Recommended Posts

Se você está comendo menos de 30 gramas de carboidratos e menos de 1,5g/kg de peso de proteína por dia, e não está perdendo proteína corporal (músculo), voce com certeza está em cetose. Não precisa nem testar laboratorialmente. Numa situação dessas, não há como o corpo suprir o cérebro, sem canibalizar os músculos, a não ser pela cetose.

Não seria "mais"?

Outra pergunta: não seria esse 'peso' que você citou o peso da massa magra?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não seria "mais"?

Outra pergunta: não seria esse 'peso' que você citou o peso da massa magra?

É menos mesmo. Eu quis dizer menor ou igual a 1,5 g/kg. Para uma pessoa de 70 kg, isso significa menos de 105 gramas de proteína/dia. Se a ingestão de proteína for mantida nesses níveis, e a ingestão de carboidratos restrita a menos de 50 gramas/dia, a cetose é praticamente garantida.

O peso a que me referi é o peso total ideal, que para uma pessoa não-obesa é igual ao peso real. Para uma pessoa obesa deve-se fazer os cálculos levando em conta o peso ideal estimado. As recomendações oficiais para a ingestão de proteína variam desde 0,8 gramas/kg de peso ideal para pessoas sedentárias adultas ate 2,0 gramas/kg, a depender do nível de atividade do indivíduo e da fase da vida (crianças, adolescentes e gestantes precisam de mais proteína).

Edited by Sieger

Share this post


Link to post
Share on other sites

doc,

peço-lhe sua ajuda em uma informação que estou com dificuldades de encontrar uma "âncora" (referência bibliográfica, sociedade médica, artigo, etc, fonte "chapa quente", que não seja texto de blog) para a seguinte informação:

Lipídios: 0,88 a 1,66 g/kg de massa magra é uma faixa considerada boa para a promoção do desenvolvimento muscular esse macronutriente1 (obviamente acompanhado de outras proporções de proteína e carbos, não citados aqui). Embora a autora tenha credenciais, não vi no texto a mesma ancorar este dado.

A "contra-informação" que tenho é o que a ADA determina 2: no máximo 30% do consumo calórico total. É essa contra-informação que gostaria de "derrubá-la", caso consiga esquentar a informação acima.

1:

"If you are following a 'normal distribution' of intake then something between 1g and 2g per Kg bodyweight (0.4-0.9g per pound total weight) is a good starting figure. If you are overweight, then something between 0.66 and 1.8g per kg lean weight (0.35-0.8g per pound) may be more appropriate."

fonte: http://www.emma-leigh.com/basics_calorie_needs.html.

2:

"Na prática, recomenda-se uma ingestão diária de até 30% do valor calórico total. Porém, a Associação Americana de Diabetes

recomenda que os lipídios sejam estabelecidos de acordo com as metas do tratamento, distribuindo os 30% em até 10% de ácidos graxos saturados, 10% de monoinsaturados e 10% de poliinsaturados."

fonte: MONTEIRO, J.B.R. et al. MANUAL OFICIAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS. Sociedade Brasileira de Diabetes. Rio de Janeiro: Diagraphic, 2003. disponível em: http://www.sbp.com.br/pdfs/Manual_Oficial_de_Contagem_decarboidratos.pdf

Share this post


Link to post
Share on other sites

doc,

peço-lhe sua ajuda em uma informação que estou com dificuldades de encontrar uma "âncora" (referência bibliográfica, sociedade médica, artigo, etc, fonte "chapa quente", que não seja texto de blog) para a seguinte informação:

Lipídios: 0,88 a 1,66 g/kg de massa magra é uma faixa considerada boa para a promoção do desenvolvimento muscular esse macronutriente1 (obviamente acompanhado de outras proporções de proteína e carbos, não citados aqui). Embora a autora tenha credenciais, não vi no texto a mesma ancorar este dado.

A "contra-informação" que tenho é o que a ADA determina 2: no máximo 30% do consumo calórico total. É essa contra-informação que gostaria de "derrubá-la", caso consiga esquentar a informação acima.

1:

"If you are following a 'normal distribution' of intake then something between 1g and 2g per Kg bodyweight (0.4-0.9g per pound total weight) is a good starting figure. If you are overweight, then something between 0.66 and 1.8g per kg lean weight (0.35-0.8g per pound) may be more appropriate."

fonte: http://www.emma-leigh.com/basics_calorie_needs.html.

2:

"Na prática, recomenda-se uma ingestão diária de até 30% do valor calórico total. Porém, a Associação Americana de Diabetes

recomenda que os lipídios sejam estabelecidos de acordo com as metas do tratamento, distribuindo os 30% em até 10% de ácidos graxos saturados, 10% de monoinsaturados e 10% de poliinsaturados."

fonte: MONTEIRO, J.B.R. et al. MANUAL OFICIAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS. Sociedade Brasileira de Diabetes. Rio de Janeiro: Diagraphic, 2003. disponível em: http://www.sbp.com.br/pdfs/Manual_Oficial_de_Contagem_decarboidratos.pdf

A fonte mais recente e forte que voce pode citar para rebater essa afirmação da ADA são as novas diretrizes oficiais da Suécia relativas a nutrição, que recomendam uma dieta low-carb (e consequentemente high-fat) para o subgrupo de pacientes obesos, diabéticos e com síndrome metabólica. Você pode achar informações sobre as diretrizes no link abaixo. Depois é só procurar o link para a publicação original do órgão governamental sueco.

http://www.examiner.com/article/sweden-s-new-national-dietary-recommendations-low-carb-low-glycemic-foods

De qualquer forma, o que a autora diz e o que a ADA diz não são muito diferentes. Se você pegar o meio termo da faixa que ela recomenda, 1,3 g de lipídio por kg de massa magra, teríamos uma quantidade de 104 gramas de lipídio/dia para uam pessoa de 80 kg de massa magra. Uma pessoa com essa massa magra que se exercite 4-5 vezes por semana, 90 minutos por sessão, terá um gasto energético total médio próximo de 3200 kcal/dia. Dessa maneira, 104 gramas de lipídios (936 Kcal) representariam aprox. 29% da ingestão total diária, que está dentro do que a ADA recomenda.

Em relacao a limitação das gorduras saturadas a 10% do total das calorias diárias, o Lorain Cordain, um dos pais do conceito de dieta Paleo, demonstrou em um artigo que utilizando os alimentos que estão naturalmente disponíveis num ambiente natural (não agricultural), é impossível ingerir menos de 10% de gorduras saturadas na dieta. Não tenho o link do artigo agora, tenho de procurar. De qualquer forma, por aí já dá para se ter uma idéia de quão sólida é essa afirmação da ADA: eles recomendam um forma de comer que é impossível na natureza.

Tem mais uma: essa recomendação é válida para todos os indivíduos com mais de 2 anos de idade. Sabe por quê? Porque 2 anos é a idade recomendada de desmame dos bebês, e como no leite materno as gorduras saturadas contribuem com mais de 10% das calorias, ficaria um pouco estranho recomendar que os bebês não bebessem leite materno por que este contém mais de 10% de gordura saturada. É mole ou quer mais?

Edited by Sieger

Share this post


Link to post
Share on other sites

A fonte mais recente e forte que voce pode citar para rebater essa afirmação da ADA são as novas diretrizes oficiais da Suécia relativas a nutrição, que recomendam uma dieta low-carb (e consequentemente high-fat) para o subgrupo de pacientes obesos, diabéticos e com síndrome metabólica. Você pode achar informações sobre as diretrizes no link abaixo. Depois é só procurar o link para a publicação original do órgão governamental sueco.

http://www.examiner.com/article/sweden-s-new-national-dietary-recommendations-low-carb-low-glycemic-foods

De qualquer forma, o que a autora diz e o que a ADA diz não são muito diferentes. Se você pegar o meio termo da faixa que ela recomenda, 1,3 g de lipídio por kg de massa magra, teríamos uma quantidade de 104 gramas de lipídio/dia para uam pessoa de 80 kg de massa magra. Uma pessoa com essa massa magra que se exercite 4-5 vezes por semana, 90 minutos por sessão, terá um gasto energético total médio próximo de 3200 kcal/dia. Dessa maneira, 104 gramas de lipídios (936 Kcal) representariam aprox. 29% da ingestão total diária, que está dentro do que a ADA recomenda.

Eu tinha uma macro na planilha que ficava avermelhada a cada vez que os 30% são excedidos. É uma crueldade. Pra você ter uma ideia, a única gordura intencionalmente colocada na minha comida é uma colher de sopa de azeite de oliva extra-virgem. O restante vem dos macronutrientes dos rótulos dos alimentos. Esse valor é batido rapidinho.

Quando eu mudei a macro pra ficar "verde" quando batesse dentro dssa faixa, 0,66 a 1,8 g/kg, deu uma aliviada. Por enquanto sigo ainda numa boa nessa faixa "mais generosa". A restrição da ADA me incomodava...rs. Mas curioso tem suas obsessões... rs. Faltava "o papiro"...hehehe.

Obrigado mais uma vez!

Share this post


Link to post
Share on other sites

doc, se não for pedir muito, por favor dê seu pitaco nesse artigo.

Esse material foi usado de base para uma notícia sobre problemas envolvendo o "alto" consumo de proteína.

Alto para eles, pelo que entendi, seria quem consome de 20 a 30% do total calórico diário em proteína. Isso mesmo que você leu.

A quantia é tão baixa que a minha dieta, com meus míseros 1,6 a 1,7 g/kg (e ainda kg de massa magra!) "foi enquadrada" nesse grupo de risco.

Esse artigo em específico está "open": http://www.cell.com/cell-metabolism/pdf/S1550-4131(14)00062-X.pdf

[]´s

Edited by Jaraqui

Share this post


Link to post
Share on other sites

doc, se não for pedir muito, por favor dê seu pitaco nesse artigo.

Esse material foi usado de base para uma notícia sobre problemas envolvendo o "alto" consumo de proteína.

Alto para eles, pelo que entendi, seria quem consome de 20 a 30% do total calórico diário em proteína. Isso mesmo que você leu.

A quantia é tão baixa que a minha dieta, com meus míseros 1,6 a 1,7 g/kg (e ainda kg de massa magra!) "foi enquadrada" nesse grupo de risco.

Esse artigo em específico está "open": http://www.cell.com/cell-metabolism/pdf/S1550-4131(14)00062-X.pdf

[]´s

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2014/03/manchete-ridicula-da-semana-no2.html

Share this post


Link to post
Share on other sites

A crítica adotada nesse link causou-me curiosidade, pois Cell Metabolism é um periódico Qualis A-1 para as seguintes áreas: Educação Física, Medicinas I e II e Ciências Biológicas II. É a classificação máxima que um periódico pode receber na CAPES.

A minha pergunta é: como que um corpo editorial e seus revisores aprovariam um texto no qual tais deslizes fossem de tal maneira narrados como foi na crítica?

A acusação no artigo é grave, pois não afeta somente quem pratica VLCs ou paleo. Afeta também uma vasta comunidade, da qual eu faço parte, pois a própria nutrição clínica autoriza consumirmos até 30% de nosso total de calorias em proteínas (Nutricionistas costumam dividir tal quantia em 15% de carnes e 15% de proteínas egressas dos outros alimentos como leite, queijo, etc).

Share this post


Link to post
Share on other sites

doc, se não for pedir muito, por favor dê seu pitaco nesse artigo.

Esse material foi usado de base para uma notícia sobre problemas envolvendo o "alto" consumo de proteína.

Alto para eles, pelo que entendi, seria quem consome de 20 a 30% do total calórico diário em proteína. Isso mesmo que você leu.

A quantia é tão baixa que a minha dieta, com meus míseros 1,6 a 1,7 g/kg (e ainda kg de massa magra!) "foi enquadrada" nesse grupo de risco.

Esse artigo em específico está "open": http://www.cell.com/cell-metabolism/pdf/S1550-4131(14)00062-X.pdf

[]´s

Estou com o tempo um pouco corrido nestes dias, mas assim que der vou ler o artigo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Comecei na segunda feira 08/09/14 a dieta.

Puxei ferro pesado e não senti cansaço. Hoje a noite vou no jiu, vamos ver como vai ser.

Vou tentar postar um mini diário super resumido aqui.

Abraço galera.

Seria sensacional.

Estou enchendo o saco do sieger pra ele responder umas questões ou dar um up no tópico. Vou iniciar a paleo sexta , e 1 mês mais ou menos fazer uns carb backloading.

Sucesso na empreitada

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom galera, passando só pra dizer como foi a semana.

Perdi 2 cms de cintura. Ainda não pesei.

Na musculação, diminuí os pesos em 5% por precaução, mas acho que consigo fazer com meus pesos normais. Essa semana eu tento.

No jiu foi tudo absolutamente normal.

Não senti tontura, fraqueza, nada.

Não estou contando calorias. Como até ficar satisfeito. Bacon, salame, copa, queijos gordos geralmente são o meu lanche.

Castanhas também comi bem, acho que essa semana comi uns 500 gramas.

Almoço/janta eu como uns 2 bifes e saladas.

Sobremesa eu tô comendo todo dia 300 gramas de morango com creme de leite.

Não pisei na bola nenhum dia até hoje, nenhum doce (o que pra mim é o mais difícil) nem cervejinha ou açaí.

Tô gostando da dieta, essas gorduras todas saciam bem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

war dexter ... e relate por gentileza man .. acompanhando !

em outubro tentarei entrar/ficar em cetose ...

no mais, como fica o consumo de bebida? é permitido furar esta dieta, fazendo por exemplo 1 dia do lixo? ou isso quebraria a cetose?

obrigado !

Share this post


Link to post
Share on other sites

Passando mais uma vez para relatar.

Pesei ontem, perdi 2 kilos e mais 2 centímetros se barriga.

Os pesos da musculação ficaram 5% menores mesmo, não consegui com os pesos originais.

O meu problema está sendo o sono e o treino. Minha filha está com 2 meses, então meu sono está comprometido. Por esse mesmo motivo não consegui treinar mais do que 3 vezes na semana (uma vez jiu e duas musculação).

Gostaria de treinar de segunda a sábado, mas está praticamente impossível.

A dieta está sendo seguida a risca. Segunda agora dia 29 completo 3 semanas. Como disse, não estou contando calorias, mas seguramente estou em deficit calórico, pois estou comendo beeeemmmm menos do que eu comia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now