de inelegibilidade porque, após uma análise minuciosa das evidências e da cooperação de Duarte, a USADA determinou que a quantidade de ostarine detectada em sua amostra era consistente com a exposição à ostarine por contaminação”, completou a USADA, em nota oficial. Além da suspensão, Kaynan também sofreu outro grande atraso em sua carreira. Multicampeão em 2019, o brasileiro perdeu todas as medalhas, pontos e prêmios conquistados em competições sancionadas pela IBJJF posteriores a junho de 2019. Todos os resultados do faixa-preta após esta data foram desqualificados. https://agfight.com.br/astro-do-jiu-jitsu-brasileiro-recebe-suspensao-de-um-ano-da-usada-apos-flagra/
  8. Israel Adesanya ironiza lesão sofrida por Paulo ‘Borrachinha’ Adesanya segue invicto após 18 combates como profissional de MMA – Jon Roberts/ Ag Fight Israel Adesanya defende seu cinturão diante de Yoel Romero no UFC 248. No entanto, durante a coletiva de imprensa oficial do evento, realizada nessa sexta-feira (7), o nome de outro possível desafiante foi o primeiro a sair da boca do campeão: Paulo ‘Borrachinha’. ‘The Last Style Bender’ aproveitou a cerimônia para ironizar a lesão sofrida pelo brasileiro – que seria naturalmente o próximo na fila dos pesos-médios (84 kg) a enfrentá-lo. O nigeriano questionou a gravidade da lesão sofrida no bíceps por Borrachinha ao usar o tempo de recuperação como respaldo. Adesanya chegou a, inclusive, sugerir que o brasileiro não está machucado ao fazer sinais de dúvida ao falar sobre a lesão do seu desafeto. “Eu estava tentando lutar com o Paulo nessa luta. Mas ele teve uma “lesão” no bíceps que demoraria nove meses para tratar. Mas milagrosamente, graças ao ‘açaí’, ele se recuperou em três ou dois meses”, ironizou Israel. O confronto entre Adesanya e Romero está agendado para o dia 7 de março, em Las Vegas (EUA). Em caso de nova vitória do campeão, a tendência é que Borrachinha, caso esteja em condições, seja o próximo desafiante ao reinado do nigeriano. https://agfight.com.br/israel-adesanya-ironiza-lesao-sofrida-por-paulo-borrachinha/
  9. SgtBlackStar

    Rumor: Zabit Magomedsharipov x Brian Ortega no UFC 249

    Se for três rounds, acredito que o Zabit com certa tranquilidade. Se for de cinco rounds, já fica em aberto.
  10. Wanderlei Silva se torna vegetariano e celebra: “Mais energia para meus treinos” Wanderlei soma 35 vitórias, 14 derrotas, um empate e um no contest na carreira – Erik Engelhart Wanderlei Silva é o mais novo vegetariano do mundo das artes marciais mistas. Nesta quinta-feira (6), o brasileiro usou suas redes sociais (veja abaixo ou clique aqui) para anunciar a novidade aos fãs. Com o novo estilo de vida, ‘Cachorro Louco’ não consome mais nenhum tipo de carne animal. De acordo com o veterano, que adotou o vegetarianismo há dez dias, seu objetivo é se tornar vegano – pessoa que ingere nenhum tipo de alimento derivado de animais, como ovos, leite e queijo. Caso realmente se torne vegano, Wanderlei não seria o primeiro lutador de renome a adotar o estilo de vida. Nate Diaz, um dos maiores astros do Ultimate, só consome alimentos de base vegetal e mantém o alto rendimento dentro dos octógonos. Portanto, uma dieta a base vegetal não afeta negativamente no desempenho de um atleta de alto nível, muito pelo contrário. De acordo com Silva, sua disposição aumentou significativamente desde que cortou o consumo de carne. “Um tempo atrás, o meu filho mostrou um documentário ‘The Game Changer’, que fala sobre veganismo. O documentário releva as grandes mentiras da alimentação carnívora que a sociedade impõe. No entanto, pesquisei um pouco por conta própria. Eu conversei com uma médica (a minha esposa), eu li artigos e vi a página da ‘Sociedade Vegetariana’, que mostra os benefícios do estilo de vida vegano. Então com todas as pesquisas que realizei, resolvi me tornar vegano e adotar o estilo de vida na minha rotina”, anunciou Wanderlei, antes de falar sobre os benefícios do novo estilo de vida. “Eu estou me sentindo bem melhor após as refeições, meu sangue está melhor do que nunca, eu estou tendo muita mais energia para meus treinos e em geral tendo uma melhoria na minha saúde! Eu não estou dizendo para vocês virarem veganos, mas eu peço que deem uma olhada na conta da ‘Sociedade Vegetariana’ para saber um pouco mais sobre este estilo de vida. Se tiverem tempo vejam o documentário ‘The Game Changer’ com a família, com certeza vai abrir a sua cabeça!”, completou o lutador brasileiro. Aos 43 anos, Wanderlei Silva não vive boa fase no MMA – são duas derrotas consecutivas no Bellator para Chael Sonnen e Quinton ‘Rampage’ Jackson, respectivamente. Já no fim de carreira, a nova dieta pode servir como uma forma de reacender o ímpeto competitivo do veterano brasileiro e encaminhá-lo de volta para a coluna das vitórias no esporte. https://agfight.com.br/wanderlei-silva-se-torna-vegetariano-e-celebra-mais-energia-para-meus-treinos/
  11. Dois anos longe do MMA, Mario Yamasaki revela aprendizado e aposta em volta ao UFC O último dia 3 de fevereiro marcou exatos dois anos desde a última vez que Mario Yamasaki arbitrou uma luta do UFC. O duelo entre Valentina Shevchenko e Priscila Cachoeira, em Belém, ficou marcado pelos duros golpes sofridos pela brasileira, que foi finalizada no segundo round diante do olhar do árbitro, que não interrompeu o massacre até ver o sinal de desistência da atleta. Criticado na época pelo presidente do Ultimate, Dana White, o brasileiro não foi mais escalado para arbitrar os shows da franquia e, dessa maneira, decidiu tirar umas férias – embora afirme que seu retorno às competições esteja próximo de acontecer. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o paulista, que atualmente mora em Washington (EUA) e trabalha na área de imobiliária local, admitiu que tem participado de cursos nos últimos meses para voltar em forma. Para mostrar que está apto a recomeçar a carreira, ele garantiu que basta pagar a anuidade da Comissão Atlética e realizar os exames médicos necessários, situações que pretende resolver em breve. Quando confirmar seu retorno oficialmente, o árbitro confia que, apesar da última imagem negativa, pode sim voltar a apitar lutas no Ultimate, sem qualquer represália da organização. “Creio que volte para o UFC, não tem porquê me barrarem. Acho que é questão de tempo, eu acho, né?! Mas não posso dizer por eles. Na minha opinião não tenho problema, mas depende deles. Trabalho para a Comissão Atlética. O que eles fizerem, eu aceito. A escolha de arbitragem é responsabilidade das Comissões Atléticas”, explicou. Um dos pioneiros a apitar lutas do Ultimate, Mario Yamasaki ganhou fama dentro da franquia. O brasileiro, inclusive, foi o responsável por estar à frente do “duelo do século”, entre Anderson Silva e Vitor Belfort, em 2011. E justamente por ter uma história dentro da organização, ele aposta que estará dentro do octógono novamente e não esconde a saudade disso. “Comecei no UFC antes de quase todos que estão lá, e só me trouxe alegrias, eu devo muito ao Ultimate e tudo o que ele me proporcionou. Conheci o mundo e o mundo me conheceu, que é o melhor. Estou super feliz e se não (for arbitrar) no UFC, existem outras organizações que posso arbitrar, sinto falta da adrenalina da luta”, justificou o brasileiro. De olho em voltar a arbitrar, Yamasaki também adiantou que vai buscar uma reaproximação com a CABMMA (Comissão Atlética Brasileira de MMA). A ideia do paulista é poder estar ativo em qualquer evento e mostrar que se reciclou neste tempo afastado. Por isso, afirmou que vai conversar com o diretor geral da Comissão para acelerar esse processo. “Ainda não tive a oportunidade de falar com a CABMMA, mas quero sentar com o Cristiano (Sampaio) e recomeçar a arbitrar de novo em todos os eventos que puder. Esse tempo parado deu para refletir bastante nos erros e acertos para sempre buscar a perfeição”, contou. https://agfight.com.br/dois-anos-longe-do-mma-mario-yamasaki-revela-aprendizado-e-aposta-em-volta-ao-ufc/
  12. Concordo com o ponto de vista do Khabib.
  13. Khabib critica UFC por escolha de Cerrone como rival de McGregor: “Plano funcionou” Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor nutrem uma rivalidade no UFC – Diego Ribas Khabib Nurmagomedov não faz questão de esconder de ninguém sua antipatia por Conor McGregor e sua discordância com a maneira como o Ultimate trata o ex-campeão peso-pena (66 kg) e peso-leve (70 kg). Em entrevista coletiva na Rússia para promover sua defesa de cinturão diante de Tony Ferguson no UFC 249, o russo criticou a escolha, por parte da organização, do último adversário de seu desafeto e insinuou que tudo fez parte de um plano para promover ‘Notorious’. No dia 18 de janeiro deste ano, Conor retornou aos octógonos após mais de um ano afastado e derrotou em apenas 40 segundos Donald ‘Cowboy’ Cerrone, na luta principal do UFC 246. A escolha do adversário do irlandês, assim como a facilidade encontrada por ele para finalizar o combate, foi alvo de críticas por parte de alguns fãs na internet, que chegaram a sugerir que toda a situação foi armada pela organização para facilitar o caminho de McGregor e aproximá-lo de uma revanche contra Khabib. Ainda que descarte a hipótese da luta ter sido ‘arrumada’, Nurmagomedov não poupou críticas a Cerrone e a entidade, por ter escalado o americano contra seu desafeto. “Uma grande organização com muita história não vai assumir riscos assim (luta ‘arrumada’). Se alguém descobrir que a luta estava arrumada, isso seria um golpe enorme para a reputação do UFC. Eles escolheram um bom oponente (para McGregor), no entanto, um oponente que nunca ganhou nada sério. Ele poderia continuar ganhando, e ganhando, e quando chegou a hora da grande luta, ele apenas desistiu porque ele é mentalmente fraco. É um circo bem organizado”, disparou Khabib, antes de comentar sobre os motivos que o levam a crer que o UFC escolheu Cerrone a dedo para encarar McGregor e recolocar o irlandês na corrida pelo title shot. “Eu estava baseando (meus comentários) em quão bem eles escolheram o oponente para seu retorno para empolgar as pessoas. Porque 90% das pessoas que assistem MMA não tem ideia sobre o esporte, elas apenas assistem e nem sabem os nomes. (…) Eles apenas assistem a luta, e o UFC trabalha muito bem com isso. Então, eles escolheram ele (Cerrone), e o plano deles funcionou, e as pessoas começara a falar novamente sobre a revanche e outras coisas. Cerrone perdeu sete de suas últimas dez lutas. Um homem que entra lá e perde sete vezes de dez, e ele é chamado de lenda? (…) Nós estamos falando sobre uma luta de possíveis desafiantes, sobre um possível desafiante, uma pessoa que tem que entrar lá e lutar por um título mundial. Existem outros lutadores que provaram a si próprios com seu status, com suas vitórias convincentes. Existem outros desafiantes, mas (o UFC) foi por outro caminho, um que é mais adequado para a mídia, para as pessoas, mas um que não faz sentido para os especialistas”, finalizou o campeão peso-leve (70 kg), de acordo com a tradução do site ‘RT Sport’. Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor já se enfrentaram em outubro de 2018, com vitória por finalização para o russo, que manteve seu cinturão da divisão até 70 kg do Ultimate. Todos os sinais apontam para que uma revanche ocorra no futuro próximo, já que até mesmo Dana White – presidente da liga – já se manifestou favorável a realização do segundo duelo entre ambos. Antes disso, o campeão dos leves defenderá seu título contra Tony Ferguson no dia 18 de abril, na luta principal do UFC 249. https://agfight.com.br/khabib-critica-ufc-por-escolha-de-cerrone-como-rival-de-mcgregor-plano-funcionou/
  14. Se a "SheShe" falou, ta falado............😍
  15. Campeã peso-mosca, Shevchenko revela exigência incomum em renovação contratual com o UFC Valentina Shevchenko derrotou Liz Carmouche no UFC Fight Night 156 – Leandro Bernardes Campeã do peso-mosca (57 kg) feminino do Ultimate desde dezembro de 2018, Valentina Shevchenko tinha uma exigência clara ao negociar a renovação de seu contrato com a entidade no início do ano passado: estar apta a competir em qualquer evento da franquia, mesmo os não numerados. A quirguistanesa – que coloca seu cinturão em jogo contra Katlyn Chookagian neste sábado (8), no co-main event do UFC 247 – buscava com isso se manter o mais ativa possível. Ciente da política da organização de reservar as disputas de título para shows com venda de pay-per-view, Valentina revelou, durante o media day do UFC 247, que o pedido teve raiz em sua natureza competitiva, que condiciona sua felicidade ao fato de lutar o máximo de vezes possível. Ainda que admita a importância do dinheiro e aceite o fato de ter maior retorno financeiro nos eventos numerados, a campeã ressaltou que seus gastos não são focados no consumismo exagerado, mas em experiências e conhecimento para si própria, que a façam evoluir. “Sou uma pessoa que quer competir com mais frequência e o máximo que eu puder. É por isso que quando eu assinei meu novo acordo com o UFC, uma das coisas que eu pedi foi para estar apta a competir não somente nos (eventos de) pay-per-view, mas também em eventos diferentes do UFC, para ser capaz de competir com mais frequência. Então, para mim, quanto mais eu competir, mais feliz eu estou”, revelou Shevchenko, antes de continuar. “Essa mentalidade vem de muito, muito longe. Eu cresci com essa ideia que não importa o que você esteja fazendo, o mais importante é a jornada e o que você aprende com isso. Claro que quando você recebe mais dinheiro é ótimo. O que eu acho sobre dinheiro é que ele te dá uma certa liberdade em suas ações. Eu não quero gastar dinheiro comprando carros, não quero gastar dinheiro comprando casas ou coisas. Eu quero gastar dinheiro nas minhas viagens, investir em mim mesma, aprender mais, conseguir mais conhecimento para explorar coisas novas”, explicou a atleta nascida no Quirguistão, de acordo com o site ‘MMA Junkie’. Como prova de que realmente não se importa em defender seu título em um evento numerado do Ultimate, Valentina fez sua última apresentação, contra Liz Carmouche, no UFC Fight Night 156, realizado em agosto do ano passado, no Uruguai, e, portanto, sem venda de pay-per-view. Neste sábado, Shevchenko encara a americana Katlyn Chookagian no co-main event do UFC 247, em busca de sua terceira defesa bem sucedida do cinturão peso-mosca feminino. https://agfight.com.br/campea-peso-mosca-shevchenko-revela-exigencia-incomum-em-renovacao-contratual-com-o-ufc/