SgtBlackStar

Membros
  • Content Count

    772
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About SgtBlackStar

Recent Profile Visitors

2137 profile views
  1. Maldonado estipula data de aposentadoria e revela negociações com Bare Knuckle Fábio Maldonado admitiu que pode se aposentar no fim de 2020 – Erik Engelhart Perto de completar 40 anos no dia 17 de março, Fábio Maldonado pode viver em 2020 seus últimos momentos na carreira profissional como lutador. No último sábado (29), o brasileiro foi derrotado por Carlos Takam, no Star Boxing Rocking Fights, na decisão dos jurados e, apesar do resultado negativo, ainda planeja continuar competindo e revelou ter planos até o fim deste ano, tanto no boxe, quanto no MMA – e até mesmo no boxe sem luvas. Porém, pela primeira vez, admitiu que sua vida ativa no esporte está perto do fim e estipulou uma data. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o brasileiro admitiu que, por ora, seu pensamento é se manter ativo até o fim de 2020. Porém, antes de pendurar as luvas oficialmente adiantou que no próximo dia 14 tem novo compromisso no MMA, diante de Pelu Adetola, no SBC 27, na Sérvia. Após esse combate, ele abre as portas para outros desafios. “Penso nisso todo dia (na data de aposentadoria). Queria lutar até morrer, mas não é possível, então temos que parar em algum momento. Não somos de ferro e acho que no fim desse ano eu paro. Em dezembro penduro as luvas. É o que acho no momento, posso mudar de ideia no meio do ano. Queria lutar umas seis vezes esse ano e parar”, revelou o atleta, antes de anunciar quais são seus planos para os próximos meses. “Agora tem muita coisa pela frente. Tem o Bare Knuckle FC, que estamos discutindo um valor, adversário, mais lutas de MMA aparecendo, luta de boxe com luvas também. Eu vivo disso. Não escolho lutas. Preferia um grande desafio de boxe com luvas, mas tenho que pegar o que aparece. Bom que não estou machucado, tomo minhas precauções”, completou. Sobre seu último compromisso, Maldonado valorizou a potência física de Carlos Takam. De acordo com o ex-atleta do Ultimate, seus adversários no boxe estão com níveis mais elevados do que da época em que estava ativo no MMA. Mesmo com análises e estudos antes dessa disputa, o brasileiro se surpreendeu com a velocidade do seu rival. “O cara era muito forte. Essas lutas de boxe estão muito difíceis, mais do que no MMA. Sinto que abalei ele em alguns momentos, mas está bem complicado. O cara tinha 116 kg, tem um físico impressionante. Muito rápido, forte, não parava de andar para frente.Eu já tinha visto umas lutas dele antes, mas achei que fosse pegar o tempo. Estava bem confiante, mas na hora vi que não achava o tempo certo para acertar um golpe com potência nele. Na hora vi o cara me batendo, eu tentando responder como dava e já pensei que a noite seria complicada. A gente sabe que o que está passando na hora”, explicou o ‘Caipira de Aço’. No MMA profissional desde 2000, Fabio Maldonado tem 25 vitórias e 14 derrotas na carreira. No Ultimate, o paulista teve um retrospecto de cinco triunfos e seis reveses. A última vez que atuou na modalidade foi em outubro de 2019, pelo Rizin, ao ser superado por Jiri Prochazka. https://agfight.com.br/maldonado-estipula-data-de-aposentadoria-e-revela-negociacoes-com-bare-knuckle/
  2. Yoel Romero revela curioso encontro com Khabib Nurmagomedov, então com 14 anos Yoel Romero disputa o cinturão do UFC neste sábado, contra Israel Adesanya – Diego Ribas De um lado, o terceiro do ranking dos pesos-médios (84 kg) do UFC: Yoel Romero, cubano de 42 anos. De outro, o atual campeão dos pesos-leves (70 kg): Khabib Nurmagomedov, russo de 31 anos. Com milhares de quilômetros de distância entre eles e diferentes trajetórias profissionais, seria de se esperar que os dois tivesse se conhecido apenas nos octógonos do maior evento de lutas do mundo. Porém, Romero surpreendeu ao revelar que seus caminhos se cruzaram bem antes, aproximadamente há 17 anos, no Daguestão. De acordo com o relato do cubano, ele teria treinado luta olímpica por três meses no Daguestão, República Autônoma da Rússia. O atleta afirmou que a capital, Makhachkala, é o melhor lugar do mundo para praticar a modalidade na qual ele é medalhista olímpico de prata nos Jogos de Sidney 2000. A julgar pelo retrospecto de Khabib no UFC, a teoria se confirma. Em entrevista coletiva, realizada em Los Angeles é registrado pelo site ‘MMA Fighting’, Romero explicou ter descoberto sobre a coincidência anos depois, quando o próprio Khabib lhe contou. “Me lembro da primeira vez que o vi, ele estava na minha primeira luta. Eu ganhei, ele falou: ‘Ei, Yoel, você lembra de mim?’. Eu disse: ‘Não, quem é você?’. Ele respondeu: ‘Meu nome é Khabib Nurmagomedov, eu te vi pela primeira vez quando você esteve no Daguestão, em uma grande competição. Eu tinha apenas 14 anos’. Eu falei: ‘Sério?’. Então, ele disse: ‘Agora estou aqui, sou um lutador do UFC’”, relatou o cubano, que o parabenizou em seguida. Neste sábado (14), Romero luta pelo cinturão dos médios contra Israel Adesanya, no UFC 248, evento programado para ser realizado na cidade de Las Vegas (EUA). Por sua vez, o peso-leve (70 kg) russo defenderá seu título contra o americano Tony Ferguson no dia 18 de abril, no bairro do BRooklyn, em Nova York. https://agfight.com.br/yoel-romero-revela-curioso-encontro-com-khabib-nurmagomedov-entao-com-14-anos/
  3. Anthony Joshua defende cinturões contra Kubrat Pulev em junho, na Inglaterra Atual campeão mundial peso-pesado por quatro das cinco principais organizações de boxe na atualidade – Associação Mundial de Boxe (WBA), Organização Mundial de Boxe (WBO), Federação Internacional de Boxe (IBF) e Organização Internacional de Boxe (IBO) -, Anthony Joshua já tem novo compromisso marcado. O pugilista inglês colocará seus títulos em jogo contra Kubrat Pulev, no dia 20 de junho, em Londres (ING). A informação foi confirmada pelo desafiante búlgaro em sua página oficial no ‘Facebook’. O evento vai acontecer no estádio do clube de futebol Tottenham Hotspur, que tem a capacidade de abrigar 62 mil pessoas. Anthony Joshua vem de vitória na revanche contra Andy Ruiz Jr, disputada em dezembro de 2019, quando recuperou seus cinturões ao superar por pontos o americano que o havia vencido seis meses antes. Por sua vez, Kubrat Pulev – desafiante obrigatório da Federação Internacional de Boxe (IBF) – não sabe o que é perder desde novembro de 2014, data na qual foi nocauteado pelo ucraniano Wladimir Klitschko, em seu único revés da carreira. Desde então, o boxeador búlgaro, conhecido como ‘The Cobra’, soma oito triunfos consecutivos. “Estou feliz por ter a oportunidade de mostrar ao mundo o quão forte eu realmente sou”, declarou Pulev na publicação em sua conta oficial no Facebook. Caso defenda com sucesso seus cinturões diante de Kubrat Pulev, Anthony Joshua pode ter pela frente o compatriota Tyson Fury, atual campeão do Conselho Mundial de Boxe (WBC), em uma possível unificação de títulos. Antes disso, Fury precisará superar novamente o americano Deontay Wilder em julho deste ano, no terceiro confronto entre os pesos-pesados. https://agfight.com.br/anthony-joshua-defende-cinturoes-contra-kubrat-pulev-em-junho-na-inglaterra/
  4. Mike Tyson chora ao relembrar passado: “Tenho medo do monstro que eu era” O mais jovem campeão mundial de boxe dos pesos-pesados. Prisões, violência, drogas e traumas. As marcas de uma carreira tão conturbada quanto brilhante ainda atormentam um dos maiores pugilistas da história, hoje com 53 anos. Na última quinta-feira (27), Mike Tyson desabafou em seu podcast ao relembrar seu passado. “Tenho medo do monstro que eu era”, assumiu o veterano sem conter suas lágrimas no programa ‘Hotboxin’ with Mike Tyson’, que foi acompanhado pelo ex-lutador ‘Sugar’ Ray Leonard. Apesar da gloriosa trajetória de 50 vitórias, 44 nocautes em 58 lutas, o último episódio deixou claro os traumas e os arrependimentos que um ex-boxeador pode carregar. Envolvimento desde cedo com drogas, três anos preso por estupro, perda de familiares próximos e suspensões no boxe, incluindo o famoso caso da mordida na orelha de Evander Holyfield, foram alguns dos possíveis motivos. “Esse cara está morto agora, mas não foi fácil. Ele não queria ir embora facilmente. Ele lutou, gritou, chorou e esperneou até morrer, sabe?”, descreveu o ex-lutador sobre seu “eu” do passado, que diz odiar e temer. Tyson falou sobre ter sido criado para o combate e que, agora que a época dos holofotes passou, ele se sente vazio, um “nada”. “Conheço a arte de lutar. Conheço a arte da guerra. Foi tudo que eu estudei. Por isso, tenho tanto medo. Por isso, eles tinham medo de mim no ringue. Eu era um assassino, eu nasci para isso”, declarou o ex-campeão. Sobre seu choro, algo não tão comum de se ver, ex-pugilista explicou que foi por não ser mais o cara que era antigamente. Ele declara ser um novo homem, após muitos arrependimentos. De acordo com ‘The Iron Man’, Leonard esteve ao seu lado em seu ápice, mas também mudou de vida, algo desafiador para Tyson. https://agfight.com.br/mike-tyson-chora-ao-relembrar-passado-tenho-medo-do-monstro-que-eu-era/
  5. Dana White condena uso de fantasia em luta de boxe: “Não faço essas m*** no UFC” Presidente do UFC critica Deontay Wilder por postura em disputa de cinturão – Diego Ribas Tudo bem entrar no ringue com fantasia de 18kg e afirmar ter perdido o cinturão dos pesos-pesados por isso? Para Dana White não. O presidente do UFC fez duras críticas à postura do boxeador Deontay Wilder, após entrada extravagante para disputa do título contra Tyson Fury no último dia 22 de fevereiro. O pugilista declarou ter ficado com as pernas cansadas por ter carregado esse peso do vestiário até o ringue e, por essa razão, teria sido derrotado por nocaute técnico, rompendo longa sua sequência de vitórias. White não perdoou a atitude de atleta e analisou o ocorrido para o site ‘TMZ Sports’, justificando ser por isso que não permite fantasias no UFC. “É por isso que eu não faço essas m*** no UFC. Eu não gosto disso. Não gosto de nada disso”, condenou o presidente da maior organização de MMA do mundo. “Se você pensar no boxe e nas lutas, quando os atletas estão se preparando, eles estão em volta. Estão descansando. Alguns caras dormem. Outros deitam e relaxam. Quando você se levanta, seu tempo acabou, você se aquece. Então, você põe alguma roupa para se manter aquecido. Você não põe todos esses adereços e outras coisas”, explicou o presidente do UFC sobre atitude de Wilder. Sobre a fantasia ter sido o motivo da derrota, White concordou estar relacionado. “Com certeza, (a fantasia) fez parte disso (a derrota) sim. Colocar uma roupa de 50 libras (aproximadamente 22 kg) e andar até o ringue para a luta do cinturão peso-pesado, você nunca viu ninguém fazer isso na história”, completou ele. Apesar das críticas ao americano, o presidente do UFC não desmereceu a atuação de Tyson Fury. Pelo contrário, ele enfatizou que o motivo da derrota do americano foi o fato do inglês ter executado uma estratégia impecável. White ainda se mostrou entusiasmado com os próximos passos de Fury, que até já cogitou lutar no MMA em algum momento da carreira. “Estou interessado no futuro do Tyson Fury em todos os esportes de combate. Estou empolgado para vê-lo, não importa aonde ele for. Se ele quiser lutar no UFC, eu irei amar. Estou empolgado para ver o que lhe aguarda no boxe”, afirmou White. https://agfight.com.br/dana-white-condena-uso-de-fantasia-em-luta-de-boxe-nao-faco-essas-m-no-ufc/
  6. Rose Namajunas revela motivo de ter recusado luta pelo cinturão do UFC em 2019 A americana Rose Namajunas já foi campeã do peso-palha do Ultimate – Leandro Bernardes Em maio de 2019, Rose Namajunas perdeu o cinturão do peso-palha (52 kg) do Ultimate, ao ser nocauteada por Jéssica ‘Bate-Estaca’ no segundo round da luta principal do UFC Rio. Após esse revés, a atleta admitiu que recusou uma nova disputa pelo cinturão e revelou o motivo de ficado alguns meses ausente das competições. A americana já tem compromisso marcado na franquia, quando reencontra sua última algoz, no UFC 249, dia 18 de abril. Em uma declaração ao podcast ‘UFC Unfiltered’, a ex-campeã da organização contou que precisou digerir com calma a derrota para a brasileira. Por isso, não estaria preparada para fazer uma nova luta valendo o cinturão, dessa vez contra Zhang Weili, pois focou em um trabalho psicológico e não teria tempo hábil de treinar como deveria. “Até me ofereceram o Weili na época, mas eu estava lidando com muitas coisas, apenas ajeitando a cabeça. Contratei um treinador mental que está me ajudando a fazer muitas coisas. Portanto, havia muito trabalho a ser feito”, revelou a americana. Namajunas voltou a lembrar o duelo contra ‘Bate-Estaca’. Inicialmente dominando o combate, a americana acabou surpreendida com um bate-estaca da adversária, que a levantou e jogou de cabeça no chão. Após isso, ela não teve condições de prosseguir no confronto. Essa foi sua primeira derrota desde 2016 no Ultimate. “Foi uma das minhas perdas mais difíceis para lidar. Acho que a parte mais fácil era que eu sabia exatamente tudo que fiz de errado. A parte mais difícil foi assumir a responsabilidade por mim mesmo, e talvez situações ao meu redor que eu não pudesse controlar e poderiam ter sido melhores. Mas eu poderia ter assumido o controle de muito mais coisas na minha vida. Assumir essa responsabilidade é a parte mais difícil de tudo”, contou. No Ultimate desde 2014, Rose Namajunas tem seis vitórias e três derrotas. Seu momento mais alto na organização aconteceu em 2017, quando derrotou Joanna Jędrzejczyk e conquistou o cinturão peso-palha. Na luta seguinte, a americana voltou a derrotar a polonesa, em sua defesa de título, mas depois foi superada por ‘Bate-Estaca’. https://agfight.com.br/rose-namajunas-revela-motivo-de-ter-recusado-luta-pelo-cinturao-do-ufc-em-2019/
  7. http://pt.glorykickboxing.com/events/badr-vs-benny:5f635c7c-34d3-4300-9862-6b0f45ca10f4 https://twitter.com/glory_brasil https://twitter.com/hashtag/BadrVsBenny?src=hashtag_click
  8. Ele tem uns golpes bem violentos e pode evoluir bastante ainda, acho que ele ficou um tempo parado, não lembro se por cirurgia, mas voltou bem. Agora! Ele esta em uma categoria complicada e no quesito altura, ele não é do maiores. Vai ter que aliar bastante a força dos golpes, com a técnica, mas, tem refinar ainda mais sua técnica. Acredito que, conciliando os dois, vai longe no Glory.
  9. ‘Borrachinha’ revela que vai ao UFC 248 para ver se Adesanya pode repetir seu feito Paulo ‘Borrachinha’ ainda não tem previsão de retorno ao Ultimate – Gaspar Bruno Neste sábado (7), Israel Adesanua vai para a sua primeira defesa de cinturão do peso-médio (84 kg) contra Yoel Romero, na luta principal do UFC 248. Mas tem outra pessoa que estará presente no evento e muito interessada no resultado final deste combate: Paulo ‘Borrachinha’. Ainda sem data para retornar ao octógono, se recuperando de uma cirurgia no bíceps, o brasileiro revelou que vai ao show para ver essa luta de perto. Antes de operar, ‘Borrachinha’ era o nome favorito para encarar o nigeriano pelo título, por isso, revelou a confiança que vai receber essa chance quando se recuperar e provocou o campeão. “Estarei lá para ver se Adesanya pode vencer Romero como eu fiz. Todo mundo quer ver isso, se ele pode vencer Romero ou não. Acredito que o próprio Adesanya sinta que precisa provar que também pode vencer Romero, por isso estarei lá assistindo”, disse o brasileiro. Com 28 anos, Paulo ‘Borrachinha’ tem um cartel de 13 vitórias e nenhuma derrota. Das cinco lutas que possui no Ultimate, o lutador recebeu três prêmios pela organização. Dois por ‘Performance da Noite’ e um com a ‘Luta da Noite’. A última vez que atuou foi em agosto de 2019, quando derrotou Yoel Romero por decisão dos jurados. https://agfight.com.br/borrachinha-revela-que-vai-ao-ufc-248-para-ver-se-adesanya-pode-repetir-seu-feito/
  10. Confiante, Anthony Smith revela estratégia para derrotar Glover no UFC Lincoln Anthony Smith vem de triunfo sobre Alexander Gustafsson no Ultimate – Diego Ribas No dia 25 de abril, no UFC Lincoln, acontece uma luta que pode definir rumos na categoria peso-meio-pesado (93 kg). Isso porque Anthony Smith, número três da classificação, encara Glover Teixeira, que ocupa o nono posto. Consciente do peso deste confronto, o americano destacou a confiança que vai somar mais um triunfo e até disse como e em que round será. Em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, o ex-desafiante ao título da divisão revelou que não vai deixar essa vitória nas mãos dos jurados. Segundo ele, sua estratégia é frustrar Glover durante o combate para ele se exponha e, dessa maneira, possa conseguir um nocaute ou finalização. “Acho que será no terceiro ou quarto round. Não tenho certeza se será um nocaute ou uma finalização, mas acho que, eventualmente, ele ficará frustrado e terá que começar a se expor mais. Se posso tirar vantagem disso com uma finalização ou um nocaute, não tenho certeza. Vai demorar um pouco”, disse o lutador, antes de elogiar o mental do brasileiro. “Glover é um cara durão, ele é esperto e está ativo no MMA há muito tempo. Vai demorar um pouco para quebrar um cara assim e mentalmente, ele é difícil de quebrar. Mas acredito que vou terminar essa luta”, completou o atual número três do ranking. Apesar de ter o foco no triunfo, Smith não deixou de exaltar a relação de amizade que possui com Glover. O americano elogiou a história do rival no esporte e relembrou situações em que encontrou com o brasileiro em momentos de lazer e ambos se trataram bem. “Ele é um dos mocinhos desse esporte e, especialmente nos dias de hoje, acho que alguns deles são uma raça em extinção. Ele sempre foi respeitoso comigo. Ele me ajudou muito no Brasil. Sempre que nos vemos, é um abraço, um aperto de mão e um abraço. A última vez que vi Glover, tomamos uma cerveja juntos”, revelou o americano. Anthony Smith não luta desde junho de 2019, em vitória sobre o sueco Alexander Gustafsson. O americano está com um retrospecto de quatro vitórias nas últimas cinco lutas. Já Glover Teixeira se apresentou pela última vez em setembro do ano passado, quando venceu Nikita Krylov. O brasileiro tem três vitórias consecutivas no Ultimate. https://agfight.com.br/confiante-anthony-smith-revela-estrategia-para-derrotar-glover-no-ufc-lincoln/
  11. Romero planeja nocautear Adesanya para evitar decisão dos juízes no UFC 248 Israel Adesanya fará sua primeira defesa de cinturão no UFC 248 – Pranay Dutt Com três derrotas – todas decididas por pontos – em suas últimas quatro pelejas, Yoel Romero aposta em não deixar que o resultado do duelo contra Israel Adesanya seja decidido nas papeletas dos juízes. Com o cinturão peso-médio (84 kg) em jogo, a luta principal do UFC 248 pode ser a última oportunidade do veterano de conquistar o título da organização, e, por isso, o cubano foca sua estratégia na exploração dos erros do campeão em busca de um triunfo por nocaute. O retrospecto negativo em suas mais recentes apresentações geraram debate quanto à sua escalação como desafiante ao título, mas Romero aponta para a discordância por parte de especialistas e fãs do esporte quanto ao resultado proferido pelos jurados em suas duas derrotas contra Robert Whittaker e também em seu último combate, diante de Paulo ‘Borrachinha’, quando foi superado por pontos igualmente. A fim de evitar uma nova decisão polêmica, ainda mais se considerarmos que o campeão normalmente possui uma maior benevolência por parte dos juízes, o cubano busca vencer o duelo contra Adesanya antes do final dos cinco rounds previstos. “É claro! Eu tenho que finalizar. Eu não quero ir com muita loucura, mas eu preciso finalizar a luta. Eu e meu time planejamos nocauteá-lo. Quando ele cometer um pequeno erro – boom”, revelou Yoel, antes de comentar sobre o retrospecto recente com mais derrotas do que vitórias. “Eu não estou pensando que perdi duas lutas (seguidas). Não estou pensando nisso. Não presto atenção nisso porque nós fazemos como antigamente. O melhor não quer lutar, mas precisa lutar com os melhores. Quando (Adesanya) diz algo como isso, eu não estou pensando no cartel. Eu não penso em nada, apenas quero enfrentar os melhores da divisão. (…) Eu não estou aqui porque alguém me deu alguma coisa. Eu trabalho muito duro. Eu venci a luta (contra Borrachinha), e a luta número dois com (Robert) Whittaker. É o que é – é isso que aconteceu”, declarou o cubano, ao site ‘MMA Junkie’. Além da disputa entre Israel Adesanya diante de Yoel Romero na luta principal, o UFC 248 terá em seu co-main event o duelo entre Zhang Weili e Joanna Jedrzejczyk, pelo título peso-palha (52 kg) da entidade. A chinesa, assim como o nigeriano, fará sua primeira defesa de cinturão após tê-lo conquistado em agosto do ano passado, com uma vitória sobre a brasileira Jéssica ‘Bate-Estaca’. https://agfight.com.br/romero-planeja-nocautear-adesanya-para-evitar-decisao-dos-juizes-no-ufc-248/
  12. Adesanya minimiza risco de infecção bacteriana impedir luta no UFC 248 Israel Adesanya é o atual campeão peso-médio (84 kg) do UFC – Diego Ribas Neste sábado (7), Israel Adesanya faz a primeira defesa do seu cinturão peso-médio (84 kg) do Ultimate ao encarar Yoel Romero na luta principal do UFC 248, em Las Vegas (EUA). Porém, uma imagem trouxe preocupação aos seus fãs a poucos dias do evento. Em recente entrevista ao canal do Youtube ‘Combat TV’, o campeão mostrou uma ferida aberta em seu braço esquerdo, que levou a especulação sobre uma possível infecção bacteriana por estafilococos, fato que poderia atrapalhar seu desempenho no combate ou até mesmo provocar o seu cancelamento. No entanto, na última segunda-feira (2), em entrevista à emissora americana ‘ESPN’, o nigeriano demonstrou tranquilidade com a situação. Apesar de admitir que tem sofrido com a infecção bacteriana em seu braço, Adesanya descartou qualquer possibilidade de não se apresentar na luta principal do UFC 248 neste sábado. O campeão ainda revelou, provavelmente em tom de brincadeira, que não apelou para o uso de antibióticos para tratar a condição, e que ela está se curando apenas com seu poder de mentalização positiva. “É apenas algo pequeno, um pequeno arranhão. Essa m*** acontece, mas tanto faz. Eu vou esfregar (a ferida) na cara dele quando for a hora”, brincou Israel, antes de ser questionado se a luta contra Romero corria risco de não acontecer por conta da infecção. “Nem pensar! Estou aqui, certo? Eu estou tentando ser pago. Eu tive malária umas oito vezes. Não sei mais o que eu tive. Você acha que (infecção por) estafilococos vai me f***? Eu nem tomei antibióticos, apenas disse: ‘Não’. Eu olhei para ela (ferida) e disse: ‘Não'”, declarou o campeão peso-médio do UFC. Invicto no MMA profissional após 18 combates, Israel Adesanya teve rápida ascensão no Ultimate, onde estreou em fevereiro de 2018. Com seis vitórias pela organização e em posse do cinturão interino dos médios, o nigeriano precisou de apenas dois rounds para nocautear o então campeão da divisão Robert Whittaker e garantir o título até 84 kg da liga, em outubro do ano passado. Como primeiro desafiante, ‘The Last Stylebender’, como é conhecido, terá pela frente o veterano Yoel Romero, de 42 anos, que vem de três reveses em suas últimas quatro lutas, mas ainda é considerado como um dos atletas mais perigosos da categoria. https://agfight.com.br/adesanya-minimiza-risco-de-infeccao-bacteriana-impedir-luta-no-ufc-248/
  13. @Eder Jofre55 @Farmaceutico @kachorro_loko @NEGO DÁGUA @Daniel Mendoza
  14. Trilogia entre Tyson Fury e Deontay Wilder é definida para 18 de julho, diz site Tyson Fury derrotou Deontay Wilder no segundo confronto entre eles – Diego Ribas Como era previsto, Deontay Wilder acionou a cláusula contratual que lhe garantia o direito a uma revanche imediata caso fosse derrotado por Tyson Fury no último dia 22 de fevereiro. E, de acordo com Bob Arum, CEO da Top Rank, em declaração ao site do periódico ‘Los Angeles Times’, a terceira luta da trilogia entre os pesos-pesados deve acontecer no próximo dia 18 de julho, no ‘MGM Grand Garden’, em Las Vegas (EUA). Arum, um dos responsáveis por gerenciar a carreira de Tyson Fury, revelou ainda que recebeu o comunicado por parte da equipe de Wilder, confirmando que o americano exerceria o direito de solicitar a revanche, na última sexta-feira (28). Após o primeiro combate entre eles terminar empatado, os pesos-pesados assinaram um contrato com uma cláusula bilateral que dava ao perdedor do segundo duelo uma janela de 30 dias para acioná-la e garantir a realização da terceira peleja em julho. Com o triunfo categórico do pugilista inglês por nocaute técnico no sétimo round, e consequente conquista do título mundial do Conselho Mundial de Boxe (WBC), Deontay não perdeu tempo e optou por assegurar rapidamente sua tentativa de recuperar o cinturão. “Nós recebemos uma carta do time de Wilder na noite de sexta-feira, e nós concordamos com as emissoras (responsáveis pela transmissão) e com o hotel que 18 de julho era a data ideal. Nós tivemos uma promoção perfeita na última vez com Al Haymon, PBC (Premier Boxing Champions) e a Fox. Estamos ansiosos para trabalhar com eles novamente”, declarou Bob Arum, antes de comentar sobre o pleito aparentemente feito por ele para o combate acontecer em uma data mais avançada no calendário, mas rejeitado pelas outras partes da negociação. “Se existisse uma razão grandiosa para mover a data, e isso fizesse sentido financeiramente falando, eu acho que ninguém ligaria se a luta acontecesse (depois do dia 18 de julho). Eu não culpo Wilder por pegar a revanche imediatamente e lutar novamente no verão (nos EUA), ao invés de se consumir por meses sobre a derrota”, concluiu o CEO da Top Rank. A trilogia entre Tyson Fury e Deontay Wilder será a primeira de grande relevância entre pesos-pesados neste século, mas passa longe de ser algo inédito na história do boxe. Talvez o grande exemplo de rivais que se enfrentaram em três oportunidades na categoria seja o de Muhammad Ali e Joe Frazier na década de 1970, que teve no placar final duas vitórias para Ali e uma para Frazier. https://agfight.com.br/trilogia-entre-tyson-fury-e-deontay-wilder-e-definida-para-18-de-julho-diz-site/