----

Treinos a porta fechada

Recommended Posts

1 hora atrás, Valderazzi disse:

Sério??? Yoshida apagou o Royce???

Diante dessa, não tem mais o que dizer. Pqp!

Tá aí um exemplo claro de como a prática da luta é importante na observação. 

Se tu realmente acha isso, na boa, nao tem mais o que debater.

Ué, o cara tava no Ezekiel claramente encaixado, Royce tá fazendo pegada no punho e a perna tá levantada, dois segundos depois a mão e a perna amolecem, isso é bem nítido até. É ÓBVIO que ele vai dizer que não apagou. Royce inventou desculpa até pro relógio que levou do Wallid e pra surra que tomou do Hughes. Pq iria admitir uma derrota assim? 

E eu treino, brow. Tô lá no tatame sempre que possível, a diferença é que além de treinar, eu vou buscar saber sempre contestar e pesquisar os outros lados da história ao invés de dizer 'sim, senhor' pra tudo que os Gracies dizem

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Lucas Timbó disse:

Ué, o cara tava no Ezekiel claramente encaixado, Royce tá fazendo pegada no punho e a perna tá levantada, dois segundos depois a mão e a perna amolecem, isso é bem nítido até. É ÓBVIO que ele vai dizer que não apagou. Royce inventou desculpa até pro relógio que levou do Wallid e pra surra que tomou do Hughes. Pq iria admitir uma derrota assim? 

E eu treino, brow. Tô lá no tatame sempre que possível, a diferença é que além de treinar, eu vou buscar saber sempre contestar e pesquisar os outros lados da história ao invés de dizer 'sim, senhor' pra tudo que os Gracies dizem

Nao cara. O Royce NÃO apagou contra o Yoshida. Mas acredite no que quiser.

Nao digo "sim, senhor" porra nenhuma, até porque minha formação é da linhagem Carlson.

Que desculpa o Royce deu contra o Wallid? Nao lembro e se deu é ridiculo. Derrota incontestável assim como contra o Hughes. "Não estava lá"? Pra mim isso nao é jogar a culpa da derrota em um terceiro elemento, o que pra mim caracteriza a tal desculpa.

Mas enfim, como falei, se tu acredita que Yoshida apagou Royce nao vou ser eu a te convencer do absurdo que você tá dizendo. E quanto ao que aconteceu revanche, um verdadeiro CARRO, tu ignorou completamente. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Valderazzi 

20 horas atrás, Lucas Timbó disse:

Naquela época, até ali os anos 60, TUDO era judo mesmo. Depois que o bjj foi se aperfeiçoando, inclusive com elementos introduzidos por Carlson e principalmente Rolls, como catch wrestling, wrestling, sambo e judo, coisa que Hélio e Carlos não aprovavam, inclusive a treta com o George foi exatamente por ele ter ido treinar outras artes 

Até os anos 80 judoca tinha receio de sair na mão com kung fu ou capoeira? De onde tu tirou isso? Sei que tu tem a noção do que era o judo naquela época, não esse judo olímpico que gourmetizaram. Geral dos próprios Gracies mandavam os alunos irem treinar com o Mehdi, e eu tenho certeza que os alunos dele mesmo não afinavam pra absolutamente ninguém. Prova disso é o Edson Baiano que desceu o cacete no Wallid, sendo o Edson um preta de judo cascudo muito antes de treinar com o Carlson. O judo até os anos 80 era muito próximo do que o Sambo esportivo hoje, que é a mescla de wrestling, luta livre e judo, não ter uma catada nas pernas era algo impensável

Santos Dumont inventou o avião, outros vieram e modernizaram, mas NÃO O CRIARAM. Mesma coisa judo e jiu-jitsu, muita coisa do que se treina no jiu-jitsu já existia no judo ali mesmo no início dos anos 20. 'Ezekiel', por exemplo, nada mais é que Sode Guruma Jime, que ficou conhecido pq o judoca pegava geral da Carlson com esse golpe 

 

 

 

 

Concordo q o jiujitsu até os anos 60 era praticamente judô puro, mas discordo q o refino q ocorreu a partir dali se deu exclusivamente por influência de outras marciais. Acho q foi um processo parecido com o boxe. O boxe só se tornou "o boxe" depois das regras de uso exclusivo da mãos q foram impostas na Inglaterra. Essa restrição fez com q as técnicas de mão fossem se refinando ao longo do tempo. O mesmo parece ter ocorrido com jiujitsu. O foco quase q exclusivo nas técnicas de chão geraram esse refino absurdo q nós vemos hoje em dia.

E esse argumento de q as técnicas do jiujitsu existem em outras artes marciais vale praticamente pra todas elas. Acredito q quase todos os socos do boxe existem no muay thai, mas ninguém em sã consciência vai dizer q boxe é uma cópia. Todo mundo já o considera uma arte marcial a parte. O mesmo vale pro kickboxing q começou como uma espécie de vale tudo das lutas em pé e hoje tb é considerado uma arte marcial a parte devido os ajustes específicos pras regras da modalidade.

O jiujitsu já se refinou tanto q judocas de alto nível vem treinar chão com lutadores de jiujitsu pra se aperfeiçoar. Considero extremamente injusto quem diz q jiujitsu e judô são a mesma coisa hoje em dia. Vejo muito esse tipo de acusação de americanos q ñ aceitam o fato de q uma arte tão importante pro mundo da luta começou aqui e ñ no país deles.

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, Valderazzi disse:

Nao cara. O Royce NÃO apagou contra o Yoshida. Mas acredite no que quiser.

Nao digo "sim, senhor" porra nenhuma, até porque minha formação é da linhagem Carlson.

Que desculpa o Royce deu contra o Wallid? Nao lembro e se deu é ridiculo. Derrota incontestável assim como contra o Hughes. "Não estava lá"? Pra mim isso nao é jogar a culpa da derrota em um terceiro elemento, o que pra mim caracteriza a tal desculpa.

Mas enfim, como falei, se tu acredita que Yoshida apagou Royce nao vou ser eu a te convencer do absurdo que você tá dizendo. E quanto ao que aconteceu revanche, um verdadeiro CARRO, tu ignorou completamente. 

Não tem mais a parte 5 no youtube, o pq eu não sei. Mas quando a repórter pergunta o que ele teria feito de diferente, ele diz que teria treinado mais com o Royler e depois que não estava lá, exatamente a mesma desculpa que usou pra derrota contra o Hughes

Pra mim é bem claro até que o Yoshida apagou o Royce. O cara tava sendo montado, com um Ezekiel completamente encaixado, sem reação alguma de que iria sair dali, o corpo dele para em um momento e é ali que o juiz acaba a luta. Eu que não vou acreditar num cara que dá desculpas de que 'não estava lá' pra derrotas

Sim, na revanche e sendo MMA, o Royce dá uma surra no Yoshida, isso é fato

Edited by Lucas Timbó

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Lucas Timbó disse:

O cara tava sendo montado, com um Ezekiel completamente encaixado, 

Desculpe, Timbo, mas se você treina e diz que aquilo é montada, tem alguma coisa errada, bicho.

Vi agora de novo. Nao apagou nem a pau.

Te pergunto, de boa, pois tu sabe que te considero um dos poucos lúcidos aqui: tu já apagou alguém ou foi apagado?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nao sei se o Lawyer ja postou esta informacao aqui. Ele tambem postou no blog  do Magapi, segue entao. 

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Tadashi Takeushi - Ao mestre com carinho!!


" Sobre Tadashi Takeushi, pouca gente sabe - porque ficou restrito ao meio do karate - talvez você saiba, e dou essa palhinha para nossos meninos: Só veio para o Brasil por causa do Jiu-Jitsu.
Quando Carlson e Rolls foram até a academia do Tanaka propor o desafio, houve aquela tensão pois Tanaka mesmo franzino disse que fecharia a academia ali mesmo e só sairia um vivo dali. Carlson e Rolls ficaram meio sem jeito, pois acredito que não era essa a intenção, e se retiraram deixando Tanaka em paz.
Ocorre que Tanaka avisou a Japan Karate Association - JKA do ocorrido, dizendo que a JKA tinha que mandar alguém ao Rio para fazer frente aos desafios do Jiu Jitsu.
A JKA enviou ao Brasil Tadashi Takeuchi 6° Dan, com 30 anos, também faixa preta de Judo , invicto em combates e bom de luta até para os padrões japoneses. Takeuchi abriu sua academia em Copacabana, há uns 500 metros da academia Gracie e apesar de ser visitado para verem sua aula por vários professores de JJ, jamais foi desafiado, muito pelo contrario. Rolls Gracie acabou dando uns treinos com Fernando Soares (da mítica seleção de 1972), sócio de Takeuchi, alguns anos mais tarde se preparando para uma luta com Mestre Kim, que nunca houve.
Inácio, que ganhou de Bruce Lúcio do Kung Fu, no desafio do Maracanazinho em poucos segundos, pensou até em desistir de tanto que apanhou de Fernando Athayde, melhor aluno do Takeuchi nos treinamentos. Se o Jiu-Jitsu não era a disneylândia, posso afirmar com a propriedade de quem teve dedos e nariz fraturados em treinos e lutas, que o velho karate do Rio, de antes da era Van Damme com seus pulinhos e helicópteros, era dureza, dureza mesmo!
Para que vocês tenham uma idéia, os exames de faixa-preta também eram fechados e muitos eram reprovados no exame. Após o meu exame de faixa-preta, que teve a presença de Sadamu Uriu e Tanaka, além do meu então Mestre, Teruo Furusho, e mais três faixas-pretas da Federação, fiquei muitos dias machucado, rosto inchado e mãos destruídas...
Depois de 10 anos no RJ, Takeuchi voltou ao Japão aonde morou, até falecer em 2007. Com um temperamento terrível, pois brigava com todo mundo, Takeuchi mesmo assim é idolatrado por todos que foram seus alunos e respeitadíssimo a nível mundial. 
Grande abraço a todos e bom treino! 

Por: Lawyer " 

@marcmagapi

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Gurkha disse:

Nao sei se o Lawyer ja postou esta informacao aqui. Ele tambem postou no blog  do Magapi, segue entao. 

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Tadashi Takeushi - Ao mestre com carinho!!


" Sobre Tadashi Takeushi, pouca gente sabe - porque ficou restrito ao meio do karate - talvez você saiba, e dou essa palhinha para nossos meninos: Só veio para o Brasil por causa do Jiu-Jitsu.
Quando Carlson e Rolls foram até a academia do Tanaka propor o desafio, houve aquela tensão pois Tanaka mesmo franzino disse que fecharia a academia ali mesmo e só sairia um vivo dali. Carlson e Rolls ficaram meio sem jeito, pois acredito que não era essa a intenção, e se retiraram deixando Tanaka em paz.
Ocorre que Tanaka avisou a Japan Karate Association - JKA do ocorrido, dizendo que a JKA tinha que mandar alguém ao Rio para fazer frente aos desafios do Jiu Jitsu.
A JKA enviou ao Brasil Tadashi Takeuchi 6° Dan, com 30 anos, também faixa preta de Judo , invicto em combates e bom de luta até para os padrões japoneses. Takeuchi abriu sua academia em Copacabana, há uns 500 metros da academia Gracie e apesar de ser visitado para verem sua aula por vários professores de JJ, jamais foi desafiado, muito pelo contrario. Rolls Gracie acabou dando uns treinos com Fernando Soares (da mítica seleção de 1972), sócio de Takeuchi, alguns anos mais tarde se preparando para uma luta com Mestre Kim, que nunca houve.
Inácio, que ganhou de Bruce Lúcio do Kung Fu, no desafio do Maracanazinho em poucos segundos, pensou até em desistir de tanto que apanhou de Fernando Athayde, melhor aluno do Takeuchi nos treinamentos. Se o Jiu-Jitsu não era a disneylândia, posso afirmar com a propriedade de quem teve dedos e nariz fraturados em treinos e lutas, que o velho karate do Rio, de antes da era Van Damme com seus pulinhos e helicópteros, era dureza, dureza mesmo!
Para que vocês tenham uma idéia, os exames de faixa-preta também eram fechados e muitos eram reprovados no exame. Após o meu exame de faixa-preta, que teve a presença de Sadamu Uriu e Tanaka, além do meu então Mestre, Teruo Furusho, e mais três faixas-pretas da Federação, fiquei muitos dias machucado, rosto inchado e mãos destruídas...
Depois de 10 anos no RJ, Takeuchi voltou ao Japão aonde morou, até falecer em 2007. Com um temperamento terrível, pois brigava com todo mundo, Takeuchi mesmo assim é idolatrado por todos que foram seus alunos e respeitadíssimo a nível mundial. 
Grande abraço a todos e bom treino! 

Por: Lawyer " 

@marcmagapi

Esse mestre seria bom pra desafios afinal era preta de judô e não seria posto pra baixo fácil..

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
39 minutos atrás, NEGO DÁGUA disse:

Esse mestre seria bom pra desafios afinal era preta de judô e não seria posto pra baixo fácil..

 

Ja tinham postado esta informação sobre o Takeuchi, mas fica o comentário para relembrar...

Edited by Gurkha

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 9/1/2018 at 7:44 AM, masterblaster disse:

Tudo bem armlock? 

Obrigado pelo ótimo post, bateu um saudosismo danado!

E pessoalmente, mesmo sendo kickboxer de raiz, não vislumbro um cenário em que o Benny pudesse ter levado vantagem sobre o Rorion naquela época, a não ser que encaixasse um golpe muito duro. Mesmo que tivesse achado algum instrutor de JJ, a excelência dos Gracie era gritante, e eles desenvolveram técnicas que fugiam do arsenal padrão, não é?

Concordo integralmente contigo e com o @Valderazzi, hoje treino pouco lembra luta.

Grande abraço!

Alo Master,  atualmente so visito os foruns esporadicamente , por isso nao ter comentado o seu post antes. Desculpe.  Para compensar, segue a foto do Jornal do Brasil da visita do Helio e Carlson ao Tanaka em 1966, referida em post acima. Tres nomes do meu passado que trazem boas memorias... Eh bom ver o Gurkha e outros mantendo o topico vivo.

 

13177971_10207209556815727_1428050603564

 

A descobri recentemente, nesta pagina de fotos historicas do Karate, que tambem me permitiu rever muitas pessoas bem quistas.  Merece uma visita para quem gosta de relembrar o passado.     https://karatejka.blogspot.com/p/karate-historico.html


Qualquer dia passo aqui de novo. Osu aos que ficam.

 

Resolvi pegar o resto do artigo do JB para ficar como referencia. Segue em 2 imagens. Divirtam-se.

GoRpAT8.jpg

heI9PmC.jpg

Edited by armlock

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/23/2018 at 10:50 PM, armlock disse:

Alo Master,  atualmente so visito os foruns esporadicamente , por isso nao ter comentado o seu post antes. Desculpe.  Para compensar, segue a foto do Jornal do Brasil da visita do Helio e Carlson ao Tanaka em 1966, referida em post acima. Tres nomes do meu passado que trazem boas memorias... Eh bom ver o Gurkha e outros mantendo o topico vivo.

 

13177971_10207209556815727_1428050603564

 

A descobri recentemente, nesta pagina de fotos historicas do Karate, que tambem me permitiu rever muitas pessoas bem quistas.  Merece uma visita para quem gosta de relembrar o passado.     https://karatejka.blogspot.com/p/karate-historico.html


Qualquer dia passo aqui de novo. Osu aos que ficam.

 

Resolvi pegar o resto do artigo do JB para ficar como referencia. Segue em 2 imagens. Divirtam-se.

GoRpAT8.jpg

heI9PmC.jpg

Isso é uma jóia rara. Parabéns!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/23/2018 at 9:50 PM, armlock disse:

Alo Master,  atualmente so visito os foruns esporadicamente , por isso nao ter comentado o seu post antes. Desculpe.  Para compensar, segue a foto do Jornal do Brasil da visita do Helio e Carlson ao Tanaka em 1966, referida em post acima. Tres nomes do meu passado que trazem boas memorias... Eh bom ver o Gurkha e outros mantendo o topico vivo.

 

13177971_10207209556815727_1428050603564

 

A descobri recentemente, nesta pagina de fotos historicas do Karate, que tambem me permitiu rever muitas pessoas bem quistas.  Merece uma visita para quem gosta de relembrar o passado.     https://karatejka.blogspot.com/p/karate-historico.html


Qualquer dia passo aqui de novo. Osu aos que ficam.

 

Resolvi pegar o resto do artigo do JB para ficar como referencia. Segue em 2 imagens. Divirtam-se.

GoRpAT8.jpg

heI9PmC.jpg

Interessante, mestre Lawyer falou disso.

Parece que mandaram um karateca , campeão de judô pra enfrentar os gracies

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/14/2018 at 1:58 PM, Gurkha disse:

Eu havia prometido historias do Prof. Mehdi mas devido a seu falecimento recente, vou deixar para outra ocasiao. Os treinos já foram descritos aqui,  eram durissimos e ele algumas veze usava a shinai ( espada de bambu do kendo) em seus alunos para ficarem mais espertos ( coisa que aprendeu no Japão). O que posso adiantar mais e' que. embora tenha treinado com os Gracie ( Carlson inclusive), ele de uns tempos para ca' não gostava deles nem um pouco devido a seu modo de ser ( ganancia, brigas, desafios etc.) e achava que a historia de BJJ era mentira da parte deles , e que na verdade "era tudo Judo" .  Quando for oportuno faco a transricao de sua reportagem completa para uma revista estrangeira.

Quando ao Naja, esta historia ou estoria me foi contada quando comecei a treinar com ele, por um de seus alunos o Victor. 

Estou vendendo o peixe que me venderam, portanto não posso garantir a veracidade total em alguns pontos.

Ele comecou a dar aulas no Circulo MIlitar e o Rudimar tambem comecou ali a treinar com ele se tornando seu instrutor. Foi algum tempo depois que ele mudou sua escola para a Marechal Deodoro. Nesta epoca tambem o Rudimar comecou a se tornar "independente" e o desafiou em frente a seus alunos. Para resumir enquanto o Nelio era um apaixonado pela arte o Rudimar sempre visou mais a parte comercial e começou a enxergar o potencial para vender o MT de uma maneira mais eficiente.

Aconteceram outros problemas entre os dois que não vou detalhar aqui, (mas dizer que o Rudimar não foi santo e'pegar leve). O fato e'que segundo o Vitor, eles resolveram finalmente acertar as contas a portas fechadas e o resultado da luta foi inconclusivo (sem nocaute) embora alguns alunos clamem que o Naja surrou bastante o Rudimar. Ai começou a rivalidade entre as duas academias que por pouco não acabou em coisa mais seria em alguns momentos. E um grupo vivia caçando o outro, (a Chute Boxe quase sempre na iniciativa), como foi no caso da famosa briga na praça 15 onde dois grandes grupos rivais se enfrentaram feio e um dos caras quase acabou em coma.

Isto poderia explicar a briga do Naja nas portas do Circulo Militar onde o Rudimar também passou a dar aulas, ficando com alguns alunos apos a separação (O Naja já tinha se mudado para outro lugar). Ela aconteceu quando o Naja passou na frente com um carro velho (que chamava a atenção pelo barulho) tendo a esposa a bordo. Alguns caras começaram a xinga-lo do nada e ele voltou para os intimar. Com excessao de um que topou e acabou "levando desvantagem" ninguém mais foi encarar ( embora as namoradas ficassem botando pilha nos caras).  Eu achava que era lenda urbana, mas um dos "amarelões" supostamente disse que o Naja (que também era um bom faixa-preta de TKD) chutou o desafeto dando um salto se apoiando com um dos pes numa cerca próxima. Depois de ver uma coisa parecida no UFC hoje penso que talvez isto tenha sido verdade. 

O Fato e'que anos depois o Naja cansado destas brigas sumiu deixando a academia com o falecido Rubens Melantonio que, valente,  não levava desaforo para casa, e participou de muitas brigas na rua contra Chute Boxe  tendo inclusive espancado o Rudimar em uma ocasião. (O China, um dos alunos daquela epoca pode contar muitas historias).

Enquanto o MT Naja caminhava lentamente, o Rudimar com sua "visão empreendedora" ficou cada vez melhor e diversificou suas atividades com mais estudantes, tendo inclusive se aventurado na area de segurança. Depois passou ao MMA nos a nos 90 e o resto ja' sabem.

Palavras do Anderson Silva, treinado pelo Noguchi, um dos melhores alunos no Mestre Naja:

“A Chute Boxe tinha poder de influência sobre as outras academias porque invadia, batia em todo mundo. Era o modo de agir deles. E todos muito grandes, fortes, bombados. Do nosso lado, éramos franzinos, tínhamos apenas técnica.”   

Ou, resumiu um forista  aqui: depois de alguns anos ninguém, nenhum profissional ou academia, exercia sua profissão se Rudimar e companhia não “autorizasse” em Curitiba.

Felizmente a coisa hoje mudou (o prospecto de impunidade fica mais difícil e a imagem pode ficar arranhada fácil) .

Por outro lado a vida não foi justa para o Mestre Naja, infelizmente.

Descobri que seu único filho homem o Nitoy infelizmente faleceu em 2014, quando o pai ja' estava naquela situação. Obviamente que isto so piorou as coisas.

Interessante que, ao contrario do que seus detratores falam, conversando com pessoas do meio hoje creio que ele realmente esteve na Tailândia em busca do conhecimento, mas pelo que entendi não foi só no Brasil que lhe passaram a perna. O cara com que ele treinou realmente existiu ( meu professor e' tailandês e confirmou a existência deste treinador que ainda vive em Bangkok ).

Ainda vou acha-lo quando for la' embora prefira ir para a a Indonesia quando posso ( apenas 3 horas de voo daqui) e vou tentar saber mais. Aguardem.

NELIO-NAJA-45JC.jpg

Vale lembra que Rudimar também apanhou de Rei Zulu em um treino a portas fechadas  

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, tesla disse:

Vale lembra que Rudimar também apanhou de Rei Zulu em um treino a portas fechadas  

Engraçado que pouco se sabe do Rudimar como praticante ou lutador!!

Como professor sempre foi o Cordeiro, no auge da chute boxe

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 12/16/2018 at 2:50 PM, NEGO DÁGUA disse:

Engraçado que pouco se sabe do Rudimar como praticante ou lutador!!

Como professor sempre foi o Cordeiro, no auge da chute boxe

Rudimar era pra Chute Boxe o que o Carlos era pros Gracies, uma espécie de mentor e guru

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 11/6/2018 at 10:53 PM, Gurkha disse:

Esta historia e'  de 1995 sobre o Alessandro (Alemao) Steffen durante um campeonato de Vale-Tudo. A causa foram treinos "a portas fechadas" no JJ sendo ele do Hapkido.  Obviamente nao compartilho de suas opinioes, especialmente em certos pontos sobre o  Royce e Amaury, mas na sua entrevista ele fala algumas verdades.

Alessandro Steffen lutou, bateu, nocauteou mas não levou,

Reportagem Kiai (BIOPRESS Editora) Numero 20 Ano IV

(Luta Realizada em  05 Julho de 1995 Circuito de Lutas Free Style numero 2 Ginásio do Ibirapuera em SP)

Como você viu o evento no geral?

Quanto ao evento o que eu tenho a dizer é que a organização foi de nível internacional,  o jogo de luzes, o grande publico e tudo mais. Mas quando a organização, em relação aos lutadores falhou muito. Por exemplo, nos do Hapkido ficamos embaixo da torcida do Jiu Jitsu e eles cuspiram em nos e fizeram pressão psicológica. Alguns lutadores de Jiu Jitsu que não estavam competindo como o Godói e outros da Cia Athletica, ficaram fazendo pressão querer ir para cima de mim me xingando, ameaçando de mortedizendo que não iria sair de lá naquele dia e tudo o que pude pressão psicológica Disseram que queriam me pegar lá fora e tudo mais quanto às minhas lutas a a primeira foi fácil. Finalizei em 30s caindo no chão por baixo, rodando para as costas dele e finalizei com mata leão . Ele bateu e eu soltei.

Na luta com o Jorge Pereira o bicho pegou.

Você disse que o Jorge Pereira o ameaçou?

Sim antes de começar a primeira luta, o Jorge Pereira veio atrás de mim no vestiário e me ameaçou querendo brigar lá mesmo dizendo que eu era traidor do Jiu Jitsu. Inicialmente ele queria lutar Jiu Jitsu comigo em cima do ringue pois me disse “ou você luta Jiu Jitsu ou Hapkido , você escolhe agora!” respondi : “vim aqui para lutar no vale tudo” . E ele retrucou então “você é um traidor do Jiu Jitsu” respondi dizendo que não sou traidor do Jiu Jitsu porcaria nenhuma porque sou faixa branca de Jiu Jitsu e quando comecei a treinar Jiu Jitsu todos sabiam que eu fazia Hapkido. Fui campeão mundial de Hapkido em 1993 na coreia e  tricampeão brasileiro. Em vale tudo já fiz mais de 100 lutas Mas profissionalmente,  foi a primeira vez que ganhei dinheiro para lutar.  Mas continuando,  o Jorge Pereira me ameaçou dizendo que iria resolver tudo ali mesmo no vestiário e eu disse que não, pois estava ali para lutar no ringue.  Ele insistiu em lutar comigo no vestiário e me deu um empurrão. Repeti que só ia lutar no ringue, e ele disse : “Está bom então vou te virar do avesso em cima do ringue”, Subiu correndo as escadas e ficou esperando a hora da luta.

Quando chamaram o nosso nome e subi no ringue eu nem havia percebido que o árbitro era o Roberto Lage do Jiu Jitsu. Eu estava tão concentrado que não percebi nada que estava à minha volta. Inclusive não dá para Lembrar que existe um juiz. No ringue somos apenas ele e eu.

Começou a luta ficamos nos estudando, esperando o momento certo de agir até que ele veio para cima. Dei um cruzado e um soco de baixo pra cima e ele caiu sentado. Eu ficava dizendo pra levantar fazendo pressão psicológica e  tentando dar uns chutes. Então cai por cima dele e comecei a socar seu rosto. Acho que foram mais de uns 15 socos no rosto até que ele foi nocauteado. Nesse momento o juiz não separou e só então percebi que era o Roberto Lage. Ele ficou perguntando ao Jorge Pereira se ele estava bem para continuar a luta e nem abriu contagem e paralisou a luta. Ele só me segurava ele perguntava Ao Jorge se ele estava bem. Ele não levantou os meus braços, não abriu contagem, não disse que eu era o vencedor não falou nada.

Então pela regra, a luta estava continuando e o Jorge Pereira acordou,  começou a falar algumas coisas que eu não estava entendendo e dei nele outro soco. Nesse momento Roberto Lage jogou-me para as cordas com o cotovelo da minha garganta, dizendo que eu já era o campeão já tinha vencido a luta não precisava mais fazer isso. E repetiu que eu tinha ganho a luta. Nisso veio um cara por trás de mim e me empurrou para o meio do ringue,  e quando me virei e vi que era o técnico do Jjorge Pereira. Então foi aquela invasão de em todo o mundo do Jiu Jitsu quebrando as grades invadindo. Foi o que todo mundo viu, e quem tiver a oportunidade de assistir a fita também vai ver.

Apos uns 10min de paralisação da luta o Roberto Lage lme disse:”O cara está morto não esquenta não”. Achei que iria levantar o meu braço dando-me a vitoria,  mais ele pediu pra recomeçar a luta. Eu nem devia ter recomeçado,  mas no momento e com adrenalina a mil nem pensei. Estava só  pensando em lutar mesmo.  Voltei a lutar escorreguei junto com o Jorge na água que ele tinha derramado no chão do ringue, e no chão trocamos mais alguns socos até que chegamos perto do corda onde muita gente de Jiu Jitsu estava gritando no meu ouvido “arrebenta ele, ele mata ele” falando aquelas coisas que para ele são normais. O Roberto Lage novamente paralisou a luta deu um  tapinha nas costas do jorge pereira pedido para ele parar a luta eu estava nas costas do jorge pereira mesmo com a luta paralisada deu um montagem ficou por cima de mim um posição de vantagem e gritando com histérico desesperado “daqui não saio daqui não saio”.

O Roberto Lage ao invés de agir como o juiz de vale tudo se dar um puxão nele como tinha feito comigo,  ficou dando tapinhas nas costas mas na hora em que não quer nocauteei o Jorge Pereira ele me deu um puxão e me jogou para as cordas. Não o estou contestando como mestre de Jiu Jitsu mais em termos de arbitragem para competições do vale tudo infelizmente ele não tem competência. Tanto é que falhou por não ter competência para função. Depois disso com a luta paralisada, o Jorge Pereira  continuou em cima de mim, segurando meu braço e os caras do Jiu Jitsu gritando no meu ouvido do lado de fora. Eu estava lutando não só contra o jorge pereira mas contra toda a torcida do Jiu Jitsu e contra o juiz que estava do seu lado. Meu técnico disse para desistir,  não fui finalizado, não houve nenhum soco que me fizesse apagar no momento. Estava consciente e pedi para parar a luta porque não havia condições de continuar daquele jeito ao meu ver aquilo estava se virando um palhaçada um briga de rua, não era mais um campeonato.

Em sua opinião, qual foi a principal falha na organização do evento?

A maior falha foi o juiz ser do Jiu Jitsu, deveria ser um juiz neutro. E em segundo lugar quanto a segurança,  deveria haver muito mais policiais para deter a torcida. E terceiro, esta regra de contagem.

Não pode ter essa regra de contagem porque dá tempo para o cara se recuperar. No meu caso foi pior,  pois nem chegaram a abrir contagem, mas usaram a regra para dar tempo ao Jorge ser recuperar e continuar a luta. Quero deixar declarado aqui que o sr. Flávio Behring um dos diretores do freestyle no momento em que a luta terminou,  me agarrou pelo braço e ficou gritando no meu ouvido: “ não levanta não levanta! “. Como diretor do evento ele nunca poderia ter me segurado pelo braço para dar a impressão que eu estava nocauteado dizendo para não levantar, e dando a vitória para o Jorge Pereira,  tentando amenizar o vexame que ele deu em cima para o Jiu Jitsu.

Depois de tudo isso você pretende voltar ao vale tudo de novo?

Quanto vale tudo momentaneamente estou afastado de qualquer possibilidade de lutar novamente. Mas isso não é definitivo. Pretendo dar um tempo, porque a pressão psicológica é muito grande e para mim não é sadio no momento pois tenho outros projetos em vista

 

 

Sempre sujos, impressionante como a má índole e total falta de desportividade era regra nessa turma.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now