SgtBlackStar

Membros
  • Content Count

    906
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About SgtBlackStar

Recent Profile Visitors

2359 profile views
  1. Weidman confirma contrato assinado e festeja chance de encarar novamente Hall Após encerrar uma sequência negativa de duas derrotas no UFC e derrotar Omari Akhmedov, em agosto deste ano, Chris Weidman agora terá um novo desafio pela frente. O ex-campeão do peso-médio (84 kg) do Ultimate vai ter a oportunidade de encarar novamente Uriah Hall, no dia 13 de fevereiro, pela edição número 258 do show. Em 2010, os dois fizeram um combate pelo Rings of Combat, com triunfo do ‘All American’. Através das suas redes sociais (clique aqui e aqui ou veja abaixo), Weidman confirmou a assinatura de contrato para o combate e comemorou a chance de fazer um novo duelo diante de Hall, agora com os dois atletas em diferentes fases na carreira. Na ocasião do primeiro embate, o ex-campeão do UFC só tinha duas lutas na carreira profissional no MMA, enquanto o jamaicano quatro e ambos os lutadores ainda estavam invictos. “Contrato assinado e entregue! No dia 13 de fevereiro vou lutar contra o Uriah Hall, mais uma vez. Lutamos há mais de dez anos no Ring Of Combat com os dois com suas carreiras invictas, na época. Agora estamos fazendo isso de novo dez anos depois, no maior palco do mundo: UFC. Nossas carreiras seguiram rumos diferentes, mas nossos caminhos se cruzaram novamente. Sempre achei que um dia voltaríamos a lutar. Muito animado para isso”, escreveu o lutador que defende a bandeira do UFC desde 2011. Weidman sagrou-se campeão do UFC em 2013, quando nocauteou o até então invencível no UFC, Anderson Silva. O americano ainda manteve o título em três defesas seguidas – em revanche contra ‘Spider’ e lutas contra Lyoto Machida e Vitor Belfort – mas depois viu sua boa fase se encerrar. Em 2015, ele perdeu o título para Luke Rockhold e, após esse duelo, venceu Kelvin Gastelum e acumulou reveses para Yoel Romero, Gegard Mousasi, Ronaldo ‘Jacaré’ e Dominick Reyes, até se recuperar e bater Omari Akhmedov. No MMA profissional desde 2005, Uriah Hall vive seu melhor momento no Ultimate. Após estrear em 2013 na organização, o jamaicano agora engatou uma sequência de três vitórias seguidas, sobre Bevon Lewis, Antônio ‘Cara de Sapato’ e Anderson Silva, esta última no dia 31 de outubro. Na sua carreira, o atleta possui 16 triunfos e nove reveses. https://agfight.com/noticias/weidman-confirma-contrato-assinado-e-festeja-chance-de-encarar-novamente-hall/
  2. Presidente do PFL exalta história de Werdum e celebra contratação do brasileiro Após se despedir do UFC, em julho deste ano, Fabrício Werdum iniciou uma série de negociações para onde iria se apresentar no decorrer de sua carreira. Na última semana, o brasileiro bateu o martelo e fechou contrato com o PFL, liga que promove um torneio em suas respectivas categorias que dá ao vencedor o prêmio de de um milhão de dólares (cerca de R$ 5,4 milhões). Quem comemorou o acerto foi Ray Sefo, presidente da liga. Em entrevista ao site ‘Fight Sports’, o mandatário da franquia exaltou a história de Werdum e o que ele pode acrescentar para o PFL. O dirigente ainda deu detalhes de como foi o processo de negociação e adiantou que a empolgação do brasileiro em continuar atuando em alto nível foi decisivo para acelerar o acerto de contrato, pois sabia que o Bellator e o ONE Championship também estavam de olho no ‘Vai Cavalo’. “A história e o currículo de Werdum falam por ele. Ele enfrentou todos e foi o primeiro cara a vencer Fedor (Emelianenko). Ele também venceu outros ex-campeões e também foi campeão do UFC. Quando começamos a conversar com seu empresário, que disse que ele estava procurando por algo diferente, que o deixasse animado para continuar lutando. Uma das minhas perguntas foi o quão bem ele se sente? Werdum está com 43 anos e não sabia quanto tempo pretendia lutar. A resposta do Werdum foi que ainda tem de quatro a cinco anos bons no ringue. Ok, vamos fazer alguma coisa”, disse. Aos 43 anos, Fabrício Werdum está no MMA profissional desde 2002 e soma 24 vitórias, nove derrotas e um empate em seu cartel. Seu grande momento na carreira aconteceu em 2015, quando conquistou o cinturão linear do UFC ao finalizar Cain Velásquez. https://agfight.com/noticias/presidente-do-pfl-exalta-historia-de-werdum-e-celebra-contratacao-de-brasileiro/
  3. Poirier pede para que luta com Conor seja por título do UFC caso Khabib não volte Dustin Poirier segue atento as notícias envolvendo a aposentadoria de Khabib Nurmagomedov. Apesar do russo confirmar que segue com sua decisão de não lutar mais, Dana White, presidente do UFC, insiste que o lutador irá retornar ao octógono para defender o título do peso-leve (70 kg). Desta forma, o europeu continua com o título e a categoria fica em compasso de espera. No próximo dia 23 de janeiro, Poirier faz uma revanche contra Conor McGregor no duelo principal do UFC 257, em evento programado para Abu Dhabi (EAU). De acordo com o lutador, em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, a organização deveria promover esse combate pelo cinturão da divisão caso Khabib mantenha sua palavra e permaneça aposentado. “Acho que se Khabib se aposentar e não voltar, então sou o próximo na linha de disputa pelo título, e essa pode ser a luta pelo título. Essa luta poderia ser pelo cinturão linear. Eu acho que isso faria sentido. Dana está dizendo uma coisa, Khabib está dizendo outra. Quem sabe qual é a verdade? O tempo vai dizer.”, disse o americano, antes de completar. “Eu quero o cinturão linear. Não acho que nessa situação um cinturão interino faça muito sentido. Mas se o título não está em jogo para essa luta com Conor, vai ser a próxima luta. Depois de vencer o Conor, minha próxima luta será pelo cinturão, se não for essa agora”, finalizou o atual número dois do ranking do peso-leve. Com 26 vitórias, seis derrotas e um “No Contest” (luta sem resultado) em sua carreira, Dustin Poirier já teve a chance de ser campeão linear dos leves, mas foi finalizado por Khabib Nurmagomedov, em setembro de 2019. Antes desse confronto, o lutador havia derrotado Max Holloway e conquistado o cinturão interino da categoria por pontos. Em sua última apresentação, em junho deste ano, o lutador superou Dan Hooker, por pontos. https://agfight.com/noticias/poirier-pede-para-que-luta-com-conor-seja-por-titulo-do-ufc-caso-khabib-nao-volte/
  4. Ngannou admite frustração por ‘perder’ auge da carreira à espera de luta por título Apesar de ser o favorito para disputar o cinturão do peso-pesado contra o atual campeão Stipe Miocic, Francis Ngannou está na bronca com o Ultimate. O motivo é a indefinição de uma data para ele lutar pelo título, além da falta de uma sequência de apresentações na categoria – o que deixa os atletas do topo da divisão parados por longo períodos. Em entrevista ao programa ‘Morning Kombat’, o atual número um do ranking dos pesados admitiu que às vezes lhe falta motivação por não saber quando vai se apresentar novamente. A última vez que o camaronês atuou foi em maio deste ano e, até o momento, não existe uma posição oficial do UFC de quando ele vai encarar Miocic. “Minha posição é muito complicada. Vivo o meu auge e estou perdendo tempo sem lutar, então é meio frustrante. Temos que conseguir algo que nos motive, ganhar dinheiro e lutar. Às vezes, quando você acorda, é muito difícil ir para a academia e treinar porque você precisa dessa motivação. Tipo, ‘OK, estou treinando, mas para quê? Quando vou lutar?’ Eu não sei. Então você não tem ideia de nada e é difícil encontrar motivação”, disse, antes de concluir seu raciocínio. “Se as coisas estivessem mudando, isso não seria um problema. Muitas divisões têm três ou quatro defesas de título por ano. Estamos falando de uma divisão onde há uma defesa de título por ano, então isso dá complica a vida para os desafiantes. Lutamos e não muda nada. O que eles devem fazer é encontrar uma maneira de fazer a divisão avançar novamente, porque agora está travada”, completou Francis Ngannou vive grande momento no Ultimate, com quatro vitórias seguidas, sendo todas por nocaute no primeiro round. A última aconteceu em maio desse ano, quando superou Jairzinho Rozenstruik. Em janeiro de 2018, o camaronês encarou Miocic pelo título da categoria, mas acabou superado na decisão unânime dos juízes. https://agfight.com/noticias/ngannou-admite-frustracao-por-perder-auge-da-carreira-a-espera-de-luta-por-titulo/
  5. ONE Championship engrossa lista de eventos que descartaram contratar Anderson Silva Depois que Anderson Silva fez sua última apresentação pelo UFC, em outubro deste ano, e em seguida revelou que pretendia continuar lutando MMA, a expectativa era a de que o brasileiro recebesse ofertas de diversas ligas almejando sua contratação. No entanto, o cenário não é bem o esperado e o atleta segue sem uma nova casa. Após o Bellator e o PFL rechaçarem a contratação do ex-campeão dos médios (84 kg) do UFC, outra franquia também adiantou que não vai procurar pelos serviços do brasileiro. Chatri Sityodtong, presidente do ONE Championship, apesar de confessar sua admiração por Anderson Silva, descartou completamente a chance da organização tentar um vínculo com o atleta através de um comunicado enviado ao site ‘Fightful’, Depois que Anderson Silva fez sua última apresentação pelo UFC, em outubro deste ano, e em seguida revelou que pretendia continuar lutando MMA, a expectativa era a de que o brasileiro recebesse ofertas de diversas ligas almejando sua contratação. No entanto, o cenário não é bem o esperado e o atleta segue sem uma nova casa. Após o Bellator e o PFL rechaçarem a contratação do ex-campeão dos médios (84 kg) do UFC, outra franquia também adiantou que não vai procurar pelos serviços do brasileiro. Chatri Sityodtong, presidente do ONE Championship, apesar de confessar sua admiração por Anderson Silva, descartou completamente a chance da organização tentar um vínculo com o atleta através de um comunicado enviado ao site ‘Fightful’, “Sou um grande fã de Anderson. Sem dúvida, ele foi um dos melhores da história. Dito isso, a segurança do atleta é prioridade número um no ONE. Por isso, não iremos procurar seus trabalhos. Desejo a Anderson muita felicidade e sucesso em tudo que faça daqui para a frente”, afirmou o presidente da organização asiática. Anderson Silva acumula um cartel de 34 vitórias, 11 derrotas e um ‘no contest’ (luta sem resultado) em mais de 23 anos de carreira. De 2006 a 2013 o brasileiro foi soberano no peso-médio do UFC, com dez defesas de cinturão seguidas. Porém, o recente retrospecto do atleta não é um dos melhores. Nas últimas nove lutas que disputou, ‘Spider’ foi derrotado sete vezes, com sua única vitória em 2017, diante de Derek Brunson. https://agfight.com/eventos-internacionais/one-championship-engrossa-lista-de-eventos-que-descartaram-contratar-anderson-silva/
  6. Dana White reconhece erro e presenteia Deiveson Figueiredo com 50 mil dólares Depois de não ser eleito como um dos merecedores dos prêmios bônus do card do UFC 255, evento realizado no último sábado (21), Deiveson Figueiredo não escondeu sua decepção. Ainda na coletiva ao final do show, o campeão peso-mosca (57 kg) chegou a colocar sua luta do próximo dia 12 de dezembro em xeque caso não recebesse uma compensação financeira. E ela não demorou a chegar. Na última terça-feira, Wallid Ismail, empresário do atleta, registrou o momento em que eles conversaram com Dana White na sede do evento, na cidade de Las Vegas (EUA). Nas imagens divulgadas nas redes sociais do manager, é possível ver uma sacola com a logomarca do UFC e, dentro dela, uma bloco recheado com notas de cem dólares. “Eu me atrapalhei, eu cometi um erro”, admitiu Dana White, sorrindo, ao relembrar que Deiveson não recebeu a quantia de 50 mil dólares destinada aos atletas que merecedores dos prêmios bônus. De acordo com apuração da reportagem da Ag Fight, o atleta recebeu em mãos do presidente da organização exatamente os 50 mil dólares pedidos como reparação do erro. Desta forma, Deiveson agora pode treinar tranquilamente para liderar o card do UFC 256, no dia 12 de dezembro, quando defende seu título contra o mexicano Brandon Moreno. https://agfight.com/noticias/dana-white-reconhece-erro-e-presenteia-deiveson-figueiredo-com-50-mil-dolares/
  7. Patrício ‘Pitbull’ alfineta ‘haters’, celebra longevidade e diz: “Quero bater recordes” No último dia 12 de novembro, Patrício ‘Pitbull’ somou mais um triunfo na carreira dentro do cage do Bellator. Pelas quartas-de-final do GP do peso-pena (66 kg), o brasileiro nocauteou Pedro Carvalho e avançou para a fase seguinte, quando agora encara Emmanuel Sanchez, ainda sem data definida para acontecer. Mas apesar de ser um dos lutadores mais dominantes da organização, o potiguar teve que lidar com desconfianças. Antes do seu último compromisso, o nome do português foi alçado à posição de grande desafio para colocar fim ao reinado de Patrício. Mas o que se viu foi mais uma atuação soberana do campeã, com um nocaute logo no round inicial. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, questionado sobre esse tipo de pressão que o acompanhar na carreira, o lutador foi direto e agora adiantou que vê mais valorização do seu trabalho. “Todo mundo me subestima e quando provo que estão errados aí dizem que o cara era fraco. É uma mudança rápida (risos). Estou focado no meu. Parei de pensar em ranking e o que os fãs casuais estão pensando. O reconhecimento agora parece que veio. Mas bato nessa tecla faz anos. Estou lutando em alto rendimento faz anos. Perdi alguns combates, mas tenho dez anos de Bellator. Mas é difícil algum lutador se manter no auge há tanto tempo assim”, disse o campeão do Bellator, antes de completar seu raciocínio. “Outra coisa é que eu me coloco em situação de risco. Eu não precisaria entrar no GP e entrei. Tem vários caras novos lá que pode me trazer guerras. Se eu quero mostrar que sou o melhor, tenho que entrar nesse GP e não posso ficar de fora. Quero entrar no meio e bagunçar todos eles”, concluiu o atleta que não perde há mais de quatro anos. Único lutador da atualidade na organização a possuir dois cinturões, de maneira simultânea, na organização, ‘Pitbull’ mira mais feitos históricos. Atualmente com 33 anos, o brasileiro sabe que está na reta final de carreira, mas nada que impeça a sua motivação. De acordo com o atleta, sua meta é deixar recordes no Bellator. “Quero reformular o que fiz no Bellator. Eu bati em três gerações. Devo estar na quarta ou quinta. Quero limpar de novo. Subir, defender o peso-leve e se tiver tempo, lutar pelo peso-galo também. Mas não sei se vou ter tempo por causa da pandemia. Quero bater recordes para deixar bem distante e ninguém conseguir quebrar”, adiantou. Para manter seus planos e seguir como campeão duplo, Patrício agora vai ter um velho conhecido pela frente: Emmanuel Sanchez. Os dois se enfrentaram em novembro de 2018, com triunfo do brasileiro por decisão unânime. Apesar de mais de dois anos de diferença, o potiguar afirmou que não espera nada de diferente do rival para superá-lo e chegar na decisão do torneio, para encarar AJ McKee, já garantido na final. “Apesar de já ter enfrentado ele, cada luta é um capítulo diferente e muitas coisas podem acontecer. Ele lutou agora, parecia que estava mais a vontade, bem dinâmico. Apesar dele não ter punch, ele é um cara que aguenta muita pancada e não cansa. Ele é mais um que já enfrentei. Vi a luta dele agora e ele não trouxe nada de diferente e vou querer acabar a luta agora. Nocautear mais rápido. Quero passar bem para a final”, explicou. No MMA profissional desde 2004, Patrício ‘Pitbull’ chegou no Bellator em 2010 e ganhou destaque mundial. Na organização, o brasileiro soma 19 vitórias e quatro derrotas. Além disso, ele é o dono dos cinturões dopeso-pena e peso-leve (70 kg) da franquia. https://agfight.com/entrevistas/patricio-pitbull-alfineta-haters-celebra-longevidade-e-diz-quero-bater-recordes/
  8. Algoz de ‘Shogun’ no UFC 255 mira duelos contra Johnny Walker e Glover Teixeira Após nocautear Maurício ‘Shogun’ no último sábado (21), pelo UFC 255, Paul Craig agora mira voos mais altos dentro da categoria dos meio-pesados (93 kg) da organização. Por isso, o atual número 15 do ranking da divisão pediu uma oportunidade diante de um dos dez melhores colocados da categoria e citou alguns nomes preferidos. Em coletiva de imprensa após o evento, Craig, que foi derrotado pela última vez no Ultimate em junho de 2019 por Alonzo Menifield, ressaltou que mostrou seu verdadeiro valor na divisão com seguidas vitórias. Desta maneira, o europeu analisou com bons olhos um possível duelo diante de Johnny Walker, número nove do ranking, e chegou a cogitar um combate contra Glover Teixeira, número um da lista. “Meu estilo de luta casa bem contra qualquer um no top 10 pela minha habilidade no grappling. Atletas como Johnny Walker são boas lutas para mim. Ele é explosivo, selvagem, mas comete erros que eu poderia aproveitar. Também tem (Misha) Cirkunov, que sempre faz grandes apresentações. Também tem o Glover. Tirei ‘Shogun’ do jogo, será que conseguiria eliminar outra lenda?”, deixou no ar o escocês. Paul Craig vive seu melhor momento desde que estreou no Ultimate, em 2016. Atualmente o escocês não sabe o que é derrota há quatro combates, com vitórias sobre Vinicius ‘Mamute’ e Gadzhimurad Antigulov. Além desses dois triunfos, o escocês teve dois combates diante de ‘Shogun’, com um empate e um resultado positivo. https://agfight.com/entrevistas/algoz-de-shogun-no-ufc-255-mira-duelos-contra-johnny-walker-e-glover-teixeira/
  9. Perto de cinturão do UFC, Glover Teixeira celebra conquista da cidadania americana Atualmente, Glover Teixeira tem muitos motivos para comemorar. Em grande fase na carreira, com cinco vitórias seguidas no UFC e no posto de número um do ranking dos meio-pesados (93 kg), o lutador está perto de conseguir mais uma chance de disputar o cinturão da categoria. Mas fora do octógono, brasileiro também festejou outro feito. Nesta segunda-feira (23), Glover divulgou nas redes sociais (clique aqui ou veja abaixo) que obteve a cidadania americana. O atleta natural de Sobrália (MG), que atualmente mora em Connecticut (EUA), destacou seu sentimento em conseguir esse status. “Hoje estou muito feliz. Peguei minha cidadania americana e estou muito orgulhoso de representar esses dois países: Brasil e EUA”, escreveu o lutador do Ultimate. Anos atrás, Glover entrou pela primeira vez nos EUA de forma ilegal. No país, ele começou a treinar artes marciais até chegar o MMA. No entanto, prestes a assinar com o UFC, o atleta precisou retornar ao Brasil para regularizar sua situação antes de passar a competir no octógono mais famoso do mundo. Aos 40 anos, Glover Teixeira compete no MMA profissional desde 2002 e acumula 32 vitórias e sete derrotas em sua carreira. O brasileiro vem em grande momento no UFC e enfileirou vitórias sobre Anthony Smith, Nikita Kylov, Ion Cutelaba, Karl Roberson e Thiago ‘Marreta’ em sequência. O mineiro não é derrotado há mais de dois anos, quando foi superado por Corey Anderson, por decisão dos jurados, em junho de 2018. https://agfight.com/noticias/perto-de-cinturao-do-ufc-glover-teixeira-celebra-conquista-da-cidadania-americana/
  10. Em recuperação de cirurgia no quadril, Ben Askren cogita abandonar aposentadoria Em novembro de 2019, Ben Askren anunciou sua aposentadoria do MMA profissional, após passar por uma má fase no UFC. O ex-campeão meio-médio (77 kg) do Bellator e do ONE Championship teve uma curta e frustrante passagem pelo Ultimate, acumulando uma vitória e duas derrotas. No entanto, os resultados negativos não foram os únicos motivos que levaram o americano a pendurar as luvas: na época, ele revelou que precisaria colocar uma prótese no quadril através de procedimento cirúrgico. Um ano depois, em recuperação da cirurgia, o ex-atleta admitiu a possibilidade de lutar novamente no futuro. Em entrevista ao programa ‘What the Heck’ do site ‘MMA Fighting’, Ben contou que ao explorar as opções com os médicos, descobriu que não precisaria fazer a cirurgia que estava programada inicialmente, que seria uma substituição completa do quadril. Ao invés disso, ele fez um procedimento chamado ‘Birmingham hip’ que, de acordo com seu relato, o livrou de toda a dor que o incomodava há anos. “Eu diria: ‘Nunca diga nunca’. Acho improvável, mas vou lutar wrestling no próximo ano. Não uma luta da ‘WWE’ (telecatch), uma luta real. Preciso de um motivo para treinar e ficar em forma, não subo em uma balança desde que lutei contra Demian Maia, há mais de um ano. Se eu não tenho um bom motivo para subir na balança, não entro em forma e sei que isso não é bom para a minha saúde. Agora, a única coisa que posso fazer com o meu quadril é andar de bicicleta, mas me dê mais alguns meses e eu poderei começar a subir no tatame. Definitivamente, vou tentar conseguir algumas lutas de wrestling no próximo ano apenas para ter um motivo para ficar em forma”, revelou Ben antes de dar mais detalhes de como está se sentindo após a cirurgia. “Não sinto dor, mas havia um monte de outras coisas, eu tinha todos os tipos de problemas nas costas. No dia seguinte à cirurgia, simplesmente desapareceu. Foi louco. Eu não estava esperando isso. Eu achava que tinha um problema nas costas porque lutei minha vida inteira e, na manhã seguinte à cirurgia, acordei e minha dor nas costas havia sumido. Achei que talvez fosse porque estava tomando analgésicos, mas nunca mais voltou. Essa é uma das razões pelas quais eu estava animado com esta cirurgia específica, porque se você fizer a substituição completa do quadril, você não fará me*** nenhuma depois. Você não pode correr, não pode lutar, você está fora de tudo. Com a cirurgia que fiz, devo estar bem depois de um ano”, finalizou. Após mais de dez anos no MMA profissional, Ben Askren finalizou sua carreira com 19 vitórias e apenas duas derrotas, justamente em seus dois últimos combates no UFC. Em sua última apresentação, o americano foi finalizado por Demian Maia, em outubro de 2019. Antes de migrar para as artes marciais mistas, o lutador conquistou dois títulos nacionais universitários no wrestling, além de ter participado das Olimpíadas de Pequim, em 2008, pela modalidade. https://agfight.com/noticias/em-recuperacao-de-cirurgia-no-quadril-ben-askren-cogita-abandonar-aposentadoria/
  11. Petr Yan revela que problemas com o visto o forçaram a sair do UFC 256 Ag. Fight – Agência de notícias SIGA-NOS Escalada para encabeçar o UFC 256, em 12 de dezembro deste ano, a disputa do cinturão dos pesos-galos (61 kg) entre Petr Yan e Aljamain Sterling foi retirada do card por problemas pessoais do russo. De acordo com o site ‘RT Sports’, na última segunda-feira (23), o campeão revelou através de uma transmissão ao vivo em sua conta do ‘Instagram’ os motivos que o fizeram ser forçado a sair do evento. A edição está marcada para acontecer em Las Vegas (EUA) e, de acordo com o russo, o seu corte foi motivado por problemas com a retirada do visto americano. Ele ainda revelou que o duelo será realocado para o início de 2021. Os promotores do show rapidamente trabalharam para salvar o card e selaram um acordo verbal com Deiveson Figueiredo e Brandon Moreno para assumirem o protagonismo do evento. O brasileiro voltará à ação pouco mais de 20 dias depois de sua primeira defesa de título, algo inédito dentro da companhia. “Tudo está em curso para a luta. Vai ser adiada por cerca de um mês e meio, mas está tudo em ordem. Tiveram diferentes problemas, com o voo, com o visto, durante o treinamento eu voei para um prazo de visto, muitos fatores. Decidimos com a equipe transferir tudo para o próximo ano, talvez o card seja mais adequado. No passado, podia voar para uma luta sem pensar em nada, podia correr riscos. Agora eu preciso fazer tudo certo, para que depois não falem: ‘Isso não estava certo, aquilo não estava certo’”, declarou Petr em sua ‘live’, de acordo com tradução do russo para o inglês do site. Além desta baixa, o UFC 256 também viu outra disputa de título ser retirada de seu card. Inicialmente, a campeã de duas categorias do Ultimate, Amanda Nunes estava escalada para defender seu cinturão dos pesos-penas (66 kg) contra Megan Anderson, mas o duelo também foi retirado após a brasileira sofrer uma lesão que ainda não foi detalhada. No último mês de julho, Petr Yan derrotou José Aldo por nocaute técnico, no UFC 251, e conquistou o cinturão dos galos, que estava vago desde a aposentadoria do ex-campeão Henry Cejudo, em maio deste ano. Ainda invicto no Ultimate após sete combates disputados, o russo soma, ao todo em sua carreira, 15 vitórias e apenas uma derrota. https://agfight.com/noticias/petr-yan-revela-que-problemas-com-o-visto-o-forcaram-a-sair-do-ufc-256/
  12. Rival parte para cima de ‘Shogun’ em única encarada tensa para o UFC 255 Como na primeira vez que estiveram frente a frente, o clima entre Maurício ‘Shogun’ e Paul Craig voltou a esquentar. Após a pesagem oficial do UFC 255, evento que será realizado neste sábado (21), em Las Vegas (EUA), aconteceram as clássicas encaradas entre os atletas. E o brasileiro e seu rival protagonizaram o encontro mais tenso do dia. Em novembro de 2019, na pesagem do UFC São Paulo, ‘Shogun’ e Craig já fizeram uma encarada que chamou a atenção, principalmente pela postura do europeu. Um ano depois, o escocês repetiu a atitude. Assim que o brasileiro foi chamado, Paul partiu para cima e o ex-campeão dos meio-pesados não recuou, embora tenha ameaçado reclamadar de sua atitude aos abrir os braços, pouco depois de serem separados por membros da organização. Assim que a encarada entre eles terminou, foi a vez de ‘Shogun’ mandar um alerta ao adversário. O brasileiro segurou o braço direitou de Craig e avisou: “Eu te vejo amanhã”. Vale ressaltar que o primeiro embate entre os dois terminou empatado, então este combate é tratado como uma espécie de ‘acerto de contas’, já que os lutadores demonstraram insatisfação com o resultado e pediram por uma revanche. ‘Shogun’ venceu cinco de suas últimas sete lutas. O ex-campeão dos meio-pesados teve importantes vitórias sobre Corey Anderson, Gian Villante e Tyson Pedro, somente sendo superado por Anthony Smith. Na sua mais recente atuação, o brasileiro venceu Rogério ‘Minotouro’, no dia 25 de julho, por decisão dividida dos jurados. Por outro lado, Paul Craig vive seu melhor momento desde que estreou no Ultimate, em 2016. Atualmente o escocês não sabe o que é derrota há três combates, com vitórias sobre Vinicius ‘Mamute’, empate com ‘Shogun’ e o mais recente triunfo diante de Gadzhimurad Antigulov no mesmo evento em que seu próximo rival atuou. https://agfight.com/noticias/rival-parte-para-cima-de-shogun-em-unica-encarada-tensa-para-o-ufc-255/
  13. ‘Formiga’ admite surpresa com demissão do UFC e prega cautela para definir futuro Após mais de oito anos atuando pelo UFC, Jussier ‘Formiga’ não faz mais parte do elenco de atletas organização. Nesta semana, o peso-mosca (57 kg) foi demitido do Ultimate e agora está em busca de uma nova ‘casa’ para se apresentar na sequência de sua carreira. Mas a notícia de um corte do lutador, que durante anos integrou o top 10 do ranking da categoria, pegou muita gente de surpresa, – até mesmo o próprio potiguar. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, ‘Formiga’ revelou que não entendeu o motivo da demissão do UFC. O brasileiro adiantou que sua equipe recebeu uma sondagem da franquia para saber uma previsão do seu retorno um mês antes de ter a notícia do corte. Após se apresentar em junho deste ano, em revés para Alex Perez, o lutador passou por uma cirurgia no ombro, mas já está de volta aos treinamentos de olho em poder atuar nos primeiros meses de 2021. “Me pegou um pouco de surpresa. Não esperava. Eu tinha lutado em junho, passei por uma cirurgia, operei meu ombro e eles não falaram nada. Há cinco semanas eles perguntaram para meu manager se eu estava bem, pronto para lutar e ele falou que eu estava bem, na reta final de recuperação, mas ainda não estava 100% para lutar. Talvez no primeiro semestre de 2021 eu estaria pronto, no caso janeiro ou fevereiro. Aí eles responderam: ‘Tudo bem’. Há uma semana eles fizeram contato com meu manager falando que ia ter um corte de 75 atletas e eu estava dentro dele. Não tem o que fazer. Eu não entendi. Fiquei de mãos atadas, mas bola para frente. Vamos ver se temos valor em outra organização. Com certeza eu acho que temos (risos)”, explicou ‘Formiga’. Com sua história no UFC chegando ao fim, ‘Formiga’ já começa a trabalhar de olho em oportunidades em outras ligas. De acordo com o lutador, seu empresário, Dan Lambert, dono da ‘American Top Team’, equipe na qual o brasileiro faz seus treinamentos, está analisando possíveis acordos com outras franquias. No entanto, o potiguar destacou que o foco é analisar as ofertas com cautela para ver a melhor oportunidade. “Conversei com meu manager e ele disse que estava sondando algumas coisas, tinha uma proposta do Brave, mas ele não queria me botar de cara lá, porque não estou pronto e eles estão fazendo um GP da categoria. Eles estavam precisando de alguém para lutar agora e eu ainda não estou pronto para lutar nesse. Ele falou que tem outros caminhos também, no ONE, no Bellator, mas no Bellator não tem peso-mosca. Por enquanto não temos novidades, mas temos caminhos para seguir”, explicou o peso-mosca, que não descarta subir de categoria com uma boa proposta financeira. “Preferia lutar na minha categoria, mas depende muito da proposta. Nunca se sabe e não podemos descartar nada. Estamos no meio do esporte que existem propostas boas em qualquer evento. Não cogito subir de divisão, mas se a proposta for boa, posso lutar. No Bellator já até venci atletas no peso-mosca, como o Sergio Pettis. Mas no momento estamos vendo o melhor caminho. Não tem uma direção certa”, concluiu. No MMA profissional desde 2005, Jussier ‘Formiga’ possui 23 vitórias e oito derrotas na carreira. No Ultimate desde 2012, o brasileiro conseguiu nove triunfos e e sete reveses. Durante sua trajetória dentro do octógono, o lutador foi o responsável pela única derrota na carreira de Deiveson Figueiredo, atual campeão do peso-mosca. A sua última apresentação no octógono aconteceu em junho deste ano, em derrota para Alex Perez. https://agfight.com/entrevistas/formiga-admite-surpresa-com-demissao-do-ufc-e-prega-cautela-para-definir-futuro/