GRGM

Membros
  • Content Count

    90
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About GRGM

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Basicamente, pra mim, o TJ ganhou apenas os rounds nos quais o Cory não causou maiores danos, por ter o controle do octógono, apenas.
  2. Concordo! Ele foi bem errado na luta, passivo etc. Mas não é por isso que não venceu. Aliás, provavelmente ele administrou tanto por sentir que estava à frente.
  3. Eu não acho que ele tenha vencido nem o primeiro round (no qual o melhor golpe foi a joelhada voadora do Sandhagen). Basicamente o que o TJ fez foi dar chutes baixos e agarrar as costas do Cory. Este pagou pela passividade, claro, mas acho que controle de octógono é desempate, e na maior parte dos rounds foi o Cory quem causou mais danos.
  4. Pô gente, que é isso, garfaram o Sandhagen! Ok, luta apertada e tal, mas não vejo como alguém pode ver outro round pro TJ que não o primeiro e o terceiro. Ele só ficava segurando as costas do Sandhagen, todos os principais golpes da luta foram do compridão.
  5. Eu concordo que o Gane é meio chato, mas o que dizer do Volkov? O cara levou preju a luta inteira, aceitou passivamente o jogo do outro, não conseguiu pressionar, enfim, não fez nada. E isso deve ter a ver com méritos do Gane. Mas continuo achando que um Nganno entrando pra se impor, vence qualquer um dos dois.
  6. Eu acho que pra ganhar do Gane, só um caçador matador, como o Ngannou e o Miocic. E Gane e Ngannou já foram companheiros de treino:
  7. Eu concordo que a luta do Raoni deveria ter sido 20 x 20. Mas, apesar disso me parecer claro, eu tinha quase certeza que ele ia perder. Sabemos que os árbitros raramente dão 10 x 8 e ele falhou muito na administração da luta. Mereceu colher a derrota. E discordo de quem fala que ele foi melhor na luta. Para mim a luta foi equilibrada, mas com o russo à frente o tempo todo. Pode ser injusto colocar isso assim, mas acho que os knockdowns que o Raoni conseguiu foram exceções dentro de uma luta na qual o russo sempre esteve um passo à frente. Ah, e acho que o Raoni se mostrou tecnicamente superior. MAs o cardio dele não acompanhou o do russo, que atacava sem parar, de tudo quanto é jeito, e o Raoni parece que ficou se poupando, sem senso de urgência, porque devia perceber que não acompanharia o gás do adversário.
  8. O replay mostrou que não agarrou a grande, só meio que se apoiou nela, mas sem agarrar.
  9. Excelente! E mesmo as análises sobre o Marreta "ser limitado" estão bem bizarras. O Marreta nocauteou o atual campeão; muita gente (eu, inclusive, além de um dos jurados) acha que ele, SEM JOELHOS, derrotou o Jon Jones; voltou de lesão e deu acho que dois knockdowns no Glover; e agora, ainda recuperando ritmo, perdeu uma luta parelha com o Rakic (que muitos apostam que será o próximo campeão). Pô, estão falando como se ele tivesse sido atropelado pelo Rakic, quando não, foi uma luta morna, sem graça, na qual o Rakic ganhou basicamente por ser maior e conseguir controlar mais a distância. Para o UFC acho que faz todo o sentido: ou coloca o Marreta, brasileiro (mercado importante) e lutador empolgante na trilha das vitórias, ou catapulta o JW, igualmente brasileiro e empolgante, que ainda é cheio de hype. E é bom dizer que o JW também ficou bastante tempo parado e se recuperando de lesão por causa da idiotice que fez no ombro, justamente quando vinha no auge da confiança.
  10. A questão é que JJ x Reyes não foi apertado, foi uma das lutas mais fáceis de pontuar: 3 primeiros rounds do Reyes e dois últimos do Jones, claríssimo. Foge disso de "na dúvida, vai pro campeão", como costumam usar para casos como JJ x Gustafsson e Marreta. E sem dúvidas o Jones é mais completo que o Prochazka. Mas o Jones não tem o punch do Reyes, ou seja, duvido que atordoaria o Jiri como o Dominick fez (por outro lado, certamente não perderia posições como o Reyes perdeu). Enfim, difícil prever, mas o caos e a imprevisibilidade do Jiri me parecem ser justamente o que o Jones mais detesta.
  11. Algum forista recomendou que assistíssemos a luta do Prochazka contra o Vemkov e foi o que eu fiz (está no Youtube). Fiquei impressionado como aconteceu a mesma coisa: por duas vezes o russo estave bem por cima, chegou a ficar com a guilhotina pronta e, em outro momento, montou, mas o Prochaszka conseguiu escapar! Ele é muito louco, intenso e diferente. Assume riscos de uma maneira bizarra (parece que mesmo no chão) e impõe um ritmo de luta que é bem difícil de aguentar. Nesse sentido é interessante que ele é quase o oposto do Jones e sua austeridade/controle.
  12. Concordo que o cara com o maior cartel da história não precisa provar nada pra ninguém mesmo. Mas ele não venceu o Reyes, com toda a certeza. Entendo quem ainda ache que ele ganhou do Marreta (eu não acho), mas do Reyes foge do razoável. Quem quer tratar a luta dele contra o Reyes como vitória só porque o resultado oficial foi este, também deve tratar a desqualificação contra o Matt Hamil como derrota, então, se é pra respeitar tanto as formalidades...
  13. Também fiquei decepcionado com a luta, e há de se considerar que o Holland nem fez um camp completo, mas acho que é inquestionável que o Vettori causou MUITO mais dano do que o Brunson (que, basicamente, derrubou e controlou no chão, mas não fez nada).
  14. Não sei o quanto eu concordo com isso. Por outro lado, aguém pode dizer que Blachowitz x Jacaré, prova como o meio-pesado é ruim, afinal, o um Jacaré que já vinha mal nos médios, praticamente "empatou" (decisão dividida numa luta muito parelha) com o futuro campeão da categoria de cima. E aí? Acho que temos um esporte cada vez mais equilibrado, com só alguns fora da curva...
  15. Concordo totalmente. O pessoal parece não considerar que desta vez o Jones tampouco vai ter vantagem de envergadura (só 1 polegada e meia de diferença pra ele, ou seja, nem 4 cm, nada). Ou seja, pra mim as chances do Jones passam puramente pelo wrestling (que ele já não vinha conseguindo usar com muito sucesso nem mesmo entre os meio-pesados, imagine com uma montanha como o Ngannou).