Magapi

Boxe: Surgiu um novo fenômeno americano!

Recommended Posts

Que fórum 24, veínho?

hehehehehehehe

Forum da fuleiragem baiana?

KKKKKKKK

O BB não vai lutar contra ninguém que ofereça perigo sem retorno financeiro.

Por isso acho que ele vai lutar contra um Seth Mitchel da vida.

Um Jonathon banks aí o Klitchko poderia aparecer no corner e tal).

Mas o mais provável seria o Cristobal mesmo, ou o Stiverne. Mas um dos dois vai se tornar campeão WBC. Então ele iria contra o perdedor.

O Vencedor de Fury Chisora seria um outro possíve oponente.

BORA BAHEEA!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

É um fórum americano de boxe seu xibungo. :bheh:

:D

E sobre o wilder, já que ele tá com medo e até negou luta com fury, deveriam colocar o basqueteiro do Jennings. Pelo menos seria um duelo de gigantes porradeiros. Aí sim! gunthug gunthug

Ou um Mike Perez ...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rapaz, jamais se pode desmerecer um pegador nato no boxe, pois ele tem uma arma engatada durante toda luta, ainda mais eu que sou fã de pegadores. :D

Mas o Fury atualmente tem mais recursos que o wilder. Sabe jogar com distância, pressão, corta bem o ringue. O americano tem uma caixa de ferramentas boa, é um pegador diferenciado, mas é lutador de um jogo só. Parece verde, mesmo tendo quase 30 anos...

Volta e meia eu falo que o boxe tá uma pataquada com esse lance de nego não querer "sujar cartel"...

Tá cada dia mais ridículo... um monte de nego talentoso, inflando cartel com lutador mais ou menos, sendo que poderiam estar trocando porrada homéricas com outros grandes nomes.

Mas parece que o povão gosta desse lance de lutador 30-0, 40-0... até cresce o olho. Mas quando perguntam: contra quem? aí até bate desanimo. :D

Lutador que eu até comentei nas antigas e que de fato era talentoso e com grandes chances de fazer bonito é o pulev, mas resolveu ficar meio mundo de tempo nos amadores por questão de nacionalismo...

E boxe não tem jeito. O negócio é subir e botar a cara.

O boytsov tá aí de exemplo... Tinha mais hype que o wilder e muitos falavam que iria dominar a categoria... Novo mike tyson branco e o escambau.

Só esqueceram de avisar o leapai. :lol:

Cal de onde vem essa cultura no boxe que o cara não pode perder no começo da carreira você nos grandes nomes do boxe são poucos lutadores que tem algumas derrotas no começo da carreira, normalmente é no final da carreira que os caras jogam a toalha em relação ao cartel

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cal de onde vem essa cultura no boxe que o cara não pode perder no começo da carreira você nos grandes nomes do boxe são poucos lutadores que tem algumas derrotas no começo da carreira, normalmente é no final da carreira que os caras jogam a toalha em relação ao cartel

Começou a partir do final da década de 80 e início da década de 90, que coincidiu com o aumento das associações de boxe tanto mundiais quanto continentais, assim como de emissoras transmissoras de ppv.

O mundo do boxe, que antes a maioria das pessoas sabia os nomes de cabeça até mesmo em seus campeões dos continentes, virou um vespeiro com 300 mil cinturões, associações, títulos continentais, mundiais e títulos interinos e um quintilhão de empresas de tv transmitindo.

Antes eram só WBC e WBA. Campeões normais e unificados (quando ganhavam ambos). Na década de 80 foi criada a IBF e a WBO. E na década de 90 as tvs a cabo no mundo do boxe pipocaram como nunca.

E sem contar que as divisões e subdivisões como nabo, nabf, naba, usba e assim por diante só embolou mais o caldo.

Pra se destacar só tinha um jeito. Ou se unia a marketeiros pilantras como don king e seus asseclas ou então inflava cartel. No meio de tanta gente, ter um 30-0 chamava atenção.

E assim é até hoje.

Veja que os lutadores da década de 70, 80 e até que prosseguiram a carreira na década de 90, mas que comaçaram em 80, tem cartéis gigantescos, praticamente impossível achar alguém com cartel limpo. Tanto que é dessa época a história de "limpar cartel", quando o cabra perdia a luta e fazia revanche e vencia... Ninguém tinha essa besteira de não lutar ou perder.

Hoje é um bando de nego escolhendo luta a dedo que até dá raiva. thumbdown

Um cara pegador nato como o wilder, perto dos 30 anos, jamais ficaria com um cartel sem nome de peso em plena década de 80.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu assisti a luta fds passado. Realmente o cara bate forte, porque o direto que ele mandou pegou mais na guarda do que na lata diretamente, e mesmo assim tirou o cara do ar...

Se eu não me engano na transmissão alguem falou que ele já foi sparring de um dos Klitschko (Vale ressaltar que eles são ucranianos e não russos).

É esperar para ver...

pelo que vi, foi o cruzado de esquerda que tirou o cara do ar, e não o direto... aqui nesse vídeo em 1:08 vc ve claramente que o Malik ja começa a cair depois do cruzado, antes mesmo do direto chegar, o cruzado o atordoou e o direto empurrou ele pro chão

Edited by rivvithead

Share this post


Link to post
Share on other sites

pelo que vi, foi o cruzado de esquerda que tirou o cara do ar, e não o direto... aqui nesse vídeo em 1:08 vc ve claramente que o Malik ja começa a cair depois do cruzado, antes mesmo do direto chegar, o cruzado o atordoou e o direto empurrou ele pro chão

Correto, foi o cruzado de esquerda mesmo.

Bom, pelo jeito eu sou minoria mesmo aqui, mas tudo bem, vamos aguardar pra ver se Wilder vai ou não ser campeão na primeira disputa que fizer e depois contra o Klitschko, então...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Correto, foi o cruzado de esquerda mesmo.

Bom, pelo jeito eu sou minoria mesmo aqui, mas tudo bem, vamos aguardar pra ver se Wilder vai ou não ser campeão na primeira disputa que fizer e depois contra o Klitschko, então...

Acho o Recorde dele fantástico, 31-0-0 com 31 nocautes, maioria das vitórias nos rounds iniciais, mal vejo a hora dele lutar com o Wladimir, lutão!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Começou a partir do final da década de 80 e início da década de 90, que coincidiu com o aumento das associações de boxe tanto mundiais quanto continentais, assim como de emissoras transmissoras de ppv.

O mundo do boxe, que antes a maioria das pessoas sabia os nomes de cabeça até mesmo em seus campeões dos continentes, virou um vespeiro com 300 mil cinturões, associações, títulos continentais, mundiais e títulos interinos e um quintilhão de empresas de tv transmitindo.

Antes eram só WBC e WBA. Campeões normais e unificados (quando ganhavam ambos). Na década de 80 foi criada a IBF e a WBO. E na década de 90 as tvs a cabo no mundo do boxe pipocaram como nunca.

E sem contar que as divisões e subdivisões como nabo, nabf, naba, usba e assim por diante só embolou mais o caldo.

Pra se destacar só tinha um jeito. Ou se unia a marketeiros pilantras como don king e seus asseclas ou então inflava cartel. No meio de tanta gente, ter um 30-0 chamava atenção.

E assim é até hoje.

Veja que os lutadores da década de 70, 80 e até que prosseguiram a carreira na década de 90, mas que comaçaram em 80, tem cartéis gigantescos, praticamente impossível achar alguém com cartel limpo. Tanto que é dessa época a história de "limpar cartel", quando o cabra perdia a luta e fazia revanche e vencia... Ninguém tinha essa besteira de não lutar ou perder.

Hoje é um bando de nego escolhendo luta a dedo que até dá raiva. thumbdown

Um cara pegador nato como o wilder, perto dos 30 anos, jamais ficaria com um cartel sem nome de peso em plena década de 80.

Mas é bom isso até, no boxe vemos campeões x campeões (só não rola quando um não quer), sem se amarrar a eventos, sem presidentes de evento aparecendo mais que os lutadores, pra mim isso seria o ideal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas é bom isso até, no boxe vemos campeões x campeões (só não rola quando um não quer), sem se amarrar a eventos, sem presidentes de evento aparecendo mais que os lutadores, pra mim isso seria o ideal.

Pelo contrário. O que aconteceu foi justamente o inverso. O poder dos campeões chegou a tal pontos que a fuga das lutas contra adversários difíceis ou sem apelo comercial viraram regra do meio da década de 90 até hoje.

Aonde que em plena década de 80 ou início de 90, nego deixaria de lutar com o outro porque "não tem apelo comercial" ou "não fechou com a emissora X que é minha patrocinadora?"

Boxe virou comércio puro de marqueteiros.

Veja o MMA a diferença. A luta pode vender ou pode não vender ppv, mas os caras vão lutar porque o dono quer e o cara tá no top 1 do TS.

No boxe tem cara que se esconde na divisão. Campeões do peso por anos com cinturão, mas que jamais lutaram e jamais vão lutar.

Hoje em dia o cara só luta se tiver culhão. O termo luta escolhida a dedo é jargão nos Eua.

Campeões estão na zona de conforto... Realizam uma luta difícil por ano e olhe lá. Normalmente dão o TS quando percebem que o lutador mais temido está em baixa.

Isso do lutador não aceitar nunca foi novidade, mas nunca antes como ocorreu na década de 90 e anos 2000 em diante. Dá pra contar de dedo as lutas que não rolaram nas antigas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo contrário. O que aconteceu foi justamente o contrário. O poder dos campeões chegou a tal pontos que a fuga das lutas contra adversários difíceis ou sem apelo comercial viraram regra do meio da década de 90 até hoje.

Aonde que em plena década de 80 ou início de 90, nego deixaria de lutar com o outro porque "não tem apelo comercial" ou "não fechou com a emissora X que é minha patrocinadora?"

Boxe virou comércio puro de marqueteiros.

Veja o MMA a diferença. A luta pode vender ou pode não vender ppv, mas os caras vão lutar porque o dono quer e o cara tá no top 1 do TS.

No boxe tem cara que se esconde na divisão. Campeões do peso por anos com cinturão, mas que jamais lutaram e jamais vão lutar.

Hoje em dia o cara só luta se tiver culhão. O termo luta escolhida a dedo é jargão nos Eua.

Campeões estão na zona de conforto... Realizam uma luta difícil por ano e olhe lá. Normalmente dão o TS quando percebem que o lutador mais temido está em baixa.

Isso do lutador não aceitar nunca foi novidade, mas nunca antes como ocorreu na década de 90 e anos 2000 em diante. Dá pra contar de dedo as lutas que não rolaram nas antigas.

saudades de uma época que nao volta mais

Share this post


Link to post
Share on other sites

saudades de uma época que nao volta mais

Putz eu queria ter tido a chance de acompanhar o boxe nessa época áurea

Share this post


Link to post
Share on other sites

Neste video vcs podem ver Deontay Wilder em ação contra o ex-campeão mundial da Organização Mundial de Boxe, Siarhei Liakhovic.

Share this post


Link to post
Share on other sites

saudades de uma época que nao volta mais

Hoje só dá pra valorizar os pesados da galera do circuito europeu, especialmente do leste europeu. Ali sim o filho chora e mãe não vê, nego não tem essa de cartel limpo, sujo, pois a maioria vem da tradição do boxe amador das ex repúblicas soviéticas e querem ver o sangue comendo na boca.

América (continente) ainda se salva nos pesos leves.

Cuba precisa se profissionalizar urgentemente pra que o continente americano tenha uma sobrevida nos pesados saindo da zona de conforto.

Quero ver nego ficar na zona de conforto do cinturão continental com um bando de lutador top de linha mundial, sedentos por porrada e que não estão nem aí pra patrocínio, marketing e regrinha x ou y e só querem porradaria e trocação.

Circuito europeu era morto na década de 70, 80 e 90. Peso pesado era americano ou inglês. Não tinha exceção... Todos os tops eram amadores.

A urss caiu e deu sangue novo pro boxe lá varrendo os americanos e ingleses do mapa dos pesados do mundo.

Aqui precisamos da mesma renovação. Que caia logo a ditadura da ilha e o boxe mundial agradecerá com os cubanos de mira telescópica, gás infinito e jogo de pernas surreal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

No link abaixo tambem é possivel ver a luta de Deontay Wilder contra o campeão olimpico e europeu, Audley Harrison.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje só dá pra valorizar os pesados da galera do circuito europeu, especialmente do leste europeu. Ali sim o filho chora e mãe não vê, nego não tem essa de cartel limpo, sujo, pois a maioria vem da tradição do boxe amador das ex repúblicas soviéticas e querem ver o sangue comendo na boca.

América (continente) ainda se salva nos pesos leves.

Cuba precisa se profissionalizar urgentemente pra que o continente americano tenha uma sobrevida nos pesados saindo da zona de conforto.

Quero ver nego ficar na zona de conforto do cinturão continental com um bando de lutador top de linha mundial, sedentos por porrada e que não estão nem aí pra patrocínio, marketing e regrinha x ou y e só querem porradaria e trocação.

Circuito europeu era morto na década de 70, 80 e 90. Peso pesado era americano ou inglês. Não tinha exceção... Todos os tops eram amadores.

A urss caiu e deu sangue novo pro boxe lá varrendo os americanos e ingleses do mapa dos pesados do mundo.

Aqui precisamos da mesma renovação. Que caia logo a ditadura da ilha e o boxe mundial agradecerá com os cubanos de mira telescópica, gás infinito e jogo de pernas surreal.

muita gente boa que poderia ser um excelente atleta de boxe migrou pro mma. principalmente entre os medios, meio medios e pesados . o boxe perdeu muita gente pro mma ultimamente

vejo os cubanos seduzidos pelo mma até mais que o boxe profissional - tem um documentario de uns dois anos atras que mostra o crescimento do mma em cuba e eles la treinam improvisadamente que nem na rafael trejo

tem ate uma entrevista do joinha na qual ele cita que se cuba descobrir e levar a serio o mma pra valer vai virar potencia no esporte

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now