pipo

UFC doa mais US $ 1 milhão para ajudar a financiar pesquisas sobre saúde cerebral

Recommended Posts

37 minutos atrás, NEGO DÁGUA disse:

Vão falat a o nego é  apaixonado  pelp Poatan etc etc, bom problema  .

Apesae dele ter começado no kickboxing  veja que nas primeiras  lytas dele era quase  um boxeador que chutava .

Tanto que numa Derrota dele no Its show time para o Jason Wills foi derrotado com chutes na perna e uso das combinações  ele mesmo disse  que demorou a aprender a associar o chutes e combinações  no seu jogo @rivvithead foi parceiro  de treino dele. 

Minha opinião a vida  hj é  cheia de gurus de YouTube, internet  ,mentoria et  dar pegar algo dar.

Mas na boa melhor jeito se se construir  uma base na VIDA é  do modo tradicional  é  ralando que pegar uma gata, seja bom de papo se arruma, eu tenho uma aparência  legal cai dentro .

Que ser bom profissional  se qualifique tenha feling pra coisas pra pasaar em concurso  senta o rabo na cadeira  e estuda ate passar.

Que ser bom de luta  procur uma academia  boa a qual vc se adequa  que o professor  seja bom e rala,faz sparring  pega técnica  refaz em casa , pensa como  vc encaixa os golpes  ,pensa na defesa se acostuma com a porrada e dor.

Assim vc fica bom em tudo .

Como vc falou um boxer vai pro kickboxing vai sofrer vai , tomar muito chute vsi receber golpe de boxe que no inicio  os colegas  teram medo de largar  a  mão  quando perceberem  que ele se perde com o chute vão  bater  de todo jeito ..

O que fazer continuar  depois de tempo eles vão  chutar vc bloqueia e responds de mão  ai eles não  esperam vem ums bica ai já  mudam com vc..

 

 

Exatamente isso! Analisou tudo muito bem! Em geral quem se esforça mais recebe os melhores prêmios.

E quando entrava alguém de modalidade diferente na academia, a recepção sempre era de acordo com a postura do cara. Se chegava numa boa, em pouco tempo o pessoal chegava e pedia para trocar técnicas. Mas se chegava querendo dar uma de bonzão, na primeira aula já tomava nocaute apanhando muito antes. E isso quando tomava um nocaute só. Tinha valentão que se matriculava, fazia uma aula e nunca mais voltava.

Share this post


Link to post
Share on other sites
20 minutos atrás, masterblaster disse:

Exatamente isso! Analisou tudo muito bem! Em geral quem se esforça mais recebe os melhores prêmios.

E quando entrava alguém de modalidade diferente na academia, a recepção sempre era de acordo com a postura do cara. Se chegava numa boa, em pouco tempo o pessoal chegava e pedia para trocar técnicas. Mas se chegava querendo dar uma de bonzão, na primeira aula já tomava nocaute apanhando muito antes. E isso quando tomava um nocaute só. Tinha valentão que se matriculava, fazia uma aula e nunca mais voltava.

Kkkk todo canto é  igual viu kkk arye marcial mostra a realidade. 

Mestre já  bateu em muito fortão  de academia  ?eu já  bate e depois disse qye fazer de mão  nua kkkk.

É pq tem uns caras que enchem o cu de bomba e botam un fé  enorme nos pesos e tamanho  de braco etc ai...

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 1/20/2021 at 11:32 PM, João P said:

Vamos conversar, sem dúvidas. Lá no outro tópico você tá elevando demais o nível da discussão sobre os estilos do Boxe (tópico da parte das artes marciais isoladas, caso alguém queira acompanhar).

Realmente o treino é bem o estilo que eu imaginava quando você falou a origem dele. Eu treinei muito assim no meu início (1996 - 1998), antes de eu me mudar pra Curitiba na metade de 1998. Treinei na antiga Academia Naja, que foi a primeira academia de Boxe Tailandês do Rio de Janeiro. Lá tinha clinch e cotovelo, até porque o Flavio Molina (primeiro proprietário da academia e precursor da arte no RJ) aprendeu  brevemente com o Nelio Naja, mas já era consagrado no TKD quando conheceu o Naja, então tinha muito esta influência dos treinos do TKD, de fazer drill, de não usar tanto manopla e aparador, mas já era um misto um pouco mais pro lado do Thai e quando cheguei em Curitiba vi já uma realidade mais da influência direta do Naja (que tbm vinha de outras artes mas que teve contato com a arte mais na fonte e foi mais para este lado) e o treino era manopla, aparador, saco, sombra e luva (pouquissimo drill, apenas a parte de clinch mais neste aspecto). Treinei durante um tempo que morei em São Paulo Kickboxing com uma galera do Karate Seiwakai mas isto já é outra história, o que importa é que como vivi de forma mais intensa 3 realidades bem distintas, além das minhas 2 viagens curtas para a Tailândia, hoje eu consigo enxergar o quanto isto influencia nos estilos e na realidade do treino.

A sua mentalidade de faixa branca é rara, é o que todo faixa preta deveria ter e propagar, que no fundo é o grande aprendizado da arte marcial. Compartilha conosco os aprendizados e na medida do possível vou tentar te ajudar.

 

Queria muito ler mais seus relatos amigo, tem muito ai a ser aprendido. Vou te manter informado de tudo que for aprendendo a você ao nego e ao master.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 1/22/2021 at 2:32 PM, masterblaster said:

Grande João! Quem sou eu para falar qualquer coisa para o @oxeboxing? Ele é muito inteligente e, pelos posts, parece ter muita consciência corporal. Vou só dar uns pitacos, chamando o @NEGO DÁGUA também, que curte muito esse assunto.

Acho que é muito mais fácil aprender o kickboxing ou o Muay Thai desde o início do que entrar já sendo boxeur, porque aí há uma tendência enorme de supervalorizar o trabalho de mão. Vai depender muito da consciência corporal, e nisso confio bastante no oxeboxing.

Então, antes de adentrar na parte de preparação, gostaria de fazer umas considerações sobre o chute. Todo bom pugilista, que pretende se enquadrar na elite do esporte, sabe que você não trabalha o soco para acertar o rosto ou abdômen. Não. Você trabalha o soco para acertar ponta de queixo, nariz, têmpora, fígado, rins e começo do plexo solar. Busca a precisão para ter uma maior efetividade. Ora, com o chute não é diferente, embora essa percepção pareça mais difícil, muitas vezes até em atletas do UFC, que só treinaram MMA sem se voltar para alguma trocação específica. Não é só meter a canela nas costelas, ou tentar chutar o rosto com o peito do pé. Muita gente chuta na costela com a canela entrando em movimento horizontal, pegando costelas médias ou superiores. Vejo isso o tempo todo e dificilmente funciona bem. Agora, chutar fazendo esse movimento numa leve diagonal ascendente, de modo que a canela pegue logo abaixo das costelas flutuantes, empurrando-as para cima, isso é o correto, e tem um efeito absurdo. Passa por baixo do cotovelo e sobe. Outro exemplo, chutar no rosto buscando a têmpora com o comecinho da canela. Esse preciosismo e precisão é  que se espera de um bom chute, assim como se espera trabalhar o soco para atingir uma ponta de queixo. Quanto mais efetivo o golpe, mais fácil ele fica de aplicar com o tempo e menos energia dispende. Tem que se buscar essa precisão.

Outro ponto. Sempre é a canela que entra. Peito do pé só no caso extremo de se buscar a cabeça quando o canela não chega nela. É muito mais fácil quebrar os vários ossos que há no pé, todos muito pequenos, inclusive dos dedos, do que fraturar uma canela. Sem contar que quando se bate com o peito o chute perde um tanto da potência, porque o peito do pé vai um pouco para trás.  Então é sempre a canela, com rotação do quadril, pé de base abrindo para a direção do chute e subindo até ficar na ponta. E esse exemplo é só para o chute circular, todos devem buscar potência e perfeição. A canela tem literalmente que virar um bastão de beisebol.

Ainda mais um detalhe, antes de entrar na preparação propriamente dita da transição. Canela tem que ser treinada para ignorar a dor. Bater muito no saco de pancada, depois de baixo para cima na quina do saco, em pneus e por aí vai. Isso é imprescindível para não ter a impressão que a luta acabou quando tiver sua canelada bloqueada por outra canela! E preparar coxa e panturrilha para aguentar o tranco. Coloca um colega na frente e vão alternando caneladas nas coxas e panturrilhas, e aquelas bem doloridas, na diagonal descendente e para dentro na parte exterior da coxa e ascendente na parte interior. Começam leve e vão aumentando a intensidade.

E como referência, sugiro assistir as lutas do Cro Cop e analisar os movimentos. Ele é um dos. melhores nesse quesito.

Isso quanto à qualidade do chute e seus reflexos. Já com relação à transição, o oxeboxing é bom de soco, então o único desafio será no sentido de lapidar os chutes. Quando ele falou do pensamento de faixa branca, achei que é exatamente essa mentalidade que deve ter com relação aos chutes. Quando começar, esquece que tem as mãos. Levanta a guarda e treina os chutes, buscando eficácia e precisão. Fica na frente do espelho e faz sombra, só chutando, e todo tipo de chute. Circular e pisão em todas as alturas, rodado de calcanhar e empurrado , lateral, circular de dentro para fora e de fora para dentro, por cobertura. Muitos você provavelmente não usará na luta, mas lapidarão a eficiência dos outros. Quanto mais você mexer as pernas em todas as direções e chutar, mais fácil ficará acertar onde quiser na hora que precisar. E sempre buscando os pontos específicos. Primeiro no espelho. Depois treine com colegas de vários tamanhos para instintivamente localizar os pontos certos do impacto. Nesse ponto, pode amarrar os braços no tronco colados na altura do cotovelo, levantar as mãos e chutar. Depois ainda com os braços amarrados, faz sparring de chutes, e deixa o oponente usar tudo, socos, chutes, joelhos e cotovelos (se forem permitidos onde você treinar), e você defende ou ataca só no chute ou joelhada. Aí é óbvio que esse sparring nunca poderá ser forte, será sempre leve ou mesmo médio, com intensidade e sem força.

E vai preparando a potência dos chutes. Caneleiras leves nos tornozelos para trabalhar os chutes sem lesionar os joelhos e mais pesadas para trabalhar as joelhadas, já que muitas seguem os movimentos dos chutes, então você acaba ganhando potência neles também.

Quando estiver bom nisso, mas principalmente com a consciência da importância do chute CERTO E PRECISO na luta, aí já está na hora de liberar o carro chefe para fazer as combinações, começando com as bem simples, como jab, direto e chute circular com a perna de trás, jab, cruzado e chute rodado empurrado e tantas outras  técnicas, que aí serão aprofundadas já de forma natural com o tempo, porque já se adquiriu a consciência corporal da importância do chute nas combinações com golpes de mão e o oportunismo do emprego deles. Repito, o mais importante é adquirir essa consciência, porque aí o resto é consequencia.

Bom, taí o pitaco, espero que ajude em alguma coisa. O que precisar estamos aí.

Grande abraço! 

 

Mestre, muito obrigado pela verdadeira aula que me deu agora, muita riqueza em um simples post, eu até salvei aqui no meu bloco de notas pois nunca pensei nessa sacada da canela.
E sobre transição realmente pra um boxeador é muito difícil adentrar num esporte/arte-marcial que envolva chutes, o jogo muda muito talvez até drasticamente, mas esses toques com certeza vão me ajudar, eu imaginei que preciso gastar muito tempo treinando especificamente os chutes sem combinar, quando comecei no boxe foi assim. 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now