Vitor Azevêdo

Membros
  • Content Count

    28
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About Vitor Azevêdo

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Em meio à pandemia do coronavírus, o UFC oficializou na última quinta-feira uma lista de 13 atletas demitidos, entre eles três brasileiros: a peso-galo Talita Bernardo, o peso-leve Marcos "Dhalsin" Mariano e a peso-mosca Isabela de Pádua. A grande surpresa da lista foi o peso-leve russo Maibek Taisumov, que tem um cartel de sete vitórias e apenas duas derrotas no evento. Apesar de não terem sido dadas justificativas para cada uma das demissões, a dificuldade de Taisumov conseguir o visto de trabalho para os EUA é vista como determinante para o seu desligamento. Dos 13 demitidos, Mairbek Taisumov, Talita Bernardo, Tonya Evinger e Kyle Prepolec confirmaram em suas redes sociais o afastamento por parte do UFC. Confira a lista completa de demissões: Mairbek Taisumov - cartel de 7-2 no UFC Mairbek Taisumov pesagem UFC Moscou — Foto: Getty Images Maior nome da lista de demitidos pelo UFC, Taisumov estreou na organização com vitória sobre Tae Hyun Bang, sendo derrotado em seguida pelo brasileiro Michel Trator. Após essa luta, no entanto, o atleta conseguiu uma sequência de seis vitórias seguidas contra Marcin Bandel, Anthony Christodoulou, Alan Nuguette, Damir Hadzovic, Felipe Silva e Desmond Green antes de ser derrotado por Carlos Diego Ferreira. A dificuldade para obter o visto americano pode ter tido papel fundamental na sua demissão. Dong Hyun Ma - cartel de 3-5 no UFC Dong Hyun Ma — Foto: Getty Images Conhecido por fazer lutas movimentadas, Ma teve vitórias sobre Takanori Gomi, Demian Brown e Brendan O’Reilly, e foi derrotado por Dominique Steele, Marco Polo Reyes, Devonte Smith, Scott Holtzman e Omar Morales. Chance Rencountre - cartel de 2-2 no UFC Chance Rencountre UFC — Foto: Getty Images Rencountre venceu o austríaco Ismail Naurdiev e Kyle Stewart, e foi derrotado por Lyman Good e Belal Muhammad. A vitória sobre Naurdiev, um dos nomes de destaque da nova geração do MMA europeu, parecia garantir uma sobrevida maior a Rencountre no UFC. A demissão foi uma surpresa. Cyril Asker - cartel de 2-3 no UFC Cyril Asker UFC — Foto: Getty Images O peso-pesado francês conseguiu vitórias sobre Dmitry Smolyakov e Yaozong Hu, e foi derrotado por Jared Cannonier, Walt Harris e Tai Tuivasa. Matthew Lopez - cartel de 2-4 no UFC O peso-galo americano bateu o brasileiro Johnny Eduardo e o canadense Mitch Gagnon, mas sofreu derrotas diante de Rani Yahya, Raphael Assunção, Alejandro Perez e Brad Katona. Khalid Murtazaliev - cartel de 1-0 no UFC Murtazaliev fez apenas uma luta no UFC, derrotando CB Dollaway por nocaute técnico. O lutador, no entanto, foi flagrado em um exame antidoping ministrado pela USADA, e o UFC decidiu demiti-lo. Talita Bernardo - cartel de 1-3 no UFC Talita Bernardo UFC — Foto: Getty Images A peso-galo brasileira Talita Bernardo derrotou a canadense Sarah Moras, mas foi derrotada por Marion Reneau, Irene Aldana e a compatriota Viviane Araújo, que é originária do peso-palha, e subiu duas categorias para enfrentá-la. Zhenhong Lu - cartel de 0-0 no UFC O chinês Lu deveria ter enfrentado o russo Movsar Evloev em sua estreia, mas a luta acabou sendo cancelada e ele acabou sendo cortado sem se apresentar no octógono. Isabela de Pádua - cartel de 0-1 no UFC Isabela de Pádua UFC — Foto: Reprodução MMA Fighting A peso-mosca brasileira perdeu sua única luta pelo UFC, diante de Ariane Lipski, luta que foi aceita por ela de última hora. Pouco depois, foi flagrada em um exame antidoping ministrada pela USADA e acabou demitida. Kyle Prepolec - cartel de 0-2 no UFC O peso-meio-médio canadense perdeu as duas lutas que fez no UFC, contra Nordine Taleb e Austin Hubbard (ambas por decisão dos juízes). Marcos Mariano - cartel de 0-2 no UFC Marcos Mariano UFC — Foto: Getty Images O peso-leve paulista, discípulo de Anderson Silva, estreou no UFC 234, fazendo o co-evento principal contra Lando Vannata e sendo derrotado por finalização. Sua segunda luta foi contra o peruano Cláudio Puelles no UFC Cidade do México, em 2019, quando também foi derrotado - desta vez por decisão dos juízes. Tonya Evinger - cartel de 0-3 no UFC Tonya Evinger UFC — Foto: Evelyn Rodrigues Ex-campeã peso-galo do Invicta FC, a americana perdeu suas três lutas no UFC, para Cris Cyborg (nocaute), Aspen Ladd (nocaute) e Lina Lansberg (decisão dos juízes). Jodie Esquibel - cartel de 0-4 no UFC Jodie Esquibel UFC — Foto: Getty Images A peso-palha americana fez quatro lutas pelo UFC, e foi derrotada em todas, diante de Karolina Kowalkiewicz, Jessica Aguilar, Angela Hill e Hannah Cifers. https://globoesporte.globo.com/combate/noticia/ufc-oficializa-nova-barca-com-13-lutadores-dispensados-tres-atletas-brasileiros-sao-incluidos.ghtml
  2. O UFC anunciou no último domingo uma leva de disputas que farão parte do UFC Portland, que acontece dia 11 de abril. O duelo principal da noite, entre os pesos-pesados Alistair Overeem e Walt Harris. Harris voltará ao octógono pela primeira vez após o anúncio da morte da sua enteada Aniah Blanchard, que foi encontrada sem vida após meses de busca. Harris mostrou-se muito abalado com o ocorrido e deixou a luta contra o próprio Overeem, que estava marcada para o UFC Washington, em dezembro de 2019. Vicente Luque encabeça a lista de brasileiros no UFC Portland — Foto: Jason Silva Entre as lutas divulgadas, quatro terão lutadores brasileiros envolvidos: o peso-meio-médio Vicente Luque enfrentará Randy Brown; o peso-médio Markus Maluko substitui Abu Azaitar e encara o italiano Alessio di Chirico; o peso-leve Alex Leko terá pela frente o canadense Tristan Connelly; e o peso-pesado Rodrigo Zé Colmeia fará sua estreia na organização diante do também americano Don'Tale Mayes. UFC Portland 11 de abril de 2020, no Oregon (EUA) CARD DO EVENTO (até o momento): Peso-pesado: Alistair Overeem x Walt Harris Peso-palha: Carla Esparza x Michelle Waterson Peso-meio-médio: Vicente Luque x Randy Brown Peso-leve: Alex Leko x Tristan Connelly Peso-galo: Karol Rosa x Julia Avila Peso-médio: Alessio di Chirico x Markus Maluko Peso-pesado: Don'Tale Mayes x Rodrigo Zé Colmeia https://globoesporte.globo.com/combate/noticia/ufc-portland-tera-a-volta-de-walt-harris-contra-alistair-overeem-apos-morte-da-enteada-em-2019.ghtml
  3. O UFC oficializou oito demissões de atletas nesta terça-feira. Entre os lutadores cortados pela organização estão dois brasileiros: o peso-pesado Junior Albini e a peso-mosca Kalindra Faria. Os demais nomes são o peso-meio-médio Nathan Coy, o peso-galo russo Grigory Popov, o também peso galo coreano Jin Soo Son, o peso-pesado Daniel Spitz, o peso-galo Brandon Davis e o veterano peso-meio-médio Ben Saunders. Somados os cartéis no UFC dos atletas demitidos, chega-se à marca de 15 vitórias e 31 derrotas. Junior Albini perdeu quatro de suas cinco lutas no UFC — Foto: André Durão Os dois brasileiros demitidos pelo UFC não tiveram uma boa passagem pelo evento. Junior Albini estreou com um belo nocaute sobre Timothy Johnson, mas foi derrotado nas suas quatro lutas seguintes, por ndrei Arlovski, Alexey Oleinik, Jairzinho Rozenstruik e Maurice Greene. O brasileiro já assinou contrato com o evento sérvio SBC - Serbian Battle Championship. Já Kalindra Faria, que chegou ao UFC com o status de campeã do Titan FC, não chegou a vencer nenhuma luta na organização - foi derrotada por Mara Romero Borella, Jessica Eye e Joanne Calderwood nas três lutas que fez. Atualmente está contratada pelo SFT - Standout Fight Tournament - do Brasil. Kalindra Faria foi derrotada nas três vezes em que subiu no octógono — Foto: Evelyn Rodrigues O maior destaque entre os nomes confirmados é Ben Saunders. Com 20 lutas no UFC - dez vitórias e dez derrotas - o lutador era conhecido por ter poucas disputas decididas pelos juízes laterais no octógono (apenas cinco). Mesmo sendo um dos atletas mais queridos pelos fãs, Saunders foi nocauteado ou finalizado em seis das suas últimas sete lutas, o que motivou a sua demissão. Ben Saunders fez 20 lutas no UFC, com dez vitórias e dez derrotas — Foto: Evelyn Rodrigues Confira os cartéis dos lutadores: Junior Albini (peso-pesado) - 14-6 no MMA, 1-4 no UFC Nathan Coy (peso-meio-médio) - 15-7 no MMA, 1-2 no UFC Brandon Davis (peso-galo) - 10-8 no MMA, 2-5 no UFC Kalindra Faria (peso-mosca) - 18-8-1 no MMA, 0-3 no UFC Grigory Popov (peso-galo) - 13-3 no MMA, 0-2 no UFC Ben Saunders (peso-meio-médio) - 22-13-2 no MMA, 10-10 no UFC Jin Soo Son (peso-galo) - 9-4 no MMA, 0-2 no UFC Daniel Spitz (peso-pesado) - 6-3 no MMA, 1-3 no UFC https://globoesporte.globo.com/combate/noticia/ufc-anuncia-barca-com-oito-cortes-brasileiros-junior-albini-e-kalindra-farias-sao-demitidos.ghtml
  4. Invicto no Ultimate, Augusto Sakai está escalado para o UFC 250, em São Paulo, dia 9 de maio, no Ginásio do Ibirapuera. O curitibano, segundo apurou o Combate.com, nesta quinta-feira, enfrentará Blagoy Ivanov, em duelo válido pelo peso-pesado. Augusto Sakai venceu Marcin Tybura no UFC Vancouver em 59s — Foto: Getty Images Com passagem pelo Bellator, Augusto Sakai chegou ao UFC após participação na primeira temporada do Contender Series Brasil, em 2018, em Las Vegas (EUA). O pupilo de Gile Ribeiro bateu Marcos Conrado por nocaute técnico e assinou contrato com a companhia. A estreia no Ultimate se deu no mês seguinte, novamente pela via rápida, contra Chase Sherman. Em 2019, o curitibano superou Andrei Arlovski nos pontos e nocauteou Marcin Tybura em apenas 59s, no UFC Vancouver, no Canadá. Décimo primeiro colocado do ranking do peso-pesado - duas posições à frente de Sakai -, Blagoy Ivanov debutou no UFC com derrota na decisão unânime para Junior Cigano, em julho de 2018. Ano passado, o russo venceu Ben Rothwell e Tai Tuivasa nos pontos, porém, voltou a perder em novembro, contra Derrick Lewis. UFC 250 9 de maio de 2020, em São Paulo CARD DO EVENTO (até o momento): Peso-galo: Henry Cejudo x José Aldo * Peso-pesado: Augusto Sakai x Blagoy Ivanov Peso-galo: Ketlen Vieira x Marion Reneau https://globoesporte.globo.com/combate/noticia/embalado-por-tres-vitorias-no-ultimate-augusto-sakai-encara-blagoy-ivanov-em-sao-paulo.ghtml
  5. Cara entendo a sua opinião mas às notícias continuam lá sem problema nenhum,uma coisa não tá atrapalhando a outra,e o que eu vejo nesses posts de opinião é o pessoal podendo expressar suas ideias queira a gente concorde com elas ou não.
  6. Caraca Ravi,verdade o Huerta foi o primeiro lutador UFC na capa de uma revista que era a da Espn Americana,ele tinha um hype forte mesmo
  7. Com o sucesso dos dois últimos posts de opinião,quero hoje levantar a questão das maiores promessas do MMA que não vingaram. Quando estava no auge era foda,mas o gênio difícil e aquela derrota do Lyoto começaram a curva descendente da carreira dele. Ganhar do Minotouro e do Arona em sequência não é pra qualquer um, outro que parecia ser muito diferente e não vingou. Duffe apareceu feito um trem quando nocauteou o Hague,mas o cara perder pro Russow é dose, não saiu do quase. O pessoal ia falar do Sage e eu me antecipei kkkkkkk,mas eu não concordo é um rapaz da minha idade 23 anos que foi colocado na posição de hype pela imprensa,e que quando caiu foi ridicularizado. O kimbo não era aquela promessa já pela idade que tinha,mas o hype das lutas de rua o levaram a uma popularidade lá pra 2008 que parecia que Ali ia lutar MMA. Esse eu acreditei kkkkkkk,e ainda acho que pode fazer algo,mas realmente o que ele fez no TUF trouxe uma sensação de um novo Anderson ou JJ. O Vera é um cara marcado por lesões mas que sim tinha um hype,e também acho que o Ultimate não lhe deu o devido valor. E para nós brasileiros esse rapaz era o futuro do MMA no solo tupiniquim,mas o resto vocês já sabem. E aí foristas concordam com esses nomes, têm mais algum lutador em mente, acho bem legal esse tema de eternas promessas.
  8. Ontem fiz esse post de opinião sobre o Barão e vi uma boa receptividade dos foristas,e achei uma boa ideia fazer essa discussão da maior zebra da história. Essa do Serra é muito famosa Essa é a do Pete Willians contra o Coleman no auge dos primórdios do UFC Não preciso nem comentar kkkkkkk Essa pra mim tem um sentimento de nostalgia eu estava no começo da minha vida de MMA com 13 anos e me marcou muito essa derrota do Wand. Essa é uma das maiores vantagens nas casas de apostas da história do UFC. Mas para mim Vitor,a maior é essa, o HBO abriu na minha casa e eu já conhecia a história do Fedor e por ser paraibano torci muito pro Pezão mas nunca pensei que ele ganharia. E aí pessoal,gostam desse tipo de posts?,se gostam coloquem lutas diferentes ou contem histórias sobre essas ou outras zebras lendárias.
  9. Eu acredito que sim,penso no Evans mas ele teve muito problema com contusão,mas sem um motivo aparente a queda do Barão pra mim é inacreditável. Alguém acha diferente? Alguém dos primórdios do UFC teve uma queda mais vertiginosa?Vamos conversar sobre isso nesse tópico, acho um tema muito pertinente
  10. Após conseguir uma vitória consagradora por nocaute sobre Jeremy Stephens em julho deste ano, José Aldo já tem seu próximo adversário: o brasileiro enfrentará Cub Swanson no UFC 233, que acontece dia 26 de janeiro na cidade de Anaheim, nos EUA. Na primeira vez em que se enfrentaram, em 2009, Aldo nocauteou Swanson em apenas 8s - a vitória mais rápida de sua carreira Aos 32 anos, ocupando a segunda posição no ranking do UFC e com um cartel de 27 vitórias e apenas quatro derrotas em 14 anos de carreira como profissional no MMA, José Aldo é o maior nome do peso-pena na história. Após engrenar uma sequência de 18 vitórias consecutivas, e ver essa invencibilidade cair em apenas 13s diante de Conor McGregor, Aldo passou por um período irregular na carreira, vencendo Frankie Edgar no UFC 200 e, depois, sofrendo duas derrotas por nocaute para Max Holloway antes da luta contra Stephens. Como campeão da categoria, Aldo defendeu o cinturão, somando as lutas no WEC e no UFC, nada menos que nove vezes. Três anos mais velho que o brasileiro, Cub Swanson tem 25 vitórias e dez derrotas na carreira e é o sétimo colocado no ranking da divisão. Na primeira vez em que enfrentou José Aldo, no WEC 41, em 2009, o americano foi nocauteado em apenas oito segundo de luta, com uma joelhada voadora dupla - sua única derrota por nocaute na carreira. Desde então, Swanson vem buscando uma revanche contra o brasileiro. Atualmente em má-fase, Cub Swanson vem de três derrotas seguidas, para Brian Ortega, Frankie Edgar e Renato Moicano. UFC 233 26 de janeiro de 2019, em Anaheim (EUA) CARD DO EVENTO (até o momento): Peso-mosca: TJ Dillashaw x Henry Cejudo Peso-meio-médio: Tyron Woodley x Colby Covington * Peso-pena: José Aldo x Cub Swanson Peso-meio-médio: Ben Askren x Robbie Lawler Peso-galo: Dominick Cruz x John Lineker * Peso-leve: Alexander Hernandez x Francisco Massaranduba Peso-leve: James Vick x Paul Felder Peso-mosca: Joanne Calderwood x Ariane Lipski Peso-galo: Marion Reneau x Yana Kunitskaya * Peso-médio: Anthony Hernandez x Markus Maluko Peso-palha: Alexandra Albu x Emily Whitmire Peso-palha: Cortney Casey x Cynthia Calvillo Peso-pena: Kron Gracie x Alex Caceres https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/dez-anos-depois-jose-aldo-encara-cub-swanson-no-ufc-233-dia-26-de-janeiro-em-anaheim.ghtml
  11. A confiança de Junior Cigano está alta. A explicação é simples: após um contratempo no primeiro round contra Tai Tuivasa, quando sentiu um chute forte na perna esquerda, o ex-campeão peso-pesado nocauteou o australiano no UFC Adelaide neste último sábado, e engrenou a segunda vitória consecutiva. O sentimento depois do confronto era de alívio, e uma crença maior ainda de que voltará a ser campeão no Ultimate. - A sensação é maravilhosa, nosso objetivo é vencer, e quando tudo dá certo é uma sensação inexplicável. É um trem que sai de cima da gente. Não existe esporte tão duro como esse. Fiquei três meses treinando arduamente na ATT, o professor (Luiz Dórea) veio e a gente fez um treino muito pesado. Não é só a luta, a luta é o momento bom da coisa, o treinamento em si é muito duro, e as pessoas não têm noção do que realmente é. Então, chegar aqui e conseguir uma vitória é incrível, uma vitória gigantesca na nossa vida. Ter conseguido completar o trabalho de uma forma positiva é muito gratificante - disse o lutador em entrevista do UFC. Depois de se tornar campeão em 2011 vencendo Cain Velasquez, Cigano defendeu o cinturão contra Frank Mir no ano seguinte e, no final do mesmo ano, teve o cinturão retomado por Velasquez. Em 2013, perdeu nova chance de ser campeão contra o americano de origem mexicana, e em 2017 perdeu para o então campeão Stipe Miocic. - Sou um cara muito positivo, tenho muita fé, e acredito que, independente de quando, vou voltar a ser campeão. Não tenho dúvida. Isso é automático, isso vai acontecer, nada e nem ninguém pode fazer nada para me parar e parar esse processo O lutador catarinense de 34 anos sabe que o próximo compromisso não será numa nova oportunidade de título, mas após a vitória já pediu por um rival específico. Após perder para Overeem em 2015, Cigano quer a revanche com o holandês. - Pedi o Overeem, ele lutou bem na última luta, acho que seria uma revanche interessante para nós - disse o brasileiro, citando a vitória do holandês contra Sergey Pavlovich na semana passada. Junior Cigano ainda analisou a luta com o jovem australiano de 25 anos, que conheceu a primeira derrota na carreira depois de vencer suas dez primeiras lutas. - Ele foi muito bem, na verdade. Eu estava movimentando, tentando achar o meu tempo, o tempo do jab, dos golpes retos que o professor estava pedindo do córner. Mas lógico, a gente tem que encontrar esse tempo dentro durante a luta. Ele estava movimentando bem até, botando uma pressão, e começou a dar uns chutes fortes no final do primeiro round, quando pegou um chute mais forte que deu uma abalada. Mas voltei... Acho que quando se tem fé, se tem tudo. Voltei no segundo round confiante, o professor deu umas palavras ali no córner, você dá aquela respirada profunda e vamos para a guerra novamente. “É agora ou nunca”. E foi por isso que até parei um pouco de movimentar no segundo round, para não exigir muito da perna. E aí é pau trocado (risos). Ele veio jogando os golpes, conectei um jab direto, acho que o direto pegou melhor, vi que ele sentiu um pouco e já joguei um swing, um overhand, na cabeça dele, ele continuou sentindo, e eu continuei batendo, batendo, ele caiu, eu batendo, batendo, sabia que ali era um momento de não parar de bater, e foi o que eu fiz até o juiz parar a luta. No chão, Tai Tuivasa, mesmo atordoado, tentava travar os braços do brasileiro, mas Cigano livrou-se da posição e montou para iniciar uma sequência de golpes que, aos poucos, foram atordoando o australiano até que o árbitro Herb Dean interrompeu a luta. - (Naquele momento), na verdade, não passa muita coisa não (na cabeça). O negócio é meio que estabilizar a posição, você não perder a posição primeiramente, por isso que a gente vai movimentando e não só batendo. Ali ele me deu espaço para montar e fui montando, e continuando a bater. Ali não adiantar parar de bater para sair para uma finalização ou algo assim, o negócio é continuar batendo para o juiz parar e ainda bem que a gente teve sucesso nessa estratégia. Sobre o golpe que o fez mancar no primeiro round e voltar para o segundo longe dos 100% de condição para lutar, Junior Cigano destacou que o contratempo é normal na luta. O normal é não sair como se imagina antes. - O que eu queria era o nocaute. E no segundo round, como falei. Acho que correu tudo muito bem. Luta é imprevisível, às vezes a gente tem que saber lidar. Dificilmente vai ser como a gente planeja, então a gente tem que estar pronto para as eventualidades que podem acontecer na luta. Foi uma eventualidade bem dura que aconteceu comigo hoje, mas a gente foi feliz e conseguiu continuar seguindo a estratégia e fazendo ela funcionar - concluiu. https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/confiante-de-que-voltara-a-ser-campeao-cigano-diz-ter-tirado-um-trem-das-costas-com-vitoria.ghtml
  12. Amanda só faz gritar kkkkk,leoa tá parecendo cachorro que só faz latir e não faz nada até no corner ela grita kkk
  13. Caramba janjão não toma jeito mesmo,vai embolar a categoria e deve ficar um bom tempo afastado. Tanto futuro,Tanto talento,Quanta burrice.
  14. Demian muito unidimensional,não dá mais pra ser um Royce versão 2000,tem que tentar mais,ser mais atlético ter mais armas em mão
  15. Os problemas fora do octógono que fizeram Jon Jones perder o cinturão linear do peso-meio-pesado (até 93kg) do Ultimate não o fizeram perder a confiança. Menos de uma semana antes de enfrentar Daniel Cormier pelo título, na luta principal do UFC 214, que será realizado no próximo sábado, em Anaheim (EUA), o americano disse que não vê nenhum outro atleta acima dele na história do MMA. - Acho que já sou o maior lutador de todos os tempos. Meu cartel fala por si só, já derrotei seis lutadores do Hall da Fama, meu currículo é incomparável. Essa luta é enorme para o meu legado, toda luta é grande para o legado. Ele é o acúmulo do que eu faço. Então, toda luta é muito importante. Tento não olhar para uma luta como mais importante que outra, é só mais um confronto. Foco no que posso fazer no octógono, em treinar, me preparar para a luta - afirmou, em entrevista para a "Fox Sports". Jon Jones está de volta após cumprir suspensão por doping que o deixou um ano longe do octógono (Foto: Jason Silva) Contra o arquirrival Cormier, Jones tem trocado diversas provocações com o detentor do título linear da divisão até 93kg, mas não acha que isso vá influenciar em sua performance contra um oponente que já foi batido por ele em janeiro de 2015. - Acho que isso não influencia no modo como vou lutar. Luto há dez anos, são dez anos sem ser superado, já lutei com todos os tipos de atleta. Pessoas que desprezo, pessoas que tenho muito respeito, e sempre foi a mesma coisa para mim. Acho que vai ser a mesma coisa dessa vez. Fiz um esforço consciente para não entrar na dele, porque Daniel é um cara que envolve coisas que não têm nada a ver com a luta. Ele fala do meu passado, de coisas controversas que fiz parte. São coisas que não afetam o que vai acontecer na luta, e sei disso. Então, não vou sentar aqui e ficar batendo boca. Tenho 30 anos, sou um homem crescido. Lutar é o que realmente importa. Não tenho muito o que dizer para ele a essa altura, vou fazer meu "discurso" dentro do octógono. Jones ainda rebateu as declarações de DC, que afirmou por diversas vezes que sairá vitorioso no próximo sábado. - Fico feliz por ele estar tão confiante. Minha última luta, contra Ovince St-Preux, muitas pessoas disseram que não foi muito impressionante. Mas eu fiz o suficiente para vencer a luta. O motivo pelo qual eu sei que vou vencer essa luta é porque essa é a minha área. Fui colocado na Terra para fazer isso. Tenho um dom, sou talentoso e trabalho muito duro. Isso é um sentimento muito profundo de autoconfiança - concluiu. O Combate transmite o UFC 214 ao vivo no sábado a partir de 19h15 (horário de Brasília). O Combate.com acompanha em Tempo Real, com vídeo ao vivo das duas primeiras lutas do card preliminar. Nesta sexta-feira, site e canal exibem a pesagem cerimonial ao vivo a partir de 20h50. Confira a programação completa: UFC 214 29 de julho, em Anaheim (EUA) CARD PRINCIPAL (a partir de 23h, horário de Brasília): Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Jon Jones Peso-meio-médio: Tyron Woodley x Demian Maia Peso-pena: Cris Cyborg x Tonya Evinger Peso-meio-médio: Robbie Lawler x Donald Cerrone Peso-meio-pesado: Jimi Manuwa x Volkan Oezdemir CARD PRELIMINAR (a partir de 19h30, horário de Brasília): Peso-pena: Ricardo Lamas x Jason Knight Peso-casado (63,5kg): Aljamain Sterling x Renan Barão Peso-pena: Renato Moicano x Brian Ortega Peso-pena: Andre Fili x Calvin Kattar peso-palha: Kailin Curran x Alexandra Albu Peso-mosca: Eric Shelton x Jarred Brooks Peso-leve: Josh Burkman x Drew Dober http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2017/07/acho-que-ja-sou-o-maior-lutador-de-todos-os-tempos-afirma-jon-jones.html#esporte-mma