Luiz Melo

Membros
  • Content Count

    1493
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Luiz Melo

  1. Excelente ponto. Faz muito sentido. Concordo, mas com ressalvas: Acontece que essa dureza n é exclusiva do Borrachinha. A "ausência de ginga" e a conservação dos vícios e de um padrão de abirdagem, praticamente, é a tônica do striking no MMA. Pode pegar qualquer striker e observar: É difícil encontrar algum atleta que tenha desenvolvido efetivamemte alguns fundamentos do boxe - mínimos que sejam- a despeito da imersão. Por ex, n dá pra falar que o Aldo n mergulhou no boxe; ou Poirier; o Ferguson. Ainda assim n visualizamos grandes mudanças. Pega o Ngannou, o entusiasmo q ele tem pelo boxe- ele se dedica - e veja os cascudos na hora da luta rs. É complicado. Mas pode ser uma grande viagem minha. Um nível de exigência incompatível com o esporte, talvez...
  2. Sim, com certeza. Assim... Eu n me refiro a uma reprodução integral dos fundamentos do boxe- todos sabemos que é impossível. Me refiro mais à " dureza " dos caras. Poxa, n podemos falar q o Borracha n imergiu no Boxe - o cara treina muito. Por mais que se questione o nível dos treinadores daqui em relação aos de fora, é fato que há imersão de sua parte. Volta e meia ele treina com algum boxeador. Mas aí vc vai assistir os sparrings.... Pra um cara tão dedicado ao boxe, é impressionante- e até estranho - como a entrega n consegue gerar uma mudança significativa na abordagem, e como é ineficiente em eliminar os padrões e vícios antigis - aquele aspecto de grosso, todo durão, a base pesada, passada pesada, cabeça imóvel, o tronco rígido e imóvel, quadril duro. Eu não sei o que fenômeno é esse. Pq, mesmo se se dedicando à modalidde, mesmo ee esmerando, praticamente ngm ganha essa ginga. Ou é falta de traquejo, ou é aquilo que falei : " o "enrijecimento" provocado pelos treinos específicos de MMA( demanda de força pra dar conta do jogo de grade e defesa de quedaa etc), e por anos de kickboxing, é conservado pra vida toda. Deu pra entender ?
  3. Sim; mas vc viu pessoas acima da média - algo que n é muito comum no MMA. Mas tenho a impressão de que anos de Kixkboxing produzem vícios irreparáveis- n ganha o mínimo da ginga do boxe em hipóstese alguma, por mais que treine. Ou qd lutador n é bom em determinado fundamento, ele conserva aquela limitação por anos sendo incapaz de corrigí-la. Ex: Aldo já se internou numa academia de boxe na gringa. Veja se ele mudou uma linha da forma que pisa no cage- o jeito de se deslocar, o padrão de fintas, a movimentação de tronco. Outro ex, aquela cintura de vergalhão do Cerrone e cabeça imóvel n é falta de treino: o cara simplesmente n consegue. Desconstruir padrões antigos é quase impossível no MMA; consolidar, mesmo que uma parcela mínima dos fundamentos do boxe, tbm é muito difícil.
  4. Ngannou parece levar jeito pra boxear. O problema é que são anos de treino pra consolidar a técnica- o que , pelo visto, não aconteceu com ele. Mesmo levando jeito, chega na luta... É cascudo, é soco de olho fechado- uma feiura só. Não acho que ele tenha evoluído como muitos têm falado- se evoluiu, ainda n mostrou. Um cara que foi pra cima de um kickboxer perigoso naquela ogrice, lançando aqueles socos bizarros, rechaça qualquer tese de evolução. O que ele talvez tenha aperfeiçoado foi o time- e os reflexos. De resto, pra mim, ta td exatamente a mesma coisa. Mas é aquela coisa: estamos diante do atleta mais assustador e letal que o MMA já viu- piscou o olho ele ele está nocauteando. O cara é assombroso.
  5. Mas o Adesanya está em outro nível de kickboxing. São mais de 80 lutas no circuito profissional. Ou vc acha que o Anderson no auge daria calor no Poatan numa luta de kickboxing ?
  6. Então, basicamente, o que eu quis dizer foi o seguinte: Vitórias sobre Griffin, Coté, Okami, Franklin, Lutter, Leites, Vitor pré TRT... por mais emblemáticas e espetaculares que tenham sido, por mais que possamos destacar a técnicica, a habilidade e o time, n acho que sirvam de parâmetro para lutas hipotéticas contra os caras de hj. Se os caras mudaram eu n posso sustentar que o sucesso se manteria. Esse estilo dava certo contra aquele padrão de lutadores. É nítido que o ritmo das lutas mudou; a " passividade" e o respeito sumiram completamente: um baixinho de 1.72, da categoria de baixo desesrespeita um Kickboxing profissional de ponta; um wrestler olímpico troca socos por 5 rounds, de igual pra igual, com um Golden Gloves; o nível de fúria aumentou significativamente, assim como tamanho dos caras, a ousadia... Tudo mudou. Pra tirar teima, basta colocar na sequência Anderson vs Okami, Anderson vs Coté e JJ vs Reyes; Marreta, Whitaker vs Romero 1 e 2. Eu n tenho como usar o Okami como parâmetro pra o Reyes, AJ, Raktic, Marreta, AJ, Whitaker, Adesanya, Holland. Não há como negar a genialidade e a habilidade. Ele foi eficiente e extremamente feliz na abordagem proposta. Mas todo sucesso tem contexto e, pra mim, foi aplicável àquele nível de caras e àquele ritmo de luta- n posso estendê-lo aos dias atuais. Na ausência do golpe fulminante, tendo que encarar caras mais violentos, maiores, com one punch: posso cravar que ele tiraria o Reyes pra nada como fez com o Okami ? Pq venceu o Griffin, trocaria de boas com alguém com a explosão e punch do Marreta ? Há quem jure que sim, mas eu acho que não- pra mim, existe um uma diferença gritante entre um Okami da vida e o Marreta.
  7. É até difícil de explicar meu ponto. Nem sei por onde começar kk. Pareço um louco solitário na contramão do mundo que sempre cai no mesmo assunto kkkk... Mas falando sério: nesses anos de MMA, já vi umas 7 vezes cada luta do Anderson; algumas cheguei a ver umas 10. Era fã nível do nivel que o Nego D'água é do Poatan- então, tenha certeza de que n é haterismo. Mesmo fãzaço, há oito dez anos atrás já sustentava que seu boxe n era espetacular como fazia parecer que era, e que o resultado que tinha com as mãos n era totalmente compatível com o nível real das mesmas- explico : pega o Holloway, que n tem nenhum nocaute antológico na carreira, q nunca fez nada mirabolante, mas está em outro o patamar em matéria de trocação. Então, o centro da minha leitura é esse : não são os fins, mas os meios- os fins podem enganar. Acho que os feitos espetaculares embaçam a análise- vide Walker. N estou falando em fator X, habilidade, coelhos da cartola e letalidade... mas pega a luta do Reyes contra o JJ que, a despeito do risco da queda- e do nível de trocação do JJ - teve um nível de agressividade e atividade maior que o Anderson contra caras bem menos ameaçadores em pé como o Demian, o Coté e o Leite. Bato na tecla de que o fator X tende a enganar. Note que sua que sua abordagem nunca foi enquadrar, e a mão nunca foi muito ativa. Por ex, ele lançava menos socos que o Thompson - que dizem que é conservador e pouco ativo. Coloca do lado Anderson vs Lee Murray e Thompson vs Geog Neal; Não estou falando de um grande golpe, algo emblemático. Que ele podia tirar um coelho da cartola e encerrar a luta, todos sabemos. Mas eu acredito mais na regularidade de quem acerta frenquentemente, de quem lança mão do mesmo padrão toda luta, do que 3 vitórias aleatórias do Walker- que fazem cair o queixo à primeira vista mas que n se sustentam em algi sólido. Provavelmente, ontem, o Holloway acertou mais contragolpes que o Anderson na vida inteira, mas ainda permanece viva a crença de que Anderson era superior ao Holloway em pé. Então, acho que caras como o Gastelum, Whitaker, Gustafsson, Conor, Thompson, Reyes, Rory, Aldo, TJ, Yan, Marreta, Holloway, AJ eram mais ativos, regulares e ariscos que o Anderson em pé.
  8. De maneira alguma. Anderson n tinha mão pra troca com o Marreta. E seria uma diferença de ignorância sinistra. N é desmerecendo. É como dizer que o Anderson trocaria de boas com o Anthony Johnson. Acho que não faz sentido.
  9. Evoluiu, pow. O Khabib n é melhor que o Tyson Griffin ? O Durinho, o Thompson, o Chimaev, o Colby n são melhor que o Thiago Alves, Condit e Nicky Diaz ? Holloway n é melhor que o Matt Brown ? Adesanya e Whitaker n são melhores que Okami e Lebben ? Pra mim, é bem nítido que o esporte evoluiu tanto fisicamente qt tecnicamente.
  10. Marreta tava começando, pow. Ou vc acha que o Anderson que encarou o Franklin tinha mão pra trocar com esse Marreta de hj ? O cara é bruto demais, pow.
  11. Acho que não dá pra fazer esse tipo de análise com base no resultado. Acho que, no esporte, toda análise feita em retrospectiva, q a partir do resultado busca encontrar respostas, tende a fazer conexões forçadas ou inexistentes- claro que pode acertar eventualmente. Por ex, Aldo na última luta era violência pura. O cara estava extremamente bruto e com a mão afiadíssima; n dá pra dizer que alguém que peformou daquele jeito n está bem. Por mais que algum nível de perda tenha havido com o tempo - algo que tbm n é absoluto- alguns atletas melhoram com o tempo- pra mim, é nítido que o Holloway é melhor que o Aldo- e isso responde mais satisfatoriamente a pergunta sobre as razões da derrota do que qualquer outra coisa. Basta avaliar os recursos que os dois apresentam, o volume, o gás. Aldo é striker unidimensional, o Hollway tbm é- mas é melhor em pé. De quebra, ainda tem um queixo absurdo. Não dá pra creditar a derrota à rodagem, se o adversário é superior em seu carro chefe. É o mesmo que falar que o Aldo só perde pro Conor por n ser o mesmo e desprezar a excelência da trocação do irlanda. Claro que esse raciocínio não deve ser levado ao extremo. Um cara de 45 n vai ser competitivo contra um de 28. Mas como o colega Rucci citou lá atrás, o fato do Anderson ter subido e vencido o Griffin, n nos diz nada sobre como ele peformaria contra o Reyes, Jan, JJ Rakitic e Marreta.
  12. Mas um aumento de envergadura pode implicar uma queda significativa de velocidade- esse é o ponto. N necessariamente o ganho de envergadura corresponde a um ganho de punch e velocidade. Pelo contrário- acredito que, no geral, braços muitos longos tendem perder velocidade e punch( n é uma lei universal.) Se formis olhar, são poucos os caras "braçudos" que conservam a explosam e a pegada.
  13. N acho que n exista esse " não saber". Pra mim, a coisa n se encontra no campo da vontade e daquilo que é passível de aprendizagem. O problema está em não conseguir mesmo. Por ex, o Aldo já se " internou" numa academia famosa de boxe nos EUA - n acho que ele apenas n saiba o que deve ser feito. O corpo de cada atleta naturalmente impõe barreiras- tbm possibilita estilos. N podemos dizer q o Cruz n escapou da mão do Cody pq n soube; ele tentou, mas n conseguiu por conta da diferença absurda de velocidade. Pra mim- e sempre baterei nessa tecla - altura desacompnhada de outra qualidades físicas, é uma valência morta. Certas valências - especifiamente os componentes n visíveis- são necessários pra que o atleta implemente o jogo. De nada adianta ser esteticamente forte e na prática ter glúteos e quadríceps fracos, uma lombar fraca- uma base ruim - dentro do que o MMA exige. Acho que a avaliação apenas estética é limitada. Velocidade, explosão e a força são os atributos mais importantes da grande maioria dos esportes- e quase nunca as 3 coisas aparecem na mesma proporção da superioridade de altura. - De que adianta ser 5 cm mais alto se o outro está segundos a minha frente por ser mais veloz ? Acho que nos apegamos a altura pq é algo observável. Mas, pra mim, Max é o que é, n por ser alto, mas por ser estupidamente veloz pra o tamanho- algo incomum. Talvez, sendo mais baixo- por estar deslocando menos massa - fosse até mais rápido. Eu não posso dizer que o Lineker estava em desvantagem contra o Font se, na prática, o brasileiro não acusou golpe algum; se era o mais baixo que tinha mão pra nocautear com uma só; e se, na troca de clinch, o brasileiro era claramente mais forte.
  14. É complicado olhar apenas pra altura. Olha a velocidade absurda do Max. Aspectos físicos ganham mais peso com o passar do tempo. Até pq, é uma lógica que contempla o próprio Aldo: de longe o era o mais físico dos penas - mais explosivo, mais bruto, mais punch- todos sentiam a mão - mas quando a coisa se equilibrou fisicamente, passou a perder.
  15. Além do mais, avaliação deve ser qualitativa e não estética. N é pq o cara é baixo que necessariamente está atrás dos mais altos. Ele pode ser mais baixo, ter menos envergadura envergadura, mas ser mais veloz, mais forte fisicamente, mais explosivo, ter mais punch e mais queixo. Se na prática o lutador mais baixo vai lá e mostra que está em pé de igualdade em força, punch e velocidade, é pq a estatura n implica desvantagem alguma. Então, n dá pra ficar destacando uma suposta desvantagem.
  16. Esse nível de boxe eu nunca vi no MMA. O cara é assombroso. Volume nunca antes visto.
  17. Posso dizer que o Anderson era um peso pesado entre os médios já que ele afirmava que chegava a pesar 105kg em off- palavras dele: postei o link da entrevista. Ah, esqueci do Borrachinha, que tbm é um peso pesado lutando nos médios. Tem o Cannonier tbm. O Cormier; O Glover. Etc Bato bastante nessa tecla pq me intriga- e me irrita - os malabarismo que são feitos pra descreditar o JJ. Ele esguio, mas muito explosivo, ágil e forte pra o biotipo. É uma combinação incomum. Seu mérito é esse: amealhar características praticamente conflitantes. Caras grandes tem aos montes por aí. Mas em categoria alguma o mais alto e de maior envergadura chegou a reinar. A maioria dos esguios são acertáveis, a despeito da envergadura - vide Ferguson, Vicky e Struve. Envergadura desacompanhada de velocidade, explosão e punch não traz vantagem alguma- pelo contrário...
  18. O problema é o ônus da derrota- estando no lugar em que ele se encontra hj. O Holland pedindo a luta e perdendo pra o Whitaker teria um efeito mais brando, acredito. Sei que n é o caso, mas foi levando ao extremo a ideia de nunca retroceder que o Cigano perdeu conpletamente o valor e deixou de ser competitivo. Dois nocautes seguidos sobre um cara que sustenta parte do hype na postura confiante... O tombo é muito maior.
  19. Borrachinha deveria mirar no Vettori: Um cara não muito habilidoso, sem muito punch e que é chegado numa luta franca, assim como o brasileiro. Acho o Holland e o Whitaker indigestos- se bem que desconfio bastante do queixo do Whitaker, e a defesa se quedas do Holland é negativa. Mas o Brunson, vencendo, tbm seria uma boa.
  20. Com todo respeito, acho que vc- e o pessoal que sustenta a superioridade da Cyborg - está se apegando a única coisa que resta pra Curitibana - o início sem arranhões. N acho que isso tenha mais valor que reinar na copa do mundo do MMA simultaneamente em duas divisões - algo inédito na história do esporte, mesmo entre os homens - na fase mais competitiva que o MMA feminino já viu. A Amanda tbm bateu mais ex campeãs que qualquer outra lutadora - quase todas de maneira acachapante- incluindo a própria Cyborg. Respeito sua opinião, entendo que a atribuição de valor de cada componente do debate é subjetiva, mas n acho que o único aspecto em que a Cyborg é superior( a invencibilidade ) a coloque à frente da Amanda. É como se considerassassem O Barão maior que o TJ ou que o Cruz, dando maior peso ao fato de ter feito 32-1, e colocassem em segundo plano as defesas de cinturão e a quantidade de pedreiras que cada um encarou.
  21. Sem contar que tem o problema da síndrome do segundo impacto. Eu nado contra maré e insisto na tese de que o queixo n perde a validade e q o atleta n necessariamente é nocauteado por ter desenvolvido lesões no cérebro, mas sim devido ao contexto do golpe e as pancadas mais fortes dos caras novos que aparecem, e a perda de reflexos( passam a n perceber a mão chegando e só são pegos em situações insuportáveis.)Inclusive tinha uma galera falava que o Tyson e o Roy Jones n aguentariam meio jab por conta da idade- enfim... Mas se tem algo que é studado, pacífico e que de fato justifica os nocautes é a Síndrome do segundo impacto: N respeitar o tempo de repouso e uma série de protocolos após ter sofrido concussão. Isso é de uma irresponsabilidade sem precedentes. Faltando um mês pra luta e o cara se matando, levando Knockdown, apagando, mesmo assim indo lutar de boa. Inclusive eu sempre falei q n fazia muito sentido o Griffin ter caído daquele jeito com a mão do Anderson- aquele primeiro cruzado q ele sentiu, o outro Knockdown que antecedeu o nocaute... Enfim. Depois vi o Joe Rogan falando que ele tinha sido brutalmente nocauteado duas vezes durant camp. Agora ta explicado: o cara n tinha a menor condição de luta. Esse último nocaute do Marlon tendo voltado apenas dois meses após ter sido nocauteado (considerando q os sparrings durante o camp) acho que tbm pode ser creditado à síndrome do segundo. Salvo engano, o protocolo exige 2 meses de afastamento dos treinos.
  22. Ele é muito robótico. N tem ginga nenhuma. Pra mim, essa é das piores falhas de um trocador: N ter ginga/n ter uma boa desenvoltura e n ter bons reflexos- isso faz com o q atleta seja acertável- e qd se é acertável, por mais bruto e agressivo que seja, basta o primeiro nocaute pra que todos passem a desrespeitar. Strikers excelentes tecnicamente levam aperto de medianos por n terem desenvolvido essas valências. É o caso do Rockhold, do Vicente , do Marlon, Barboza, Marlon, Warley, Cigano - a lista é grande. O Borrachinha até me lembra o Jacaré, nesse sentido - que tbm é extremamente travado. O Vinício Anthony fala que ele luta contraído- e fala o mesmo do Aldo- que a propósito, sempre achei meio durão. N acho que ele lute contraído; Talvez seja algo próprio do biotipo- por ser muito forte e muito denso, o cara vai ficando mais travado. Minha correlação pode estar equivocada, pode se tratar mais de uma questão técnica do que física, mas há tempos tenho a impressão de que esse fenótipo limita a desenvoltura. Claro que n é uma lei Universal, mas por ex, Marlon é todo empedrado, extremamente denso, e tbm "soa" assim rígido. O mesmo vale pra o Aldo e pra o Barbosa. Vc observa que no boxe a musculatura da galera geralmente é mais flat. Poucos caras tem esse aspecto empedrado; e os que têm, quase sempre são magros. N sei se é algo incontornável, uma infelicidade do biotipo, se é corrigível com treinamento...mas sei lá... o Borracha n melhora a desenvoltura. Falta de treino e de amparo n é. Pelo que percebi nos vídeos, ele é bem preocupado com minúcia, se cobra e tudo mais. Mas são poucos no MMA que internalizam e efetivamente consolidam a técnica.
  23. Até o Holland ta na frente do Borrachinha nessa corrida. Peça o Cannoier, o Till ou Hermansson e seja feliz.
  24. Mas vc ta falando de caras igualmente grandes que tbm venciam por conta da vantagem que tinham. Acho que todo sucesso, em qualquer esporte, se apoia em algum tipo de vantagem física- e a envergadura está longe de ser um fator decisivo. Acho injusto tratar o JJ como o cara das vantagens(N estou querendo dizer que vc pensa dessa meneira- é mais sobre o tratamento da galera no geral) Vejamos: Aldo sempre foi o mais forte, o de mais punch e o mais explosivo dos penas- tava desproporcional aquela luta com o Faber, parecia um adulto batendo num adolescente; Khabib era gigante e desproporcionalmente forte pra um peso leve; Demetrious, durante o reinado, com sobras, era o mais veloz; Adesanya, hj, proporcionalmente, é o mais rápido do evento; Borrachinha era bem mais explosivo e violento que o Hall; Ngannou é dos caras mais explosivos da história do esporte, gigantesco pra divisão: é o maior peso pesado do momento, tem uma envergadura bizarra, um punch descomunal. Mas n aparece ngm falando que ele só vence por contar com vantagem. Pra gente ter uma noção de como altura e envergadura são superestimadas, na prática, em categoria alguma o campeão é o atleta de maior envergadura ou o mais alto da divisão. Pelo contrário... vimos caras grandes levando surras homéricas: Ferguson, Vicky, Struve, Alex Mineiro, Magny, Sanders, Holland(chegou sendo tratorizado pelo Marreta). Obs: O conteúdo desse post não é especificamente dirigido a vc. Só peguei o gancho pra fazer um desabafo.