SgtBlackStar

Membros
  • Content Count

    713
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by SgtBlackStar

  1. Que merda...errou o salto, é o que parece e deu com a cabeça, pode ter quebrado o pescoço ali.
  2. Sakai espera voltar a lutar até março e visa um adversário do top 10 do peso-pesado Contratado pelo UFC em 2018, após passar pelo ‘Contender Series’, Augusto Sakai ainda não sabe o que é derrota após três lutas no octógono mais famoso do mundo. Mas em 2019 o peso-pesado ratificou que chegou para ser um dos melhores e já entrou no ranking da categoria, logo após bater Andrei Arlovski, em abril. Mas agora considerado um dos grandes nomes, o brasileiro também já mira um teste a altura em seu próximo compromisso, ainda sem data marcada. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o paranaense já recebeu um indicativo do Ultimate de quando deve voltar a lutar. No entanto, o lutador ainda não sabe quem terá pela frente, mas pela sua vontade, chegou o momento de enfrentar um top 10 da divisão. “Falaram que até março pode surgir uma data e estamos nessa esperança. Enfrentar um top 10 já nessa próxima luta é algo que quero. Não é nem pelo teste, porque confio no meu potencial e sei o que preciso fazer. Mas lutando com um top 10 dá uma outra visibilidade e saindo com a vitória me joga lá para cima”, disse o lutador, destacando o 2019 que teve e com a promessa de um 2020 ainda superior. “Foi o melhor ano da minha carreira, não apagando minha história e o que fiz até hoje. Mas por estar no UFC, vencendo as lutas e entrando no ranking, foi o melhor. Agora para 2020 podem esperar uma evolução ainda maior. Que seja um ano excelente. Estou trabalhando para isso para fazer ainda melhor. Sei o quanto tenho a evoluir e crescer e vou continuar trabalhando para vir melhor”, completou. Logo após vencer Marcin Tybura, em setembro, Augusto Sakai recebeu elogios de ninguém mais, ninguém menos que Fabricio Werdum, ex-campeão dos pesados do UFC. O atleta não deixou de agradecer a confiança do ‘Vai Cavalo’ e prometeu seguir crescendo na franquia. “Fico muito feliz (com os elogios de Werdum). Isso é fruto de um trabalho de muitos anos e agora só vem tomando mais notoriedade. Mas sempre com pés no chão, continuar trabalhando e crescendo”, finalizou o peso-pesado. Com 28 anos, Augusto Sakai possui 14 vitórias, uma derrota e um empate em seu cartel. Apesar de jovem, o peso-pesado conta com a experiência adquirida na longa passagem pelo Bellator, antes de assinar com o UFC. O lutador está sem se apresentar no octógono mais famoso do mundo desde setembro deste ano, quando nocauteou Marcin Tybura. https://agfight.com.br/sakai-espera-voltar-a-lutar-ate-marco-e-visa-um-adversario-do-top-10-do-peso-pesado/
  3. Ultimate destaca Blachowicz e Anderson em pôster do UFC Rio Rancho Corey Anderson encara Jan Blachowicz no UFC Rio Rancho – Jason Silva/PXImages O UFC Fight Night 167 – que será realizado na cidade de Rio Rancho, no Novo México (EUA), no dia 15 de fevereiro – já tem pôster oficial. Como era de se esperar, os principais destaques da imagem, divulgada pela organização em suas redes sociais (veja abaixo ou clique aqui), são os protagonistas da luta principal do evento: Jan Blachowicz e Corey Anderson. Os meio-pesados (93 kg), ambos ranqueados no top 6 do ranking da divisão, duelam de olho em uma oportunidade de disputar o cinturão até 93 kg do Ultimate, atualmente em poder de Jon Jones. O duelo servirá como revanche para Blachowicz, que foi derrotado pelo americano em setembro de 2015, no UFC 191, em Las Vegas (EUA). O polonês vem em boa fase nos últimos dois anos, com seis triunfos e apenas um revés, para Thiago ‘Marreta’, por nocaute, em fevereiro de 2019. Jan se recuperou do resultado negativo com duas expressivas vitórias na sequência sobre lutadores que faziam sua estreia nos meio-pesados: Luke Rockhold e Ronaldo ‘Jacaré’. Atual quinto colocado no ranking até 93 kg do Ultimate, Corey Anderson vem de quatro vitórias consecutivas, a última delas sobre a promessa brasileira Johnny Walker, em novembro do ano passado, no UFC Nova York. O americano chegou a pedir pelo title shot de forma veemente, mas acabou vendo Dominick Reyes ser o escolhido como próximo desafiante ao título de Jon Jones pela organização. Com um triunfo sobre Blachowicz, é possível que ele receba sua tão esperada chance pelo cinturão da divisão. O pôster oficial do UFC Rio Rancho tem ainda a imagem de Michel Pereira e Diego Sanchez, que farão o co-main event do show do próximo dia 15 de fevereiro. O brasileiro vem de derrota surpreendente para Tristan Connelly, que aceitou o combate na semana da luta e fazia seu debute na organização. Diego Sanchez também foi superado em seu último confronto. O veterano perdeu por pontos para Michael Chiesa em julho de 2019. https://agfight.com.br/ultimate-destaca-blachowicz-e-anderson-em-poster-do-ufc-rio-rancho-veja/
  4. Israel Adesanya detona Jon Jones: “Vão lembrar de você como um trapaceador” Israel Adesanya venceu as três lutas que realizou em 2019 – Jon Roberts/ Ag Fight A rivalidade de Jon Jones e Israel Adesanya parece não ter fim, e nessa segunda-feira (6) a novela ganhou um novo capítulo. Campeão peso-médio (84 kg) do Ultimate, o nigeriano voltou a provocar ‘Bones’ ao usar seu histórico de doping a fim de alfinetá-lo. Na opinião de ‘The Last StyleBender’, os fãs de MMA não lembrarão do legado esportivo do meio-pesado (93 kg), e sim de seus flagras em exames realizados pela USADA (agência americana antidoping). Em participação no programa ‘Ariel’s Helwani MMA Show’, Israel rebateu uma recente crítica feita pelo seu desafeto. Em outubro passado, quando conquistou o cinturão linear dos pesos-médios, Adesanya fez uma entrada épica com direito a dança coreografada. Mas a performance foi motivo de deboche para Jones, que ironizou a irreverência do nigeriano. A crítica foi suficiente para que The Last StyleBender respondesse o campeão americano à altura. “Outra coisa que o Jon Jones disse, o filho da p*** do Jones. Foi tipo: ‘Bem, quando me aposentar, fico feliz que as pessoas se lembrem dos meus feitos ao invés das minhas entradas’. Cara, cale a boca. As pessoas vão lembrar de você porque você é um trapaceador drogado. Um trapaceiro de esteroides. É disso que vão lembrar. Ninguém liga para a toda m*** que você fez depois de (vencer o) Shogun, porque sabem que você trapaceou. Minhas entradas serão mais grandiosas que toda a carreira dele”, rebateu Israel, antes de complementar. “Estou apenas começando. Dois anos apenas no UFC…. Imagine o que vou fazer nos próximos cinco, seis, sete anos. Estou nisso há apenas dois. Ele já é ultrapassado, é velho. Poderia dizer o que bem quisesses, no final das contas são apenas palavras. Eventualmente nos encontraremos e ele será obrigado a me enxergar da forma que todos veem”, concluiu o atleta de 30 anos. Adesanya segue invicto como profissional de MMA com um cartel irretocável de 18 vitórias. A ascensão meteórica do peso-médio fez com que os fãs sonhassem com uma ‘superluta’ entre ele e Jones. No entanto, apesar de demonstrar interesse no duelo, o nigeriano deixou claro que seu objetivo, no momento, é defender seu reinado na divisão até 84 kg. https://agfight.com.br/israel-adesanya-detona-jon-jones-vao-lembrar-de-voce-como-um-trapaceador/
  5. ‘Big John’ McCarthy justifica desinteresse de Dana White por copromoções com o UFC Dana White não possui interesse em uma parceria do UFC com outra franquia – Diego Ribas Principal e mais conhecido árbitro da história do MMA, especialmente por sua atuação nos primórdios do UFC, John McCarthy fala com propriedade sobre os assuntos relacionados à organização. Aposentado dos cages desde 2018, ‘Big John’, como é conhecido, trabalha atualmente como comentarista do Bellator, e ao ser questionado no podcast ‘Weighing in’ sobre os motivos pelos quais o Ultimate não se interessa em uma possível copromoção com outra entidade, ele relembrou uma experiência mal sucedida do passado. De acordo com McCarde Dana Whithy, a relutância te – presidente do UFC – em trabalhar com outra organização se explica pelo episódio no qual o Ultimate cedeu Chuck Liddell, uma de suas principais estrelas na época, para participar do Grand Prix peso-médio do Pride, em 2003, e não recebeu nenhuma retribuição do favor em troca. Além disso, ‘Big John’ aponta para o receio do dirigente com uma possível desvalorização do seu produto caso um de seus lutadores perdesse um confronto contra um rival de outra entidade. “Dana foi roubado, e eu não o culpo (por não fazer uma co-promoção com outra organização). Dana foi roubado quando ele foi primeiro presidente do UFC pelo Pride ao ceder Chuck Liddell para o Pride e depois não receber nada de volta. Ele disse: ‘Eu nunca mais vou fazer isso de novo’. E, infelizmente, ele manteve isso”, contou ‘Big John’, de acordo com transcrição do site ‘BJ Penn’, antes de completar. “Agora ele está preso nisso ao ponto em que ele olha para isso tipo: ‘Por que vou danificar meu produto se eu colocar um lutador do meu lado contra um lutador de outro lado e ele perder? Isso apenas danifica meu produto, não há razão para fazer isso’. Eu não o culpo”, finalizou McCarthy. Muitas organizações têm se mostrado abertas para colaborar entre si, com a parceria entre Bellator e Rizin sendo a mais proeminente nos últimos tempos. E ainda que exista apelo por parte dos fãs, o UFC provavelmente não deve colocar em risco sua reputação de maior evento de MMA do mundo em uma co-promoção com uma franquia rival. https://agfight.com.br/big-john-mccarthy-justifica-desinteresse-de-dana-white-por-copromocoes-com-o-ufc/
  6. Campeões olímpicos, Henry Cejudo e Kayla Harrison trocam farpas pela internet Cejudo não gostou de ter seu posto de ‘triple C’ ameaçado por Kayla – Dan Wainer/Ag Fight Um festival de provocações entre dois campeões olímpicos movimentou as redes sociais nessa terça-feira (7). Henry Cejudo e Kayla Harrison trocaram farpas virtualmente após um simples questionamento de um fã de MMA. Em sua conta no ‘Twitter’, o torcedor se perguntou se a judoca americana poderia ser considerada a nova ‘campeã tripla’ do esporte – termo adotado pelo especialista de wrestling após se tornar detentor dos cinturões dos pesos-moscas (57 kg) e galos (61 kg) do UFC, além, claro, de sua medalha de ouro olímpica em Pequim, 2008. Em resposta ao questionamento do fã, Kayla ressaltou que possui quatro títulos já que, além do cinturão peso-leve (70 kg) do PFL e das duas medalhas de ouro olímpicas em Londres, 2012, e Rio, 2016, a judoca também detém um mundial da modalidade no currículo. Desta forma, a americana seria uma ‘campeã quádrupla’. A declaração foi suficiente para iniciar um duelo de alfinetadas com Henry Cejudo pelas redes sociais. “Sim. Tecnicamente eu tenho quatro títulos, porque ganhei o mundial em 2010. O Cejudo ganhou mundiais? Não consigo me lembrar…”, ironizou a judoca, momentos antes de iniciar uma troca de farpas com o campeão do UFC. “Kayla, por que você não assina o contrato? Falar é fácil. Você sabe quem é o melhor atleta de combate de todos os tempos. Se ajoelhe”, retrucou Cejudo, antes de ser novamente provocado – desta vez, por sua estatura. “Eu também diria para você se ajoelhar, mas você já está tão próximo do chão… uma saudação educada de judô já é o suficiente”, alfinetou a campeã do PFL, antes de ter suas performances criticadas pelo especialista em wrestling. “Primeiramente, uma medalha de ouro olímpica no wrestling equivalem a cinco medalhas de ouro olímpicas no judô. E para finalizar, suas lutas são ótimos remédios naturais para curar insônia”, concluiu ‘The Messenger’, como é conhecido. Vale ressaltar que Cejudo não pode mais ser considerado ‘campeão triplo’, uma vez que o próprio abriu mão do seu título na divisão dos pesos-moscas no fim da temporada de 2019. No entanto, o americano segue como o rei da categoria até 61 kg do Ultimate. https://agfight.com.br/campeoes-olimpicos-henry-cejudo-e-kayla-harrison-trocam-farpas-pela-internet/
  7. Chael Sonnen afirma que Ronda Rousey nunca foi a melhor lutadora do mundo Ronda Rousey faz parte do Hall da Fama do UFC – Diego Ribas Indiscutivelmente uma das principais responsáveis pelo crescimento e popularização do MMA feminino, Ronda Rousey não tem sua importância negada por qualquer pessoa ligada ao ambiente do esporte. Porém, suas habilidades como lutadora foram questionadas recentemente pelo ex-lutador do UFC Chael Sonnen, conhecido por suas declarações polêmicas. Em participação no programa ‘Ariel and The Bad Guy’, da emissora americana ‘ESPN’, Sonnen revelou que nunca considerou Ronda como a melhor lutadora do mundo. De acordo com ele, a ex-judoca, medalhista de bronze na Olimpíada de Pequim, em 2008, apenas se beneficiou de estar no lugar certo na hora certa para conquistar sua popularidade. Rousey foi a principal responsável pelo interesse do UFC em investir no MMA feminino, sendo a primeira atleta mulher a ser contratada pela entidade, em 2012, após se destacar no Strikeforce, onde foi campeã peso-galo (61 kg). A lutadora chegou ao Ultimate já com status de estrela da companhia e foi coroada pela organização como a primeira campeã peso-galo da história. Durante mais de dois anos, Rousey manteve seu título, com atuações dominantes sobre as desafiantes, que faziam sua popularidade crescer exponencialmente. Seu reinado durou até novembro de 2015, quando foi nocauteada com um chute alto por Holly Holm. Um ano depois, Ronda foi novamente superada via nocaute, dessa vez contra Amanda Nunes, ao tentar recuperar o cinturão da categoria. Este foi o último combate da americana, que passou a se dedicar à carreira de atriz e, posteriormente, ao pro wrestling. “Eu admito que nunca pensei que Ronda era a melhor lutadora do mundo. A divisão estava apenas se formando e ela estava no lugar certo na hora certa. Isso soa como um insulto, mas é como eu vejo isso”, declarou Chael Sonnen. Apesar da polêmica declaração, Sonnen também teve palavras elogiosas para Rousey. De acordo com ele, a ex-campeã do UFC soube a hora certa de parar e dar oportunidade para que outras atletas conquistassem seu espaço no esporte e na mídia. “Eu acho que ela merece um elogio. Quando ela pegou sua bola e foi para casa, como você colocou, eu acho que isso deixou uma mensagem. Acho que essa decisão parece como um bom vinho e ficou melhor com o tempo, quando você se cansar desse esporte, saia dele. Seja para abrir um espaço no plantel, ou no caso dela, o lugar dela em lutas pelo título e main events, dando a oportunidade para outra pessoa, ou apenas para a sanidade e saúde física dela. Se não é mais o que você quer fazer, saia do caminho”, concluiu Sonnen. Em sua carreira no MMA profissional, Ronda Rousey acumulou 12 vitórias e apenas duas derrotas. Nos últimos anos, a ex-campeã do Ultimate tem se dedicado à carreira de atriz, além de se apresentar na WWE, entidade de pro wrestling americana. Ela foi eleita para o Hall da Fama do UFC em julho de 2018. https://agfight.com.br/chael-sonnen-afirma-que-ronda-rousey-nunca-foi-a-melhor-lutadora-do-mundo/
  8. Para afastar má fase, Alex ‘Cowboy’ enfrenta Max Griffin em Las Vegas Alex ‘Cowboy’ busca uma recuperação no Ultimate após três derrotas – Gaspar Bruno Alex ‘Cowboy’ tem um novo adversário pela frente no Ultimate. O brasileiro enfrentaria Mickey Gall, no dia 29 de fevereiro, mas o duelo foi cancelado, ainda sem justificativa pela franquia. Com essa mudança, agora o atleta tupiniquim encara Max Griffin, no UFC 248, dia 7 de março, em evento marcado para Las Vegas (EUA). A informação foi divulgada primeiramente pelo site ‘MMA Junkie’ nesta terça-feira (7) e confirmada pela reportagem da Ag. Fight com fontes próximas ao show. Pressionado, o meio-médio (77 kg) vive sua pior fase no Ultimate, com três derrotas consecutivas. A última vitória de Cowboy na liga foi em setembro de 2018, quando nocauteou Carlos Pedersoli Jr no UFC São Paulo. Em setembro de 2019, o brasileiro subiu no octógono e foi derrotado por Nicolas Dalby. Max Griffin também não vive um bom momento na organização e só soma um triunfo nas últimas quatro lutas, que aconteceu em abril de 2019 sobre Zelim Imadaev. Em outubro desse mesmo ano, em sua mais recente aparição no UFC, o americano acabou superado por Alex Morono, por decisão dos jurados. A luta principal do UFC 248 já está confirmada e será entre a campeã Zhang Weili e Joanna Jedrzejczyk, pelo título do peso-palha (52 kg) da organização. Essa será a primeira defesa de cinturão da chinesa. https://agfight.com.br/para-afastar-ma-fase-alex-cowboy-enfrenta-max-griffin-em-las-vegas/
  9. Ben Askren elege Masvidal como o lutador de 2019: “Infelizmente ele merece” Jorge Masvidal alcançou o patamar de astro na temporada de 2019 – Scott Garfitt Jorge Masvidal parece mesmo ter sido uma unanimidade na última temporada. O sucesso do americano foi tamanho que fez com que um de seus algozes no ano desse o braço a torcer e o reconhecesse como melhor lutador de 2019. Nocauteado por ‘Gamebred’ em apenas cinco segundos – um recorde do Ultimate -, Ben Askren elegeu o carrasco como o principal artista marcial deste período. O triunfo de Jorge sobre Askren foi o segundo dos três que conquistou em 2019 – e possivelmente o mais brutal deles. Com uma joelhada voadora precisa logo no início do combate, Masvidal ‘apagou’ o wrestler americano, que precisou de suporte médico para deixar a arena em Las Vegas (EUA) no UFC 239, em julho passado. “Gostaria de escolher o Israel Adesanya, mas acho que – sinto que isso seria meio falso da minha parte. Se eu tenho que olhar isso de um ponto de vista não tendencioso, tenho que ficar com o Jorge. E se você dissesse que isso aconteceria um ano atrás, todos diriam que você está drogado ou tem algum tipo de problema. Mas infelizmente, sinto que ele merece”, admitiu Askren, antes de falar sobre como se sente. “Não me machuca (ter que admitir isso). As coisas são como são, essa é a verdade. É a realidade da situação. Agora, me sinto bem? (falando isso). Também não. Mas foi o que aconteceu”, completou o americano, em participação no programa ‘The Ariel Helwani’s MMA Show’. Aos 35 anos, Askren anunciou sua aposentadoria justamente nesta temporada. Após o revés para Masvidal, o falastrão foi finalizado pelo brasileiro Demian Maia. E após o confronto, em outubro de 2019, ‘Funky’, como é conhecido, pendurou as luvas. Masvidal, por sua vez, chega em 2020 cotado como um dos principais postulantes ao título dos meio-médios (77 kg) do Ultimate. https://agfight.com.br/sincero-ben-askren-elege-masvidal-como-o-lutador-do-ano-infelizmente-ele-merece/
  10. ........" “Eu também diria para você se ajoelhar, mas você já está tão próximo do chão… uma saudação educada de judô já é o suficiente”, alfinetou a campeã do PFL, antes de ter suas performances criticadas pelo especialista em wrestling. ".... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
  11. Invencibilidade de Khabib pode motivar volta de St-Pierre ao MMA, revela treinador Georges St-Pierre é ex-campeão dos meio-medios e dos médios do UFC – Diego Ribas Em 2019, Georges St-Pierre anunciou sua aposentadoria do MMA e deixou uma legião de fãs órfã. Desde então, sempre surgem rumores sobre um possível retorno do canadense à modalidade, com campeões do UFC almejando um confronto diante do ex-detentor dos títulos dos meio-médios (77 kg) e médios (84 kg). E quem recentemente aumentou a expectativa para uma volta do lutador foi um dos seus treinadores, Firas Zahabi. Em entrevista ao podcast ‘FightTips’, o técnico acredita que a carreira do canadense ainda não chegou ao fim e vê uma motivação para seu retorno. Segundo ele, um duelo contra Khabib Nurmagomedov seria um grande estímulo para o ex-campeão deixar a aposentadoria de lado e voltar a pisar no octógono. “Acho que ele ainda não terminou (a carreira). Ele é tão competitivo que um dia verá um cara que todo mundo acha imbatível, e ele vai querer voltar. Khabib é um desses caras, mas tem que ser uma luta até 75 kg. O UFC fará isso? Essa é a questão”, disse o treinador do canadense, antes de completar. “Georges não quer mais ser campeão no meio-médio, porque isso significa que ele teria que defender o título a cada três ou quatro meses, o que eu acho que esse estilo de vida acabou para ele”, contou. Em um possível duelo entre Nurmagomedov, GSP testaria ainda mais seu jogo de chão e defesas de quedas, uma das principais armas do russo quando atua. Mas apesar de ter consciência da alta qualidade de Khabib nestas técnicas, o treinador do canadense acredita que ele não teria dificuldades para anular esses ataques. “O Georges é muito difícil de derrubar. Veja a carreira dele: quantas vezes ele foi derrubado? E quando ele foi derrubado, por quanto tempo ficou no chão? Foi uma fração de segundo. Ele é difícil de controlar no chão”, avisou. Após reinar de 2008 até 2013 nos meio-médios, Georges S-Pierre fez sua última luta da carreira no peso-médio, quando derrotou Michael Bisping, em 2017, e faturou seu segundo cinturão no UFC. https://agfight.com.br/invencibilidade-de-khabib-pode-motivar-volta-de-st-pierre-ao-mma-revela-treinador/
  12. Programa antidoping do UFC inicia testes experimentais via fluido oral Jeff Novitzky anunciou o novo método de coleta para exames da USADA – Diego Ribas O programa antidoping do UFC começou a realizar testes experimentais via fluido oral em seus atletas. A informação foi confirmada por Jeff Novitzky, atual vice-presidente de saúde e desempenho do Ultimate, em sua conta oficial no ‘Twitter’ (veja abaixo ou clique aqui). O novo método de exames foi anunciado inicialmente no dia 12 de dezembro de 2019. De acordo com Novitzky, uma das vantagens do novo método de testes antidoping é que substâncias como maconha/THC só serão detectadas caso o lutador tenha feito uso das mesmas algumas horas antes do material ter sido coletado através do exame em competição, e não o que um atleta fez na semana ou mês anterior ao exame. No comunicado divulgado pela USADA (agência antidoping americana), a entidade enfatiza o fato do teste via fluido oral ser “uma livre de dor, não invasiva experiência de coleta que está sendo experimentada tanto dentro quanto fora de competição”. “O programa (antidoping) do UFC começou a experimentar um novo método de coleta (fluido oral). Principal lado positivo… Potencialmente, isso só vai detectar o uso de substâncias proibidas apenas em competição (como maconha/THC) dentro de algumas horas de uso… não o que o atleta fez uma semana ou mês atrás”, escreveu Jeff Novitzky em sua publicação no ‘Twitter’. O teste via fluido oral não vai substituir os métodos anteriormente utilizados, e servirá para complementar os exames de urina e sangue caso seja considerado confiável. Além disso, seus resultados não serão divulgados durante essa fase experimental. https://agfight.com.br/programa-antidoping-do-ufc-inicia-testes-experimentais-via-fluido-oral/
  13. Deiveson promete nocautear Benavidez: “Quero ganhar o cinturão com sobras, bonito” Deiveson Figueiredo vai lutar pelo cinturão dos moscas no fim de fevereiro – Ag Fight Com seis vitórias e apenas uma derrota no Ultimate, Deiveson Figueiredo construiu sua trajetória na organização em busca de uma oportunidade pelo cinturão peso-mosca (57 kg). E essa chance finalmente chegou. No dia 29 de fevereiro, o brasileiro encara Joseph Benavidez, pelo título da categoria, no UFC Norfolk. No que depender da confiança do atleta tupiniquim, o Brasil voltará a ter um campeão masculino na franquia. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o peso-mosca admitiu o espanto por ter a chance pelo título linear logo nesse seu próximo compromissos. De acordo com ele, a expectativa é que esse duelo contra Benavidez fosse pelo cinturão interino. No entanto, após o campeão Henry Cejudo ser destronado, o ‘Deus da Guerra’ teve essa oportunidade. E sua intenção é chegar ao posto mais alto da divisão em grande estilo. “Ele (Benavidez) é um cara rodado. Tenho certeza que está um pouco gasto, um cara que já teve duas vezes lutando pelo cinturão e não conseguiu (perdeu ambas para Demetrious Johnson). Estou chegando com força total. Todos que colocaram para mim eu ‘papei’ e tenho certeza que com o Benavidez não será diferente. É um cara que não oferece muito perigo para mim, apesar de ser experiente. Conheço o jogo dele e estou trabalhando em cima disso. Ele não vai querer trocar comigo e vai buscar usar o wrestling. Vou estar apto para defender as quedas e conectar duros golpes. Objetivo é nocautear esse cara, quero ganhar o cinturão com sobras, bonito”, adiantou. Desde 2017 no Ultimate, Deiveson vai fazer sua primeira luta de cinco rounds. Ciente da diferença, o paraense sabe que pode se precipitar para não ter o risco de perder o gás. Mas isso não vai impedi-lo de manter seu estilo de atuar. “Tenho que ser mais cauteloso, por ser uma luta de cinco rounds, mas não vou deixar de ser agressivo. Vou lutar como sempre lutei. Ele está esperando isso de mim, que eu seja agressivo mesmo. Então vou ser um pouco mais cauteloso, por ser uma disputa de cinturão, mas sempre com objetivo de nocautear. Vou dosar o gás nos primeiros rounds, mas nos últimos vou partir para cima”, adiantou o brasileiro. Atualmente o Brasil só possui uma atleta campeã do Ultimate, com Amanda Nunes com os títulos do peso-galo (61 kg) e peso-pena (66 kg). A última vez que o país teve um lutador com cinturão foi em 2017, com José Aldo. Caso vença Benavidez, Deiveson espera alcançar um outro patamar de popularidade. “Ganhando esse cinturão vai me dar mais um reconhecimento, uma moral entre os fãs. Vai dar mais uma moral para o pessoal do 57 kg. Espero que a galera me siga nas redes sociais, dê um valor a mais ao meu trabalho. Espero que me dê mais visibilidade, patrocínio”, completou o número três do ranking dos moscas. No Ultimate, Deiveson Figueiredo soma seis triunfos e apenas um revés, que aconteceu para Jussier ‘Formiga. O brasileiro vem de duas vitórias seguidas, contra Alexandre Pantoja e Tim Elliott, essa última por finalização, em embate que aconteceu em outubro deste ano. https://agfight.com.br/deiveson-promete-nocautear-benavidez-quero-ganhar-o-cinturao-com-sobras-bonito/
  14. Confuso com declaração de Dana, Gaethje rebate: “Não tenho ideia do que está falando” Dana White é o presidente do UFC – Diego Ribas Se tudo ocorrer como projeta o UFC, Conor McGregor e Khabib Nurmagomedov devem se enfrentar novamente pelo cinturão peso-leve (70 kg) no futuro próximo. Com isso, Justin Gaethje – que era apontado como segundo na fila dos próximos desafiantes, atrás de Tony Ferguson – viu o irlandês furar a fila, mesmo sem vencer um confronto na categoria desde 2016. Compreensivelmente irritado, o americano reclamou em suas redes sociais da postura da organização e foi rebatido por Dana White, que indicou que Gaethje teria uma parcela de culpa em sua situação. O presidente do UFC, sem entrar em detalhes, revelou, em entrevista recente à emissora americana ‘ESPN’, que o lutador recusou alguns combates oferecidos que poderiam ter lhe deixado mais próximo do title shot. Por sua vez, Gaethje se mostrou confuso com a declaração do dirigente e tentou relembrar as lutas oferecidas pela entidade nos últimos tempos, em participação no programa de rádio ‘MMA Tonight’. “Eu tenho tentando entender o que ele tem falado. Sei que quando ele fez aquela entrevista há pouco tempo, ele disse: ‘Justin Gaethje sabe o que eu estou falando, ele sabe o que está acontecendo’. Eu literalmente não tenho ideia do que ele está falando, é muito louco”, declarou o confuso Gaethje, antes de continuar. “Tenho quase certeza que foi (quando) eles me ofereceram, eu acho, Tony Ferguson. Quando Tony Ferguson lutou com Cowboy (Cerrone) em junho e eles estavam procurando um substituto para essa luta no final de maio. Eu disse a eles que não era tempo suficiente, mas se eles adiassem um pouco eu aceitaria essa luta, aí eles rejeitaram (a oferta). Depois eles perguntaram se eu queria lutar com Tony no card de Abu Dhabi (7 de setembro), e eu disse sim, e ele disse não, então eu aceitei a luta com Cowboy uma semana depois disso”, relembrou Justin, de acordo com transcrição do site ‘MMA Junkie’. O potencial de promoção de um novo duelo entre duas das maiores estrelas da companhia é obviamente o grande atrativo para o Ultimate. Nem mesmo o fato de Conor estar afastado dos octógonos desde outubro de 2018, justamente quando foi finalizado por Khabib, ou que sua luta contra Cerrone será disputada na categoria dos meio-médios (77 kg) parece incomodar a organização. Ainda que venha de três vitórias expressivas seguidas, todas por nocaute, Justin Gaethje ainda não possui o mesmo ‘tamanho’ do irlandês, especialmente na parte promocional dos duelos. Ciente disso, o americano evitou culpar Dana White pela decisão tomada pela organização. “Ele (Dana) tem pessoas acima dele dizendo para ele casar essa luta. Essa é a luta que vai fazer mais dinheiro, tenho certeza, só olhando de fora para dentro. (…) Eu não acho que ele está tentando me depreciar, eu fiz tudo que esse homem poderia querer de um lutador, ou empregado, ou alguém que ele paga dinheiro para assistir. Então, não acho que seja necessariamente algo pessoal contra mim. Acho que são pessoas acima dele dizendo para ele que eles precisam fazer essa luta, não importa como”, finalizou Gaethje. Antes que o UFC possa confirmar o novo combate entre Khabib e Conor, ambos precisam superar seus próximos desafios agendados. Nurmagomedov coloca seu cinturão até 70 kg em jogo contra Tony Ferguson no dia 18 de abril, no Brooklyn (EUA). Já McGregor retorna após longo hiato diante de Donald ‘Cowboy’ Cerrone no dia 18 de janeiro, em Las Vegas (EUA). Enquanto isso, Justin Gaethje segue sem oponente ou data para se apresentar novamente no octógono mais famoso do planeta. https://agfight.com.br/confuso-com-declaracao-de-dana-gaethje-rebate-nao-tenho-ideia-do-que-esta-falando/
  15. Luta de Esquiva Falcão passa a valer cinturão e eliminatória para título mundial do WBC Esquiva Falcão disputará cinturão ‘silver’ do Conselho Mundial de Boxe – Diego Ribas Esquiva Falcão ganhou mais um incentivo para sua luta contra Ainiwaer Yilixiati, marcada para o dia 2 de fevereiro, em Haikou, na China. O combate será válido pelo cinturão ‘silver’ do Conselho Mundial de Boxe (WBC), além de servir como eliminatória pelo título mundial linear dos médios da entidade, atualmente em poder do americano Jermall Charlo. Invicto no boxe profissional após 25 lutas, Esquiva ocupa atualmente a quinta posição no ranking do Conselho Mundial de Boxe, atrás de Daniel Jacobs, Sergey Derevyanchenko, Jaime Munguia e Kamil Szeremeta. O brasileiro é amplo favorito no confronto do dia 2 de fevereiro diante do chinês, que não está ranqueado em nenhuma organização importante do boxe mundial. Em sua conta oficial no ‘Twitter’, Esquiva comemorou o fato de começar o ano de 2020 com uma boa notícia: “2020 nem começou direito (e) já recebi uma notícia maravilhosa. Minha próxima luta vai valer cinturão WBC”. Aos 30 anos, Esquiva iniciou sua trajetória no boxe profissional em 2014 e desde então acumula 25 vitórias, sendo 17 por nocaute, e nenhuma derrota em seu cartel. Ainda como pugilista amador, o capixaba conquistou a medalha de prata nas Olimpíadas de Londres, em 2012. https://agfight.com.br/luta-de-esquiva-falcao-passa-a-valer-cinturao-e-eliminatoria-para-titulo-mundial-do-wbc/
  16. Encarada tensa entre peso-pesados esquenta ânimos para card histórico do Glory Os dois pesos-pesados se enfrentarão pela 2ª vez no dia 21 de dezembro – Divulgação/Glory O Glory pretende encerrar o ano com chave de ouro. E prova disso é que, mesmo ainda em outubro, a liga de kickboxing já começou a promover o card de despedida da temporada – que promete ser o maior da história da companhia. Nesta quinta-feira (17), em Amsterdã (HOL), ocorreu a primeira coletiva de imprensa do show, agendado para o dia 21 de dezembro. Durante a cerimônia, os dois astros da luta principal do evento, Rico Verhoeven e Badr Hari, protagonizaram uma encarada tensa. E não é para menos, já que a rivalidade entre os dois pesos-pesados é de longa data. Os dois já mediram forças em 2016. Na ocasião, o combate foi interrompido pois Hari quebrou o braço ainda no segundo assalto. Sendo assim, o triunfo foi de Verhoeven, por nocaute técnico. “É claro que temos pendências para acertar. Não queria ter vencido a primeira luta daquele jeito. Ele (Hari) nem sabia direito qual braço tinha quebrado e ficou apenas se lamentando. Mas desta vez será diferente. Ele não estará acordado para reclamar”, provocou Verhoeven, antes de receber a resposta de seu adversário. “Fale o que quiser. Pressão é meu sobrenome. Em 2016 eu lidava com vários problemas na Justiça e não consegui focar direito no combate. Tudo será diferente agora. Vou te f**** pra valer naquele ringue. Você nem saberá como voltar para casa”, rebateu Hari, de acordo com comunicado enviado pelo Glory à imprensa. Desde o duelo entre os dois, Verhoeven manteve seu reinado como o campeão da liga entre os pesos-pesados. No entanto, apesar do posto, o holandês não colocará seu cinturão à prova na revanche contra Hari, já que o card do final do ano não é numerado. Mas, segundo Rico, isso pouco importa – a rivalidade contra o atleta de Marrocos por si só já o motiva. “Sempre há muita coisa em jogo em um desafio deste porte. Legado, história, equipe, família. O fato de não valer o título é um mero detalhe. Tenho pedido esse combate há três anos. Desta vez, meu título será vê-lo nocauteado”, alfinetou Verhoeven. Mais de 25 mil ingressos já haviam sido vendidos para o ‘Collision 2’ até o começo de outubro, e a organização disponibilizou lugares extras recentemente. A expectativa para o card é tamanha, que fez com que o brasileiro Alex ‘Poatan’, ídolo da companhia, recentemente apelasse por um lugar no show, durante entrevista à Ag Fight. O CEO da organização de kickboxing, Marshall Zelaznick, aproveitou o coletiva para revelar a agenda oficial de eventos até o final de 2019. Confira abaixo: Dia 26/10 – GLORY 70, dia 26/10, em Lyon (França). Dia 22 e 23/11 – GLORY 71 e 72, em Chicago (EUA). Dia 7/12 – GLORY 72, em Shenzen (China). Dia 21/12 – GLORY Collision 2 – Arnhem (Holanda). https://agfight.com.br/encarada-tensa-entre-peso-pesados-esquenta-animos-para-card-historico-do-glory/
  17. Evento de Kazushi Sakuraba, ‘Quintet Ultra’ revela lista completa de participantes Kazuhi Sakuraba estará em ação na quarta edição do ‘Quintet Ultra’ – Diego Ribas Torneio de grappling lançado por Kazuhi Sakuraba, ex-lutador do Pride, o ‘Quintet’ confirmou sua quarta edição para esta semana, em Las Vegas (EUA). O evento será realizado na próxima quinta-feira (12) e vai dividir as atenções com o UFC 245, que acontece neste sábado também na mesma cidade americana. Para isso, a organização divulgou oficialmente os integrantes do show, e grandes nomes do MMA estão confirmados. O formato da edição vai repetir as anteriores, com quatro times de cinco atletas cada se enfrentando no esquema ‘mata-mata’. No entanto, dessa vez as equipes estão divididas entre ‘Time UFC’, ‘Time Pride’, ‘Time Strikeforce’ e ‘Time WEC’. A primeira rodada do evento, que acontece no Hotel ‘Red Rock Casino’ está confirmada com os duelos entre o ‘Time UFC’ contra o ‘Time Pride’, além do ‘Time WEC’ contra o ‘Time Strikeforce’. Ainda estão previstas quatro superlutas entre grandes nomes da luta agarrada. Confira abaixo os times: Time UFC: Anthony Smith, Anthony Johnson, Sean O’Malley, Clay Guida e Gilbert ‘Durinho’. Time Pride: Kazushi Sakuraba, Takanori Gomi, Gregor Gracie, Hector Lombard e Yves Edwards. Time WEC: Chad Mendes, Glover Teixeira, Mark Munoz, Cub Swanson e James Krause. Time Strikeforce: Gilbert Melendez, Jake Shields, King Mo, Gezias Cavalcante e Renato ‘Babalu’ Sobral. Na última edição, realizada em 2018, o campeão do torneio foi o ‘Time Team Alpha Male’, que teve como o capitão o lutador do Ultimate Urijah Faber. O “The California Kid” dessa vez não estará presente no evento, pois está escalado para o UFC 245, quando encara Petr Yan, em duelo válido pelo peso-galo (61 kg). https://agfight.com.br/evento-de-kazushi-sakuraba-quintet-ultra-revela-lista-completa-de-participantes/
  18. Às vésperas do UFC Washington, Jairzinho mira ‘combate de bichos-papões’ contra Ngannou Invicto no MMA, Jairzinho parece disposto a se testar contra os melhores – Diego Ribas Francis Ngannou é, talvez, o peso-pesado mais temido do Ultimate atualmente, mas isso não parece intimidar Jairzinho Rozenstruik. Isso porque, mesmo às vésperas do UFC Washington deste sábado (7), onde enfrenta Alistair Overeem na luta principal do show, o atleta do Suriname desafiou ‘O Predador’ para um confronto de bichos-papões, como o próprio denominou. Em conversa com a imprensa nessa quarta-feira (4) durante os treinos abertos do UFC Washington, Jairzinho projetou um duelo contra o camaronês, em caso de vitória sobre Overeem no sábado. De acordo com ‘Big Boy’, como é conhecido, um possível combate contra Ngannou seria o mais atrativo da categoria para os fãs de MMA. “Vencendo essa luta, Ngannou é o próximo, porque é o maior desafio. Ele é o grandalhão assustador que nocauteia as pessoas, eu faço o mesmo. Seria uma grande luta. Ele é o cara assustador da divisão – o bicho papão. (Eu sou) o outro bicho papão da categoria. Vocês querem criar uma bomba no octógono? Me coloque contra ele e tranque as portas. Os fãs do UFC vão amar isso”, opinou Rozenstruik, antes de falar sobre a possibilidade de Francis aceitar enfrentá-lo. “Se ele é esperto, ele vai aceitar a luta. Se não, é culpa dele. Acho que posso melhorá-lo porque sou um lutador melhor no final das contas. Então se eu fosse ele, aceitaria a luta”, completou o surinamês, de acordo com o site ‘MMA Junkie’. Mas antes de qualquer coisa, Big Boy tem que voltar seu foco para o confronto de sábado. Afinal de contas, o peso-pesado terá pela frente um dos principais strikers da divisão mais pesada do MMA: o holandês Alistair Overeem – especialista em muay-thai. Mas assim como fez em seus últimos compromissos na liga, Jairzinho espera adicionar mais um nocaute para seu cartel irretocável até então, que conta com nove triunfos. “Todos podem dizer que você bate forte. Eu bato forte. Mas se você não consegue golpear com precisão, você vai errar. Então o objetivo é encontrar o queixo e derrubá-lo (Overeem). Assim que isso acontecer, vocês verão o resultado” projetou o peso-pesado. O embate entre Jairzinho e Overeem promete ser bastante movimentado. Por se tratar de um confronto de nocauteadores, a previsão é que o confronto não dure os 15 minutos programados. No mesmo show, na posição de ‘co-main event’, Marina Rodriguez encara Cynthia Calvillo, na categoria peso-palha (52 kg). https://agfight.com.br/as-vesperas-do-ufc-washington-jairzinho-mira-combate-de-bichos-papoes-contra-ngannou/
  19. Ex-campeão do UFC, Tyron Woodley recusa luta fora dos EUA Tyron Woodley foi derrotado por Kamaru Usman em sua última luta – Rigel Salazar Afastado dos octógonos desde março deste ano, quando foi derrotado por Kamaru Usman e perdeu o cinturão meio-médio (77 kg) do UFC, Tyron Woodley não está interessado em lutar fora dos Estados Unidos. Em um recente ‘live stream’ em suas redes sociais, o ex-campeão revelou que a organização lhe ofereceu uma luta no card do UFC Londres, marcado para o dia 21 de março de 2020, a qual ele recusou. Woodley relembrou seu período como detentor do cinturão da categoria dos meio-médios para enfatizar que pretende fazer sua próxima luta em solo americano. Ainda sem uma data definida para seu retorno aos octógonos, o ex-campeão sugeriu alguns cards já agendados para o início de 2020, todos a serem realizados nos Estados Unidos. “Estou pronto para lutar em breve. Eles querem que eu lute em Londres. F***-se isso. Eu não vou até Londres para lutar. Eu sou cinco vezes campeão do mundo, não vou lutar lá”, reclamou Woodley, antes de comentar sobre as opções de eventos nos quais poderia retornar. “18 de janeiro, 25 de janeiro, 8 de fevereiro, eu quero lutar nos Estados Unidos. Eu não quero sair do país e lutar. Quando eu saio do país, eu quero estar de férias”, concluiu, de acordo com a transcrição do site ‘BJPenn.com’. Em toda a sua carreira, Tyron Woodley lutou fora dos Estados Unidos em apenas três ocasiões. A primeira em Winnipeg, no Canadá, em junho de 2013, quando foi derrotado por Jake Shields. As outras duas em sequência, em 2014, quando foi superado por Rory MacDonald, em Vancouver (CAN), e venceu Dong Hyun Kim, em Macau, na China. https://agfight.com.br/ex-campeao-do-ufc-tyron-woodley-recusa-luta-fora-dos-eua/
  20. Sucesso nas redes sociais, ‘Hulk Iraniano’ assina com organização de boxe sem luvas Apostando cada vez mais em personagens famosos para alavancar sua popularidade, o Bare Knuckle FC anunciou mais uma contratação de peso, literalmente. A organização, que promove lutas de boxe sem luvas e conta com alguns veteranos com passagem pelo UFC, confirmou após a edição número nove do show – realizada no último sábado (16) – a chegada de Sajad Gharibi, conhecido como ‘Hulk Iraniano’, ao seu plantel de atletas. Com quase meio milhão de seguidores em sua conta oficial no ‘Instagram’, Gharibi é um fenômeno nas redes sociais. E, se já não bastasse o fator curiosidade em vê-lo com seu físico descomunal em uma luta de verdade, o Bare Knuckle FC sinalizou que sua estreia deve acontecer em um evento com o título ‘Estados Unidos vs Irã: Terceira Guerra Mundial’, programado para o início de 2020. Empolgado, David Feldman, presidente da organização, comentou sobre a contratação do ‘Hulk Iraniano’, que pesa mais de 180 quilos. “Esse cara vai fazer sua estreia no Bare Knucke Fighting Championship no começo de 2020. Nós vamos fazer um show chamado ‘EUA vs Irã: Terceira Guerra Mundial’. Ele é literalmente a maior contratação que nós já fizemos. Esta vai ser sua casa, e nós realmente esperamos grandes coisas do ‘Hulk Iraniano’”, declarou o dirigente, de acordo com o site ‘MMA Fighting’. Na nona edição do show, realizada no último sábado, os ex-lutadores do UFC Jason Knight e Artem Lobov se enfrentaram na luta principal do evento, com vitória por nocaute do primeiro. No Bare Knuckle 8, que ocorreu em outubro deste ano, dois veteranos do Ultimate – Gabriel ‘Napão’ Gonzaga e Antônio ‘Pezão’ – também mediram forças no main event do espetáculo de boxe sem luvas. O combate terminou com vitória de ‘Napão’, também por nocaute. https://agfight.com.br/sucesso-nas-redes-sociais-hulk-iraniano-assina-com-organizacao-de-boxe-sem-luvas/
  21. Ruiz admite excessos e falta de foco na preparação antes de revanche com Joshua Após chocar o mundo em junho deste ano ao nocautear Anthony Joshua e conquistar o título mundial peso-pesado em quatro das cinco principais organizações de boxe da atualidade, Andy Ruiz talvez tenha festejado um pouco mais do que deveria. Na revanche, realizada no último sábado (7), na Arábia Saudita, o ‘gordinho’ apareceu sete quilos mais pesado do que na primeira luta e não foi capaz de acompanhar o ritmo imprimido pelo rival, que apostou na movimentação para retomar os cinturões. Ao site ‘TMZ Sports’, Ruiz admitiu que se empolgou nas comemorações após a conquista e não se preparou de maneira adequada para a revanche contra Anthony Joshua. De acordo com ele, o excesso na alimentação e na bebida o fizeram ganhar o peso extra, que debilitou sua performance na segunda batalha contra o pugilista inglês. Apesar disso, o agora ex-campeão se surpreendeu com seu desempenho, considerando a falta de preparação adequada. “Eu acho que eu comi tudo, é por isso que eu ganhei tanto peso. Eu estava me divertindo muito, celebrando demais. Apenas curtindo com meus amigos e comemorando. Bebendo algumas Coronas (cerveja) a mais do que eu deveria”, explicou Ruiz, antes de comentar sobre seu desempenho. “Até mesmo fora de forma, até mesmo indo e voltando para treinar (entre o México e a Califórnia), f***, eu fui muito bem, cara. Mas eu queria ter levado mais a sério”, lamentou. Superado durante a maior parte do confronto, Andy Ruiz acabou derrotado na decisão unânime dos juízes, perdendo os cinturões da Federação Internacional de Boxe (IBF), Organização Mundial de Boxe (WBO), Associação Mundial de Boxe (WBA) e Organização Internacional de Boxe (IBO). Um terceiro duelo contra Anthony Joshua deve ser marcado para desempatar o placar entre os pesos-pesados, e, dessa vez, Ruiz promete se preparar de forma adequada. https://agfight.com.br/ruiz-admite-excessos-e-falta-de-foco-na-preparacao-antes-de-revanche-com-joshua/
  22. Liz Carmouche revela que foi cortada do Ultimate por ser ‘muito boa’; entenda Carmouche fez sua última luta pelo UFC diante de Shevchenko, atual campeã- LeandroBernardes Parece contraditório você ser afastado do seu trabalho por cumprir bem suas funções, certo? Mas é exatamente isso que aconteceu com Liz Carmouche, ex-atleta do UFC e uma das pioneiras do MMA feminino. Nesta semana veio a notícia de que a peso-mosca (57 kg) foi cortada do plantel da organização. E dias após a ‘bomba’, a lutadora americana resolveu contar o verdadeiro motivo de sua demissão do Ultimate. Em participação no programa ‘Ariel Helwani’s MMA Show’, a veterana afirmou que o Ultimate a cortou com a justificativa de que ela era superior as demais oponentes. E isso, para os planos do UFC era prejudicial, uma vez que a liga quer construir uma base sólida na categoria feminina até 57 kg. “A razão que eles deram (para me cortar) é que eles estão tentando construir a divisão e toda atleta que eles traziam para os pesos-moscas, eu conseguia derrotar. Então isso não dá a oportunidade para eles construírem de fato a categoria do jeito que queriam. Então para o bem da divisão, eles tiveram que me cortar para me dar a oportunidade de ir para outro lugar e conseguir as lutas que preciso”, contou Liz, antes de tentar enxergar um lado positivo na situação inusitada. “O que isso me diz é que (outras lutadoras estão) com tanto medo de mim que (o UFC) não pode fazer nada a respeito. Quer dizer, seria pior se eles dissessem algo tipo: ‘Você não é boa o suficiente, e teremos que te cortar’. Ao invés disso, todas as lutadoras têm medo de mim. Prefiro que haja esse medo delas do que não ser qualificada o bastante, ou cometer um erro”, completou a americana. Carmouche foi demitida quando ocupava a quarta colocação do ranking da divisão e vinha de um confronto contra a atual campeã peso-mosca, Valentina Shevchenko. Logo, do ponto de vista desportivo, o desempenho da veterana não deixou em nada a desejar. No entanto, as boas performances da americana brecaram as pretensões da companhia para a categoria. Mas se engana quem pensa que Liz pretende ficar em uma ‘nova casa’ por muito tempo. “Seria um encaixe perfeito, porque já conheço e tenho um bom relacionamento com eles (do Bellator). Além disso, tenho minha companheira de equipe (Ilima-Lei Macfarlane) de está ditando a categoria e detém o cinturão. Já conversamos diversas vezes que uma luta ótima para nós seria encarar uma a outra, porque somo parceiras. Sabemos nossas fraquezas e forças. Sabemos dar um show”, projetou Carmouche. Aos 35 anos, Liz fez história ao se tornar a primeira mulher, ao lado de Ronda Rousey, a competir pelo Ultimate. As duas realizaram o primero combate feminino da história da liga, em fevereiro de 2013, que coroou ‘Rowdy’ como a primeira campeã do UFC e principal estrela do MMA feminino da época. https://agfight.com.br/liz-carmouche-revela-que-foi-cortada-do-ultimate-por-ser-muito-boa-entenda/
  23. Anthony Smith exalta trajetória de Glover no UFC e desafia: "Adoraria enfrentá-lo" Sem lutar desde junho deste ano, quando finalizou Alexander Gustafsson, Anthony Smith já mira seu próximo adversário no Ultimate. Trata-se de Glover Teixeira. Apesar de atualmente ser o número três do ranking dos meio-pesados e o brasileiro estar bem abaixo, ocupando o nono posto, o americano aprovou a possibilidade deste duelo. Em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, Smith, além de tecer grandes elogios à trajetória do atleta tupiniquim no UFC, acredita que eles dois podem encabeçar um card de um evento pela história que têm dentro da franquia. Ambos os lutadores já disputaram o cinturão da categoria e foram derrotados por Jon Jones. “Eu estou de olho no top cinco, mas acho que fora do top cinco está meio mexido. Está tudo mudando muito, mas acho que Glover está disponível. Então eu adoraria enfrentá-lo só por causa de quem ele é e pelo que ele fez neste esporte. Ele acumulou uma série de vitórias sobre alguns adversários bem difíceis que ninguém mais quer lutar, e acho que ele merece um evento principal. Você sabe que ele teve o evento principal contra Gus (Alexander Gustafsson) que não deu certo, mas acho que é hora de Glover ter outro evento principal. Acho que ele ganhou isso e merece isso”, afirmou o atleta, que gostaria de lutar em fevereiro ou março. Anthony Smith relembrou uma história marcante para ele que contou com a ajuda de Glover. Em 2013, o americano lutou em Fortaleza, pelo TUF Brasil 2 Finale, e foi finalizado por Antônio Braga Neto com uma chave de joelho. Após este confronto, o lutador precisou do auxílio do atleta tupiniquim para retornar ao seu país. “Na minha estreia no UFC no Brasil, eu machuquei meu joelho, então no meu caminho de volta eu estava cm dificuldades com todas as minhas malas e um joelho estourado, e Glover me ajudou no aeroporto, traduziu para mim e me colocou no avião. Eu não era ninguém. Ele era uma superestrela, então eu sempre tive um grande respeito por ele desde então. Não estou atacando ninguém. Ele é somente o próximo cara que pode estar disponível”, contou. Anthony Smith não luta desde junho deste ano, em vitória sobre Alexander Gustafsson. O americano está com um retrospecto de quatro vitórias nas últimas cinco lutas. Já Glover Teixeira se apresentou pela última vez em setembro, quando venceu Nikita Krylov. O brasileiro tem três vitórias consecutivas no Ultimate. https://agfight.com.br/anthony-smith-exalta-trajetoria-de-glover-no-ufc-e-desafia-adoraria-enfrenta-lo/