pipo

Rickson Gracie destaca aprendizado com Helio em maior luta da carreira no MMA

Recommended Posts

22 minutos atrás, Andarilho disse:

Entendo. Veja se resumo adequadamente seus argumentos:
-Ele lutou numa época que não havia tanto interesse midiático, daí a ausência de registros de suas lutas;
-O mundo inteiro queria lutar com ele;
-Era um homem corajoso, foi na academia de seus rivais e desafiou-os para lutar e todos fugiram.
-Era o melhor do Jiu-Jitsu e, na época, o Jiu-Jitsu era a melhor da época, infere-se que ele era o melhor também.
-Há falta de reconhecimento aqui no país, mas internacionalmente, ele é reconhecido pelos seus feitos, daí o sucesso de seu livro e o interesse pelo televisionamento de sua vida.
É mais ou menos isso?

Não resumiu não. A prosa é longa. Kkkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, apresento então meu ponto de vista e eventuais discordâncias com os argumentos que você indicou.
Entendo que para qualificarmos alguém como um grande lutador (ou um dos melhores), é necessário que verificar em quais regras, como ele lutou e contra quem. Parece basilar porque de fato o é. Avaliamos lutadores pelas suas lutas. 
Acredito que o apelo da Vale-Tudo para muitos de nós é justamente o número de regras reduzido, o que permite uma avaliação mais justa, dentre o esportivamente possível, da eficiência das técnicas de luta. Contrário aos muitos campeonatos de artes marciais que, por suas limitações e subjetivismos, implicam em lutas muito distantes de uma luta "real".  Nesse sentido, mérito do Rickson em lutar nessas regras, mais exigentes e perigosas. Aliás, mais perigosas dos que as de hoje.
Por sua vez, no aspecto "como" lutar, Rickson novamente tem grande destaque: em suas lutas de Vale Tudo, ele "varreu" seus oponentes, demonstrando dominância e eficiência do seu estilo de luta.
O aspecto controvertido sobre Rickson, óbvio, é o último: com quem ele lutou. Não vemos nenhum nome de destaque em seus oponentes, apesar de que nomes de destaque existiram durante sua "carreira" de lutador.Vejamos: 
-Com relação à falta de registro: literalmente, o pai em 1951 trouxe nomes de muito maior peso e lutou na frente de um estádio para propagar a arte. Temos registros de outros lutadores, televisionados inclusive. Se ele derrotou tanta gente de tanta qualidade, porque só temos como registro, na prática, do Zulu? E como justificar essa ausência de registros na década de 1990 em diante?
-O mundo inteiro queria lutar com ele: Não seria melhor então lutar só com os melhores ao invés de gente pouco experiente? Em 96, ele escolheu enfrentar um cara que vinha do "telecatch" japonês 0-0 nas lutas... (Nobuhiko Takada)
-Era um homem corajoso. Acredito. Mas para avaliar se alguém é um grande lutador, é necessário que ele lute; esbravejar, desafiar sem entrar no ringue não conta. No fim das contas, houve muitas oportunidades para ele enfrentar o Marco Ruas. Ter desafiado o cara uma vez e o cara recusar não conta como vitória.
-Era o melhor do JiuJitsu e o JiuJitsu vencia tudo. Bastante controverso, em especial na década de 1990. O Sakuraba ensacolou 4 Gracies seguidos. Não fazia sentido o melhor deles ir demonstrar o poder da arte? Na prática, enquanto a família toda representou, o seu melhor membro não... e eu entenderia completamente se ele citasse o fator idade. Aliás, vc disse muitas vezes que ele parou de lutar por conta do falecimento do filho. Mas em março de 2001, estava lá o Rickson dando entrevista que provavelmente lutaria de novo em 2001  ,que não tinha aposentado e que não via nada demais no Sakuraba. 2002, estava falando de novo de lutar.  Também não colabora pra sua imagem ele dizer aos 50 anos que ganha do Fedor e do Shane Carwin se não estava disposto a entrar no ringue pra mostrar isso...
-Há falta de reconhecimento... Pelo contrário, sempre vejo todos resguardando a imagem de como o cara era incrível no JiuJitsu e sua influência na arte. O que tem muita discordância é de suas qualidades como lutador de Vale Tudo quando, na prática, ele não travou as lutas que poderiam destacá-lo nesse meio. E só.
Assim, numa "prosa curta", o problema é que durante a carreira inteira de lutador do Rickson, ele não teve lutas suficientes com lutadores de qualidade reconhecida.
 

Share this post


Link to post
Share on other sites
49 minutos atrás, Andarilho disse:

Bom, apresento então meu ponto de vista e eventuais discordâncias com os argumentos que você indicou.
Entendo que para qualificarmos alguém como um grande lutador (ou um dos melhores), é necessário que verificar em quais regras, como ele lutou e contra quem. Parece basilar porque de fato o é. Avaliamos lutadores pelas suas lutas. 
Acredito que o apelo da Vale-Tudo para muitos de nós é justamente o número de regras reduzido, o que permite uma avaliação mais justa, dentre o esportivamente possível, da eficiência das técnicas de luta. Contrário aos muitos campeonatos de artes marciais que, por suas limitações e subjetivismos, implicam em lutas muito distantes de uma luta "real".  Nesse sentido, mérito do Rickson em lutar nessas regras, mais exigentes e perigosas. Aliás, mais perigosas dos que as de hoje.
Por sua vez, no aspecto "como" lutar, Rickson novamente tem grande destaque: em suas lutas de Vale Tudo, ele "varreu" seus oponentes, demonstrando dominância e eficiência do seu estilo de luta.
O aspecto controvertido sobre Rickson, óbvio, é o último: com quem ele lutou. Não vemos nenhum nome de destaque em seus oponentes, apesar de que nomes de destaque existiram durante sua "carreira" de lutador.Vejamos: 
-Com relação à falta de registro: literalmente, o pai em 1951 trouxe nomes de muito maior peso e lutou na frente de um estádio para propagar a arte. Temos registros de outros lutadores, televisionados inclusive. Se ele derrotou tanta gente de tanta qualidade, porque só temos como registro, na prática, do Zulu? E como justificar essa ausência de registros na década de 1990 em diante?
-O mundo inteiro queria lutar com ele: Não seria melhor então lutar só com os melhores ao invés de gente pouco experiente? Em 96, ele escolheu enfrentar um cara que vinha do "telecatch" japonês 0-0 nas lutas... (Nobuhiko Takada)
-Era um homem corajoso. Acredito. Mas para avaliar se alguém é um grande lutador, é necessário que ele lute; esbravejar, desafiar sem entrar no ringue não conta. No fim das contas, houve muitas oportunidades para ele enfrentar o Marco Ruas. Ter desafiado o cara uma vez e o cara recusar não conta como vitória.
-Era o melhor do JiuJitsu e o JiuJitsu vencia tudo. Bastante controverso, em especial na década de 1990. O Sakuraba ensacolou 4 Gracies seguidos. Não fazia sentido o melhor deles ir demonstrar o poder da arte? Na prática, enquanto a família toda representou, o seu melhor membro não... e eu entenderia completamente se ele citasse o fator idade. Aliás, vc disse muitas vezes que ele parou de lutar por conta do falecimento do filho. Mas em março de 2001, estava lá o Rickson dando entrevista que provavelmente lutaria de novo em 2001  ,que não tinha aposentado e que não via nada demais no Sakuraba. 2002, estava falando de novo de lutar.  Também não colabora pra sua imagem ele dizer aos 50 anos que ganha do Fedor e do Shane Carwin se não estava disposto a entrar no ringue pra mostrar isso...
-Há falta de reconhecimento... Pelo contrário, sempre vejo todos resguardando a imagem de como o cara era incrível no JiuJitsu e sua influência na arte. O que tem muita discordância é de suas qualidades como lutador de Vale Tudo quando, na prática, ele não travou as lutas que poderiam destacá-lo nesse meio. E só.
Assim, numa "prosa curta", o problema é que durante a carreira inteira de lutador do Rickson, ele não teve lutas suficientes com lutadores de qualidade reconhecida.
 

Obrigado  resumiu com eloquência  e extrema  inteligência  tudo que falamos e não  querendo  acrescentar nada foi isso tudo mesmo.

1993 , Royce venceu o UFC  porém mundialmente  o Rickson  ganha fama por ser o melhor disparado da arte suave,  e reconhecidamente  melhor que o irmão  e venderem o Zulu de uma  maneira exagerada, como invicto não  era Euclides  Pereira o venceu aos 40 anos 1979.

Hoje com todos recursos,  de nutricionista  ( tenho 30 anos sou relativamente  jovem e na boa a 12 anos atrás  pouca gente  sabia o que era isso), endócrino,  reposição  hormonal,  suplemento, o cara é  considerado  velho nessa idade imagine nessa época  .

Rickson viveu o esporte e não  tinha uma diferença  gritante para o Royce de idade, pra ele não ter  lutado,  ou Ruas 2 anos mais novo, entre tantos nomes.

Foi ao Japão  venceu com.merito porém grappling  aonde foi excelente  mostrando  superioridade  do jiu jitsu brasileiro  em questão  de catch, wrestling,  judô ou jiu jitsu  japonês. 

Mas porrada ficou devendo  sim , e digo mais ele seria top até 2000 perderia umas porém ficaria gigante, Renzo não  perdeu? E todos lembram de suas vitórias  sobre Smith, Tatarov etc?

O que mais me deixa intrigado é  que ele tinha  jogo pro Sakuraba  a meu ver .

Mas volto a um.ponto vale tudo é ju jitsu  é  outro esporte.

Quantos top do Carlson foram pro MMA  ou vale tudo é não  deram pra parada, Wallid foi um deles.. próprio  Royler top mundial  de juu jitsu  mas lá...( não  era super técnica,provou que não  quebo magrinho  nasceu pra porrasa e nunca se escondeu o cara já  era coroa e lutou UFC  moderno... pra que? Honra o pai era mesma coisa pra que um cara indo pra 40 em 1951 nesse tempo 50 anos o pessoa era idoso, saiu na mão  com dois monstros  , Royce ao 50 saiu com Ken...) .

O próprio  mestre dizia: ele lembra muito  meu estilo.

Relson no havaiano pediu auxílio ao Marcelo  tigre com toda sua brabeza...

Royce tentou ir pra cima do Wanderlei,  mesmo  que este o matasse provavelmente..

Coragem  resume o Royce,  resume o Ruas,  perderam? E daí?

Quem não  perdeu ? São  exceções  

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, Andarilho disse:

Bom, apresento então meu ponto de vista e eventuais discordâncias com os argumentos que você indicou.
Entendo que para qualificarmos alguém como um grande lutador (ou um dos melhores), é necessário que verificar em quais regras, como ele lutou e contra quem. Parece basilar porque de fato o é. Avaliamos lutadores pelas suas lutas. 
Acredito que o apelo da Vale-Tudo para muitos de nós é justamente o número de regras reduzido, o que permite uma avaliação mais justa, dentre o esportivamente possível, da eficiência das técnicas de luta. Contrário aos muitos campeonatos de artes marciais que, por suas limitações e subjetivismos, implicam em lutas muito distantes de uma luta "real".  Nesse sentido, mérito do Rickson em lutar nessas regras, mais exigentes e perigosas. Aliás, mais perigosas dos que as de hoje.
Por sua vez, no aspecto "como" lutar, Rickson novamente tem grande destaque: em suas lutas de Vale Tudo, ele "varreu" seus oponentes, demonstrando dominância e eficiência do seu estilo de luta.
O aspecto controvertido sobre Rickson, óbvio, é o último: com quem ele lutou. Não vemos nenhum nome de destaque em seus oponentes, apesar de que nomes de destaque existiram durante sua "carreira" de lutador.Vejamos: 
-Com relação à falta de registro: literalmente, o pai em 1951 trouxe nomes de muito maior peso e lutou na frente de um estádio para propagar a arte. Temos registros de outros lutadores, televisionados inclusive. Se ele derrotou tanta gente de tanta qualidade, porque só temos como registro, na prática, do Zulu? E como justificar essa ausência de registros na década de 1990 em diante?
-O mundo inteiro queria lutar com ele: Não seria melhor então lutar só com os melhores ao invés de gente pouco experiente? Em 96, ele escolheu enfrentar um cara que vinha do "telecatch" japonês 0-0 nas lutas... (Nobuhiko Takada)
-Era um homem corajoso. Acredito. Mas para avaliar se alguém é um grande lutador, é necessário que ele lute; esbravejar, desafiar sem entrar no ringue não conta. No fim das contas, houve muitas oportunidades para ele enfrentar o Marco Ruas. Ter desafiado o cara uma vez e o cara recusar não conta como vitória.
-Era o melhor do JiuJitsu e o JiuJitsu vencia tudo. Bastante controverso, em especial na década de 1990. O Sakuraba ensacolou 4 Gracies seguidos. Não fazia sentido o melhor deles ir demonstrar o poder da arte? Na prática, enquanto a família toda representou, o seu melhor membro não... e eu entenderia completamente se ele citasse o fator idade. Aliás, vc disse muitas vezes que ele parou de lutar por conta do falecimento do filho. Mas em março de 2001, estava lá o Rickson dando entrevista que provavelmente lutaria de novo em 2001  ,que não tinha aposentado e que não via nada demais no Sakuraba. 2002, estava falando de novo de lutar.  Também não colabora pra sua imagem ele dizer aos 50 anos que ganha do Fedor e do Shane Carwin se não estava disposto a entrar no ringue pra mostrar isso...
-Há falta de reconhecimento... Pelo contrário, sempre vejo todos resguardando a imagem de como o cara era incrível no JiuJitsu e sua influência na arte. O que tem muita discordância é de suas qualidades como lutador de Vale Tudo quando, na prática, ele não travou as lutas que poderiam destacá-lo nesse meio. E só.
Assim, numa "prosa curta", o problema é que durante a carreira inteira de lutador do Rickson, ele não teve lutas suficientes com lutadores de qualidade reconhecida.
 

Parabéns  pelas palavras, as  colocou de forma elegante e sem ofender o Rickson, sua família  e, tampouco,  eu que o defendo, algo raro  por aqui.

Como já disse várias vezes nesse espaço: o que deve brigar  são as ideias e não as pessoas!

Nesse mesmo cotejo, uma frase atribuída a Voltare, diz mais ou menos assim: “Posso não concordar como uma única palavra sua, mas defenderei até a morte o teu direito de dizê-la”.

Dito isso, o parabenizo novamente pelo texto e apesar de não concordar com ele em absoluto, passo a dar a minha visão do assunto:

Rickson é de uma época que o negócio não era televisionado e os embates se davam, principalmente, para comprovar qual era a melhor arte.

Os embates ocorriam, inclusive, com os gracies  fazendo eventos oferecendo  dinheiro para lutadores que os vencessem 

As lutas foram ocorrendo e o Jiu Jitsu foi demonstrando a sua eficiência como a melhor arte num confronto “estilo contra estilo” e sem peso.

Rickson por ser um exímio lutador da arte, vinha ganhando de todos os seus oponentes  e, surpreendentemente, por finalização!

Tanto que os adversários não queriam mais lutar com ele. 
Era comum ele muitas vezes ficar frustrado com isso e até parabenizar quem aceitasse lutar com ele.

Diante desses fatos, como o Vale tudo só existia no Brasil e o Rickson ganhava de forma avassaladora de seus adversários, tanto no jiu jitsu como nos confrontos  de “estilo contra estilo”, atingiu o estutus de maior do mundo!

A partir daí, o mundo todo passou a querer lutar com ele e. no rio, começou-se a falar que tinha gente que poderia vencê-lo, como: Ruas, Hugo e outros.

Assim, quando ele estava próximo de ir a o EUA, avisou que iria ao Boqueirão  (templo da luta-livre), maior desafio para o jiu jitsu naquela época.

Para tirar isso a limpo!

Foi lá (na casa dos caras), e chamou pra porrada não só o Marcos e sim mais dois ou três pra fazer na hora, sem limite de peso, ou com qualquer restrição de Regras.

Imagina a ousadia, valentia e o desaforo que foi isso.

Ruas ficou quietinho e pediu tempo para treinar. O único que achou aquilo um absurdo foi o Hugo, que devolveu a visita e apanhou duas vezes; e o Tadeu que também disse que faria com dois três no peso dele.

Naquela época ( era selva no rio), não tinha essa de preparar, todos estavam sempre preparados, o pau literalmente  cantava! 

A coisa segue, talvez não cronologicamente dessa forma,  - o Vale tudo fica suspenso por cerca de 10 a 15 anos no rio.

Fato que, notadamente, prejudicou o Rickson em ter se testado mais. Após isso, começam a profissionalizar  o negócio e surgir os grandes eventos, como PRIDE ( criado só pra ele ) e UFC.

Os japoneses, na sua ótica, escolhem seus melhores lutadores e oferecem ao Rickson,  que finaliza todos.

Doravante, o Rickson já consagrado totalmente, manda entrar na fila, pegar a senha e pagar!


Faria o mesmo!! E por ser considerado o melhor do mundo, começa a ser desafiado pelo campeões que vão surgindo.

 

Rickson pede caro para valorizar o seu passe e, sobretudo, para a valorização do esporte, afinal a diferença em relação a bolsa do boxe era ainda mais abissal!

Consegue o que quer e os japoneses trazem o Sakuraba, porém, ele é acometido de uma tragédia famíliar  (morte do seu filho), e daí decide encerrar a carreira, quando, inclusive, já deveria ter encerrado, porque já tinha certa idade.

Questão  parecida que fez o russo khabibe  também parar.  

Portanto, como coloquei ao longo dessa minha manifestação, para fazer uma abordagem da trajetória do Rickson,  é preciso analisar vários aspectos, sobretudo, o contexto e a época que ocorreram.

Utilizando-se de critérios que se usam hoje para avaliar, é impossível, pois naquela época,  não era como é hoje.

Poderia ter se testado mais, obviamente, que sim, porém, não o fez, quem perdeu foi o esporte, não ele!

Era o cara da época (várias elementos históricos comprovam  isso), o mundo todo queria ele e, senão bastasse isso,  foi tão relevante que a Netflix resolveu botar um bilhão no filme dele, chamou o José Padilha e seu livro está no top 10 dos mais vendidos no EUA.

Fraco o homem!? Como disse um aqui: “quem é o Rickson na fila do pão!” Kkkkk

Mas a discussão é longa e existem ainda vários, mais vários outros aspectos que não abordei, que fica impossível eu abordar todos por aqui, uma pelo tempo e outra porque seria cansativo.

Além disso, a questão envolve paixões, resistência da turma do stricker, tanto que um já me chamou pra porrada aqui.

E eu como não sou bobo, como o Ruas, pedi tempo para treinar.Kkkkk

Um  fraternal abraço e gostaria de dizer que é um prazer dialogar contigo

Muito educado! Parabéns!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Edited by Jaison79

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Nego, penso similar! Acho que o enfrentamento dele com o pessoal que estava despontando na época era favorável pra ele, foi uma pena as lutas não terem saído do papel.
@Jailson79 Acho que compreendo a sua perspectiva do Rickson e o porquê de você vê-lo como um ícone do Vale Tudo. Eu desgosto dos discursos que ele fez depois de parar (venço fulano, destruo ciclano), mas também acho que parou no momento certo, não faz sentido um lutador passar mais do que 20 anos se desgastando no esporte, é muito dano à saúde, até pros melhores. A perda do filho é um peso grande nessa decisão também, similar ao Khabib, você apontou bem! Com as ressalvas que apontei antes, vejo o Rickson como um dos grandes da luta no Brasil e também acho que foi uma perda por esporte ele não ter feito lutas com outros bons nomes da época, em particular na década de 90.
Agradeço o debate e a conversa, o prazer no papo foi mútuo! A citação de Voltaire é sim muito bem colocada e devo dizer, um dos pilares que fez esse fórum ressurgir de uns tempos para cá, meus cumprimentos à equipe da administração e moderação. Abraços!

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutos atrás, Andarilho disse:

@Nego, penso similar! Acho que o enfrentamento dele com o pessoal que estava despontando na época era favorável pra ele, foi uma pena as lutas não terem saído do papel.
@Jailson79 Acho que compreendo a sua perspectiva do Rickson e o porquê de você vê-lo como um ícone do Vale Tudo. Eu desgosto dos discursos que ele fez depois de parar (venço fulano, destruo ciclano), mas também acho que parou no momento certo, não faz sentido um lutador passar mais do que 20 anos se desgastando no esporte, é muito dano à saúde, até pros melhores. A perda do filho é um peso grande nessa decisão também, similar ao Khabib, você apontou bem! Com as ressalvas que apontei antes, vejo o Rickson como um dos grandes da luta no Brasil e também acho que foi uma perda por esporte ele não ter feito lutas com outros bons nomes da época, em particular na década de 90.
Agradeço o debate e a conversa, o prazer no papo foi mútuo! A citação de Voltaire é sim muito bem colocada e devo dizer, um dos pilares que fez esse fórum ressurgir de uns tempos para cá, meus cumprimentos à equipe da administração e moderação. Abraços!

👏👏👏👏👏👏

Share this post


Link to post
Share on other sites

quase todos os topicos que envolvem os Gracies saem discussões e causos muitos bons..

 

vale a pena sair lendo tudo que a galera escreve

Share this post


Link to post
Share on other sites
22 horas atrás, pipo disse:

quase todos os topicos que envolvem os Gracies saem discussões e causos muitos bons..

 

vale a pena sair lendo tudo que a galera escreve

Eu já acho esses tópicos chatos bagarai. 17 páginas de discussão entre dois membros,  que usam sempre os mesmos argumentos, citam os mesmos "causos" e "historias" de outros tópicos sobre o Rickson e seus possíveis adversários. 

É como assistir filme repitido na sessão da tarde, vc já sabe o que vai acontecer no início, meio e fim. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre o filme, qualquer coisa que a globo tenta reproduzir na telinha sobre mma me da vergonha alheia, e pra piorar vão botar o afeminado do kauã Reymond pra interpretar o Rickson  com aquela voz fina, vai ser no mínimo engraçado. Pior que isso só o outro ator afeminado Murilo Rosa interpretando o faixa preta de jj  Jorge Pereira naquela série sobre os campeonatos clandestinos que ele realizava alguns anos atrás. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Ultimate Fighter disse:

Sobre o filme, qualquer coisa que a globo tenta reproduzir na telinha sobre mma me da vergonha alheia, e pra piorar vão botar o afeminado do kauã Reymond pra interpretar o Rickson  com aquela voz fina, vai ser no mínimo engraçado. Pior que isso só o outro ator afeminado Murilo Rosa interpretando o faixa preta de jj  Jorge Pereira naquela série sobre os campeonatos clandestinos que ele realizava alguns anos atrás. 

Realmente é vergonhoso, amigo!

Senão bastasse o que você falou, ainda por cima colocaram  para produzir o filme o José Padilha,  que foi responsável pela direção  do Mecanismo",  Narcos, "Ônibus 174" e a  "Tropa de Elite". 

Esse pessoal é louco mesmo! E pior,  é que está loucura não é só aqui, no EUA o livro dele está no top 10 dos mais vendidos.

Não sei onde vamos parar com essa loucura e principalmente com a globolixo! Meu sonho é a globo falir com o canal combate e voltarmos  à época que víamos o UFC pelo vídeo cassete.

Edited by Jaison79

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/15/2021 at 10:40 AM, pipo disse:

quase todos os topicos que envolvem os Gracies saem discussões e causos muitos bons..

 

vale a pena sair lendo tudo que a galera escreve

Eles foram foda  pra caralho o Hélio foi mais valente, mais corajoso peito japonês , temidos capoeiristas que bateram em japoneses  do jiu jitsu, aperfeiçoamento  e criou um clã  , saiu na porrada de quimono e MMA. 

Todos foram excelentes,  Carlos  na dieta,  Carlson má expansão  do ensino, Rolls como o novo jiu iitsu, Rickson , Royce etc.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/8/2021 at 10:55 AM, NOCAUTE! disse:

" Depois dessa luta eu me fiz uma promessa que preferia morrer a amarelar, a dizer que não aguentava mais. A partir desse dia, não só meu medo acabou, mas como meu potencial e meu foco melhorou, baseando em uma mudança de mentalidade. Se não tivesse lutado o segundo round poderia ser tudo diferente”,

 

SAKURABA SORRI!

Que isso, cara. Rickson já era coroa naquela fase dele, Saku estava no seu auge e bem mais novo. Pega as datas aí.

Sempre achei injusto essa cobrança pela idade do Rickson e fim de carreira total. Só muota grana pra valer o risco mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/8/2021 at 8:20 PM, 500ml disse:

Rapaz, é incrível como o Rickison distorce os fatos.

Royce foi muito maior que o Rickison. Muito mais corajoso, mais testado, verdadeiro guerreiro.

Rickson é o maior de todos os tempos, MAIOR CONTADOR DE HISTÓRIAS!

Mas Royce foi escolhido pelos mais velhos ppr ser o mais magrinho e a intenção era chocar ganhando do mais forte para provar a eficiencia do jiu jitsu.

E esses que escolheram, sempre foram unanimes em dizer que Rickson era o melhor da família e se fosse ele ganharia de todos também.

A parada caiu no colo do Royce que cumpriu muito bem a missao

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/8/2021 at 2:03 PM, Daniel Mendoza disse:

Não foi uma luta de vale-tudo, nem com aspas. Tinha muitas restrições de golpes traumáticos. Falar que foi 'vale-tudo' é seguir alimentando parte do misticismo construído no entorno do Rickson. 

Não estou diminuindo o feito, só adequando a narrativa criado pelos Gracies aos fatos.

Ué, Fedor e seus fãs não considera a vitória sobre Arona? Com regras especiais e resultado contestado....

Aí, com o Rickson não vale? Não tem narrativa alguma, foi uma luta e o cara ganhou.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/8/2021 at 10:30 PM, Lucas Timbó disse:

Pois é, Gracies e a eterna mania de exagerar absurdamente nas histórias, além das mentiras e invenções, claro

Ué, Fedor e seus fãs não considera a vitória sobre Arona? Com regras especiais e resultado contestado.... imagina se Fedor fosse 25 kg mais leve...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now