Judo Pitbull

Membros
  • Content Count

    1247
  • Joined

  • Last visited

Posts posted by Judo Pitbull


  1. Hoje estava a ler no site da Sports Illustrated um artigo muito interessante e que é escrito no seguimento da luta entre Couture e Toney, bem como todo o debate que nasceu acerca do "confronto" entre MMA x Boxe.

    Fica aqui o artigo em questão, bem como um link para um video muito interessante (e que recomendo vivamente) relativo à primeira luta de MMA que decorreu nos EUA.

    Video:

    The poster promised "something new for sport fans"; new in that they may have never seen anything like this, not that it hadn't been done before, because for millennia it had.

    Three decades before Art Jimmerson met Royce Gracie at UFC 1, 47 years before James Toney and Randy Couture are set to tangle in Boston, Milo Savage danced with Gene LeBell on a Monday evening in Salt Lake City. What transpired was the first televised mixed martial arts prize fight: boxing versus judo, in a ring, with rules and a referee.

    "Fighting for your life," LeBell, now 78, recalled this week.

    It sort of just happened. In the August 1963 issue of Rogue magazine, an early competitor to Playboy, Jim Beck's article titled "The Judo Bums" threw down a challenge: $1,000 to any judoka who could defeat a boxer.

    It is with a noted sense of irony and history repeating itself that one recalls the 1989 Playboy article titled "Bad," written by Pat Jordan, that elevated grappling, Rorion Gracie and the Gracie Challenge, and eventually led to the formation of the UFC in 1993. Rorion publicly called out Mike Tyson or any man willing to agree to a winner-take-all, fight-to-the-death match for $100,000.

    Had "Judo" Gene been a decade or two younger, he might've taken Gracie's offer as he had Beck's. At the behest of Kenpo karate legend Ed Parker -- "You're the most sadistic bastard I know and we want you to represent the martial arts," Parker told LeBell at the judoka's dojo in Hollywood, Calif. -- the challenge was accepted.

    LeBell was raised around fighters. His mother, Aileen Eaten, was the first woman to be inducted into the International Boxing Hall of Fame, for her role as a fight promoter on the West Coast, where she staged boxing and wrestling bouts for 38 years at the Grand Olympic Auditorium in downtown Los Angeles. LeBell wanted the Beck-proposed event to take place in L.A., but the California State Athletic Commission would need nearly 40 years before agreeing to regulate MMA. So the fight was shifted to Beck's backyard, Salt Lake City, which happened to be the home of Savage, a veteran boxer who at his peak was considered a top-five-ranked light heavyweight.

    LeBell said he saw Savage box in person once, at the Legion Auditorium in Hollywood. It was the main event, a 10-rounder, and LeBell remembers Savage as not needing more than three minutes for the win (Savage's record, 49-45-10 according to BoxRec.com, shows no such result). Savage, who died in 1998 at the age of 74, earned a reputation as a hard puncher, rising from middleweight to light heavy during a career that spanned 25 years. By the time he fought LeBell, Savage was 39 and would box just once more.

    When Toney steps in against Couture on Saturday, he'll do so as a 42-year-old fighter in his 22nd year as a professional. Outside of their preferred fistic discipline, age and ring experience are about as far as you can take the Savage-Toney comparison. Toney, a multidivision champion and eventual shoo-in for the Hall of Fame, is far more accomplished in the ring.

    His presence, though, has certainly brought life to the boxing-vs.-mixed-martial-arts debate Beck kick-started in 1963. Toney has dismissed Couture, one of the great champions in MMA history, much the same way Savage and his handlers did LeBell.

    "Randy's good at what he does, I'm great at what I do," Toney said. "Now he's talking about he's going to lay on top of me? God bless him, but I ain't no female so I ain't going down like that. He's getting knocked out, straight up."

    In LeBell's dressing room before fighting in front of a standing-room-only crowd at the Fair Grounds Coliseum -- a ringside seat to Savage-LeBell cost $2.00; it will run you $600 to watch Couture-Toney from the same vantage point at TD Garden on Saturday -- the evening's rules were discussed. None of those funny karate kicks or chops, Savage's people said, for the fight of five three-minute rounds. The boxer intended to strap on boxing gloves, but in the end he wore a fingerless variety that LeBell alleged were doctored with a metal plate. And each wore a gi-top, with LeBell sporting his full judo uniform. Other than that, everything was fair game.

    "I asked them what I could do," said LeBell, who pulled out a book on judo he authored and pointed to a photo.

    "Can I pick him up over my head like this?"

    Savage's handlers laughed.

    "Can I choke him?" LeBell wondered as he put his hands over his throat in a "comical way."

    A lawyer who accompanied LeBell to Utah told him to stop messing around. But "Judo" Gene couldn't help himself.

    "They're laughing," he remembered. "They're just all happy that he's going to knock me out."

    LeBell had similar experiences in Amarillo, Texas, where he wrestled professionally and took on challengers from the audience in mixed-style fights. The promotion, which paid locals $100 and out-of-towners $50, pulled competitors from a local army base and the dusty city's barroom tough-guy crowd.

    When he stepped into the ring with Savage, it didn't take long to get into the flow of the fight. LeBell felt Savage's power to his body when one punch somehow broke the judo man's new belt -- the same kind he used to tow broken-down motorcycles.

    "I've never had 'em stretch or break on me, but when this guy hit me it broke right in half," LeBell said. "This guy hit pretty hard. You could do it a 1,000 times, I don't think he could do it again. He just hit me right."

    They kept their distance, Savage understandably tentative to go after LeBell and LeBell understandably unwilling to trade with the boxer. The few times the pair locked up in the clinch, LeBell managed to throw Savage to the floor even though "he had grease all over his body where you couldn't grab," LeBell alleged.

    In the fourth round, LeBell tossed Savage to his back and soon had control of the boxer from behind, locking in a choke and making good on his promise from the night before, when, in promotion of the event, LeBell unmercifully strangled a sportscaster on air and dropped him to the floor. The referee, a local doctor, didn't know how to react as Savage lay on the mat, out cold, for what reports at the time suggested was nearly 20 minutes. Eventually, LeBell's teacher came into the ring to revive the boxer. By that time, the arena was angry and chairs and cushions started to fly.

    "When I stepped out of the ring, one guy tried to stab me," LeBell said. "I half-parried it and got by him. I kept on going but it went through me. It was a pretty big knife."

    Emotions aren't expected to reach that sort of fevered pitch when Toney (72-6-3 in boxing, 0-0 in MMA) meets Couture (18-10). Both men say they're representing themselves more than their respective sports, but it's unlikely many observers will feel the same.

    "I don't know a mixed martial artist out there that isn't training in some form of boxing at some time during their training cycle," Couture said. "I don't know why there has to be the animosity between boxers and MMA. I don't think it needs to be there. We both have mutual respect for our respective sports."

    Yet some people, like Jim Beck, will continue to debate which is superior. Which is more pure.

    "Well, if you ask me, cause I done 'em both, it's the combination," LeBell said. "If you're a boxer, you better know how to sprawl if someone comes in to tackle you. If you're a wrestler, you better know how to bob or weave or block or move around so he doesn't hit you."

    Autor: Josh Gross

    Fonte: www.si.com


  2. Caro 'Judo Pitbull' ,

    Fiz judô, Jiu Jitsu, Boxe, Wrestiling, até hoje faço treinos particulares em meu Tatame, em minha casa de submission com uma galera aqui em Salvador.

    Acompanho Valetudo(MMA) desde sempre(20 anos).

    Não acho que Werdum seja o número 01 do mundo, mas que está entre os 10 melhores isso ele está!!

    A derrota para o russo que vc está falando, foi para o Kharitonov que nada tem haver com a equipe do Fedor.

    Werdum finalizou os 03 principais lutadores da equipe do Fedor!!!

    Se refere que o Werdum devia estar entre os 10 melhores HW, concordo, já o afirmei previamente, se por outro lado o quer meter no lote dos 10 melhores lutadores P4P... já sabe a minha opinião.

    "o Werdum já perdeu com um antigo companheiro de equipa do Fedor (não desta, mas da RTT)"

    Estas foram as minhas palavras, enquanto que as suas foram que o Werdum tinha derrotado "toda a equipe do Fedor".

    Eu apenas lhe relembrei que ele não "finalizou" toda a Red Devil, tendo inclusive perdido com um antigo companheiro de equipa do Fedor.

    Aliás, qual é a lógica de trazer esta conversa dos companheiros de equipa?

    Se o Fedor lutar com o Cigano e o vencer, o que é que isso tem a ver o facto de o Fedor já ter vencido o Arona e o Minotauro?

    Quer dizer que o Fedor é o bicho papão do estilo "BTT"? Que por causa disso é melhor lutador e merece por isso ir para o ranking dos melhores 10 lutadores P4P?

    Diga um outro nome conhecido da equipe do Fedor!! Tenho certeza que vc não sabe nenhum !!

    Meu caro, eu deixei-lhe um link com a lista completa dos lutadores da Red Devil...

    Não entendi a lógica do Sonnen com o Anderson????Nem faz parte desse tópico!!

    Passo a cita-lo: "Acho que o Werdum merece ser incluído no P4P "

    Por essa lógica, o Sonnen se vencer o Silva deve passar para primeiro lugar do ranking P4P...


  3. Concordo com boa parte das coisas que você disse, menos sobre lutadores ou fãs poderem comentar, quer um exemplo prático? Pelé o Rei do futebol, quando vai comentar não entende "porra" nenhuma. Você não concorda?

    Agora sobre sua indagações a respeito do Fedor e do AS, estou contigo!

    Como é evidente, cada um pode comentar, é o nosso livre direito, aliás, vivemos em democracia e estamos num forum :lol:

    Apesar de não os conhecer pessoalmente, mas devido à sua postura dentro e fora dos ringues, através de entrevistas e declarações, tenho o Shogun e o GSP como tipos coerentes e pragmáticos nas suas afirmações. Valorizo as suas opinões. É claro que nem todos os lutadores o são, como nem todos os jogadores da bola o são (como bem deste o exemplo), mas temos no entanto de reconhecer alguma crédito para poderem falar, pois já passaram por lá.

    Quando alguém diz "Acho que o Werdum merece ser incluído no P4P" porque venceu o Fedor, mim mete-me um pouco de confusão e passo a explicar porquê.

    Um ranking P4P, para mim, na minha opinião, deve reflectir não só uma avaliação objectiva baseada numa série de resultados (NÃO UM RESULTADO) para além de uma outra avaliação mais subjectiva que procure retratar a performance e as capacidades técnicas do atleta durante o decorrer dos seus combates.

    Na minha opinião, o Fedor e o GSP, são lutadores mais completos que o Silva, pois em termos de transposição da luta para o solo e luta no solo (sem ser defensivamente) são melhores que este. É indiscutivel que tecnicamente, o boxe do Silva é o mais técnico dos 3, mas o Fedor nesse capitulo tem um poder de knockout maior que o Silva, sendo que dos três o GSP é o que fica em ultimo neste capitulo.

    Colocar o Werdum num ranking P4P ou mesmo HW à frente do Fedor, sobretudo pela forma como decorreu a luta, é exagerado, era como alguém ter colocado o Brock à frente do Mir no ranking HW se na primeira luta o Brock (com apenas 1 luta prévia) tivesse vencido (é evidente que o Werdum tem um curriculo muito maior que o Brock, mas também o Fedor tem um curriculo muito maior e imaculado que o Werdum).

    Abraço


  4. Fala sério vc leu o post todo? Refletiu? Vc acha que Werdum não está entre os 10 melhores tendo vencido o maior de todos...

    Werdum finalizou toda a equipe do Fedor!!

    MMA é o histórico e momento!!!

    Toda a equipa?

    Bem, eu não acho, eu tenho a certeza, e os factos comprovam-no (http://www.sherdog.com/fightfinder.php?search=yes&association=Red Devil Sport Club), a Red Devil, no seu TODO, não se resume a 3 atletas... aliás, o Werdum já perdeu com um antigo companheiro de equipa do Fedor (não desta, mas da RTT), basta pesquisares um pouco... como fica essa lógica agora?

    Aliás, seguindo a tua lógica, é mais que justo dizer que caso o Sonnen vença o Silva, ele vai ser o melhor P4P do mundo... mas uma coisa é certa, e há aqui muita gente que concorda comigo, o Sonnen já é o melhor P4P em Stand Up Comedy thumbdown

    Eu quando vejo lutadores como o Shogun e o GSP (que para mim no P4P está acima do AS) quando questionados acerca de quem é o melhor P4P afirmarem sem pestanejar que é o Fedor, e depois vejo aqui usuários, muitos deles que nunca fizeram ou competiram em qualquer arte marcial, afirmarem o que afirmam como se fossem os senhores da razão e da lógica... enfim.


  5. Até que enfim acabou as lista de melhor P4P da ATUALIDADE com o Fedor, ele já estava fora antes mesmo desta luta. Ele é o melhor da historia, mas não da atualidade segue suas ultimas lutas desde 2005, o que dá 1,4 lutas por ano versus 3 ou 4 lutas por ano dos tops do UFC, ele não vem lutando com a frequencia e nem com os adversários que deveria para figurar nesta lista.

    Most of Emelianenko’s greatest victories came in 2005 or earlier. He beat Mirko “Cro Cop” Filipovic in 2005 and Nogueira, Randleman and Coleman in 2004. Starting in 2006, his wins have been over:

    • Coleman, who at the time was two months short of his 42nd birthday;

    • Mark Hunt, a massive kick boxer with a sub-.500 record;

    • Matt Lindland, who has spent most of his career as a middleweight and is still competing at 185 pounds;

    • Hong Man Choi, who is 7-feet-2 and more of a curiosity than a real fighter. He’s most notable for having fought Jose Canseco;

    • Sylvia, who in his fight after losing to Emelianenko was beaten by 48-year-old boxer Ray Mercer, who himself was making his MMA debut;

    •Arlovski, who lost his next two after losing to Emelianenko;

    • And Brett Rogers, who only months before meeting Emelianenko had given up a job changing tires at Sam’s Club to train MMA full-time.

    Cazao, de onde retiraste essa parte do teu post em inglês, qual é a fonte?


  6. Werdum finalizou a família Emilianenko: Alexander(Katagatame), Fedor(Arm-Triângulo).

    Fedor me pareceu velho, digo, estilo Coleman nos últimos tempos, sem densidade muscular, parecendo um LWH gordo, fora de forma.

    Werdum está enorme, forte, vigoroso, com sangue nos olhos, treinando com os melhores (King Mo, Babalu, Wand, Vladimir M.,Rafael Cordeiro, Mark Munoz), é outro lutador, digo, nem se compara com aquele gordo, lento e desmotivado que lutou com o Cigano, como também o Cigano evoluiu demais desde a luta com o Joaquim Mamute.

    Analisando a luta:

    Boa tática(“estudada exaustivamente pelo Rafael Cordeiro, ou seja, quando o Werdum acerta um golpe em pé partia feito um louco para GNP, então um lutador FERA de Jiu Jitsu e muito forte tb, poderia acabar com a luta a qualquer momento!!!”), confiança, acho que o Werdum iria ganhar de qualquer jeito, disse isso inúmeras vezes em meus posts, inclusive antes da luta.

    A confiança que a equipe do Werdum tinha nele, me lembrou muito a da UDL com o Shogun.1)Importante: Se lutar de novo, o Fedor vai virar o Napão do Werdum.

    ------------------------------------------------------------------------

    1)Atenção Werdum finalizou a equipe do Fedor:

    - Fedor Emelianenko , Aleksander Emelianenko , Roman Zentsov

    2) Outras grandes vitórias do Werdum:

    - Antonio Silva

    - Mike Kyle (“Ganhou do Feijão há 01 ano”)

    - Brandon Vera ( Foi “Nocaute”!)

    - Gabriel Gonzaga (2 X nocaute)

    - Alistair Overeem ( Finalizou na Kimura)

    - Jon Olav Einemo (“Fera de Jiu Jitsu”)

    - Tom Erikson (Finalizou no mata leão sem treinar p/ esta luta)

    - Ebenezer Fontes Braga (Nocaute)

    Acho que o Werdum merece ser incluído no P4P

    Com todo o respeito, mas este post só pode ser para rir :D

    Fedor velho, sem densidade muscular, fora de forma... isso reflectiu-se claramente naquela saraivada de murros que o Werdum levou e que nem sabia de onde vinham.

    Werdum no P4P só pq venceu ao Fedor, aproveitando um erro - não quero tirar méritos ao Werdum (que para mim era e é um lutador top 10 nos HW), mas na minha opinião, este resultado é mais demérito do Fedor do que propriamente mérito do Werdum - já merece estar no raking P4P???

    É o que eu digo no meu post inicial... Sonnen a lider do P4P caso vença o Silva... é mais que justo! :lol:


  7. 1. Brock Lesnar (4-1)

    While we do not know exactly how Lesnar will look in his return to the cage after his bout with diverticulitis, we do know his foe. Come July 3, he will take on Shane Carwin to unify both halves of the UFC heavyweight mantle in what should be a blockbuster match for the promotion.

    2. Fabricio Werdum (14-4-1)

    Werdum improbably seized the biggest moment of his career on June 26. It took the grappling star just 69 seconds to end Fedor Emelianenko’s seven-plus-year reign over the heavyweight division. Whether Werdum’s next bout is a rematch against Emelianenko or former victim Alistair Overeem, his victory will remain a massive moment in MMA history.

    3. Fedor Emelianenko (31-2, 1 NC)

    All good things come to an end. It was March 2003 when Emelianenko upset Antonio Rodrigo Nogueira to take MMA’s heavyweight mantle, and 87 months later, it took Fabricio Werdum just 69 seconds to force “The Last Emperor” to tap and concede that top spot. The next step for Emelianenko remains unclear, but the heavyweight landscape has definitely changed.

    4. Cain Velasquez (8-0)

    Whether one wants to call it a passing of the torch or a coming-out party, Velasquez’s performance against Antonio Rodrigo Nogueira at UFC 110 was short and brutal. In less than half a round, Velasquez destroyed one of MMA’s most historically outstanding heavyweights in easily his most impressive performance to date.

    5. Shane Carwin (12-0)

    It took almost four minutes -- an eternity by his usual standards -- but at UFC 111 in Newark, N.J., Carwin blew off Frank Mir’s doors in the first round to claim the UFC interim heavyweight title. However, the real championship will be contested July 3, when Carwin meets Brock Lesnar.

    6. Frank Mir (13-5)

    Mir entered his March 27 bout with Shane Carwin as a slight betting favorite. However, he looked none the part in the cage, as Carwin bashed him with left hands in the clinch and decimated the former UFC champion to take the promotion’s interim title. With it, he took Mir’s chance for a rubber match with Brock Lesnar.

    7. Junior dos Santos (11-1)

    With five stoppages in five bouts inside the Octagon, dos Santos has put himself right in the UFC heavyweight title mix. “Cigano” might cinch a title shot for the latter stages of 2010 at UFC 117 on Aug. 7, when he meets “The Ultimate Fighter” Season 10 winner Roy Nelson in what should be an entertaining heavyweight tilt.

    8. Alistair Overeem (33-11, 1 NC)

    The next significant bout for Overeem became obscured in just 69 seconds. Originally thought to be the most attractive opponent for Fedor Emelianenko, the shocking defeat of “The Last Emperor” and his potential rematch with Fabricio Werdum leaves no clear path for Overeem.

    9. Antonio Rodrigo Nogueira (32-6-1, 1 NC)

    “Minotauro” had an army of backers who felt the former Pride and UFC heavyweight champion would put on a vintage performance against Cain Velasquez at UFC 110. However, post-fight discussion centered on whether or not Nogueira still has the physical tools to hang with young, elite heavyweights after Velasquez polished him off in a little more than two minutes.

    10. Antonio Silva (14-2)

    Ever since he ran roughshod over heavyweights in Europe back in 2005, onlookers expected heavyweight greatness from Silva. On May 15, “Bigfoot” finally took a step toward those expectations, soundly outboxing Andrei Arlovski to a unanimous decision and recording the most important win of his career.

    Fonte: Sherdog

    P.S.

    Se o Sonnen bater o Silva preparem-se para existir um novo nº1 nos MW e um novo melhor PBP do mundo! <_<

    Os restantes rankings podem ser encontrados aqui: http://www.sherdog.com/news/rankings/Sherd...-Rankings-25392


  8. Amigo, deixe o nacionalismo de lado, pense...o que vc acha que dá mais IBOPE pro Rampage lutar??

    Forrest é queridinho e tá intalado na garganta do Rampage, já o Lyoto não empolga o público (se empolga vc, que bom) devido ao seu estilo de luta.

    Com certeza o público ficaria muito mais na expectativa de uma revanche do Queridinho Forrest com o BA (A- Team) do que uma luta (até sem lógica) com o Lyoto.

    Concordo com tudo, excepto na parte da luta sem lógica entre ambos.

    Quer um quer outro vem de derrotas e atendendo ao facto que o Lyoto não quer lutar com o Minotouro (e nem essa luta venderia nada em termos de marketing antes do embate, o que na minha opinião é mais um motivo para que ela não aconteça), com quem é que o Lyoto iria lutar? Com o Franklin? Não me parece, pois acho que é consensual que o Lyoto quase de certeza iria ganhar...

    É a minha opinião :D

    Abraço


  9. Se o Chuck segurasse a onda só por cinco segundos, no finzinho do round, os comentários agora seriam totalmente diferentes...

    Se a minha avó tivesse rodas era um porta-aviões :rolleyes:

    Se o Lidell também não tivesse fracturado o braço ao Franklin esse comentário tb seria diferente...

    São os sesssss que vão existir sempre...

    Abraço


  10. O Werdum, na minha opinião, não tem as "ferramentas" necessárias para ganhar esta luta... mas na vida e no MMA, tudo é possivel, e as lutas entre o CC e o Randleman são um bom exemplo de que por vezes as coisas mais estranhas podem acontecer :D

    90% de hipóteses de isto acabar com mais um KO ou TKO para o Fedor.

    Esperamos ansiosamente pelo holandês voador :D


  11. Acabei de ver a luta, e sinceramente, penso que muita gente aqui fala por falar.

    1º Round muito equilibrado, com o Mino a meter umas boas joelhadas e alguns socos em pé. A luta vai para o chão, sem uma real queda (na minha opinião) e o Brilz não faz nada de significativo... Na minha opinião o Mino leva este round, quanto muito poderia ser um empate, mas julgo que o Mino foi melhor e procurou mais a luta.

    2º Este foi o round que provocou tanto barulho, pois foi o melhor e o Brilz este por 3x para a acabar o combate, com as guilhotinas e com aquele final em que podia ter ido para cima e tentar o KO... indiscutivel que o round foi para o americano, e é este round que ficou na memória de toda a gente.

    3º Round foi ver o Mino correr atrás do prejuizo, ter mais iniciativa, quase encaixar a guilhotina, trocar melhor. Apesar de ter vencido sem duvida o round, não fez nada de tão visivel e significativo como o Brilz no segundo... mas não é pelo que se fez num round apenas que se ganha um combate quando este vai para os juizes.

    Outro grande problema é que toda a gente estava com grandes expectativas relativamente ao Mino, e este, por sua culpa, e por culpa de um adversário que este forte naquela noite, não esteve à altura dos seus pergaminhos.

    Abraço


  12. Rio de Janeiro Grand Slam - gold for the crowd!

    Twenty one out of 42 countries won medal in the Rio de Janeiro Grand Slam, where 355 athletes met this week-end for another exiting IJF World Circuit Event.

    The enthusiastic Brazilian crowd which packed the Maracanazinho Hall – eight thousand people each day – was an extra motivation for the home team: Brazil won six medals (one gold, one silver, four bronze) and finished third in the medals table, behind Japan (8 out of 14 possible gold medals) and Russia (one gold, two silver, two bronze). All hosts of the IJF Grand Slams were on the top of the medals table once France was fourth in Rio (one gold, one silver, two bronze). The Rio de Janeiro Grand Slam offered US$ 150.000 prize money to the medalists. The next prime event will be the Moscow Grand Slam in the week-end of 3-4 July.

    -81 kg:

    1. Tomislav Marijanovic, CRO

    The 12-time Croatian national champion had a brilliant performance to win his first World Circuit medal. On his way to the victory, he beat the Athens 2004 bronze medalist Flavio Canto in front of his home crowd, the Pan-American champion Travis Stevens (USA) and also Dutch Guillaume Elmont, world champion 2005.

    2. Guillaume Elmont, NED

    3. Flavio Canto, BRA

    3. Leandro Guilheiro, BRA

    5. Laszlo Csoknyai, HUN

    5. David Kevkhishvili, GEO

    5. Takahiro Nakai, JPN

    5. Masahiro Takamatsu, JPN

    -90 kg:

    1. Hugo Pessanha, BRA

    Hugo Pessanha won the only gold medal for Brazil. He met Russian Kirill Denisov (2 in the WRL) in the final, repeating the decision of the Rio de Janeiro Grand Slam 2009 when Denisov won. Pessanha is a two-time Pan-American champion and also took part in the Brazilian team which got silver medal in the World Teams Championships in Beijing 2007 and bronze in Tokyo 2008.

    “It is a kind of revanche because he beat me last year in front of my people. I wanted very much to win”, saiys Pessanha.

    2. Kirill Denisov, RUS

    3. Varlam Liparteliani, GEO

    3. Daiki Nishiyama, JPN

    5. Tiago Camilo, BRA

    5. Dominique Hischier, SUI

    5. Ilias Iliadis, GRE

    5. Marcus Nyman, SWE

    -100 kg:

    1. Elco Van Der Geest, BEL

    It is Elco Van Der Geest second consecutive win in the Rio de Janeiro Grand Slam. In 2009, under the Dutch flag, Van Der Geest beat Brazilian Luciano Correa (world champion 2007) for gold. This time he was the protagonist of another astonishing moment by defeating Japanese star Takamasa Anai by ippon in less than 15 seconds of combat. At the age of 31, experienced Van de Geest won also the Paris Grand Slam earlier this year and is the current European Champion (Vienna 2010).

    2. Takamasa Anai, JPN

    3. Ramadan Darwish, EGY

    3. Levan Zhorzholiani, GEO

    5. Luciano Correa, BRA

    5. Leite Leonardo, BRA

    5. Cyrille Maret, FRA

    5. Dimitri Peters, GER

    +100 kg:

    1. Kazuhiko Takahashi, JPN

    To get his place in the final, Kazuhiko Takahashi had to beat his fellow countrymen and Olympic champion Kenji Suzuki in the semifinal in a very balanced match. Takahashi is the 2010 Japanese national champion and was bronze medalist in the IJF Suwon Masters 2010.

    2. Andreas Toelzer, GER

    3. Islam El Shehaby, EGY

    3. Keiji Suzuki, JPN

    5. Barna Bor, HUN

    5. Daniel Hernandes, BRA

    5. Vladut Simionescu, ROU

    5. Janusz Wojnarowicz, POL

    -70 kg:

    1. Lucie Decosse, FRA

    After a brilliant 2009 season, when she only failed to be on the podium at the World Championships, Lucie Decosse seems to be again on her “golden way”. The number 1 in the WRL won her second consecutive title in the Rio de Janeiro Grand Slam. Olympic silver medalist in 2008, world champion in 2005 and silver world medalist in 2007, Decosse has in her records also a bronze medal in the IJF Suwon Masters 2010.

    “It is more easy to win at home”, she admits reminding her six titles in the Paris tournament. “Although I seem cool for most people, inside me I am very nervous. But I am always confident in my judo. I practice every day and I love competing”, Decosse says.

    2. Edith Bosch, NED

    3. Yoriko Kunihara, JPN

    3. Rasa Sraka, SLO

    5. Erica Barbieri, ITA

    5. Maria Portela, BRA

    5. Juliane Robra, SUI

    5. Tomoe Ueno, JPN

    -78 kg:

    1. Ruika Sato, JPN

    The 2008 world junior bronze medalist is starting her career in the senior level. Ruika Sato won bronze in the Grand Slam Tokyo 2009 and could be seen on the podium in the World Cup Sofia (solver), Budapest (bronze) and Düsseldorf Grand Prix (bronze).

    “I had a very difficult day with lots of goods opponents. I was very concentrated to win”, Sato says.

    2. Akari Ogata, JPN

    3. Mayra Aguiar, BRA

    3. Audrey Tcheumeo, FRA

    5. Kayla Harrison, USA

    5. Celine Lebrun, FRA

    5. Luise Malzahn, GER

    5. Heide Wollert, GER

    +78 kg:

    1. Lucija Polavder, SLO

    The Rio de Janeiro Grand Slam is the third consecutive event in a row with Lucija Polavder on the top of the podium as she won the European Championships and Tunis Grand Prix. Bronze in Beijing Olympic Games and silver in the Rio de Janeiro World Championhips 2007, Polavder is the number one in the world ranking list.

    2. Maria Suelen Althamam, BRA

    3. Idalis Ortiz, CUB

    3. Urszula Sadkowska, POL

    5. Qian Qin, CHN

    5. Mika Sugimoto, JPN

    5. Carola Uilenhoed, NED

    5. Vanessa Zambotti, MEX

    Reported by Manoela Penna, IJF Media Director

    Fonte : www.intjudo.eu


  13. Eu acho que não precisava ser tão radical.

    As catadas de perna poderiam ser mantidas, mas o lutador teria que demonstrar efetividade nelas. Entrar e derrubar. Entrou uma, entrou duas e não conseguia nada, seria punida como uma forma de anti-jogo.

    Álvaro,

    Isso era o que verificava anteriormente.

    O problema aqui não é moroté gari ou o te guruma, mas sim o kata guruma que era uma técnica base para muitos atletas, como era o caso da Telma Monteiro, que apesar de ser diversas vezes campeã da europa, vice-campeã do mundo e ter vencido vários torneios série A, era considerada como uma das judocas com o judo mais feio de sempre! Há quem diga até, nos corredores do mundo do judo, que ela (a forma como lutava e ser uma das forças dominantes do judo actual) foi um dos motivos que mais motivou esta mudança.

    Eu pessoalmente também não gostava muito de ver aqueles kata gurumas em que os atletas entram quase deitados e depois se enrolavam todos, tornando até para quem percebe de judo perceber o que se tinha passado... imaginemos agora um leigo.

    O kata guruma clássico é lindo de se ver, mas em competição ninguém o faz daquela forma, é praticamente impossivel.

    Gardenalmack,

    Hoje em dia a visibilidade é extremamante importante... porque é que achas que no MMA passaram a haver limites de tempo, proibição de certos golpes e outras alterações que não haviam originalmente no UFC e por ai fora?

    Não nos podemos esquecer que o judo é recomendado pela UNESCO e que o facto de ser olimpico contribui muito para isso. Não é por serem retiradas parcialmente (em competição) de certas técnicas que o judo se desvirtou... o judo é bem mais do que uma ou duas técnicas... o judo deixou de ser o que é quando lhe retiraram o kani basami da competição?

    Abraço


  14. Apenas eu não gosto desse "novo judô" que estão, na prática, criando, ao invés de restaurar a beleza do esporte. É o que eu acho, e me reservo o direito de não perder meu tempo praticando, porque ainda que se queira treinar as técnicas que não são válidas, os outros atletas têm o foco na competição, e dificilmente vão querer treinar assim.

    Essa é que é a grande verdade... quem treina a sério não vai treinar essas técnicas.

    O melhor exemplo disso é o taekwondo que devido à competição é uma arte marcial amputada... no judo isso não acontece, nem de perto nem de longe, continuamos a ter muitas técnicas para projectar a malta ao chão :lol:

    Abraço


  15. A pergunta não foi pra mim, mas isso também me chamou a atenção. Parece um kata guruma muito bem aplicado. És tu na foto, Judopitbull?

    Nopes, infelizmente a maldição dos fotografos é nunca terem boas fotos suas :lol:

    A foto foi tirada por mim no Campeonato Nacional Universitário de 2007.

    Fica aqui o link para o meu site onde podem ver a foto original: http://www.nunogoncalvesphotography.com/p8...e4293#h300e4293

    Abraço


  16. Jazz, eu enquanto praticante da arte marcial já te disse que também me custa ver retiradas essas técnicas da competição, no entanto enquanto atleta, compreendo o porquê e aceito-o.

    A grande diferença nestas alterações prende-se sobretudo na retirada do Kata guruma, porque em termos do morote gari, este ultimo não é muito frequente ver em competição, o mesmo já não acontece com o kata guruma.

    A Telma Monteira e o João Pina tinham o seu judo assente no kataguruma e tiveram por exemplo de mudar toda a sua estratégia de combate... ninguém no judo mundial tinha como técnica base o morote gari.

    Em termos de defesa pessoal o kata guruma é impensavel (para mim) realizar numa situação de luta de rua (arrebentam-se os joelhos todos)... já o morote gari é outra história, embora não fosse a minha primeira opção visto o risco de bater com a cabeça no solo ser relativamente elevado.

    P.S.

    Estas técnicas, volto a dizer, não foram totalmente proibidas... apenas estão proibidas como ataques directos, podendo ser usadas como contra-ataque... o Te Guruma que é das técnicas mais espectaculares, senão a mais visualmente, sai muito facilmente sem situações de contra-ataque.

    Abraço


  17. Pra mim a regra (exclusão da caterna de perna) é ridícula, querem um judo mais bonito e plastico façam um campeonato de seoi nague e uchimata, vai ficar lindo, mas não será judô!

    As demais regras eu gostei, o fim do "koka" é um avanço significativo.

    Por essa lógica quando retiraram o Kani Basami deixou de ser também judo, ou só porque não são permitidas as chaves às pernas também deixa de ser judo...

    As coisas não podem ser vistas dessa forma... os desportos evoluem como tudo na vida e temos de aceitar isso...

    Abraço

    Eliminaros ataques às pernas limita ainda mais a arte, e a torna bem menos apta a ser utilizada como defesa pessoal do atleta.

    Jazz,

    Estás-te a referir a defesa pessoal no sentido de defesa em situações de luta na rua?


  18. As regras foram alteradas com um intuito: tornar o judo mais espectacular, mais plástico, de mais fácil compreensão para um leigo.

    Se eu concordo com as alterações?

    Sim, concordo e compreendo o porquê.

    Se gostei delas?

    Nem por isso, pois é uma "amputação" da arte marcial (eu pessoalmente continuo a fazer os meus kata guruma e te guruma nos treinos).

    Quando passou a ser obrigatório o uso do judogi azul, aquilo foi como quem espetou uma faca nos japoneses e nos tradicionalistas, mas tinha de ser feita essa alteração devido à televisão e há necessidade de quem assiste ter um contraste de modo a perceber o que se está a passar. As cores das áreas de combate também foram alteradas devido à TV e à necessidade de ter cores mais agradáveis (vejam os casos do futsal e do voleibol que jogam sob superficies azuis... acham que é porque?)

    O Judo da escola soviética e dos paises de leste não é um judo bonito e tecnicista como o judo da escola japonesa e francesa. Eu já tive a oportunidade de lutar contra atletas de leste e de os ver lutar ao vivo, e é um judo, regra geral, mais feio e muito dependente da força.

    Estas novas regras também vão eliminar muitas mais tentativas de falsos ataques, o que implica que os atletas efectivamente procurem uma projecção, ao invés de andarem sempre de joelhos a tentar enganar os árbitros.

    O Judo já é modalidade olimpica desde 1956 (!) e hoje em dia no movimento olimpico, e com o mediatismo que este tem, há muitas modalidades que querem entrar nos JO e que tem lobbies muito fortes como é o caso do Rugby ou do Golf. Modalidades como o Taekwondo por exemplo vivem com a corda no pescoço e após as olimpiadas de 2004 houve muitas vozes criticas devido à passividade dos atletas o que conduziu a uma "ameaça" de expulsão pois em termos televisivos o Taekwondo não estava a "vender".

    Porque é que acham que não se vê muita luta no chão no judo? Os árbitros tem indicações para mandar colocar de pé a não ser que haja um controle efectivo no momento da transição... a luta no chão, amarrada e demorada não vende (este é um dos grande factores pelos quais, na minha opinião, o JJB nunca será modalidade olimpica).

    P.S.

    As técnicas de ataque às pernas continuam a ser autorizadas e válidas... em contra-ataques (se me atacarem, por exemplo, em ushimata em posso contra-atacar em te guruma)

    Abraço de um judoca


  19. A voz do Silva é qualquer coisas, kakakaka... que doce... hahahahahha :rolleyes:

    Bem, num registo mais sério:

    1 - Para quem não está por dentro do MMA aquilo até foi boa propaganda.

    2 - Para quem está por dentro do MMA, foi mais uma tristeza ver a postura do Silva dizendo que como não bateu nas zonas genitais e afins, não esteve mal... insultar de "playboy", fazer aquelas palhaçadas, é que? Estar bem?

    Por vezes dá a sensação que "Eu sou Anderson Silva, o mundo gira todo à minha volta"

    P.S.

    Ele esquece-se é que para ser um"Muhammad Ali", quer dentro, quer fora do ringue/jaula, não basta dar uns ko's com estilo... é preciso muito, mas muito mais.

    Comparemos a postura dele com a do Fedor... dentro e fora do ringue.

    Abraço