Eder Jofre55

Admin
  • Content Count

    6107
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Eder Jofre55

  1. O sub titulo original foi modificado porque dizia que o Natan tinha perdido e na matéria mostra que ele venceu!
  2. PFL: Claressa Shields passa sufoco, mas vence em estreia no MMA Campeã olímpica e mundial de boxe, americana começa mal, mas consegue a virada e estreia com vitória. Nathan Schulte é derrotado e dá adeus ao sonho do tricampeonato Combate .com A Professional Fighters League (PFL) deu o pontapé inicial para sua segunda rodada nesta quinta-feira, em Atlantic City, nos Estados Unidos, e teve como atração principal a aguardada estreia de Claressa Shields no MMA. A campeã de boxe começou mal, mas conseguiu se recuperar e venceu por nocaute técnico. Claressa definiu a luta no terceiro round — Foto: PFL Bicampeão do torneio dos leves, Nathan Schulte até conseguiu vencer esta noite, mas não foi o suficiente para garantir sua classificação para os playoffs, dando adeus ao sonho do tri. Já Sheymon Moraes ainda sonha com uma vaga nas semifinais com a excelente vitória por finalização diante de Jesse Stirn. Joilton Peregrino, por sua vez, amargou sua segunda derrota na temporada ao ser superado por Clay Collard. Shields estreia com vitória Bicampeã olímpica e dona de três títulos mundiais de boxe, Claressa Shields chegou com moral no evento. Fazendo sua estreia no MMA, ela foi a grande estrela da noite, fazendo o principal combate do show contra Brittney Elkin, em uma disputa que não valia pelo torneio. Apesar do sucesso na Nobre Arte, a campeã pode perceber que terá trabalho para repetir seu sucesso na nova modalidade. Elkin não quis saber de trocação. Após passar o primeiro minuto circulando pelo cage, ela encurtou e colocou Shields para baixo, onde foi avançando até chegar na montada. Elkin dominou a luta no solo, golpeando e ameaçando partir para alguma finalização, mas não conseguiu definir. Elkin levou perigo na luta de solo — Foto: PFL Shields voltou para o segundo round tentando mostrar sua trocação, mas foi mais uma vez derrubada e sofreu com o combate no chão. Elkin rapidamente chegou na montada e dominou a luta. Shields ainda escapou de uma chave de braço nos segundos finais e aproveitou os últimos instantes para golpear sua oponente, mas o gongo soou e freou sua reação. No terceiro round, Shields acertou um bom golpe de direita e sua adversária sentiu, tentando imediatamente levar a luta para o solo. Desta vez, Shields se defendeu e passou a castigar Elkin com uma série de golpes, obrigando o árbitro a interromper e decretar o nocaute técnico. A estrela do boxe vibrou muito com a virada e sua estreia vitoriosa no MMA. - Sinto que estou sonhando, isso é uma loucura! Eu simplesmente tive uma atitude de nunca desistir em cada round. Nunca desista, foi o que eu dizia a mim mesma. - comentou Shields. Schulte corre contra o relógio, mas vence por pontos Disposto a se recuperar da derrota na primeira rodada, Natan Schulte precisava vencer antes da lutar chegar até a decisão dos jurados, para somar mais pontos e seguir com o sonho do tricampeonato. Para isso, imprimiu um ritmo forte no primeiro round de sua luta contra Alex Martinez, tentando definir o mais rápido possível. O brasileiro colocou seu adversário para baixo, mas Martinez se defendeu bem. Schulte diminuiu o ritmo no segundo round e o combate ficou mais equilibrado, com Martinez levando vantagem em pé. O brasileiro manteve sua estratégia de derrubar na etapa final, mas, sem o mesmo gás dos primeiros minutos, não conseguiu definir a disputa. O combate foi para a decisão dos jurados e Schulte venceu por decisão dividida, somando três pontos na classificação. Schulte venceu Martinez na decisão dos jurados, mas não avançou no torneio — Foto: PFL + Entenda como funciona a PFL + Confira a classificação e programação da PFL Sheymon surpreende e finaliza Especialista em muay thai, Sheymon Moraes foi surpreendido na primeira rodada ao ser nocauteado por Brendan Loughnane. No confronto desta quinta-feira contra Jesse Stirn, o final foi diferente. O americano começou respeitando a trocação de Sheymon, mas aplicou uma bela queda e caiu de guarda passada. O brasileiro conseguiu escapar do solo, mas seguiu com o adversário grampeado nele em pé. Sheymon voltou mais agressivo no segundo round e aplicou um knockdown no primeiro minuto. Stirn resistiu e seguiu na luta. O americano levou desvantagem na trocação e conseguiu derrubar apenas nos segundos finais, mas Sheymon rapidamente raspou e finalizou o adversário com uma kimura aos 4m59s. Sheymon vibrou muito com a vitória — Foto: PFL Peregrino começa bem, mas é derrotado na decisão Joilton Peregrino começou bem no primeiro round, mantendo Clay Collard no solo e quase finalizando com um triângulo de mão. O americano, que vem de vitória sobre Anthony Pettis, resistiu e voltou melhor no segundo round, equilibrando a disputa. O combate continuou parelho no último assalto, com o americano bem na trocação e Joilton aplicando boas quedas. No fim dos três rounds, Collard venceu por decisão dividida. Peregrino começou bem, mas foi derrotado — Foto: PFL PFL 2021 #4 10 de junho de 2021, em Atlantic City (EUA) CARD PRINCIPAL Peso-leve: Claressa Shields venceu Brittney Elkin por nocaute técnico com 1m44s do R1 Peso-leve: Clay Collard venceu Joilton Peregrino por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28) Peso-pena: Bubba Jenkins venceu Bobby Moffett por decisão unânime (29-28, 29-28 e 29-28) Peso-pena: Brendan Loughnane venceu Tyler Diamond por decisão majoritária (30-27, 29-27, 28-28) CARD PRELIMINAR Peso-leve: Natan Schulte venceu Alex Martinez por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28). Peso-leve: Olivier Aubin-Mercier venceu Marcin Held por decisão unânime (triplo 30-27) Peso-leve: Loik Radzhabov venceu Akhmed Aliev por nocaute técnico aos 27s do R1 Peso-pena:Sheymon Moraes venceu Jesse Stirn por finalização aos 4m59s do R2 Peso-pena:Chris Wade venceu Arman Ospanov por nocaute aos 2m18s do R2
  3. Ag Fight Considerado por grande parte da comunidade do MMA como um dos maiores lutadores de todos os tempos, Georges St-Pierre é, sem sombra de dúvida, o principal expoente do Canadá na modalidade, além de ser responsável direto pela popularização do esporte em seu país natal. Por toda sua importância, a prefeitura da cidade de St-Isidore, no estado de Quebec (CAN), onde o lutador nasceu, decidiu fazer uma justa homenagem ao ex-campeão meio-médio (77 kg) e peso-médio (84 kg) do UFC. Na última quarta-feira (9), foi inaugurada uma estátua do lutador em tamanho real, localizada em uma praça da cidade de St-Isidore. O local passa a ser conhecido como ‘Espaço GSP’. O ex-lutador esteve presente na cerimônia de inauguração do monumento e, através de sua conta oficial no ‘Instagram’ (veja abaixo ou clique aqui), mostrou toda sua felicidade pela homenagem. “Estou muito emocionado por essa honraria que a cidade da minha infância me concedeu. Espero que o Espaço GSP seja um local de inspiração e encontros para todas as gerações, e um símbolo de perseverança, especialmente para os jovens que possuem grandes sonhos”, escreveu ‘GSP’ na legenda de sua publicação no Instagram. Apesar da bonita homenagem recebida por St-Pierre, a aparência da estátua, de autoria da escultora Tali Levesque, chamou a atenção dos fãs do canadense. Parte dos seguidores questionaram os traços da obra e, em tom de brincadeira, compararam o rosto da estátua ao do ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama. Sem lutar desde 2017, Georges St-Pierre se aposentou oficialmente em fevereiro de 2019. Durante sua laureada carreira, o canadense somou 26 vitórias e apenas duas derrotas. Durante anos a divisão dos meio-médios do UFC foi dominada por ‘GSP’, que também conquistou o cinturão dos pesos-médios em sua última luta da carreira, ao finalizar o então campeão da categoria Michael Bisping.
  4. Demian analisa possibilidade de se aposentar e revela interesse em novos projetos Neri Fung Neste sábado (12), Demian Maia sobe novamente no octógono mais famoso do mundo, desta vez para encarar Belal Muhammad, pelo card principal do UFC 263, que acontece no Arizona (EUA). O confronto, 33º do faixa-preta em sua passagem pelo Ultimate, é também o último previsto no seu contrato atual e pode marcar sua despedida, tanto da organização como da carreira. Apesar de estar ciente que o fim se aproxima, o veterano ainda não tomou uma decisão, mas já se prepara para a vida fora do octógono. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight (veja acima ou clique aqui), Demian deixou em aberto a possibilidade de continuar em atividade após sua participação no UFC 263. De acordo com o lutador, tudo vai depender de seu desempenho no combate contra Muhammad, tendo em vista que, nos treinos, o faixa-preta considera que ainda se mantém competitivo contra a nova geração. Por isso, o veterano confia na sua capacidade de seguir na ativa, caso seja do interesse de todas as partes, ainda que por um número pequeno de lutas. Por outro lado, Demian admite que, em caso de aposentadoria, conseguiria ter mais tempo para se dedicar a outros projetos, alguns deles já colocados em prática pelo lutador paulista. “Vem muito do que você sente no treino. Se eu sentir no treino que eu não estou tendo uma boa performance, acho que com certeza é a hora de parar. No meu caso, o que me faz pensar em parar não é o fato de não ter performance, que eu tenho nos treinos. É o fato de querer fazer outras coisas que eu tenho vontade. Outros projetos que eu não consigo me dedicar integralmente por estar lutando no maior evento de MMA do mundo”, explicou Demian, antes de completar. “Mas, com certeza, se eu tivesse visto que eu não estou com performance, eu já teria parado. Mas eu vejo que ainda estou. Vejo nas minhas lutas, vejo nos meus treinos. Isso que é o meu termômetro. (…) Eu não curtiria lutar sem performance. Para mim, o grande barato do esporte da luta é chegar lá podendo fazer frente com qualquer um, de qualquer nível. Se eu não tivesse isso, com certeza já teria parado”, afirmou. Ainda dividido entre a paixão por atuar e as oportunidades da vida pós-luta, Demian já toca alguns projetos paralelos à carreira de atleta, ainda que estes sejam impactados, em alguns momentos, pelos treinos e preparações para competir. Além da ‘Escola Demian Maia de Jiu-Jitsu’ e dos requisitados seminários, o faixa-preta também tem se aventurado na área do entretenimento e da informação, ambas ligadas diretamente à sua formação universitária como jornalista. Depois de se apresentar no primeiro evento do UFC sem a presença do público, em razão da pandemia de coronavírus, em março do ano passado, o veterano utilizou o tempo livre, sem lutas marcadas, para lançar seu próprio podcast e, recentemente, passou a contar a história do jiu-jitsu em vídeos compartilhados através de sua conta oficial no ‘Instagram’. “Eu fiz isso muito como hobby nesse último ano, que foi bem atípico. Eu gosto de fazer as entrevistas. É muito legal produzir conteúdo, a parte de história é uma coisa que eu adoro. Já fiz algumas coisas para o Combate, está no UFCDocs.com.br, mas tenho um projeto também que, lógico a gente não pode falar ainda, para a TV. Acredito que vai dar certo. Tem os meus seminários também. Eu fico muito restrito em dar seminário só em certas fases do ano por causa de estar sempre tendo que estar preparado. Então, eu não posso marcar duas semanas de seminário, ou mesmo de gravação, como foi a gravar a Arqueologia da Luta, ficar duas semanas viajando na Grécia, no Egito, ou em seminário. Porque você pode estar prestes a marcar uma luta”, comentou Demian, antes de continuar. “Então, isso tudo acaba sendo impeditivo. Minha própria escola de jiu-jitsu, que, por exemplo, nessas últimas semanas, eu não participei de nenhuma reunião com todos os colaboradores, com sócios, não dei a atenção que eu deveria dar, porque eu estou voltado para fazer uma luta. Isso tudo, é claro que eu amo o que eu faço, mas eu faço há muito tempo. Vai fazer 14 anos só no UFC, fora minha carreira no jiu-jitsu e meu começo em outras artes marciais quando eu era criança e adolescente. Então, às vezes, é só a vontade de mudar pelos outros desafios, mas ao mesmo tempo eu gosto muito do que eu faço”, concluiu. Considerado por muitos como o principal representante do jiu-jitsu no MMA de sua geração, Demian Maia construiu uma longa carreira no MMA, que se estende desde o início dos anos 2000, grande parte dela feita dentro do octógono do Ultimate. Pelo UFC, o faixa-preta venceu 22 combates, alguns contra grandes nomes da modalidade, como Jorge Masvidal, Carlos Condit, Chael Sonnen, Ben Askren, entre outros. Demian também teve a oportunidade de disputar um título do UFC em duas ocasiões. Na primeira delas, com o cinturão dos pesos-médios (84 kg) em jogo, o paulista foi superado pelo compatriota Anderson Silva, em 2010. Já em 2017, em combate válido pela soberania da divisão dos meio-médios (77 kg), Maia não conseguiu derrotar o então campeão Tyron Woodley.
  5. Correto estava me referindo se ele tivesse ido para o UFC quando o Pride acabou, ou até um pouco antes, ia chegar com muita moral e poderia ter sido campeão, tinha a impressão que o Dana teria tentado contratar ele bem antes da hipotética luta contra o Lesnar!
  6. Tá difícil de entender esse rapaz , n pode reclamar que não teve chances e o evento sacaneou ele , sem noção do que fazer pra voltar a ser relevante para o evento e lucrar com isso!
  7. Verdade, obrigado pela lembrança, é tanta informação que acabei me esquecendo disso , lembro que o Dana deu uma entrevista faz um tempão em que ele detalhava essas negociações e porque ele teve que acabar de vez com o Pride ,cada lutador negociava de forma diferente e tinha interferência da máfia japonesa também, era muito complicado para gerenciar , imagina só ser dono dos dois maiores eventos de lutas no mundo, dominar Oriente e ocidente! O Fedor sempre deixou na mão dos empresários esse lado dos negócios, poderia ter faturado muito mais se tivesse ido para o UFC no auge!
  8. Quem.disse que ele pediu pra alterar contrato? Nunca ouvi falar disso ,lembro do Dana falando que ofereceu uma grana muito acima do que costumava pagar na época e a Global M-1 ,empresa que agência a carreira dele na época ficou colocando um monte de empecilho! Essa de se o fulano não conseguiu outros é que não conseguiriam é muito relativo, depende muito de como você negocia ,o Conor na terceira luta já era o main event , fazia apostas com o Dana dizendo que ia acabar com a luta em determinado round e fazia acontecer , era quase um desconhecido na época! E no caso eu nem estava falando do Borrachinha, mas de como os lutadores poderiam tentar alguma coisa diferente do que fazem hoje , na minha opinião ele já queimou o filme com o evento e pode pegar uma geladeira, não tinha armas pra exigir alguma coisa agora e ainda foi estúpido de tornar essa "briga" com o Dana pública !
  9. A maior luta dele foi ter superado esse monte de adversidades pra conseguir voltar ao cage ,entrou no ranking, é o número 13 e faturou o bônus de luta da noite ,merece muito!
  10. Então estamos falando assuntos diferentes, eu me referi a tentar alguma coisa no ato da assinatura do contrato, Fedor sequer lutou no UFC, nem sei porque ele foi citado ,tem muita coisa que acontece nessas negociações que jamais vamos ficar sabendo, é claro que nenhum lutador de mma vai ganhar o que ganha um youtuber ,não fiz essa comparação direta ,se você entendeu assim paciência ...
  11. Cannonier defende ‘Borrachinha’ após brasileiro cobrar valorização do UFC Ag Fight Ao que parece, a guerra entre Dana White e Paulo ‘Borrachinha’ está longe de ter um fim. Recentemente, o brasileiro informou que não assinou o contrato para enfrentar Jared Cannonier no dia 21 de agosto, e explicou que tomou tal decisão pelo fato de discordar do valor oferecido pelo UFC. Na sequência, o cartola criticou, de forma veemente, a postura do mineiro. Envolvido diretamente no caso, Cannonier se pronunciou a respeito. Em entrevista ao site ‘Submission Radio’, Cannonier, que agora enfrenta Kelvin Gastelum no evento, ficou do lado de ‘Borrachinha’ e o parabenizou, porque são poucos os lutadores que têm a coragem que o mesmo demonstrou ao bater de frente com o UFC. Apesar de sair de um combate de maior proporção, já que o brasileiro se encontra na segunda posição no ranking do peso-médio (84 kg) e o atual adversário é o nono colocado, o americano deixou claro que não guarda rancor, pois a decisão tomada pelo mineiro é importante. Vale lembrar que ‘Borrachinha’ não foi o único lutador que entrou em rota de colisão com o UFC e, principalmente, com Dana White. Antes, Jon Jones, ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) discutiu com o cartola a respeito de uma maior valorização por parte da companhia para estrear no peso-pesado contra Francis Ngannou. Como não houve acordo, o futuro de ‘Bones’ na organização é incerto. De acordo com Cannonier, os demais profissionais deveriam entrar em cena, pois esta é uma luta de interesse de todos. “Eu não sei quanto ele está recebendo por luta, mas é um argumento comum. Lutadores de MMA em geral não recebem tanto em comparação com as organizações. Então, sim, eu entendo o argumento. Eu não posso odiá-lo, bater nele ou castigá-lo por essa postura. É uma postura muito ousada dizer que não vai lutar a menos que paguem mais. Alguém tem que lutar por nós, lutadores, para recebermos mais. Eu também não vou recusar um cheque mais gordo”, declarou Cannonier, antes de completar. “Essa foi a escolha dele. Com isso dito, ele tem que ser capaz de lidar com as consequências e talvez até mesmo perder sua posição. Ele está classificado como número dois, acabou de lutar pelo título, então ele está no topo. Ele pode voltar com algumas vitórias. Quando você consegue uma luta pelo título, é quando você começa a receber pontos de pay-per-view, é quando ouço que o dinheiro começa a entrar. Eu não sei, porque ainda não cheguei lá. Ele está lutando por algo pelo qual eu lutaria. Ele está lutando por mim”, concluiu. Jared Cannonier, de 36 anos, é um dos lutadores mais temidos do peso-médio por conta de seu poder de nocaute e, atualmente, se encontra na quarta posição no ranking da categoria. No MMA, desde 2011, ‘The Killa Gorilla’ disputou 17 lutas, venceu 13, sendo nove por nocaute, e perdeu quatro vezes. A curiosidade é que o veterano atuou por três divisões diferentes (peso-pesado, meio-pesado e peso-médio). A última aparição do lutador no octógono ocorreu em outubro de 2020, quando foi derrotado por Robert Whittaker. Já os triunfos mais importantes de Cannonier foram sobre Anderson Silva e Jack Hermansson.
  12. Anthony Pettis passa mal e é retirado de card do PFL 4; Natan Schulte o substitui Diego Ribas Na véspera de sua realização, o PFL 4 – marcado para esta quinta-feira (10) – sofreu significativas mudanças em seu card. De acordo com informações obtidas pela reportagem da Ag Fight com fontes próximas ao evento, o ex-campeão do UFC Anthony Pettis – um dos protagonistas da luta principal da edição – se sentiu mal e foi retirado do combate contra Alexander Martinez. Ainda de acordo com a apuração da Ag Fight, o americano será substituído pelo brasileiro Natan Schulte – campeão das últimas duas edições do torneio dos leves (70 kg) do PFL – que enfrentaria o compatriota Raush Manfio no show desta quinta-feira. Agora, Pettis e Manfio devem se enfrentar daqui a duas semanas, no evento marcado para o dia 25 de junho. Após longa passagem pelo UFC, onde se sagrou campeão dos pesos-leves em 2013, Anthony Pettis deixou a organização presidida por Dana White e assinou com o PFL no final do ano passado. Em seu primeiro compromisso na nova casa, em abril deste ano, o americano, surpreendentemente, foi derrotado por Clay Collard, em duelo válido pela primeira rodada da temporada 2021 do torneio da divisão até 70 kg do PFL. Com o resultado negativo, o ex-campeão do UFC precisa de uma vitória, de preferência pela via rápida, para conseguir conquistar uma vaga nos playoffs do torneio. Situação semelhante vivida pelo brasileiro Natan Schulte, que perdeu para Marcin Held em sua estreia na temporada.
  13. Vitor Belfort revela que enfrentará Evander Holyfield no boxe em agosto Em entrevista coletiva nesta quarta, ex-campeão do UFC afirma que o boxeador recusou luta em junho no seu retorno aos ringues. Ele enfrenta Mike Holston no próximo dia 19 em Miami Por Redação do ge Vitor Belfort enfrentará Evander Holyfield no boxe em agosto. A revelação foi feita pelo próprio ex-campeão do UFC nesta quarta, em coletiva de imprensa sobre a sua luta contra Mike Holston, no dia 19 de junho, em Miami. Segundo Belfort, a ideia era enfrentar Holyfield agora, em seu retorno aos ringues. No entanto, a proposta foi recusada, uma vez que o americano já tinha compromisso marcado contra Kevin McBride. Os dois também lutarão no dia 19. - A luta era para ser com o Holyfield, mas ele não aceitou. O time dele aceitou. Aí, eles me perguntaram se eu queria lutar com o cara, porque ele foi o único que aceitou. Tentamos diversos, mas nenhum quis. Então, em agosto, vou estar enfrentando o Holyfield. O combinado é esse. Vamos fazer um crossover. É hora de fazer as lutas que os fãs querem, mas não só lutas, é a experiência - disse Belfort. Conhecido como "The Real Tarzan", Mike Holston foi elogiado pelo ex-campeão do UFC, que o classificou corajoso por "enfrentar um profissional tão perigoso quanto ele". O vídeo gravado pelos dois rapidamente viralizou na internet, já que mostrava ambos discutindo e se encarando. - Existem três tipos de pessoa. A primeira, são as que fazem as coisas acontecerem. A segunda, são as que assistem as coisas acontecerem. A terceira, são as que não sabem o que está acontecendo. Eu faço acontecer. Você não controla a vida. Era para ser Holyfield, mas ele disse não e vamos lutar em agosto. Quando me apresentaram o Tarzan, aceitei. Por que? Porque tudo é um desafio. É uma boa situação para ele e para mim - explicou Vitor. Dono de uma longa e vitoriosa história no MMA, Belfort não luta profissionalmente desde maio de 2018, quando foi nocauteado por Lyoto Machida no UFC 224. Faixa preta de jiu-jítsu, Belfort realizou uma única luta profissional de boxe ao longo da carreira. O duelo aconteceu em 2006, quando o carioca nocauteou Josemario Neves. - Eu luto para entreter. As pessoas procuram desculpas, mas eu busco soluções. Como eu poderia dizer não? Ele foi respeitoso. Ele sabe no que está se metendo e não procurou uma luta fácil. Ele aceitou enfrentar um dos maiores nocauteadores da historia do UFC. Ele disse sim e o respeito. Ele não é como os outros dois palhaços. Esse cara ama animais, é respeitoso, veio do nada e vai lutar contra um dos melhores - finalizou.
  14. É por aí mesmo, o Conor foi exceção porque sempre deu muito retorno, e mesmo assim tinha seus limites, Borrachinha foi estúpido ao extremo, fez uma luta merda em disputa de cinturão, o evento aceitou fazer a luta contra o Whittaker ,um monstro, ex campeão e o cara depois do Adesanya, saiu fora ,oferecem o Cannonier ,um cara duro e bem rankeado que podia deixar ele no pelotão da frente em caso de vitoria e o cara manda essa! Tem que pegar alguém do fim da fila e lutar na preliminar de algum card vagabundo pra aprender!
  15. Eu não falei em mudar um contrato assinado, seria muita ingenuidade achar que o Dana faria algo assim ,estava me referindo em deixar essa possibilidade por escrito ou alguma outra forma de garantia na hora de fazer ou renovar o contrato com o evento! Você está muito bem informado pra afirmar que fulano ou beltrano levaram merreca ou sequer conseguiram alguma coisa !
  16. Não existe receita de bolo pra essa situação, mas algumas coisas o lutadores teriam "obrigação " de saber ,até porque já tem muitos casos idênticos na história do evento! Lavar a roupa suja em público é burrice e não tem como ganhar! Na hora de renovar o contrato tenta colocar alguma vantagem futura, dependendo de sua própria performance / potencial de vendas e ou empatia /relevância entre o público, nem que seja a possibilidade de discutir isso, exigir mudança com o contrato em vigor ... Não renovar por mais de três lutas , a chance de sair e buscar outras oportunidades mais rentáveis estarão sempre mais próximas caso não chegue a um acordo no contrato vigente ,o cara renova por quatro, cinco ,seis lutas e na segunda luta da renovação já quer ganhar x porque o Youtuber tal ganha milhões , cala a boca e faça a luta da noite, ganhe o.bônus e peça o adversário seguinte ainda no cage, faça por onde se tornar relevante ao invés de ficar chorando por aumento tendo assinado ou renovado um contrato que te diz o quanto você vai faturar por luta!
  17. Campeão dos pesados compara salário do UFC com boxe: “O que fizemos de errado?” Ag Fight A presença dos irmãos Jake e Logan Paul abalou os esportes de combate e os youtubers escreveram mais um capítulo dessa história no último domingo (6). No evento realizado na Flórida (EUA), o mais velho representante da família encarou Floyd Mayweather no ringue e o resultado impressionou, já que o mesmo não foi nocauteado pela lenda do boxe. As cifras do evento também se destacaram. Tanto que Francis Ngannou, campeão do UFC, comentou a respeito. Após a realização da luta de boxe entre Floyd Mayweather e Logan Paul, a imprensa especializada especula que o youtuber possa ter embolsado, aproximadamente, 20 milhões de dólares (cerca de R$ 100 milhões). Como o encontro tinha caráter de exibição e não apresentou juíz, o duelo terminou sem resultado. Sendo assim, Ngannou se posicionou através de suas redes sociais (veja abaixo ou clique aqui). O campeão do peso-pesado do UFC se mostrou surpreso ao tomar conhecimento do alto valor recebido por Logan e não só comparou as remunerações dentro do boxe e do MMA, como também questionou a diferença existente nos dois esportes. Vale destacar que Ngannou se envolveu em um imbróglio com o Ultimate, já que Jon Jones recusou enfrentá-lo, porque não aceitou o salário proposto pela organização. “É uma loucura pensar que Logan Paul (0-1) acabou de ganhar 20 milhões de dólares (cerca de R$ 100 milhões) em uma exibição de boxe. O que estamos fazendo de errado?”, escreveu Ngannou em sua conta oficial no ‘Twitter’. ASSUNTOS RELACIONADOS
  18. Após vitória em "guerra" contra Baeza, Santiago Ponzinibbio diz ter se reencontrado "Argentino gente boa" venceu por pontos no UFC Rozenstruik x Sakai e faturou o bônus de "Luta da Noite" Evelyn Rodrigues Santiago Ponzinibbio não vencia uma luta desde novembro de 2018. Desde então, ele teve um período de 26 meses longe do octógono por problemas de saúde e, em seu retorno, em janeiro deste ano, foi nocauteado por Li Jingliang no primeiro round. Neste sábado, no entanto, o "argentino gente boa" reencontrou o caminho da vitória em grande estilo. O atleta protagonizou a "Luta da Noite" ao bater o até então invicto Miguel Baeza por decisão unânime (triplo 29-28) e celebrou o fato de ter voltado a atuar em alto nível. - Tenho um sentimento dentro de mim. Vim de sete vitórias consecutivas, uma no UFC Argentina, a noite um sonho vira realidade para lutar pelo título do mundo. Tinham falado: uma luta mais e você luta pelo título do mundo. Começo a ficar doente, tive 26 meses de ausência. Volto, tomo um nocaute no primeiro round que nunca tinha tomado, estava aquecendo na luta, começando a entrar no jogo. Perdi para um atleta que considero que sou melhor, foi super frustrante. Tinha tudo isso dentro de mim, queria chegar hoje e poder tirar de mim essa sensação que tinha dentro. Estava tentando me reencontrar com o argentino gente boa, com Santiago Ponzinibbio, aquele lutador, aquele guerreiro. Estava patinando um pouco, perdendo um pouco a concentração. No segundo e terceiro round comecei a chutar, apostei mais nos chutes, botei mais a mão, não deixei ele crescer. Consegui me reencontrar com meu estilo de luta e segundo e terceiro rounds consegui virar o jogo - afirmou, ao Combate.com. Santiago Ponzinibbio — Foto: Evelyn Rodrigues Baeza apostou nos chutes baixos no primeiro round e pareceu minar as pernas de Ponzinibbio, mas o argentino disse que o piso do octógono estava escorregadio e fez as reações parecerem piores do que de fato eram. - Estava muito incomodado porque estava patinando muito no octógono. Ele chutou forte, estou sentindo ainda, mas o octógono estava patinando e estava me desconcentrando muito. Ele dava um chute, eu patinava e parecia pior. Teve um soco que parecia que eu estava nocauteado. Eu tomava o soco, queria movimentar e patinava, dava essa sensação. Por sorte consegui ajustar a estratégia e mudar a jogada. Ponzinibbio lembrou também que esta foi a segunda vez que tirou a invencibilidade de um lutador, já que em 2015 bateu Sean Strickland, que também nunca havia perdido no MMA. Agora, tem dois brasileiros em sua mira para a próxima luta. - É bom, pude apresentar a derrota também para Sean Strickland e hoje com Miguel Baeza, menino muito duro, com potencial imenso, é muito bom e consegui botar meu valor, que estou entre os melhores, são oito vitórias em nove lutas. Nocauteei o número 8 duas vezes. Gostaria de lutar contra Vicente Luque ou o perdedor de Stephen Thompson e Durinho, porque provavelmente o ganhador luta pelo título. Poderia mostrar meu potencial que ainda está entre os melhores do mundo - concluiu. UFC Rozenstruik x Sakai 5 de junho de 2021, em Las Vegas (EUA) CARD PRINCIPAL (20h, horário de Brasília): Jairzinho Rozenstruik venceu Augusto Sakai por nocaute técnico aos 4m59s do R1 Marcin Tybura venceu Walt Harris por nocaute técnico aos 4m06s do R1 Roman Dolidze venceu Laureano Staropoli por decisão unânime (triplo 30-27) Santiago Ponzinibbio venceu Miguel Baeza por decisão unânime (triplo 29-28) Gregory Robocop venceu Dusko Todorovic por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28) Montana de la Rosa venceu Ariane Lipski por nocaute técnico aos 4m27s do R2 CARD PRELIMINAR (17h, horário de Brasília): Ilir Latifi venceu Tanner Boser por decisão dividida (29-28, 27-29 e 29-28) Muslim Salikhov venceu Francisco Massaranduba por decisão unânime (triplo 30-27) Kamuela Kirk venceu Makwan Amirkhani por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28) Alan Nuguette x Mason Jones terminou em "No Contest" (luta sem resultado) aos 2m14s do R2 Manon Fiorot venceu Tabatha Ricci por nocaute técnico aos 3m do R2 Sean Woodson venceu Youssef Zalal por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28) Claudio Puelles venceu Jordan Leavitt por decisão unânime (triplo 29-28)
  19. Verdade, me lembro de já ter lido algo assim de você , ele realmente tem um jogo diferenciado para os pesados ,não é o cara que vai pra trocar porrada e medir força ou provar que é o mais bruto ,tem chances sim de cinturão !
  20. Concordo ,só não incluiria o Lewis nessa ,uma marretada da besta e ele também dormiria !
  21. Jairzinho tem uma defesa de quedas que é de 80% ou algo assim, então não é uma tarefa fácil derrubar o monstro, sem contar a exposição para o golpes na cabeça ,joelhadas e correr o risco de provar do próprio veneno ! Gane fez a luta perfeita contra um cara que se move lentamente e prefere o contra golpe para minar o adversário e ir pra matar ,se movimentou o tempo todo, combinou socos e chutes ,cortou ângulos, pontuou sem se expor , preservou o gás e deixou o Jairzinho sem saber o que fazer durante toda a luta e sem esquecer a guarda alta ,a luta ficou chata muito mais por conta do adversário ,que era favorito e não se encontrou em momento algum!
  22. UFC Amanda Nunes minimiza ‘trash talk’ de Julianna Peña e promete finalizar rival Ag Fight No próximo dia 7 de agosto, Amanda Nunes colocará o cinturão peso-galo (61 kg) novamente em jogo, desta vez contra Julianna Peña, no card do UFC 265. Para garantir a chance de desafiar a campeã, a americana apelou diversas vezes para algumas declarações ousadas e provocativas. Nada que pareça incomodar a brasileira. De fato, a ‘Leoa’ alega que o discurso da desafiante serviu para motivá-la ainda mais para o combate. Em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, Amanda minimizou as provocações da rival e afirmou estar pronta para defender seu título. A brasileira ainda comentou sobre as ousadas previsões de Julianna Peña, que apostou que seu wrestling será capaz de derrotar a campeã, e prometeu usar do mesmo ‘veneno’ para combater a estratégia da americana. “Eu amo isso. Esse tipo de garotas trazem o melhor de mim no cage. Eu amei o que ela fez. Ela conseguiu. Estou feliz por ela, e nós vamos nos ver em breve. Eu sei que ela não tem nada a perder, então eu ainda estou pronta. Ninguém vai tirar isso de mim. Eu vou me tornar um leão dentro do cage e ninguém vai tirar esse cinturão de mim”, afirmou Amanda, antes de tocar no assunto dos comentários otimistas sobre o desenvolvimento da luta feitos pela adversária. “Todas as minhas oponentes, é a mesma coisa. Desde que eu conquistei esse cinturão, elas dizem a mesma coisa. Nenhuma delas foi capaz de me parar. Ela vai ser a próxima. Ela não vai me parar com o wrestling dela. Eu te prometo. Nós vamos fazer uma entrevista novamente, tipo: ‘Eu falei pra você. Ela não me para’. Eu vou defender e vou derrubá-la, e vou finalizá-la no chão. Ela é boa no wrestling, mas também tem muitos buracos. As garotas que eu venci finalizaram ela. Valentina (Shevchenko) e Germaine (de Randamie) – duas strikers – finalizaram ela. Então, ela tem muitos buracos. Eu vou fazer o mesmo”, prometeu. Aos 32 anos, Amanda Nunes soma cartel profissional com 21 vitórias e apenas quatro derrotas, enquanto que sua mais nova rival, um ano mais nova, acumula dez triunfos e o mesmo número de reveses. Além do cinturão peso-galo, a baiana também ostenta o título da divisão dos penas (66 kg) no UFC.
  23. Após passar por três cirurgias, Massaranduba se diz "pronto para qualquer um" nos meio-médios Brasileiro luta neste sábado contra Muslim Salikhov em sua estreia na divisão até 77kg do UFC Evelyn Rodrigues Sem lutar há quase um ano, Francisco Massaranduba retorna ao octógono neste sábado, contra Muslim Salikhov, em sua estreia no peso-meio-médio, no UFC Rozenstruik x Sakai, em Las Vegas (EUA). O brasileiro revelou em entrevista ao Combate.com que precisou passar por três cirurgias por conta de uma hérnia umbilical em novembro e, em dezembro, se mudou para os Estados Unidos para treinar na American Top Team (ATT). - Para mim é uma eternidade. Um ano sem lutar, acostumado a lutar três vezes por ano, mas vou recompensar isso aí. Eu não falei pra ninguém, fiz a cirurgia de hérnia, três cirurgias de hérnia, aí fui para o Brasil, dei uma relaxada com a minha família, minha mãe, meu pai, voltei agora pros EUA. Estou morando aqui. Iam marcar luta pra mim, aí o Conan (Silveira, treinador) falou que não, que era pra eu treinar mais porque acabei de sair da cirurgia, já ia pegar luta de cara. Mas estou feliz de ter pego essa luta. Fiquei pouco tempo (em recuperação), com um mês já estava treinando de novo. Todo mundo achava um absurdo, mas recuperei super bem, não sinto nada. Foi em novembro (a cirurgia). Foram três, todas no mesmo dia. Massaranduba elogiou Salikhov, mas disse saber a estratégia correta para anular o russo e garantiu que vai provar estar pronto para crescer na divisão dos meio-médios. - Ele está vindo de quatro vitórias no UFC, a gente sabe que é difícil. Assisti às lutas dele, é um striker muito bom, mas também sou striker, sou lutador de MMA, sou completo e vou mostrar pra galera que estou pronto pra lutar de 77kg contra qualquer um. Estou bem treinado, pronto pra lutar com qualquer um. Todo mundo sabe que, se deixar ele soltinho, vai ficar ali jogando giro, que é um dos golpes mais perigosos dele, mas não vou deixar ele fazer isso. Vou abafar ele, só vou andar pra trás nas horas certas. Se eu abafar ele direitinho, ele não vai conseguir fazer o jogo dele - concluiu o brasileiro, que vem de três resultados positivos seguidos. Serviço do UFC Rozenstruik x Sakai O Combate transmite o UFC Rozenstruik x Sakai ao vivo e na íntegra com exclusividade neste sábado, a partir de 16h50 (horário de Brasília) com o Aquecimento Combate. O SporTV 3 e o Combate.com exibem as duas primeiras lutas ao vivo, e o site acompanha o evento em Tempo Real. UFC Rozenstruik x Sakai 5 de junho de 2021, em Las Vegas (EUA) CARD PRINCIPAL (20h, horário de Brasília): Peso-pesado: Jairzinho Rozenstruik x Augusto Sakai Peso-pesado: Walt Harris x Marcin Tybura Peso-médio: Roman Dolidze x Laureano Staropoli Peso-meio-médio: Santiago Ponzinibbio x Miguel Baeza Peso-médio: Dusko Todorovic x Gregory Rodrigues Peso-médio: Tom Breese x Antonio Arroyo CARD PRELIMINAR (17h, horário de Brasília): Peso-mosca: Montana de la Rosa x Ariane Lipski Peso-pesado: Tanner Boser x Ilir Latifi Peso-meio-médio: Francisco Massaranduba x Muslim Salikhov Peso-leve: Alan Nuguette x Mason Jones Peso-pena: Makwan Amirkhani x Kamuela Kirk Peso-mosca: Manon Fiorot x Tabatha Ricci Peso-pena: Sean Woodson x Youssef Zalal Peso-leve: Claudio Puelles x Jordan Leavitt