Lucas Timbó

Frustrado após derrota por pontos, Jacaré pede desculpa aos fãs e lamenta: "Deu tudo errado"

Recommended Posts

13 horas atrás, cabrió disse:

Detalhe interessante. Reconheceu que deu uma apagada de leve e que voltou. Na discussão Lawler x Askren lembro de gente dizendo que isso não era possível, arrumando todo tipo de desculpa para aquele braço frouxo. 

Bem lembrado... jacaré nunca foi "pangaré"... isso é fato...  Vi uma reportagem em que até o adversário dele comentou que achou o jaca desmotivado pra luta.   Talvez pela lambança nas trocas de adversários e talz... Mais uma "promessa" do Dana, caso vencesse....   Sei lá.... Não dá pra tirar os méritos do JH, mas sabemos que o jaca poderia ter ido melhor na luta.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, pipo disse:

uma pena.. 

 

talvez nunca mais tenha a chance de um TS pela idade, e como ta desenhado hoje a categoria..

Pois é... acredito que se o jaca não tirar algum coelho da cartola, o careca não vai mais nem fazer a "promessa" de TS...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tomara que sirva de lição para todo jiu-jiteiro que forem para o MMA. Que a mackenzie, Rodolfo, Bruno,etc., estejam vendo isso é aprendendo.

Jiu jiteiro tem que reinventar formas de impor o jogo deles.

Trocação é para um grappler ter timing de queda atacando ou contra atacando, bom domínio de distância, muita movimentação, posicionamento, defesa, distrair o adversário, criar espaço e oportunidade para derrubar. O foco tem que ser na defesa, movimentação e em levar pra onde sabe.

Grappler pra mim tinha que se tornar mestre em golpes retos, overhand (fácil se dominar e bom para encurtar), se movimentar muito e em diferentes quedas no contra golpe e pós sequências. Saber um ou outro golpe pra distrair e buscar quedar.

Brasileiro tinha que mesclar mais boxe com entrada de queda de judô, que é a arte que temos mais acesso e proximidade do Jiu Jitsu, ao meu ver. 

Falta é mais atletas tipo o Demian, que estudam a arte, que tentar achar formas de impor ela. A pegada das costas na grade foi um ótimo exemplo. O Renzo na resenha comentou que estavam estudando e na luta ele usou una forma de quedar que o Kron usou interessante também, já caindo para as costas. Pra mim legar as costas é a posição mais forte do Jiu jitsu no mma, tinham que focar nisso: bater e encurtar confirmando ou cozinhando e queda cinturando e do clinch, etc.

Não adianta brasileiro querer ir pelo caminho do wrestling entrando direto para masmorras, americanos tem um background incomparável, ao meu ver deveríamos investir no judô com elementos do wrestling, mas uma mescla de trocação e queda com elementos das duas artes.

A merda é que hoje em dia judô nem atacar mais as pernas ataca em campeonato, tem que ser um judô mais raiz. Isso de proibirem ataque a perna foi criminoso com a praticidade real da arte, ao meu ver.

Share this post


Link to post
Share on other sites
16 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Em resumo minha humilde opinião realmente o jacaré trava perto do cinturão!!

nem acho isso... pra mim ele até ganhou aquele luta contra Romero, mas também acho que não foi garfo.

Ele tem que entender que todos queriam ter seu jiu-jítsu e em vez dele treinar o que potencializa seu ponto forte... ele prefere ser um trocador mediano de mão pesada.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Peludo_SAS disse:

Bem lembrado... jacaré nunca foi "pangaré"... isso é fato...  Vi uma reportagem em que até o adversário dele comentou que achou o jaca desmotivado pra luta.   Talvez pela lambança nas trocas de adversários e talz... Mais uma "promessa" do Dana, caso vencesse....   Sei lá.... Não dá pra tirar os méritos do JH, mas sabemos que o jaca poderia ter ido melhor na luta.

estamos falando de um title shot garantido no fim da carreira... se isso não o motiva, aposenta agora.

Share this post


Link to post
Share on other sites
31 minutos atrás, Axiotis disse:

nem acho isso... pra mim ele até ganhou aquele luta contra Romero, mas também acho que não foi garfo.

Ele tem que entender que todos queriam ter seu jiu-jítsu e em vez dele treinar o que potencializa seu ponto forte... ele prefere ser um trocador mediano de mão pesada.

Cara nos sabemos como trocação é apaixonante conheço diversos jiu jitseiro que trocam o chão por lutar em pé.

Estratégia equipe, idade etc..

Pra mim trava sim..

Cara o jaca é muito mais forte e pesado derrubou gastelum e...

Nada 

Demian derrubou já foi vc pode até não bater porém não d

Sai dali

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, Rappa Hemp disse:

Não força, mano.  Lawler fez o sinal de positivo depois do braço mole. Ou seja, se apagou ou não, ele estava consciente quando o árbitro interrompeu.  Erro do Dean. 

Forçação nenhuma, braço caiu mole, Herb Dean tocou no braço dele (deu uma "quicada") e ele retraiu pra fazer joinha, o que acabou encobrindo a visão do árbitro. Mas o fato é que Lawler não esboçou atividade depois do toque. Você viu o que o Herb falou sobre o episódio? Queria esperar uma lesão mais séria?

Sabe o que o Jaca fez depois da apagada de leve? Reagiu, meteu soco. Reveja e compare os lances. 

Mas o ponto nem é esse. Não quero entrar nessa polêmica de novo, pra mim Inês é morta e vida que segue. 

O ponto é que na ocasião do Lawler muita gente disse que era impossível apagar e voltar tão rápido pra justificar que o lutador não apagou, quando a linguagem corporal foi de ter apagado sim. Quem já treinou sabe que apagar de leve é possível. A lembrança do outro episódio foi dirigida a esse argumento (não lembro se você foi um deles). Se quiser debater esse ponto em particular, ótimo. Se não, segue o barco. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
18 horas atrás, cabrió disse:

Detalhe interessante. Reconheceu que deu uma apagada de leve e que voltou. Na discussão Lawler x Askren lembro de gente dizendo que isso não era possível, arrumando todo tipo de desculpa para aquele braço frouxo. 

Fiquei na dúvida se ele disse que apagou na guilhotina ou no knockdown. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Daniel Mendoza disse:

Tomara que sirva de lição para todo jiu-jiteiro que forem para o MMA. Que a mackenzie, Rodolfo, Bruno,etc., estejam vendo isso é aprendendo.

Jiu jiteiro tem que reinventar formas de impor o jogo deles.

Trocação é para um grappler ter timing de queda atacando ou contra atacando, bom domínio de distância, muita movimentação, posicionamento, defesa, distrair o adversário, criar espaço e oportunidade para derrubar. O foco tem que ser na defesa, movimentação e em levar pra onde sabe.

Grappler pra mim tinha que se tornar mestre em golpes retos, overhand (fácil se dominar e bom para encurtar), se movimentar muito e em diferentes quedas no contra golpe e pós sequências. Saber um ou outro golpe pra distrair e buscar quedar.

Brasileiro tinha que mesclar mais boxe com entrada de queda de judô, que é a arte que temos mais acesso e proximidade do Jiu Jitsu, ao meu ver. 

Falta é mais atletas tipo o Demian, que estudam a arte, que tentar achar formas de impor ela. A pegada das costas na grade foi um ótimo exemplo. O Renzo na resenha comentou que estavam estudando e na luta ele usou una forma de quedar que o Kron usou interessante também, já caindo para as costas. Pra mim legar as costas é a posição mais forte do Jiu jitsu no mma, tinham que focar nisso: bater e encurtar confirmando ou cozinhando e queda cinturando e do clinch, etc.

Não adianta brasileiro querer ir pelo caminho do wrestling entrando direto para masmorras, americanos tem um background incomparável, ao meu ver deveríamos investir no judô com elementos do wrestling, mas uma mescla de trocação e queda com elementos das duas artes.

A merda é que hoje em dia judô nem atacar mais as pernas ataca em campeonato, tem que ser um judô mais raiz. Isso de proibirem ataque a perna foi criminoso com a praticidade real da arte, ao meu ver.

concordo em tudo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pra mim o knockdown e a guilhotina tiraram bastante o gás e estragaram o gameplan do Jacaré, que depois ainda foi facilmente derrubado no 2°round, e usou para tentar se recuperar. 

Mas a luta foi boa, até o final Jacaré buscou nocautear, e realmente nao dá pra entender nao ter tentado nenhuma queda. 

Mas é isso, sem descupas, bola pra frente. Agora dificilmente disputará o cinturao, faz parte. Mas teve grande carreira no MMA, e talvez seja o 2° maior peso médio de todos os tempos do Brasil. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei da entrevista, muito sincero.

Realmente travou, mas ainda continua em alto nível, vou torcer muito pra dar a volta por cima. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, cabrió disse:

Forçação nenhuma, braço caiu mole, Herb Dean tocou no braço dele (deu uma "quicada") e ele retraiu pra fazer joinha, o que acabou encobrindo a visão do árbitro. Mas o fato é que Lawler não esboçou atividade depois do toque. Você viu o que o Herb falou sobre o episódio? Queria esperar uma lesão mais séria?

Sabe o que o Jaca fez depois da apagada de leve? Reagiu, meteu soco. Reveja e compare os lances. 

Mas o ponto nem é esse. Não quero entrar nessa polêmica de novo, pra mim Inês é morta e vida que segue. 

O ponto é que na ocasião do Lawler muita gente disse que era impossível apagar e voltar tão rápido pra justificar que o lutador não apagou, quando a linguagem corporal foi de ter apagado sim. Quem já treinou sabe que apagar de leve é possível. A lembrança do outro episódio foi dirigida a esse argumento (não lembro se você foi um deles). Se quiser debater esse ponto em particular, ótimo. Se não, segue o barco. 

Saquei.  Eu concordo q naquela posição Lawler não teria escapatória, mas discordo de Dean, acho exagero dizer q lesão séria ocorreria se esperasse mais uns segundos.  Na câmera lateral onde o "joinha" é visível e claro, dá p ver q o Herb Dean se precipitou, não percebeu o sinal de q ele estava consciente naquele momento.  Pra mim foi erro.

Mas quanto a possibilidade de apagar e voltar, entendo e concordo com seu ponto. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
51 minutos atrás, Rappa Hemp disse:

Saquei.  Eu concordo q naquela posição Lawler não teria escapatória, mas discordo de Dean, acho exagero dizer q lesão séria ocorreria se esperasse mais uns segundos.  Na câmera lateral onde o "joinha" é visível e claro, dá p ver q o Herb Dean se precipitou, não percebeu o sinal de q ele estava consciente naquele momento.  Pra mim foi erro.

Mas quanto a possibilidade de apagar e voltar, entendo e concordo com seu ponto. 

Cara. Essa situação foi a mais inusitada da história do MMA - no que diz respeito a complexidade. Eu acredito que o Lawler não apagou, pois ele se levantou, de imediato, reclamando, estava bem lúcido - acho que essa dinâmica é inviável pra quem apagou, por mais leve que seja. Entendo a frustração e o sentimento de injustiça do Lawler. 

Apesar dos pesares, não consigo tachar a atuação do Herb Dean como erro, apesar de sua atitude ter, possivelmente, ensejado "injustiça". Temos que entender que o árbitro, antes de tudo, é um garantidor,  isto é, a premissa básica norteadora da atividade é integridade física do atleta - lutador caga pra integridade, ele quer ganhar, continuar lutando, independente das consequências. 

O lawler, impressionantemente frio e calmo, ficou estático, com as articulações relaxadas objetivando maior oxigenação. O problema é: ficar estático com as articulações relaxadas também é  característica de quem desmaiou. 

O Herb Dean já fez muita cagada.... nesse caso, não consigo condena-lo 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now