Sign in to follow this  
pipo

Chan Sung Jung não foi como um Zumbi ao derrotar Dan Ige, ele foi muito melhor

Recommended Posts

 

Estava longe de ser o filme de zumbi mais emocionante já feito. E isso rendeu a Chan Sung Jung uma crítica extremamente positiva.

Em nenhum momento durante o evento principal do UFC no sábado, Jung passou pelos horrores que esperamos da carreira indestrutível do homem mais conhecido como "O Zumbi Coreano". Ele foi equilibrado, metódico, eficiente e nunca teve problemas para vencer por decisão unânime sobre Dan Ige no UFC Apex em Las Vegas.

Isso é um bom presságio para o futuro do sul-coreano de 34 anos e sua esperança de ter uma segunda chance no campeonato masculino de penas do UFC. 

Jung tem animado os fãs de MMA ao longo dos anos. Esta foi sua oitava luta principal seguida, e acabou sendo sua primeira vitória a ir longe desde o caminho de volta em 2008. Desde então, Jung encerrou todas as vitórias por nocaute ou finalização, com esta última sendo seu caminho para a vitória em um Final de 2012 de Dustin Poirier que impulsionou Jung a um desafio do então campeão Jose Aldo . Essa luta pelo título não foi do jeito de Jung, e ele está atrás de outra desde então.

Ele parecia estar à beira de uma segunda chance em outubro passado, quando enfrentou Brian Ortega no que foi ostensivamente um confronto com o desafiante número um. Mas Ortega controlou totalmente essa luta e agora está treinando o The Ultimate Fighter contra o campeão Alexander Volkanovski , com uma luta pelo título em breve. Enquanto isso, Jung foi deixado para ganhar o caminho de volta à contenda, e a noite de sábado foi um primeiro passo promissor.

Se Jung tem o que é preciso para ganhar o cinturão ou até mesmo uma segunda chance, resta saber, mas uma coisa é certa: ele tem uma chance muito melhor de lutar do jeito que lutou no sábado à noite do que teria sendo o Zumbi de outrora.

Ige o havia chamado para fora, tendo visto Jung fazer performances do nunca-diga-morrer repetidas vezes ao longo dos anos. Ige tinha um plano de como parar aquele cara, mas ele não parecia ter uma resposta para o Jung que entrou na gaiola sorrindo, uma indicação de como o sul-coreano seria solto e fluente nas cinco rodadas que viriam. Jung deixou poucas aberturas e, quando encontrou uma em Ige, agarrou-se a ela.

A luta não foi unilateral. Os juízes marcaram 49-46, 49-46 e 48-47, todos para Jung, mas Ige acertou seus chutes. Ele simplesmente nunca foi capaz de transformar seu oponente no Zumbi. Jung estava calmo e direto demais para isso.

"Eu queria mostrar todas as habilidades e a capacidade de ser campeão", disse Jung.

O boxe de Jung foi suave, desde o movimento dos pés e da cabeça até os socos certeiros que ele acertou. Suas quedas foram pontuais e eficazes, e assim que colocou a luta na lona, ele conseguiu ganhar posições dominantes e várias vezes ameaçou adicionar Ige à sua sequência de finalizações. Jung lutou uma luta inteligente, que é o tipo de luta que ele terá de empregar se algum dia chegar perto de um cinturão de ouro.

Alguns podem lamentar o desaparecimento do Zumbi, mas os verdadeiros fãs de luta podem logo aprender que este homem pode entregar uma emoção por minuto, mesmo quando ele não está avançando pesadamente como um morto-vivo. A trama se complica.

- Jeff Wagenheim

Brett Okamoto sobre quem é o próximo para ...

Chan Sung Jung: Tem que ser Calvin Kattar , certo? Jung já era o nº 4 do ranking dos penas no sábado, então não é um grande presente dar a ele o nº 5 do ranking Kattar depois de uma exibição impressionante contra Ige ... mas eu não acho que ele vai conseguir um melhor opção.

O ex-campeão, Max Holloway , ainda está à frente dele em termos de disputa pelo título. Brian Ortega , para quem Jung perdeu cinco rounds em outubro, ainda aguarda sua chance contra o campeão Alexander Volkanovski . Onde isso deixa Jung, mesmo depois de uma vitória sólida? Kattar não luta desde sua derrota de cinco rounds para Holloway em janeiro, e ele tem como objetivo um retorno no outono. Essa é a luta a ser travada. Novamente, provavelmente não será um grande passo para Jung, mas ele ainda não merece uma chance pelo título.

Dan Ige: Antes de qualquer coisa, uma boa pausa. Ige lutou em março e queria tirar uma folga para comemorar o nascimento do filho em abril, mas acabou aceitando a oportunidade e pulando de volta para o acampamento. Deixe que o jovem de 29 anos aproveite a paternidade por um minuto. E quando ele voltar, opções não faltam. Josh Emmett , Arnold Allen , Sodiq Yusuff ... essas são todas lutas que não apenas fazem sentido, mas são combates fantásticos também.

Mas há um que se destaca: Shane Burgos , que vem de derrota para Edson Barboza há um mês em Houston. Dois caras que batem como caminhões aos 145, mas que estão saindo de uma derrota. Faz mais sentido, e também parece ser o confronto mais atraente, na minha opinião.


Resultados de Okamoto:

 

Peso pesado: Serghei Spivac (13-2, 4-2 UFC) derrota Aleksei Oleinik (59-16-1, 8-7 UFC) por decisão unânime

Spivak, da Ucrânia, conseguiu passar Oleinik por decisão unânime, embora quase tenha sido eliminado na segunda fase.

Spivak obteve resultados unânimes de 29-28 em uma luta de pesos pesados que foi bem fácil de marcar - mas só depois que ele foi salvo pelo sino no meio do quadro. Oleinik mudou-se para a montagem total faltando 15 segundos para o fim do round e quase garantiu um estrangulamento com o triângulo de braço.

Além desse susto, no entanto, foi a luta de Spivak. Ele defendeu bem as tentativas de queda de Oleinik na primeira rodada e aproveitou o cansaço do adversário de 43 anos na terceira. Spivak trabalhou por trás do jab e da mão direita para claramente outstrike Oleinik nos pés.

Não foi uma vitória fascinante para Spivak, 26, mas estendeu sua seqüência de vitórias para três. Para Oleinik, é sua terceira derrota consecutiva, a mais longa derrapagem de sua carreira.

Assista a essa luta no ESPN +.

 

 


Peso galo masculino: Marlon Vera (17-7-1, 11-6 UFC) derrota Davey Grant (13-5, 5-3 UFC) por decisão unânime

 

 

Em sua 17ª participação no UFC, Vera mostrou um pouco de tudo a caminho de uma vitória por decisão convincente sobre Grant.

Os juízes marcaram a luta 30-26, 29-27 e 29-28 para Vera, que derrotou Grant nos pés e no chão. Ele quase garantiu um mata-leão no minuto final da luta dos galos antes de se decidir pela decisão - um bom resultado após a derrota para José Aldo na última vez.

Grant, da Inglaterra, abriu a briga e parecia um pouco mais confortável do que Vera no início. Ele abriu com chutes de perna e corpo, enquanto Vera procurava encontrar o seu ritmo. Mesmo assim, Grant não conseguiu acertar nada significativo e não demorou muito para Vera começar a colocar seus próprios chutes nas pernas para usar mais tarde na rodada.

Vera, que nasceu no Equador e luta fora da Califórnia, começou realmente a assumir o controle no segundo round. Ele abriu um corte perto da linha do cabelo de Grant com os cotovelos eretos e continuou a contar com chutes nas pernas. Depois que Grant garantiu uma queda potencialmente grande, Vera ameaçou com um triângulo e foi para a primeira posição.

Ambos os lutadores ganharam $ 50.000 para as honras de luta da noite.

Imediatamente após a luta, Vera chamou o ex-campeão peso galo Dominick Cruz , que trabalhava ao lado da gaiola como comentarista jogada a jogada.

Assista a essa luta no ESPN +.

 


Peso pena masculino: Seungwoo Choi (10-3, 3-2 UFC) derrota Julian Erosa (25-10, 3-5 UFC) por nocaute no primeiro turno

 

 

Depois de começar sua carreira no UFC 0-2, o sul-coreano Choi está agora em uma seqüência de três vitórias consecutivas.

Choi conseguiu seu primeiro nocaute no UFC sobre Erosa, e foi enfático. O jogador de 28 anos derrubou Erosa com um gancho de esquerda no queixo e finalizou a luta do peso-pena com o punho em martelo aos 1:07 do primeiro assalto. Erosa rapidamente se levantou e protestou contra a paralisação, mas foi obviamente a decisão certa do árbitro Mark Smith.

Choi assinou com o UFC em 2019, e teve duras vitórias consecutivas contra Movsar Evloev e Gavin Tucker . Choi perdeu essas lutas por decisão e mata-leão, respectivamente. Desde então, no entanto, Choi teve vitórias contra Suman Mokhtarian , Youssef Zalal e agora Erosa. Choi ganhou $ 50.000 por um bônus de desempenho da noite.

Erosa, que treina fora de Washington e luta dentro e fora do UFC desde 2015, teve uma seqüência de duas vitórias consecutivas.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso médio: Bruno Silva (20-6, 1-0 UFC) derrota Wellington Turman (16-5, 1-3 UFC) por nocaute no primeiro turno

Turman trabalhou muito para colocar Silva no chão na primeira rodada da luta dos médios. Em retrospecto, essa pode ter sido a estratégia errada.

Silva, da Paraíba, Brasil, nocauteou Turman com socos no chão aos 4:45 da luta. A finalização veio depois que Turman passou todo o primeiro round tentando derrubar Silva. Turman atirou em Silva várias vezes nos primeiros minutos e conseguiu dar as costas em um ponto, antes de terminar por baixo.

Silva, que estava fazendo sua estreia no UFC, permaneceu calmo nas trocas de grappling, mesmo quando Turman o jogou na lona em várias ocasiões. Depois que Turman pegou suas costas enquanto os dois ainda estavam de pé no meio da rodada, Silva escapou e acabou de joelhos na guarda de Turman.

A partir daí, Silva desencadeou um ground and pound desagradável que deixou Turman inconsciente. Silva está agora com 17-0 em lutas que terminam por nocaute, com 12 delas terminando dentro do primeiro round.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso meio-médio: Matt Brown (25-18, 16-12 UFC) derrota Dhiego Lima (17-9, 4-7 UFC) por nocaute no segundo turno

Adicione outro clipe ao rolo de destaque de Matt "The Immortal" Brown.

Brown, 40, acertou uma esmagadora mão direita em Lima aos 3:02 do segundo assalto para um nocaute com apenas um soco. O chute dobrou Lima imediatamente, e Brown foi embora antes que o árbitro Herb Dean tivesse a chance de intervir.

O nocaute marcou a primeira vitória de Brown desde dezembro de 2019, e não foi necessariamente fácil. Lima, de Golas, Brasil, acertou vários chutes de panturrilha muito duros na rodada de abertura, que visivelmente chamou a atenção de Brown. Brown procurou acelerar o ritmo e chegar perto no segundo round para evitar os chutes.

Lima se saiu bem se afastando das tentativas de Brown de fechar a distância e parecia bem posicionado para continuar atacando a perna. A luta mudou em um centavo, no entanto, uma vez que Brown acertou a mão direita esmagadora.

Depois de vencer três vitórias consecutivas entre 2018 e 2019, Lima agora perdeu suas duas últimas. Brown se recuperou das derrotas para Miguel Baeza e Carlos Condit e ganhou $ 50.000 por um bônus de desempenho da noite.

Assista a essa luta no ESPN +.


Meio-pesado: Nicolae Negumereanu (10-1, 1-1 UFC) derrota Aleksa Camur (6-2, 2-2 UFC) por decisão dividida

 

 

Negumereanu simplesmente não teria sua primeira vitória no UFC negada ao derrubar Camur e forçá-lo a trocas pesadas ao longo de três rounds.

Desde o sino de abertura, era óbvio que Camur, um companheiro de equipe do ex-campeão dos pesos pesados do UFC Stipe Miocic em Cleveland, queria usar footwork e ângulos para ficar um passo à frente de seu oponente de 93 kg. Negumereanu recusou-se a tirar o pé do acelerador e isolou a gaiola de Camur em todas as oportunidades.

O resultado foi uma luta de ida e volta nos pés que viu os dois homens terem sucesso. Camur foi bem deslizando socos e contra-ataques às vezes, mas ele era suscetível a Negumereanu puxá-lo para uma briga. Camur pousou com um pouco mais de consistência, mas Negumereanu acertou os tiros mais significativos.

O golpe mais difícil da luta pode ter ocorrido no terceiro round, quando Negumereanu balançou Camur com um overhand logo após mudar de nível em uma queda. Camur sobreviveu, mas parou de dar socos por um longo período de tempo.

Negumereanu recebeu vários avisos por segurar a cerca para manter Camur preso no clinch, mas o árbitro Mike Beltran optou por não marcar o ponto. Ele avisou Negumereanu severamente para a infração perto do final do terceiro assalto.

Destaque na Contender Series em 2019, Camur, de 25 anos, cai para 1-2 no UFC. Negumereanu, da Romênia, conquistou sua primeira vitória desde 2018.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso palha: Virna Jandiroba (17-2, 3-2 UFC) derrota Kanako Murata (12-2, 1-1 UFC) por nocaute técnico no segundo turno

 

Virna Jandiroba ficou emocionada ao saber após a segunda rodada que Kanako Murata e seu braço machucado não poderiam sair para a terceira rodada. Chris Unger / Zuffa LLC

Jandiroba, da Bahia, Brasil, venceu por nocaute técnico no final do segundo round - embora a luta provavelmente pudesse ter sido interrompida ainda mais cedo.

A luta do peso palha terminou entre o segundo e o terceiro assaltos, quando um médico do ringue governou Murata, de Tóquio, não pôde continuar devido a uma lesão no braço esquerdo. O braço de Murata ficou obviamente comprometido durante todo o segundo tempo, depois que Jandiroba a acertou em uma tentativa de armlock no final do primeiro round.

Murata não conseguiu nem levantar o braço acima da cintura para se defender depois do assalto inicial, mas nem o escanteio nem o árbitro impediram a disputa. Imediatamente após a luta, Jandiroba disse que sentiu o braço de Murata "estalar" várias vezes durante a tentativa de armlock.

Foi uma atuação dominante de Jandiroba no geral, e ela se recuperou da derrota para o Mackenzie Dern em sua última folga . Ela machucou Murata com a mão direita no primeiro minuto da luta, antes de machucar o braço de Murata no chão. Ela está agora com 3-1 em seus últimos quatro.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso meio- médio : Khaos Williams (12-2, 3-1 UFC) derrota Matthew Semelsberger (8-3, 2-1 UFC) por decisão unânime

 

Khaos Williams desencadeou rajadas agressivas de socos ao longo de sua luta com Matthew Semelsberger. Chris Unger / Zuffa LLC

Vindo de sua primeira derrota no UFC, Williams empatou impressionantes 15 minutos para voltar à coluna das vitórias contra um Semelsberger.

Williams, de Detroit, derrotou Semelsberger por decisão unânime por pontuações de 30-27, 29-28 e 29-28. Sua velocidade e força tiveram um efeito logo no início, quando ele sangrou o nariz e a boca de Semelsberger no assalto inicial. Mas Semelsberger mostrou coragem e desafiou Williams nos pés até o sino final.

De acordo com as estatísticas do UFC, Williams superou Semelsberger em um total de rebatidas de 108 a 56. Ele repetidamente avançou com rajadas para marcar pontos, embora ocasionalmente tenha batido em contra-ataques à direita de Semelsberger. Semelsberger também fez alguns de seus melhores trabalhos com chutes na perna esquerda de Williams, o que claramente incomodou Williams no final da luta.

No final das contas, porém, o boxe de Williams prevaleceu e ele melhorou seu recorde no UFC para 3-1. Sua única derrota foi contra Michel Pereira na última luta, em dezembro.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso pesado: Josh Parisian (14-4, 1-1 UFC) derrota Roque Martinez (15-8-2, 0-3 UFC) por decisão dividida

 

 

Parisian, ex-integrante da Contender Series, conquistou sua primeira vitória no UFC em uma luta de pesos pesados que se transformou em uma guerra de desgaste. Parisian, 31, e Martinez, 35, trocaram regularmente socos e joelhadas no clinch e no estande de boxe. Foi muito para trás e para a frente, como mostrado pelas pontuações. Dois juízes tiveram 29-28 para Paris, outro viu 29-28 para Martinez.

Martinez, do Guam, mostrou boa pressão nos pés, principalmente na primeira rodada. Ele deu socos para entrar no clinche e cortou Parisian sob o olho esquerdo no início da luta.

Parisian se adaptou à pressão no segundo e terceiro rounds, no entanto, e fez um trabalho melhor misturando seus golpes. Seus joelhos no corpo eram muito eficazes, assim como seu chute frontal e cotovelos por cima. Martinez continuou a trabalhar e acertar socos alados. A terceira rodada foi perto de uma navalha.

Parisian ingressou no UFC no ano passado e perdeu sua estreia promocional para Parker Porter em novembro.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso leve: Rick Glenn (22-6-1, 4-3 UFC) derrota Joaquim Silva (11-4, 4-3 UFC) por nocaute técnico no primeiro round

Glenn, de Marshalltown, Iowa, luta profissionalmente há quase 15 anos. O nocaute de sábado pode ter sido o melhor até agora.

Glenn, 32, superou Silva rapidamente ao colocar o brasileiro para fora com socos em apenas 37 segundos de luta no peso leve. Foi a primeira finalização de Glenn no UFC, e a primeira no geral desde 2016.

A finalização veio logo após Glenn machucar Silva gravemente com uma mão esquerda contrária, quando Silva veio para a frente com socos. Silva conseguiu se recuperar, mas ainda estava ferido, e o árbitro Mike Beltran interveio depois que Glenn o derrubou novamente com um uppercut curto.

Foi um resultado bem-vindo para Glenn, que não competia desde novembro de 2018 devido a uma lesão e um teste COVID-19 positivo em dezembro.

Assista a essa luta no ESPN +.


Peso mosca feminino: Casey O'Neill (7-0, 2-0 UFC) derrota Lara Procopio (7-2, 1-2 UFC) por finalização no terceiro round

 

 

Perspectiva peso mosca australiano O'Neill permaneceu invicto com uma vitória impressionante sobre o Procopio do Brasil.

O'Neill, que nasceu na Escócia mas luta fora da Austrália, finalizou Procópio com um mata-leão aos 2:54 do terceiro assalto. O'Neill já finalizou os dois oponentes que enfrentou no UFC. Ela marcou um nocaute técnico contra Shana Dobson em fevereiro.

A finalização encerrou uma exibição muito completa de O'Neill, de 23 anos, que só luta profissionalmente desde 2019. Depois de uma rodada de abertura competitiva que ocorreu principalmente nos pés, O'Neil se estabeleceu em seu jogo de chão, com os cotovelos da posição superior e finalização.

Procópio, faixa-preta de jiu-jitsu brasileiro, foi quem primeiro procurou levar as coisas para o chão. Mas O'Neill mostrou-se bastante confortável lá, e fez Procopio pagar em várias ocasiões com rebatidas no chão e rebatidas no clinch após defender tentativas de queda.

Assista a essa luta no ESPN +.

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu disse várias vezes que o Zumbi ainda seria campeão nessa categoria, mas fui muito criticado, principalmente depois da luta com o Ortega..

 

eu ainda aposto nisso..

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, pipo disse:

eu disse várias vezes que o Zumbi ainda seria campeão nessa categoria, mas fui muito criticado, principalmente depois da luta com o Ortega..

 

eu ainda aposto nisso..

Sem dúvidas ele tem chances, quanto ao Ortega, aquela foi uma das maiores performabce dele estava muito inspirado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
22 minutos atrás, André Filho disse:

Sem dúvidas ele tem chances, quanto ao Ortega, aquela foi uma das maiores performabce dele estava muito inspirado.

e pelos possíveis casamentos de luta, ele pode chegar a um TS sem ter que pegar o Ortega novamente

pra mim ele vence o Kattar, que estão ventilando, e o Yair se casarem novamente

o Zabit ta fora do UFC, o Max lesionado...

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutos atrás, pipo disse:

e pelos possíveis casamentos de luta, ele pode chegar a um TS sem ter que pegar o Ortega novamente

pra mim ele vence o Kattar, que estão ventilando, e o Yair se casarem novamente

o Zabit ta fora do UFC, o Max lesionado...

Até hoje me revolto com a derota para o Yair, luta etava ganha...

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutos atrás, André Filho disse:

Até hoje me revolto com a derota para o Yair, luta etava ganha...

algo parecido aconteceu com o Overeem na luta com o Jairzinho..

 

foi se expor faltando 5 segundos.. 

luta ganha mesmo!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, pipo disse:

eu disse várias vezes que o Zumbi ainda seria campeão nessa categoria, mas fui muito criticado, principalmente depois da luta com o Ortega..

 

eu ainda aposto nisso..

Acho que o Zumbi não vai ser campeão. Mas luta pra caramba. Fez uma baita luta contra o Aldo há alguns anos, quando era bem jovem ainda.

Mas os três ali da frente estão em um nível bem forte atualmente. Holloway, Ortega e Volkanoviski são muito para o caminhãozinho do Zumbi

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutos atrás, junior-sjc disse:

Acho que o Zumbi não vai ser campeão. Mas luta pra caramba. Fez uma baita luta contra o Aldo há alguns anos, quando era bem jovem ainda.

Mas os três ali da frente estão em um nível bem forte atualmente. Holloway, Ortega e Volkanoviski são muito para o caminhãozinho do Zumbi

alguém sabe do Ortega? ta machucado? 8 meses parado, não vejo nada sendo ventilado pra ele. Sua ultima luta foi contra o Zumbi em outubro

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, pipo disse:

alguém sabe do Ortega? ta machucado? 8 meses parado, não vejo nada sendo ventilado pra ele. Sua ultima luta foi contra o Zumbi em outubro

Já era pra ter saído a luta dele contra o Volkanovski né. Se eu não to enganado a luta caiu. Era pra ter sido em Março

Share this post


Link to post
Share on other sites
44 minutos atrás, junior-sjc disse:

Já era pra ter saído a luta dele contra o Volkanovski né. Se eu não to enganado a luta caiu. Era pra ter sido em Março

a ultima noticia que soube foi essa.. ai ventilaram o Max no lugar dele, e depois Max x Yair....

estranho

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, pipo disse:

a ultima noticia que soube foi essa.. ai ventilaram o Max no lugar dele, e depois Max x Yair....

estranho

O cara não tá fazendo um TUF com o Volkanovski? Devem fazer a luta no evento da final.

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 horas atrás, João P disse:

O cara não tá fazendo um TUF com o Volkanovski? Devem fazer a luta no evento da final.

verdade homi

tinha esquecido

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this