Sign in to follow this  
FlavioRJ

UFC 253 Countdown: Adesanya vs Costa

Recommended Posts

Acho que é meio consenso que o Borrachinha tem punch para mudar a luta com um golpe, pode não nocautear, mas um golpe bem encaixado pode mudar tudo, mas também acho que seja consenso que se a luta passar dos primeiros rounds vira um favoritismo do campeão.

Aparentemente o Borrachinha vai para lutar em pé, até pq é o que ele tem para oferecer, ele não tem gás pra ficar tentando quedas, e no striking a maior experiência e técnica é, sem dúvida, do Israel. Um tem o seu melhor no ataque constante e o outro tem o seu melhor sendo atacado. Isso faz com que tenda a ser uma boa luta, se ambos repetirem os padrões que normalmente mostram, acho que o casamento favorece o campeão.   

Eu acho que a experiência dos dois pode pesar, o Israel tem MUITO mais experiência para saber esperar a hora certa, o Borrachinha se entrar 'emocionado', excessivamente confiante, e contando com 'a mão decisiva', vai cansar socando muito o vento, cansar e acabar tomando um baile. Israel tem experiência, técnica e frieza para esperar as tormentas passarem e entrar no olho do furação. 

Mas o brasileiro possivelmente vai conectar alguns golpes em alguns momentos, resta saber se algum será um bom golpe e o suficiente para mudar o rumo da luta, e se, de fato, irá mudar a luta. Israel não se criou na elite do kickboxing com pouca absorção de golpe ou ficando "nervoso" quando é atingido como já li em outros tópicos, mas não existe superman, um golpe de um pegador bem encaixado qualquer um sente. 

No começo o Israel vai estar procurando a distância e estudando o timing e ataque do brasileiro na prática, o brasileiro ir com tudo no início tem a vantagem de aproveitar o maior gás e pujança física inicial, e tentar pegar o Israel antes dele 'calibrar' as ferramentas. Mas também tem a desvantagem de mostrar tudo que tem fazendo o campeão pegar a distância e timing mais rápido e, obviamente, cansar mais rápido, ficando mais vulnerável depois.

Eu penso que o campeão tem que entrar na luta elétrico e agressivo, se começar devagar como em algumas outras lutas, vai ser bem arriscado pra ele tomar um golpe do brasileiro., desde o início abusar dos jabs e fazer o que ele sabe fazer de melhor, "tourear" o Borrachinha, manter a distância e contragolpear. Tem que estar com a movimentação lateral mais afiada do que nunca e com boas saídas do clinch, onde acho que mora um grande perigo pra ele. O brasileiro acho que deveria achar um meio termo entre a agressividade dele e o 'esperar' o Israel para tirar ele da zona de conforto (como o Romero fez, só que excessivamente), tentar focar no início em jogar golpes de encontro, contra golpear os jabs e chutes que o campeão vai usar pra manter a distância, oscilando as velocidades e explosões pra confundir o cálculo do campeão, atrapalhar o jab do campeão, encurtar a distância de forma inteligente, movendo muito a cabeça o tempo todo, talvez simulando quedas e clinchs para aproximar e jogar o campeão contra a grade pra aí sim bater e soltar as sequências, explodir só nas horas certas pra ser um perigo a luta toda e não morrer no gás.

Se o Borrachinha sair caçando sem parar, socando sempre que achar que o Israel está na distância, e deixando o Israel jabear à vontade confiando na falta de dano do jab, vai facilitar demais pro campeão. Acho que ele não seria tão burro de fazer o óbvio, mas até agora não mostrou muita coisa além disso. Para o MMA no Brasil, seria bom ele mostrar uma boa estratégia e tática na luta, acho que aumentaria as chances dele, pq só se valendo do diferencial da 'ignorância' eu acho uma aposta bem arriscada.

Mas como eu falei inicialmente, não existem superman, punch e explosão podem decidir uma luta a favor do cara que é menos técnico. Difícil prever quando existe um fator assim, mas acredito que se ambos não mostrarem nada de novo do que já foi mostrado até agora, o favoritismo é do campeão.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
30 minutos atrás, Daniel Mendoza disse:

Acho que é meio consenso que o Borrachinha tem punch para mudar a luta com um golpe, pode não nocautear, mas um golpe bem encaixado pode mudar tudo, mas também acho que seja consenso que se a luta passar dos primeiros rounds vira um favoritismo do campeão.

Aparentemente o Borrachinha vai para lutar em pé, até pq é o que ele tem para oferecer, ele não tem gás pra ficar tentando quedas, e no striking a maior experiência e técnica é, sem dúvida, do Israel. Um tem o seu melhor no ataque constante e o outro tem o seu melhor sendo atacado. Isso faz com que tenda a ser uma boa luta, se ambos repetirem os padrões que normalmente mostram, acho que o casamento favorece o campeão.   

Eu acho que a experiência dos dois pode pesar, o Israel tem MUITO mais experiência para saber esperar a hora certa, o Borrachinha se entrar 'emocionado', excessivamente confiante, e contando com 'a mão decisiva', vai cansar socando muito o vento, cansar e acabar tomando um baile. Israel tem experiência, técnica e frieza para esperar as tormentas passarem e entrar no olho do furação. 

Mas o brasileiro possivelmente vai conectar alguns golpes em alguns momentos, resta saber se algum será um bom golpe e o suficiente para mudar o rumo da luta, e se, de fato, irá mudar a luta. Israel não se criou na elite do kickboxing com pouca absorção de golpe ou ficando "nervoso" quando é atingido como já li em outros tópicos, mas não existe superman, um golpe de um pegador bem encaixado qualquer um sente

No começo o Israel vai estar procurando a distância e estudando o timing e ataque do brasileiro na prática, o brasileiro ir com tudo no início tem a vantagem de aproveitar o maior gás e pujança física inicial, e tentar pegar o Israel antes dele 'calibrar' as ferramentas. Mas também tem a desvantagem de mostrar tudo que tem fazendo o campeão pegar a distância e timing mais rápido e, obviamente, cansar mais rápido, ficando mais vulnerável depois.

Eu penso que o campeão tem que entrar na luta elétrico e agressivo, se começar devagar como em algumas outras lutas, vai ser bem arriscado pra ele tomar um golpe do brasileiro., desde o início abusar dos jabs e fazer o que ele sabe fazer de melhor, "tourear" o Borrachinha, manter a distância e contragolpear. Tem que estar com a movimentação lateral mais afiada do que nunca e com boas saídas do clinch, onde acho que mora um grande perigo pra ele. O brasileiro acho que deveria achar um meio termo entre a agressividade dele e o 'esperar' o Israel para tirar ele da zona de conforto (como o Romero fez, só que excessivamente), tentar focar no início em jogar golpes de encontro, contra golpear os jabs e chutes que o campeão vai usar pra manter a distância, oscilando as velocidades e explosões pra confundir o cálculo do campeão, atrapalhar o jab do campeão, encurtar a distância de forma inteligente, movendo muito a cabeça o tempo todo, talvez simulando quedas e clinchs para aproximar e jogar o campeão contra a grade pra aí sim bater e soltar as sequências, explodir só nas horas certas pra ser um perigo a luta toda e não morrer no gás.

Se o Borrachinha sair caçando sem parar, socando sempre que achar que o Israel está na distância, e deixando o Israel jabear à vontade confiando na falta de dano do jab, vai facilitar demais pro campeão. Acho que ele não seria tão burro de fazer o óbvio, mas até agora não mostrou muita coisa além disso. Para o MMA no Brasil, seria bom ele mostrar uma boa estratégia e tática na luta, acho que aumentaria as chances dele, pq só se valendo do diferencial da 'ignorância' eu acho uma aposta bem arriscada.

Mas como eu falei inicialmente, não existem superman, punch e explosão podem decidir uma luta a favor do cara que é menos técnico. Difícil prever quando existe um fator assim, mas acredito que se ambos não mostrarem nada de novo do que já foi mostrado até agora, o favoritismo é do campeão.

 

Dificilmente eu leio post desse tamanho. Mas pelo início já deu vontade de continuar lendo e quando vi, tinha acabo e queria ter lido mais! kkkk

Pegando a parte em negrito...

Acho que o Adessanya tem entrado na pilha e mesmo entrando calmo, se entrar uma boa mão do Borrachinha pode ser que ele desestabilize.

Ainda que aconteça isso, existe a possibilidade do Borrachinha tb se afobar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, pipo disse:

ótima análise, Daniel

Tamo junto, pipo. Muito do que eu disse já foi dito em outros tópicos por outros foristas também. Pensei em criar um tópico para discutir mais as análises dos potenciais cenários da luta, para juntar essas leituras dispersas em diferentes tópicos em um só, mas resolvi aproveitar esse. Acho que essas discussões de análises são sempre discussões interessantes de participar e ler.
 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Acho que é meio consenso que o Borrachinha tem punch para mudar a luta com um golpe, pode não nocautear, mas um golpe bem encaixado pode mudar tudo, mas também acho que seja consenso que se a luta passar dos primeiros rounds vira um favoritismo do campeão.

(...)

Complementando: em especial acredito que o favoritismo do campeão pq eu acho que o campeão tem muito mais experiência lidando com lutadores como o Borrachinha que o contrário, e não existe milagre, lutadores majoritariamente repetem padrões. E acho que o aparente envolvimento emocional das discussão é só marketing pra luta, não acho que vai desequilibrar a luta. Acho mais provável o Borrachinha ser influenciado pela 'emoção' do que o Israel que tem uma puta bagagem.

Israel tem minúcias técnicas para controlar um pegador ofensivo de sobra, coisas como saber se posicionar pra fugir da mão forte, melhor jogo de pernas, saber bater recuando de diferentes formas, saber usar bem fintas, usar bem os golpes retos ofensivamente e defensivamente, variar ângulos, superar uma guarda fechada ou simples chegada para trás, sabe variar velocidade e 'longitude' do jab pra confundir potenciais contragolpes do brasileiro, saber criar padrões propositalmente para ele mesmo quebrá-los e surpreender a resposta do adversário, saber induzir o oponente a errar a distância para cansar e se expor a contra golpes, usar bem os chutes, etc., etc. Ele já mostou isso tudo no kickboxing e MMA.

Não vejo esse refino técnico no Borrachinha, não o acho refinado tecnicamente a ponto de conseguir induzir o Israel ao erro, e sim o contrário, Israel é muito experiente e calejado. Não acho que o brasileiro, por mais que possa ter qualidades ofensivas, não o vejo conseguindo fazer um jogo de kickboxing minando as pernas e corpo do Israel, ele deve oferecer algo simples: ir pra cima igual um trem, tentando encurralar para explodir. A necessidade do oponente parado para o sucesso ofensivo do brasileiro, a envergadura muito menor, e ser destro como a maioria dos oponentes que o Israel já enfrentou na vida, acho que dá uma boa desvantagem pra ele nesse casamento, pq o torna mais previsível. 

Enfim, se o brasileiro tivesse refino técnico e maior variedade, o punch e explosão desequilibrariam bem a balança para ele, mas como não tem, e quem tem em excesso é o campeão, acho que isso faz com que no confronto "técnica x potência" haja um desequilíbrio para a técnica.

Acho que a luta está mais para ser decidida por um erro do próprio Israel do que pela ignorância do brasileiro, ou capacidade desse de fazer o campeão errar. Mas todo ser humano está propenso ao erro, Israel já errou em outras lutas. O trem é se vai rolar o encaixe de uma mão boa do brasileiro em um momento de erro do campeão. Acho menos provável do que o Israel induzir o brasileiro ao erro e este morrer no gás.

Deixar com que o campeão tomar mais a iniciativa do ataque nos primeiros rounds, o atrapalhando a achar a distância e contragolpeando de DIFERENTES formas os jabs e chutes, acredito que aumentaria as chances do brasileiro: o momento que mais se está exposto é no momento do ataque, se defender (sabendo se defender) é muito mais seguro que atacar, e além disso, o brasileiro conservaria energia para o punch e explosão se manterem mesmo nos últimos rounds. Mas não vejo refinamento técnico no Borrachinha pra isso, nunca mostrou e é pouco tempo para aprender e usar contra um cara de alto nível. Se ele usar o mesmo contra golpe muitas vezes o Israel possivelmente vai contragolpear o contra golpe do brasileiro. hehe 

Vejo o Borrachinha mais ele com uma estratégia de "água mole em pedra dura", que é o que sempre mostrou. Só que agora vai encarar alguém que tem como maior diferencial saber usar a força do adversário contra ele mesmo. Pode dar certo, claro, mas não apostaria nisso.

Convido os colegas a se posicionarem sobre a luta e os potenciais cenários e desfechos dela.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo pouco que vi dos dois lutadores acho que o Eraser vai vir pro dirty boxing e aí vai acabar sendo pego a partir da curta distância como foi o Whitaker.

A falta de refinamento técnico dele -muito bem pontuada pelo Daniel - é o que me impede de ver outro fim pra essa luta.

Mas bora lá ele tem suas chances e tem muita confiança o que é importante,  ao contrário do campeão que não me parece dos mais seguros...

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Complementando: em especial acredito que o favoritismo do campeão pq eu acho que o campeão tem muito mais experiência lidando com lutadores como o Borrachinha que o contrário, e não existe milagre, lutadores majoritariamente repetem padrões. E acho que o aparente envolvimento emocional das discussão é só marketing pra luta, não acho que vai desequilibrar a luta. Acho mais provável o Borrachinha ser influenciado pela 'emoção' do que o Israel que tem uma puta bagagem.

Israel tem minúcias técnicas para controlar um pegador ofensivo de sobra, coisas como saber se posicionar pra fugir da mão forte, melhor jogo de pernas, saber bater recuando de diferentes formas, saber usar bem fintas, usar bem os golpes retos ofensivamente e defensivamente, variar ângulos, superar uma guarda fechada ou simples chegada para trás, sabe variar velocidade e 'longitude' do jab pra confundir potenciais contragolpes do brasileiro, saber criar padrões propositalmente para ele mesmo quebrá-los e surpreender a resposta do adversário, saber induzir o oponente a errar a distância para cansar e se expor a contra golpes, usar bem os chutes, etc., etc. Ele já mostou isso tudo no kickboxing e MMA.

Não vejo esse refino técnico no Borrachinha, não o acho refinado tecnicamente a ponto de conseguir induzir o Israel ao erro, e sim o contrário, Israel é muito experiente e calejado. Não acho que o brasileiro, por mais que possa ter qualidades ofensivas, não o vejo conseguindo fazer um jogo de kickboxing minando as pernas e corpo do Israel, ele deve oferecer algo simples: ir pra cima igual um trem, tentando encurralar para explodir. A necessidade do oponente parado para o sucesso ofensivo do brasileiro, a envergadura muito menor, e ser destro como a maioria dos oponentes que o Israel já enfrentou na vida, acho que dá uma boa desvantagem pra ele nesse casamento, pq o torna mais previsível. 

Enfim, se o brasileiro tivesse refino técnico e maior variedade, o punch e explosão desequilibrariam bem a balança para ele, mas como não tem, e quem tem em excesso é o campeão, acho que isso faz com que no confronto "técnica x potência" haja um desequilíbrio para a técnica.

Acho que a luta está mais para ser decidida por um erro do próprio Israel do que pela ignorância do brasileiro, ou capacidade desse de fazer o campeão errar. Mas todo ser humano está propenso ao erro, Israel já errou em outras lutas. O trem é se vai rolar o encaixe de uma mão boa do brasileiro em um momento de erro do campeão. Acho menos provável do que o Israel induzir o brasileiro ao erro e este morrer no gás.

Deixar com que o campeão tomar mais a iniciativa do ataque nos primeiros rounds, o atrapalhando a achar a distância e contragolpeando de DIFERENTES formas os jabs e chutes, acredito que aumentaria as chances do brasileiro: o momento que mais se está exposto é no momento do ataque, se defender (sabendo se defender) é muito mais seguro que atacar, e além disso, o brasileiro conservaria energia para o punch e explosão se manterem mesmo nos últimos rounds. Mas não vejo refinamento técnico no Borrachinha pra isso, nunca mostrou e é pouco tempo para aprender e usar contra um cara de alto nível. Se ele usar o mesmo contra golpe muitas vezes o Israel possivelmente vai contragolpear o contra golpe do brasileiro. hehe 

Vejo o Borrachinha mais ele com uma estratégia de "água mole em pedra dura", que é o que sempre mostrou. Só que agora vai encarar alguém que tem como maior diferencial saber usar a força do adversário contra ele mesmo. Pode dar certo, claro, mas não apostaria nisso.

Convido os colegas a se posicionarem sobre a luta e os potenciais cenários e desfechos dela.

Eu acho que o Eric vai mudar/mudou a estratégia para essa luta...

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Complementando: em especial acredito que o favoritismo do campeão pq eu acho que o campeão tem muito mais experiência lidando com lutadores como o Borrachinha que o contrário, e não existe milagre, lutadores majoritariamente repetem padrões. E acho que o aparente envolvimento emocional das discussão é só marketing pra luta, não acho que vai desequilibrar a luta. Acho mais provável o Borrachinha ser influenciado pela 'emoção' do que o Israel que tem uma puta bagagem.

Israel tem minúcias técnicas para controlar um pegador ofensivo de sobra, coisas como saber se posicionar pra fugir da mão forte, melhor jogo de pernas, saber bater recuando de diferentes formas, saber usar bem fintas, usar bem os golpes retos ofensivamente e defensivamente, variar ângulos, superar uma guarda fechada ou simples chegada para trás, sabe variar velocidade e 'longitude' do jab pra confundir potenciais contragolpes do brasileiro, saber criar padrões propositalmente para ele mesmo quebrá-los e surpreender a resposta do adversário, saber induzir o oponente a errar a distância para cansar e se expor a contra golpes, usar bem os chutes, etc., etc. Ele já mostou isso tudo no kickboxing e MMA.

Não vejo esse refino técnico no Borrachinha, não o acho refinado tecnicamente a ponto de conseguir induzir o Israel ao erro, e sim o contrário, Israel é muito experiente e calejado. Não acho que o brasileiro, por mais que possa ter qualidades ofensivas, não o vejo conseguindo fazer um jogo de kickboxing minando as pernas e corpo do Israel, ele deve oferecer algo simples: ir pra cima igual um trem, tentando encurralar para explodir. A necessidade do oponente parado para o sucesso ofensivo do brasileiro, a envergadura muito menor, e ser destro como a maioria dos oponentes que o Israel já enfrentou na vida, acho que dá uma boa desvantagem pra ele nesse casamento, pq o torna mais previsível. 

Enfim, se o brasileiro tivesse refino técnico e maior variedade, o punch e explosão desequilibrariam bem a balança para ele, mas como não tem, e quem tem em excesso é o campeão, acho que isso faz com que no confronto "técnica x potência" haja um desequilíbrio para a técnica.

Acho que a luta está mais para ser decidida por um erro do próprio Israel do que pela ignorância do brasileiro, ou capacidade desse de fazer o campeão errar. Mas todo ser humano está propenso ao erro, Israel já errou em outras lutas. O trem é se vai rolar o encaixe de uma mão boa do brasileiro em um momento de erro do campeão. Acho menos provável do que o Israel induzir o brasileiro ao erro e este morrer no gás.

Deixar com que o campeão tomar mais a iniciativa do ataque nos primeiros rounds, o atrapalhando a achar a distância e contragolpeando de DIFERENTES formas os jabs e chutes, acredito que aumentaria as chances do brasileiro: o momento que mais se está exposto é no momento do ataque, se defender (sabendo se defender) é muito mais seguro que atacar, e além disso, o brasileiro conservaria energia para o punch e explosão se manterem mesmo nos últimos rounds. Mas não vejo refinamento técnico no Borrachinha pra isso, nunca mostrou e é pouco tempo para aprender e usar contra um cara de alto nível. Se ele usar o mesmo contra golpe muitas vezes o Israel possivelmente vai contragolpear o contra golpe do brasileiro. hehe 

Vejo o Borrachinha mais ele com uma estratégia de "água mole em pedra dura", que é o que sempre mostrou. Só que agora vai encarar alguém que tem como maior diferencial saber usar a força do adversário contra ele mesmo. Pode dar certo, claro, mas não apostaria nisso.

Convido os colegas a se posicionarem sobre a luta e os potenciais cenários e desfechos dela.

Eu acho que o Eric vai mudar/mudou a estratégia para essa luta...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, Genilson Lopes disse:

Eu acho que o Eric vai mudar/mudou a estratégia para essa luta...

Para qual?

Eu acho que ameaçar a quedar e soltar um swingao, como muito wrestler americano faz, pode ser um bom caminho. Acho que poderão ser melhor só ameaçar para clinchar (encurtar mais seguro) e bater na saída de clinch do Israel, ou o levar pra grade. Mas acho que o gás do borrachinha não dá conta de fazer um jogo baseado em quedar de fato. Nem como plano A, nem como plano B (eu imagino que queda seja o plano B). Mesmo as ameaças e clinchar acho que cansariam rápido. A adrenalina/ansiedade de estar disputando o cinturão pode piorar ainda essa perda de gás.

Se não me engano o brasileiro nunca tentou uma queda no UFC, seria arriscado no TS ele basear o jogo nisso. E pela diferença de envergadura e falta de background de wrestling para fazer aqueles "mergulhos" explosivos de entradas de queda nas pernas de "longe", acho que o Campeão talvez consiga se defender dessas ameaças com jogo de pernas e mantendo a distância, o que o deixaria menos suscetível a esse golpes mesclados com a finta da queda.

Borrachinha vai ter que saber capitalizar muito bem o Israel de costas pra grade. E o Israel evitar ficar parado, em especial contra a grade. Hehe

Share this post


Link to post
Share on other sites

Luta imprevisível, muito aqui dizendo que Adesanya vai controlar a distância e neutralizar o Costa por 5 rounds, mas não foi isso que vimos contra Romero e Gastelum, Adesanya levou duras pedradas dos dois e correu risco, Whitaker sequer conta, Whitaker é meio médio assim como gastelum e ainda tava 1 ano e meio parado vindo de 2 guerras contra Romero.

Acho que essa luta é a mais imprevisível disputa de cinturão dos últimos anos.

Background em boxe/kickboxing no MMA não significa tanto, Holm nocauteado por Nunes que é do JJ. Zhang vencendo Joanna que era multi campeão de kickboxing, Ngannou nocauteando Rozenstruik e Overeem e etc ... Kickboxing e MMA são coisas diferentes. Assim como vemos caras do Jiu Jitsu passando perrengue no chão, igual o jacaré levando out Jiu Jitsu do Hermansson e wrestlers all American como Kosheck sendo quedado por GSP.

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Para qual?

Eu acho que ameaçar a quedar e soltar um swingao, como muito wrestler americano faz, pode ser um bom caminho. Acho que poderão ser melhor só ameaçar para clinchar (encurtar mais seguro) e bater na saída de clinch do Israel, ou o levar pra grade. Mas acho que o gás do borrachinha não dá conta de fazer um jogo baseado em quedar de fato. Nem como plano A, nem como plano B (eu imagino que queda seja o plano B). Mesmo as ameaças e clinchar acho que cansariam rápido. A adrenalina/ansiedade de estar disputando o cinturão pode piorar ainda essa perda de gás.

Se não me engano o brasileiro nunca tentou uma queda no UFC, seria arriscado no TS ele basear o jogo nisso. E pela diferença de envergadura e falta de background de wrestling para fazer aqueles "mergulhos" explosivos de entradas de queda nas pernas de "longe", acho que o Campeão talvez consiga se defender dessas ameaças com jogo de pernas e mantendo a distância, o que o deixaria menos suscetível a esse golpes mesclados com a finta da queda.

Borrachinha vai ter que saber capitalizar muito bem o Israel de costas pra grade. E o Israel evitar ficar parado, em especial contra a grade. Hehe

Não sei, mas acredito principalmente que ele não vem pra "matar" o que já seria uma mudança benéfica visto que ele nunca entrou no 8 pra lutar 5 rounds...mas desde o início eu acredito que seja uma luta sem favoritos...

Share this post


Link to post
Share on other sites

acho que é unanimidade a questão da falta de gás do Brasileiro... e confesso que me preocupa muito a "inatividade". Se pegarmos de novembro de 2017 (que foi um ano normal de lutas - 3x), o Borrachinha só lutou mais 2x

sempre com 1 ano de diferença: Julho 2018 / Agosto 2019 e agora setembro de 2020

e isso se juntarmos com a lesões, é muito tempo "parado"

posso está enganado, mas o cenário que eu vejo é oq a grande maioria comenta.. se frustrar no 1°, 2° rounds, cansa e ai é engolido pelo campeão..

 

Mesmo não gostando do Borrachinha, eu espero está errado.. são dois babacas, mas preferia ver mais uma cinta aqui 

Share this post


Link to post
Share on other sites
20 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Complementando: em especial acredito que o favoritismo do campeão pq eu acho que o campeão tem muito mais experiência lidando com lutadores como o Borrachinha que o contrário, e não existe milagre, lutadores majoritariamente repetem padrões. E acho que o aparente envolvimento emocional das discussão é só marketing pra luta, não acho que vai desequilibrar a luta. Acho mais provável o Borrachinha ser influenciado pela 'emoção' do que o Israel que tem uma puta bagagem.

Israel tem minúcias técnicas para controlar um pegador ofensivo de sobra, coisas como saber se posicionar pra fugir da mão forte, melhor jogo de pernas, saber bater recuando de diferentes formas, saber usar bem fintas, usar bem os golpes retos ofensivamente e defensivamente, variar ângulos, superar uma guarda fechada ou simples chegada para trás, sabe variar velocidade e 'longitude' do jab pra confundir potenciais contragolpes do brasileiro, saber criar padrões propositalmente para ele mesmo quebrá-los e surpreender a resposta do adversário, saber induzir o oponente a errar a distância para cansar e se expor a contra golpes, usar bem os chutes, etc., etc. Ele já mostou isso tudo no kickboxing e MMA.

Não vejo esse refino técnico no Borrachinha, não o acho refinado tecnicamente a ponto de conseguir induzir o Israel ao erro, e sim o contrário, Israel é muito experiente e calejado. Não acho que o brasileiro, por mais que possa ter qualidades ofensivas, não o vejo conseguindo fazer um jogo de kickboxing minando as pernas e corpo do Israel, ele deve oferecer algo simples: ir pra cima igual um trem, tentando encurralar para explodir. A necessidade do oponente parado para o sucesso ofensivo do brasileiro, a envergadura muito menor, e ser destro como a maioria dos oponentes que o Israel já enfrentou na vida, acho que dá uma boa desvantagem pra ele nesse casamento, pq o torna mais previsível. 

Enfim, se o brasileiro tivesse refino técnico e maior variedade, o punch e explosão desequilibrariam bem a balança para ele, mas como não tem, e quem tem em excesso é o campeão, acho que isso faz com que no confronto "técnica x potência" haja um desequilíbrio para a técnica.

Acho que a luta está mais para ser decidida por um erro do próprio Israel do que pela ignorância do brasileiro, ou capacidade desse de fazer o campeão errar. Mas todo ser humano está propenso ao erro, Israel já errou em outras lutas. O trem é se vai rolar o encaixe de uma mão boa do brasileiro em um momento de erro do campeão. Acho menos provável do que o Israel induzir o brasileiro ao erro e este morrer no gás.

Deixar com que o campeão tomar mais a iniciativa do ataque nos primeiros rounds, o atrapalhando a achar a distância e contragolpeando de DIFERENTES formas os jabs e chutes, acredito que aumentaria as chances do brasileiro: o momento que mais se está exposto é no momento do ataque, se defender (sabendo se defender) é muito mais seguro que atacar, e além disso, o brasileiro conservaria energia para o punch e explosão se manterem mesmo nos últimos rounds. Mas não vejo refinamento técnico no Borrachinha pra isso, nunca mostrou e é pouco tempo para aprender e usar contra um cara de alto nível. Se ele usar o mesmo contra golpe muitas vezes o Israel possivelmente vai contragolpear o contra golpe do brasileiro. hehe 

Vejo o Borrachinha mais ele com uma estratégia de "água mole em pedra dura", que é o que sempre mostrou. Só que agora vai encarar alguém que tem como maior diferencial saber usar a força do adversário contra ele mesmo. Pode dar certo, claro, mas não apostaria nisso.

Convido os colegas a se posicionarem sobre a luta e os potenciais cenários e desfechos dela.

Pô esses posts me fazem voltar hehehe

Bem amigo, vc um cara visão formidável de luta em pé.

Concordo tudo bem que o MMA a variação de padrão mas na verdade luta é aquilo que apresentado não pq fulano campeão de kickboxing não aplicou o kickboxing não serve, pô deficiência do cara né , mérito do Adesanya que sei estilo é o mesmo no kickboxing e no MMA.

Bem vi camping do Borrachinha no YouTube e foi basicamente em pé acho que Erick deve ter dados toques e uma visão de estratégia e luta já que borracha faz seu próprio camping.

Borracha fez camping com caras altos porém do muay Thai biotipo semelhante porém sem a movimentação do Adesanya que extremamente diferenciada como o meu ídolo Alex Poatan falou "o problema é chegar no Adesanya ele é esperto se move bem mais tem um problema eu sei chegar" faltou o Alex nesse camping o cara deixou o Glover maluco e disse em 1 ano esse cara é campeão do UFC.

Mas calma o Poatan não único e não é inventor da roda , realmente borracha melhorou etc, mas eu já o vi treinar algumas vezes só vivo e posso ter treinado também e tudo que vc falou é verdade sabe aquele cara que pegou confiança e experiência mas vc não ver tanta mudança do que vc viu....

Mas já calou minha boca outras vezes achei hall o venceria mas o cara realmente é duro,as Adesanya tem uma coisa não liga pra ganhar feio , se borracha cansar e tiver um coisa carregada na mão um cruzado de direita, overhand,ou direto vai ser frontal e chute de direita o tempo todo e low kick por dentro.

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, Be better day after day disse:

Luta imprevisível, muito aqui dizendo que Adesanya vai controlar a distância e neutralizar o Costa por 5 rounds, mas não foi isso que vimos contra Romero e Gastelum, Adesanya levou duras pedradas dos dois e correu risco, Whitaker sequer conta, Whitaker é meio médio assim como gastelum e ainda tava 1 ano e meio parado vindo de 2 guerras contra Romero.

Acho que essa luta é a mais imprevisível disputa de cinturão dos últimos anos.

Background em boxe/kickboxing no MMA não significa tanto, Holm nocauteado por Nunes que é do JJ. Zhang vencendo Joanna que era multi campeão de kickboxing, Ngannou nocauteando Rozenstruik e Overeem e etc ... Kickboxing e MMA são coisas diferentes. Assim como vemos caras do Jiu Jitsu passando perrengue no chão, igual o jacaré levando out Jiu Jitsu do Hermansson e wrestlers all American como Kosheck sendo quedado por GSP.

Que?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this