felipe30

Biografia Ryan Gracie

Recommended Posts

Treinei com o filho dele um tempo atrás. Mulecote é a cara dele, independente de tudo que ele fez deu maior dó na hora.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Tartaruga falou com muita propriedade sobre o tema, realmente em 1995 o jiu-jitsu em SP não era fraco, era muitooo fraco. Vi essa história toda, comecei a treinar em 1994 com um faixa preta do Mestre Roberto Lage, nessa época o jiu-jitsu era muito raro, poucos professores....quando se falava de um faixa-preta carioca vinha dar um treino, mostrar uma posição todo mundo já ficava na expectativa,o abismo técnico era gigantesco, lembro de uma vez em 1996 que o Wallid foi treinar na academia onde a gente treinava e para nós era coisa de outro mundo( e olha que o paraíba nunca foi nenhum primor técnico :bheh: )era uma coisa que para nós na época gerava uma adrenalina a mais, porra o RJ era( e continua sendo) a Meca da arte - suave, eram outros tempos,para mim que estou na casa dos 40 tempos de ouro... o jiu-jitsu tinha essa aura mesmo de invencibilidade e nós nos sentíamos especiais, parte de uma grande família, uma família que muitas vezes se estranhava, saia na porrada, mas ainda assim uma família! .O jiu-jitsu de SP só deu um salto em qualidade com o Ryan Gracie, antes o jiu-jitsu daqui não tinha nenhum grande refino técnico, a própria Godói-Macaco era uma escola de pouco refino técnico, muita bomba, muita força, muita marra e quando o Ryan chegou não teve jeito né, foi guerra mesmo e isso foi bom para a arte. Cansei de ver porradaria na rua, era só se cruzar a galera das 2 academias q o bixo pegava mesmo, era foda, mas dessa guerra a arte ficou forte por aqui, te fazia treinar mais, te fazia andar mais esperto na rua, seu senso de sobrevivência mudava, pq como o jiu-jitsu era relativamente pequeno aqui em SP, vc sabia quem era da arte, quem era o cara que vc cruzava em campeonato, etc....bons tempos aqueles!

Naquele tempo não tinha guarda 50/50, nem guarda X, nem essas merdas todas que fez o jiu-jitsu perder sua característica mais marcante, que era a arte de guerra, que se de determinada posição vc fosse socado na cara a posição não era boa...agora só se vê um monte de nerd que começa a luta agachado,arrastando a bunda no chão, " lutando" pra ver quem chama pra " guarda" primeiro. fuyou

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo que entendi tu acha que os Behring entendem mais que os Gracie?

Não faz sentido, pensa bem.

Man, tu não entendeu meu post.

Eu não escrevi que a família Behring tem o jiu-jitsu melhor do que o da família Gracie, até pq o grande mestre Flávio Behring foi aluno da família Gracie (se não estou enganado, do próprio mestre Hélio Gracie) e seu falecido filho Marcelo Behring (RIP) era pupilo do Rickson, inclusive tinha uma máxima no Rio de Janeiro de que pra desafiar o Rickson, tinha primeiro que passar pelo Marcelo.

O que eu quis dizer é que pra quem procura um jiu-jitsu mais voltado pra defesa pessoal, tem a família Behring como referência, mas não estou afirmando com isso que eles são superiores aos Gracies.

O mestre Flávio Behring inclusive desenvolveu um sistema de ensino voltado pra mulheres e crianças que é muito efetivo e prático.

Citei o Relson, pois ele saiu totalmente da "casinha" com essa entrevista que deu pra Tatame.

Te peço que pense bem sobre o meu post.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Tartaruga falou com muita propriedade sobre o tema, realmente em 1995 o jiu-jitsu em SP não era fraco, era muitooo fraco. Vi essa história toda, comecei a treinar em 1994 com um faixa preta do Mestre Roberto Lage, nessa época o jiu-jitsu era muito raro, poucos professores....quando se falava de um faixa-preta carioca vinha dar um treino, mostrar uma posição todo mundo já ficava na expectativa,o abismo técnico era gigantesco, lembro de uma vez em 1996 que o Wallid foi treinar na academia onde a gente treinava e para nós era coisa de outro mundo( e olha que o paraíba nunca foi nenhum primor técnico :bheh: )era uma coisa que para nós na época gerava uma adrenalina a mais, porra o RJ era( e continua sendo) a Meca da arte - suave, eram outros tempos,para mim que estou na casa dos 40 tempos de ouro... o jiu-jitsu tinha essa aura mesmo de invencibilidade e nós nos sentíamos especiais, parte de uma grande família, uma família que muitas vezes se estranhava, saia na porrada, mas ainda assim uma família! .O jiu-jitsu de SP só deu um salto em qualidade com o Ryan Gracie, antes o jiu-jitsu daqui não tinha nenhum grande refino técnico, a própria Godói-Macaco era uma escola de pouco refino técnico, muita bomba, muita força, muita marra e quando o Ryan chegou não teve jeito né, foi guerra mesmo e isso foi bom para a arte. Cansei de ver porradaria na rua, era só se cruzar a galera das 2 academias q o bixo pegava mesmo, era foda, mas dessa guerra a arte ficou forte por aqui, te fazia treinar mais, te fazia andar mais esperto na rua, seu senso de sobrevivência mudava, pq como o jiu-jitsu era relativamente pequeno aqui em SP, vc sabia quem era da arte, quem era o cara que vc cruzava em campeonato, etc....bons tempos aqueles!

Naquele tempo não tinha guarda 50/50, nem guarda X, nem essas merdas todas que fez o jiu-jitsu perder sua característica mais marcante, que era a arte de guerra, que se de determinada posição vc fosse socado na cara a posição não era boa...agora só se vê um monte de nerd que começa a luta agachado,arrastando a bunda no chão, " lutando" pra ver quem chama pra " guarda" primeiro. fuyou

Cara, muito bom teu post, mas eu não concordo com essa parte de que as brigas entre Godói/Macaco vs Ryan Gracie foram boas p/o desenvolvimento do esporte em SP.

O jiu-jitsu se desenvolveria em SP de qualquer maneira, cedo ou tarde, com brigas ou sem brigas.

O próprio Roberto Gurgel foi pra São Paulo depois e ajudou muito na expansão do jiu-jitsu.

Quanto a forma como ensinam o jiu hoje, concordo contigo, pois virou palhaçada isso de esquematizarem a forma como se deve fazer guarda, iniciar o treino sentado, etc...Tem muito faixa roxa de hoje que toma coro de qualquer leigo mais forte por aí, inclusive já vi com meus próprios olhos isso acontecer: nego tomou um mata-cobra, caiu, o agressor foi pra guarda e castigou na marretada. Uma semana depois o faixa roxa estava na academia ensinando a fazer guarda, pé na virilha e raspagem....PQP... fearww

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se não tivesse Gracie no nome seria tratado apenas como mais um marginal. Algo como os famosos pit-boys dos 90's que usavam a temida arte marcial para espancar leigos em festas, dentre outras porcarias.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se não tivesse Gracie no nome seria tratado apenas como mais um marginal. Algo como os famosos pit-boys dos 90's que usavam a temida arte marcial para espancar leigos em festas, dentre outras porcarias.

E os faixas pretas que formou, não conta nada p/vc?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Queria escrever alguma coisa aqui neste tópico,mas escrevi 3/4 linhas e me arrependi,fico espantado com coisas que escrevem aqui neste tópico,lutei embaixo da bandeira Gracie algumas vezes,sou um crítico feroz de muitas coisas e sempre que posso coloco aqui no PVT,mas pelo amor de Deus,parem de julgar o Ryan Gracie,ele já se foi e nada que foi feito vai ser mudado,se ele estivesse vivo talvez ele mesmo e somente ele poderia reescrever sua história,mas como ele faleceu deveríamos deixar ele em paz.

R.I.P. Ryan Gracie

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estive na casa da Flávia Gracie semana passada e o Rayron estava lá, brincando com um aplicativo no ipad e apesar de parecer uma criança feliz, bateu uma tristeza em mim depois que liguei os nomes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Queria escrever alguma coisa aqui neste tópico,mas escrevi 3/4 linhas e me arrependi,fico espantado com coisas que escrevem aqui neste tópico,lutei embaixo da bandeira Gracie algumas vezes,sou um crítico feroz de muitas coisas e sempre que posso coloco aqui no PVT,mas pelo amor de Deus,parem de julgar o Ryan Gracie,ele já se foi e nada que foi feito vai ser mudado,se ele estivesse vivo talvez ele mesmo e somente ele poderia reescrever sua história,mas como ele faleceu deveríamos deixar ele em paz.

R.I.P. Ryan Gracie

Mestre Alm sempre com suas ponderações providenciais, muito obrigado ! Onde eu assino ?

Abraço Mestre !

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estive na casa da Flávia Gracie semana passada e o Rayron estava lá, brincando com um aplicativo no ipad e apesar de parecer uma criança feliz, bateu uma tristeza em mim depois que liguei os nomes.

Puta cara nem me fala!

No final das contas ele está com a mãe que se não me engona é dona da estação de trsnportes Itapemirim e passa finais de semana com a Flavia né?

É triste demais ver o moleque lá e saber de tudo que aconteceu...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Queria escrever alguma coisa aqui neste tópico,mas escrevi 3/4 linhas e me arrependi,fico espantado com coisas que escrevem aqui neste tópico,lutei embaixo da bandeira Gracie algumas vezes,sou um crítico feroz de muitas coisas e sempre que posso coloco aqui no PVT,mas pelo amor de Deus,parem de julgar o Ryan Gracie,ele já se foi e nada que foi feito vai ser mudado,se ele estivesse vivo talvez ele mesmo e somente ele poderia reescrever sua história,mas como ele faleceu deveríamos deixar ele em paz.

R.I.P. Ryan Gracie

Lindo o post mestre Alm! Exatamente!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Queria escrever alguma coisa aqui neste tópico,mas escrevi 3/4 linhas e me arrependi,fico espantado com coisas que escrevem aqui neste tópico,lutei embaixo da bandeira Gracie algumas vezes,sou um crítico feroz de muitas coisas e sempre que posso coloco aqui no PVT,mas pelo amor de Deus,parem de julgar o Ryan Gracie,ele já se foi e nada que foi feito vai ser mudado,se ele estivesse vivo talvez ele mesmo e somente ele poderia reescrever sua história,mas como ele faleceu deveríamos deixar ele em paz.

R.I.P. Ryan Gracie

Moderas, podem fechar o tópico!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Prefiro essa coisa agressiva, marginal e violenta que espanta os bunda moles, de esfregar a cara de alguem no paralelepipedo.. do que essa palhaçada de berimbola.

Onde eu assino?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now