Recommended Posts

132,0 kg. 1,6 kg a menos que no domingo passado. 39 dias contando calorias. 10 kg a menos.

Sensações: eu tinha um "kit de sobrevivência" de roupas. Era duas calças moleton e umas três camisetas, pois o resto ficava colado demais. Essa semana consegui acrescentar novamente uma enorme calça jeans que não fechava no botão e mais uma penca de camisetas. Seis centímetros a menos de cintura ajudam.

Leituras: glicemia de jejum e pós-prandial normais - SEM REMÉDIOS - só controlando a alimentação, não passando de 400 cal/refeição. Pressão: NORMAL.

Alimentos: TODOS. Comecei entretanto a ficar miserável. Mortadela, por exemplo, tem o dobro de calorias que presunto. Costela tem trocentas calorias em comparação a um contra filé. Na hora de escolher eu estou começando a optar por aquele que tem menos calorias.

Exercícios aeróbicos: acabou a dor na planta dos pés, pelo menos aparentemente. Comecei a aumentar a velocidade na esteira e estou podendo fazê-la em dois dias seguidos (eu sempre alternava com outros exercícios - ergométrica, elíptico - para evitar dores). Acrescentei cinco minutos nos trinta para atingir a mesma quantidade calórica gasta durante o exercício.

Exercícios de força: até aqui sempre ia treinando pesado numa boa (série A/b/C/a/B/c). Nos dias de treino pesado eu gostava de ir fazendo o exercício principal na boa, aumentando de 10 e 10 kg para cada série. Fazia trocentas séries. Tudo bem, eu sei que isso cansa. O problema é que sempre fiz minha RM1 em dia de treino pesado. Porém, infelizmente, não sei se não dormi direito ou algo do gênero, falhei na minha supinada RM1 de 150 kg. "Os frango pirou". Nunca imaginei que tinha uma torcida do contra nos arredores. Óbvio que nem tentei 152 kg. Vou fazer de novo domingo que vem.

Gordice: sexta-feira, passeando com o piá, resolvi comer chicletes, daqueles azedinhos e açucarados. Ia passeando com o piá e comendo os tais chicletes pensando: chicletinho... nem é preciso contar as calorias. Comi três pacotinhos. Guardei um saquinho vazio por não ter lugar para onde jogá-lo fora. Chegando em casa jantei e fiz o cálculo das calorias. Tudo ok. Na hora de fazer o orçamento doméstico, achei na carteira o saquinho dos tais chicletes. Por curiosidade pesquisei na Internet a quantidade calórica dos chicletinhos. 300 calorias. Repito: 300 calorias deram o total dos três pacotinhos que masquei. Conclusão: masquei a quantidade calórica que eu poderia comer na minha janta. Revoltado, baixou o espírito de gordo "já que está no inferno, um abraço no capeta não custa nada". Fui pra cozinha e só saí dali com minhas duas princesas mandando vassouradas. Resultado: a janta rendeu 1200 calorias. Dia perdido. Eu poderia ter perdido mais de 2 kg ao invés de 1,6 kg.

Bom. Era isso aí. Até domingo que vem. Mesmo com a gordice de sexta eu não abri mão de me esbaldar hoje num "Conde de Foucauld" regado a comida japonesa sendo degustados nesse instante, escutando sons de maromba.

[]´s

Edited by Jaraqui

Share this post


Link to post
Share on other sites

Grande Jaraqui,

Fico feliz em ver que tem feito progressos. Não se culpe por essa escorregada no fim de semana, você bem sabe que só um é Perfeito.

Já deu uma pesquisada sobre treino em circuito, com pouco, ou nenhum descanso entre séries ? Costuma ser uma boa alternativa para quem quer emagrecer, além de fortalecer o sistema cardiorrespiratório.

Abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Grande Jaraqui,

Fico feliz em ver que tem feito progressos. Não se culpe por essa escorregada no fim de semana, você bem sabe que só um é Perfeito.

Já deu uma pesquisada sobre treino em circuito, com pouco, ou nenhum descanso entre séries ? Costuma ser uma boa alternativa para quem quer emagrecer, além de fortalecer o sistema cardiorrespiratório.

Abraços.

Obrigado Pompem, pelas suas palavras. Sempre chegam em uma hora boa.

Circuito? Eu chego lá ainda. Meu gosto por esta atividade vem de um tempo que antecede à moda atual, onde mais vemos em termos de circuit-trainning é o chamado cross-fit. Em 1997/98 eu já tinha em mente prestar concurso para as FFAA e já naquela época nutria esse sonho "antagônico": maximizar o que for possível dentro de um mesmo corpo qualidades como velocidade, força e resistência. Quando passei no concurso e conheci alguns militares de forças especiais, vi que o treino deles já era desse jeito também.

Segue um vídeo de cross-fit para exemplificar ao que me refiro:

No entanto, nesse momento, não dá nem pra pensar. Com peso em excesso a minha energia se esgota fácil, independentemente da boa alimentação. Logo as zonas de treinamento aeróbico que consigo mantê-las em um ritmo diário não costumam passar de 70% da Frequência Cardíaca Máxima. Isso eu consigo com atividades leves como elíptico, bicicleta ergométrica e esteira. De leve por enquanto...hehehe.

[]´s

Edited by Jaraqui

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse cross-fit aí é casca-grossa, Jaraqui.

Tem que estar levinho senão o "organirmo" vai pra lona.

Na verdade, eu estava me referindo a algo mais simples, dentro da academia mesmo, tipo supino x puxada.

Edited by Pompem

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse cross-fit aí é casca-grossa, Jaraqui.

Tem que estar levinho senão o "organirmo" vai pra lona.

Na verdade, eu estava me referindo a algo mais simples, dentro da academia mesmo, tipo supino x puxada.

Valeu, Pompem, daqui a um tempo pretendo rever minha série e vou levar isso em consideração. Na minha época eu chamava esses conjugados de (supino/pulley, rosca bíceps/tríceps, extensor/flexor) "superséries". Olha só: tem de ter uma disposição boa, heim? Se não me engano, não há intervalo de descanso entre uma série e seu antagônico. Por exemplo, o cidadão executa uma série no supino, depois corre pro pulley e executa a outra série. Só depois é que ocorre o intervalo. Em academia cheia isso é uma dor de cabeça...hehehe.

[]´s

Share this post


Link to post
Share on other sites

É isso mesmo, meu velho. Eu que me equivoquei na terminologia.

Eu curto muito essas superséries. Além de "puxar o gás", malhar peito x costas, biceps x triceps, dá um pump fora do normal.

Você, como um aficionado do esporte, sabe a satisfação que isso gera. Acredito que tenha a ver até com química do cérebro, endorfina - mas digo isso sem nenhuma base científica.

O Arnold rasga elogios a esse tipo de treino na Enciclopédia.

Edited by Pompem

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu devia ter uns 19 quando experimentei uns trocinhos. Deca (25/50/75/100 ml) e uma cartela de Hemogenin, das antigas. Um depois do outro. Explodi de tamanho a olhos nus, principalmente depois do tal do Hemogenin. Dizem que ela mudou a composição hoje em dia. Está mais fraca. Ficava ali, escondida na gaveta das meias. Minha mãe na época pegou uma caixinha de "NatuBolic" e jogou todos os packs no vaso. Imagine se ela soubesse do veneno... Depois disso nunca mais. Em 2002, consultando um médico, comentei esses trocinhos tomados lá no começo da década de 90, em tais quantidades exerceriam algum impacto negativo nos dias de hoje (2002). Ele deu risada.

Fato é o seguinte: hoje em dia, com feijão, arroz, carne e salada, combinados com 7 horas de sono ergo muito mais peso do que na época dos venenos. Não há comparação. Não é só o fato de erguer mais. É a estabilidade nos movimentos. Hoje me preocupo mais com a correção dos movimentos do que com a carga. Agachamento e terra com coluna ereta, olhando pra frente, enfim, um compromisso que eu não tinha na época da porraloukisse.

Share this post


Link to post
Share on other sites

131,9 kg. 0,1 kg a menos que no domingo passado. 46 dias contando calorias. 10,1 kg a menos.

Sensações: idênticas às da semana passada. Nada de tão relevante pra ser relatado.

Leituras: glicemia de jejum e pós-prandial normais - SEM REMÉDIOS - só controlando a alimentação, não passando de 400 cal/refeição. Pressão: NORMAL.

Alimentos: TODOS. Falei da mortadela na semana passada, mas sinceramente, continuo comento de tudo, desde que não seja ultrapassado o limite de quatrocentas e varadinhas calorias. Nada que ultrapasse 2200 cal.

Exercícios aeróbicos: 4,4 km/h na esteira com inclinações que vão até 8% durante 30 minutos. O resto - ergométrica e elíptico - é atividade de manutenção. Em termos práticos: aumentei 0,1 km/h na esteira.

Exercícios de força: 160 kg no agachamento, sem "movimento bom dia". Esse maldito movimento é quando a gente curva a coluna pra subir de qualquer jeito com o peso nas costas. Desço e subo essa quantidade "bonitinho", no esquadro, na postura. 150 kg no supino, de boa, com o ajudante de braços cruzados ali do lado, só pra garantir que eu não pague mico. Terra: não fiz com carga nessa semana. Vacilo puro. Fica pra semana que vem. A aparente falta de força na semana passada não passou de alarme falso.

Gordice: nenhuma.

Comentários finais: estou pensando em inserir os percentuais (%BF, %água, %massa magra) que minha vagabundinha balança digital fornece, pois esses míseros 100 g foram acompanhados de um aumento de 2% de massa magra e, como sabemos, músculo pesa mais que gordura.

[]´s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Comentários finais: estou pensando em inserir os percentuais (%BF, %água, %massa magra) que minha vagabundinha balança digital fornece, pois esses míseros 100 g foram acompanhados de um aumento de 2% de massa magra e, como sabemos, músculo pesa mais que gordura.

Isso que eu ia comentar, meu velho.

Em números absolutos, parece que a perda de peso está estagnada. No entanto, o que vale mesmo é a composição corporal.

Mas mesmo assim, Jaraqui, pra um cara com bf alto pra caramba, acho que você poderia estar perdendo mais peso. De repente dar uma diminuída no carbo, fazer alguma coisa pra chocar o organismo e reiniciar o processo de perda de gordura.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pompem, meu irmão, vamos pensar em mexer no programa na hora em que duas semanas se passarem e nada ocorra. Você é o único brother que publicamente está acompanhando essa bagaça. Por esse motivo eu preciso confessar isso pra você. Vamos dar tempo ao tempo. Outra coisa que está progredindo e não está sendo registrada são as medidas de cintura e quadris. Um centímetro de cintura e outro centímetro de quadril desapareceram e não está sendo registrado.

Enfim, Pompem, obrigado por dar um retorno pelo relato, irmão. A gente vai vencer, amigo. Vamos acreditar Nele, que irá abençoar esta cruzada.

Para constar a quem esteja acompanhando: já derrubei uma das recomendações do "protocolo" dos médicos que determina: "IMC acima de 40 requer gastroplastia". Bom, tais médicos precisam repensar, pois estou com o IMC de 39,39. Precisarão de outro motivo pra me mandarem pra faca.

Feliz Páscoa, amigo Pompem e demais camaradas que estão com paciência de acompanhar a cruzada.

[]´s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com certeza, Jaraqui.

Eu dou uma opinião ou outra aqui, de repente pra chamar sua atenção pra um ponto diferente, mas sem a pretensão de querer dirigir seu programa; até porque, conhecimento por conhecimento, eu não sou digno nem de engraxar seus sapatos.

Tenho confiança na sua disciplina e força de vontade, lapidadas na caserna e na retidão em Cristo. Vencer essa batalha é questão de tempo.

Feliz Páscoa, meu camarada, que o Espírito Santos encontre morada na sua casa, com sua família, nessa data tão especial.

Share this post


Link to post
Share on other sites

po gostei pacas dos seus relatos, legal ver quando alguem quer algo e se dedica mesmo, eu bem sei como é dificil tentar conseguir chegar onde se quer, ainda mais quando tem dieta no meio, tá de parabens.

curiosidade apenas, quais dos treinos de hipertrofia vc se dá melhor pra ganho?

eu gosto muito do GVT, mas sempre gosto de aprender coisas novas.

abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado Igor, um pequeno resultado positivo me ajuda como incentivo para o dia. A batalha no dia a dia, a cada refeição. Tipo AAnônimos mesmo. Contando cada dia longe da vida velha. Os pequenos resultados vão se somando e juntos formam um resultado razoável. E assim, devagarinho eu vou, porque é uma dieta que não promete uma revolução na vida da pessoa. Mas eu quero assim, sem remédio, sem veneno, sem suplemento, no "osso".

GVT... esse eu não conheço hehehe. Vou procurar saber como é.

Meu treino é tradicional. Só mexi numa coisa pra ficar em atividade 6d/semana. A série ficou A/b/C/a/B/c, onde A: peito/tríceps; B: costas/bíceps; e C: pernas/ombros; 4ex/2ex. Letras maiúsculas são os treinos pesados e as minúsculas os leves/moderados.

O foco todo no treino está voltado a um ritual em torno dos treinos pesados. É ali onde eu faço uma espécie de sessão de psicoterapia. Vai desde o desenho das anilhas na barra - da maior para a menor - o avanço gradual das cargas, a seleção do som pesado, a toalha no rosto, a mão enxuta pra não escorregar a barra e, muita força. Muita. Daquelas pra acordar no outro dia meio lesado. O resto do dia a casa pode cair. Por esse motivo creio que possa nem ser o melhor. Mas é um que venho gostando muito de fazê-lo.

Por esse motivo eu te respondo que ganho, ganho na vera, de massa magra eu não estou muito preocupado. Eu vou acompanhando o peso, né? rs. Esse eu não posso vacilar, pois fiquei numa encruzilhada: ou perdia peso (coisa que o médico falou que eu não iria conseguir) ou ia pra faca (gastroplastia. Dois médicos disseram a mesma coisa). Aspectos voltados a medidas estéticas, apesar que deveriam ser levados em consideração, eu os trato como consequência do treino pesado.

[]´s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now