MV8

Evolução do Muay Thai e kickboxing no Brasil - influência e infusão de outras artes. A partir da Resenha do Rudimar Fedrigo

Recommended Posts

Treinei muay thai em Curitiba entre 1998 e 2001 e conheço bastante das histórias das antigas e não sei dizer ao certo quem tinha o melhor muay thai (Anderson ou Katel) até porque nunca tive previlegio de ver eles lutarem ou treinarem juntos pq o Anderson já treinava na CB e eu treinava com o Noguchi mas nesta época os dois eram sem sombra de dúvidas os melhores lutadores da modalidade na cidade, eles sempre fechavam os eventos com a luta principal e era certeza de show de técnica e nocautes. Acredito que o nível técnico dos dois era muito parecido, pegaram a preta juntos, com o mesmo mestre...a careira do Katel eu acredito que só não foi tão longe como a do Anderson por questões políticas ( empresário, etc) e pelo fato que ele teve muitas contusões sérias durante sua carreira também que sempre foi mais voltada para o Muay Thai enquanto o Anderson direcionou sua carreira mais cedo para o mma mas o reconhecimento do Katel e consequentemente do Noguchi ta vindo agora com a ATT. Obs: um dos melhores tópicos do fórum, fiz questão de resgatar e acrescentar com a discussão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pessoal só acrescentando essa postagem de outro tópico que acho que dá uma contribuição:

fonte: http://www.intheguard.tv/portal/?channel=2...215〈=pt

Rafael Cordeiro conta histórias do Muay Thai curitibano e fala de seu presente

1215_RafaelCapa.jpg

Rafael Cordeiro foi soldado da linha de frente da Chute Boxe, ganhou notoriedade como lutador de Muay Thai e MMA, se tornou treinador e construiu uma carreira sólida como técnico. Hoje, radicado nos EUA, ele continua a prestar serviços para o crescimento do MMA e treinando grandes feras. O mestre conversou com o repórter Olivar Leite, do Intheguard, e falou do passado, presente e planos para o futuro:

1 - Antes de qualquer coisa, vamos lembrar seu primeiro contato com as Artes Marciais?

Meu primeiro contato com as artes marciais foi através do meu vizinho, um dos mais famosos professores de Taekwondo de Curitiba, chamado Daniel Lee, que tinha uma legião de campeões. Comecei me aplicando diariamente e foi lá que conheci Digenes Assahida, graduado casca grossa que ganhava todos os campeonatos e, na academia, ele era o cara. Depois de anos, seria um dos melhores lutadores de Muay Thai do Brasil e ‘parceirão’ de treino. Havia um amigo meu que treinava na Chute Boxe e me convidou para, um dia, dar um treino lá. Fui e fiquei chocado, era uma galera de calça preta com estrelas na perna dando joelhadas no clinch, não tive duvida: 'mãe quero treinar isso'. Meu professor era Edmar dos Anjos, fera brava que, com 70 kilos, era o Anderson da época e batia em todo mundo, não tinha perdão, era muito bom de boxe e usava muito bem os cotovelos e joelho. Edmar foi o primeiro representante da academia a ganhar uma competição internacional, em Los Angeles, dentro de uma comunidade Tailandesa, isso em 1991.

2 - O porquê de se decidir a dedicar uma vida ao Muay Thai?

Logo que Edimar decidiu montar seu próprio time, mestre Rudimar me convocou para a missão de substituí-lo dentro da academia, não só nas aulas, mas também nas competições em que a academia participava. Realmente foi uma grande honra para mim, pois depois disso, comecei a treinar com os profissionais da época e foi, com certeza, a hora em que meu Muay Thai evoluiu muito.

3 - Você sempre foi citado como homem de linha de frente nas competições de Muay Thai. Quais grandes momentos de lutador você guarda na memória?

Sempre fui professor-atleta, e isso fez com que muitas portas se abrissem para mim. Quando entrei na Chute Boxe, a academia era muito famosa e excelência no Muay Thai. Então, titulos sempre foram cobrados dos atletas e comigo não foi diferente. Tive a oportunidade de lutar com os melhores lutadores brasileiros da época, na categoria de 66 kilos até 80 e, com isso, conquistar 3 campeonatos brasileiros e vários interestaduais. Fui campeão do IVC e do Circuito Brasileiro de Freestyle, sagrando-me campeão na etapa de Curitiba. Minha geração veio substituindo naturalmente a antiga, que só tinha feras como: Fabio Noguchi, Edimar dos Anjos, Raimundo dos Anjos, Claudio Popaye, Paulo Secco, Paulo Henrique e Augusto Oliveira. Com certeza, o que ficou guardado foi um brasileiro disputado em Nova Friburgo, onde poucas horas antes do embarque, o mestre Rudimar anunciou que o evento abriria mais uma vaga e nisso chega o Wanderlei, cabeludo com pinta de metaleiro e com a pasta do colégio. Cheguei no mestrão e falei que o Wanderlei estava pronto e, se o mestre quisesse, ele era soldado de frente e estaria dentro da batalha. Mestre Rudimar concordou e foi só alegria, 5 atletas e 5 vitórias. O estreante Wanderlei: nocaute mais rápido da noite. Quando chegamos em Curitiba tinha uma carreata esperando e, com certeza, foi a glória do Muay Thai curitibano. O time era: Osmar Dias(in memorian), Sergio Cunha, Rafael Cordeiro, Nilson Castro e Wanderlei Silva.

4 - Quando o Rafael Cordeiro resolveu deixar de ser o lutador para virar professor?

Acho que foi natural, pois eu sempre puxei os treinos da galera e a demanda de lutas para a rapaziada foi aumentando. Naturalmente eu comecei a me dedicar integralmente ao time em todos os cantos onde éramos chamados. Isso foi muito bom, pois conseguimos nos firmar como um time de nocauteadores que tinha, em seu carro chefe, Pelé e Wanderlei. Conseguimos nos fixar, não só no espaço brasileiro, mas também no internacional pela visibilidade que esses dois atletas trouxeram ao time.

5 - Na época do Pride você viveu grandes momentos, vitórias e derrotas, grandes lutas. Quais momentos mais te marcaram no evento?

Acredito que foram as conquistas dos GPs do Wandeco e do (Mauricio) Shogun, onde a academia mostrou todo seu arsenal. Sempre fomos muito obsecados por treino forte e isso fez a diferença para muitas coisas que estão aí hoje. Tínhamos uma fé incrível, que nos permitia fazer movimentos às vezes arriscados, mas todos treinados diariamente na academia com bons resultados. Muitas pessoas não sabem que o pisão foi visto pela primeira vez em uma luta do Pelé com Jorge Pereira, no IVC, deixando até o árbitro Sergio Batarelli assustado com o movimento. Era isso que nós fazíamos, treinávamos movimentos que viriam a ser lembrados para toda a história.

6 - Quanto tempo de EUA? O que mais te fascina e o que mais você sente saudade?

Estou aqui a quase dois anos e, graças a Deus, os resultados estão aparecendo. Hoje, nós estamos com a Kings MMA e está sendo meu grande orgulho poder continuar o trabalho que aprendi na Chute Boxe, com todos os anos a frente da equipe. Com certeza, a receita do sucesso é você sempre buscar o conhecimento, não só técnico, mas também pessoal, pois trabalhamos com pessoas e se você não souber conduzi-las à sua técnica, não as atingirá. Estamos com saudades da família e dos amigos, mas temos que continuar firmes e fortes nesse trabalho que está apenas começando.

7 - Nesse seu trabalho nos EUA, quais frutos você já colheu e quais você pretende colher a médio prazo com lutadores, academia e eventos?

Estou trabalhando com vários atletas, mas em especial posso falar de Fernando Betega, que acabou de vencer o Long Beach Fight Night, Fabrico Werdum, campeão do StrikeForce e que tem sua academia em Marina Del Rey, Paul Song, Andre Baggio, Felipe Fugolin, Doug Marshel, Jamie Yegar e Erick Apple. Estamos treinando com o Babalu, na Gracie Barra, e com King Mo e Daniel Courier (4x campeão mundial de wrestling) na parte do Wresting. Ou seja, está sendo muito bom. Agora começam os treinos mais fortes e Wanderlei vem conosco para treinar e aprimorar fundamentos para os próximos combates.

8 - Depois que a Chute Boxe se desmembrou e alguns grandes nomes montaram seus próprios times, coincidentemente ou não, Curitiba deixou de ser uma capital com grandes eventos de MMA. Isso não é preocupante? Tendo em vista que é um grande celeiro de lutadores?

Acredito que Curitiba nunca saiu de cena, pois quando não estavam sendo realizados eventos, vários atletas da cidade estavam lutando fora, levantando o nome das escolas e de Curitiba. Hoje, por exemplo, você pode acompanhar dois eventos no mesmo dia e isso é um ponto muito positivo. Temos a volta de grandes nomes à cidade como o do Pelé, lutando em dezembro, e quem gosta de emoção vai conferir. Temos o Secretário de Esportes de Curitiba, Rudimar Fedrigo, que é o símbolo forte das lutas e com isso a visibilidade do esporte está aparecendo.

9 - Qual a sua avaliação do MMA no Mundo e quais são os lutadores que te agradam ver lutando?

O MMA veio e pediu passagem, quem não acompanhar tem que dar seta. Esse esporte está muito forte e é o momento de nos unirmos em uma corrente de atitudes positivas, para que mais e mais fãs venham com isso. Os lutadores que gosto de ver, que sempre dão aquela adrenalina, são: Jose Aldo, Shogun, Wandeco, Anderson (Silva), (André) Dida, Cris (Cyborg), Werdum e (Emelianenko) Fedor. Esses são certeza de que vai valer o ingresso.

10 - Faça as suas considerações finais e seus agradecimentos.

Quero agradecer a oportunidade e deixar um grande abraço a todos os meus alunos de Curitiba e dizer que vocês moram em meu coração, os momentos que vivemos juntos não se acabaram, pelo contrário, foi fortalecido pela distância, logo estaremos matando as saudades com muito treino de Muay Thai. Quero deixar minha academia aberta para todos os amigos que quiseram nos visitar e trocar informações: 6068 Warner Avenue, Huntington Beach, Califórnia - kingsmma@hotmail.com e www.kingsmma.com. Grande abraço a todos e coloquem Deus a frente de todas as batalhas, assim como Davi.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na minha opinião o pessoal da Chute Boxe não lutava Muaythai e sim Kickboxing. E só ver que eles não davam cotovelada nos ValeTudo que eles participavam. E o mesmo caso da Boxe Thai do Luis Alves o pessoal praticava e um kickboxing só ver que os alunos deles não sabiam nem fazer o Wai Khru Ram Muay. Somente um aluno dele o Artur Mariano que  viajou para Tailândia que realmente apedeu o que era muaythai.

Pois o pessoal da antiga Nélio Naja este nunca souber o que era muaythai, Narany este também, Alvaro Aguiar lutou Kickboxing nos EUA e não muaythai todos que vieramda Academia Naja, Paulo Nikolai não sabiam o que era muaythai, o Nei Aguilar da  Academia Combat Sport também era outro que Naõ ensinava Muaythai ele mesmo falava que ensinava o método Nei Aguilar.   Esta Academia Combat Sport nunca ensinou muaythai e sim uma especie de Kickboxing 

Edited by krugans

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na minha  opinião eles sabiam o básico, pois tinha muito flimes e revista como a DO que tinha já informação sobre o que era muaythai. Por isso eles sabiam que tinha que usar short, Wai Kru entre outra parte. porem não faziam. Como e o caso dos alunos do Luis Alves que muitos não sabem ate hoje fazer o Wai Kru. Outra coisa em 1992 foi definida uma graduação internacional no muaythai que a CBMT e outra confederações não usam a mesma ate hoje e sim a do Nélio. Enquanto a Nélio Naja ele nunca vete contato com Tailandeses. Não existe prova alguma.

Rua no UFC 7 estado em situação de clich não usou uma cotovelada ou joelhada. E sem saber o que fazer  ouviu o consenhor do Leitão o pisou o pe do adversário. Ou membro da Chute Boxe só passa a usa cotovelo depois que foram treina com Tailandeses.


Edson Souza lutava Muay Boran e não muaythai. Tanto que venceu em competição de muay boran. Nikolai  e Alvaro Aguai fizeram um curso  de mauythai com um mestre de Tae Kwon Do que lutava Muay Boran  

Agora existia muito Brasileiro que realmente treinaram muaythai como a já citado Roney Alex este realmente treinou muaythai com um Tailandês, Marcelo Gomes Barreto um dos primeiros a luta na Tailândia antes ate do Cosmo.  

   

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 29/12/2017 at 10:52 AM, Gurkha disse:

Ja li muitos comentarios ate maldosos ao longo do ano sobre a origem do MT no Brasil (o que nao foi o seu caso). Sei que o MT praticado pelo Nelio nao era perfeito, dai a confusao e algumas invencionices partidarias,  mas como pratiquei MT com o Nelio e agora voltei a treinar Muay Thai ( para autodefesa) aqui em Perth com tailandeses, acho que posso dar uma opiniao mais objetiva sobre o assunto.

O Nelio, Fedrigo, Narany, Alves, etc, , conheciam Muay Thai sim, mas obviamente nao na profundidade que muitos desejam hoje, pois eles tiveram que trabalhar com o que foi possivel obter de informacao sobre a luta naquela epoca, (O Nelio inclusive da o nome de seu treinador. e "curiosamente" ele foi conhecido de um dos meus colegas de treino aqui).

Fato: os brasileiros no inicio do processo, tinham background de TKD e o usaram para complementar suas deficiencias, por que nao o fariam?

Nao acho que inventaram uma luta, juntando TKD e boxe ( alias MT usa muito boxe ocidental, quem inventa quem vai ser discutido abaixo). O Nelio como disse acima. teve contacto com os tailandeses. 

Mas, precisamos primeiro definir o que e' o Muay Thai nesta discussao. Se por Muay Thai verdadeiro definirmos a arte praticada na Tailandia que virou o esporte nacional ( que adoro assistir), e tem profundas raizes na historia e cultura do povo tailandes, com algumas praticas que remetem ao budismo e animismo, um esporte onde apostas rolam solto (como briga de galo) ou uma luta  onde alguns lutadores ficam aleijados definitivamente e ate' morrem,  entao bem poucos praticam puro Muay Thai.

Levando esta maneira de pensar a ferro e fogo, entao nem o que pratico aqui e'  MT, embora meu treinador seja tailandes, ensine a etiqueta, mas retirou certos elementos para que fosse enfatizada a autodefesa. O que faco nao e' um esporte, nem jogo de apostas.

Se for falar apenas da tecnica do MT, sem problema. Elas sao excelentes e nao tem comparacao. Nem o kickboxing consegue ser tao completo, como e' obvio, o MT tem suas proprias bases, tecnicas de chutes incriveis etc. Porem, no Ocidente o MT as vezes tem de se adaptar as regras e convencoes ( em alguns casos com a omissao das tecnicas de cotovelo) e nao e' de agora que isto acontece.  Em cima disto tudo e' um fato que o Muay Thai tomou emprestada tecnicas do boxe ocidental, tornando-o com o tempo bem diferente no que tange o uso das maos, do que era praticado a uns 80-90 anos atras.

O Nelio falou uma vez sobre estas questoes de tecnicas de base, chutes, joelhada e cotoveladas que eram  diferentes do praticado na Tailandia, e percebi que pelo que disse se confirma o que ja' desconfiava: ele, alem de suas proprias limitacoes, teve dificuldade em obter o conhecimento porque nao so os tailandeses guardavam estas tecnicas com ciume, mas tambem pelas barreiras da lingua e cultura e pelo pouco tempo que ele teve para aprender tudo. Ainda sobre a falta de uma ou outra tecnica: noto que aqui, nao so por questoes culturais mas de obvio bom-senso,  havia certa preocupacao com a integridade do atleta (coisa que na Tailandia nao e' de praxe, pois a vida vale pouco la'):  embora a joelhada e o clinch fossem enfatizados de certa forma, as tecnicas de cotovelo (principalmente em treinos) nao eram usadas devido as lesoes graves que provocaria ou mesmo o risco de morte ( na Tailandia pode ser dado este golpe de cima para baixo na coluna, ou cotovelada na fronte,  por exemplo).

Na Academia Naja durante os anos iniciais, notei que os treinos eram bem proximos ao kickboxing sim, principalmente quanto aos chutes, mas muita gente tinha a nocao de que deveriam buscar mais conhecimento, senao na Tailandia, mas em outros lugares pelas limitacoes obvias de um esporte que estava apenas nascendo no pais. O Fedrigo foi um destes, e novas tecnicas e combinacoes de golpes foram aperfeicoadas/apareceram aos poucos.

Mas nunca houve a preocupacao, no caso da chute boxe, em colocar elementos da cultura tailandesa alem do necessario para uma luta franca (e poem franca nisso). O mesmo acontece com o BJJ, uma luta de estrangeiros adaptada por brasileiros.

Tambem sabedores da necessidade de melhorar a luta no Brasil, o Luiz Alves, Edson de Souza  e o Nikolai em particular, ja na decada de 90 se associaram com Thom Harinck e se juntaram a Federacao Mundial de Muay Thai. Tambem me lembro que o Roney Alex treinou com um mestre/ex-lutador  tailandes em Londres, inclusive trazendo-o ao Brasil para intercambio. Ele era associado com o mestre Boon Riang. O Edson Souza, colega do Alves e Nikolai,  era associado com Mestres Tong Trithara e Boon Than. Estranho que se ignore este fato de mais de 25 anos,  tentando desconstruir um legado de muitos, tambem ignorando o fato de que nem tudo em termos de tecnicas no mundo dos esportes de combate  e'  puro e esculpido em pedra (com excessao de certas artes bem tradicionais) e que a a dinamica ou evolucao das tecnicas e' muito influenciada pela contato entre pessoas e paises, principalmente neste mundo globalizado.

Por favor nao me entenda mal , nao estou me referindo ao colega forista , pois nao o conheco. Mas mas outros que hoje se arvoram em dizer que agora se pratica Muai Thai verdadeiro, como se as pessoas nunca o tivesse praticado antes da maneira correta,  estao falando uma meia verdade, talvez por interesses escusos.

Mas obviamnte todos podem ter sua opiniao e respeito isso. Mas e' sempre bom fazer uma boa pesquisa. Mesmo na Tailandia as opinoes sobe o que e' MT  muitas vezes divergem. Lembro de um mestre de uma arte marcial tradicional da tailandia dizer que o Muay Thai la praticado nao era o tradicional e que ao aceitar tecnicas de boxe ele se diluiu ( sim tem gente que acredita nisto la). Talvez ele devesse ir ao ringue para provar isto  mas ele jamais arriscou -se a tanto. Nada como o mundo dos fatos para dissipar certas ilusoes, como ja disse.

Nao botar fe' no que o Nelio comecou e' uma questao particular, mas o fato e' que ele no minimo, foi uma figura importante que conhecia o Muay Thai suficientemente para  introduzir  os conceitos basicos desta  luta e formar um legado, abrindo caminho para outros aperfeicoarem o que ele comecou (incluidos os puristas). Obviamente que adaptar o Muay Thai como praticado na raiz para o MMA trouxe otimos resultados, mas isto depende muito do lutador. Se o que o Naja fez na epoca foi uma luta 100% Muay Thai se tornou algo irrelevante para o MMA e o mundo das lutas em geral, pela evolucao atual da luta no Brasil. Basta ver o que o Ruas, Shogun, Anderson e o Wanderley conquistaram no cenario mundial.

 

 

 

Excelente post. Parabéns.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gurkha

Meu amigo, ainda tenho a mesma opinião, vamos lembra que waikru e muito importante sim pois como  o lema da IFMA falar sem tradição não tem muaythai. Então se eles não sabiam nem waikru eles praticaram outra luta.

Tom Harinck não lutava muaythai ele lutava kickboxing segundo ele próprio ele formou uma comitiva da sua academia e foi visita a Tailândia porem não treinou em nenhum camp.  

Alvaro e narany nunca treinaram o curso que o lutador deu fiu ministrado por um coreano como falou o Frank    

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que discussao interessante, ta dando de 10 em qualquer discussao da pagina principal!!! Vou tentar contribuir novamente: 

 

Antes de treinar em Curitiba entre 1998 e 2001 treinei na academia que na epoca se chamava Thai Center (no local da antiga academia Naja) entre 1996 e 1998, primeira academia de Boxe Tailandes do Rio de Janeiro e pude presenciar as origens do Muay Thai no Brasil em ambas as cidades e sem sombra de duvidas o estilo brasileiro herdou muito do Tae Kwon do, pois muitos atletas do inicio eram desta modalidade e do Boxe Ocidental, por ter um conhecimento mais disseminado aqui e atletas oriundos e que competiam na modalidade tambem, mas em ambas treinei clinch, joelho e cotovelo, influencias claramente tailandesas.

Em outra ocasiao treinei KickBoxing Seiwakai em SP, modalidade criada pelo Ademir da Costa oriundo do Kyokushin em que diversos atletas competiam tambem no Muay Thai e no KickBoxing com atletas de ambas as modalidades e apos estas experiencias a minha constatacao e que independente se e puro ou nao (na Holanda tambem nao e...) vale ressaltar que as pessoas que praticam a modalidade sempre buscaram se aperfeicoar, seja na Tailandia ou em outros lugares e o conhecimento ao meu ver se tornou mais rico, assim como em qualquer outra arte marcial que nao pode parar de evoluir - vide o Jiu Jitsu que procurou sempre se aperfeicoar com base em outras artes.

Hoje temos bons representantes nos principais eventos de luta em pe e no MMA com base na luta em pe e isto e a prova que independente da origem a arte foi bem disseminada aqui mas a evolucao nao pode parar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A academia Naja no Rio sempre foi no mesmo local, ate mudar de nome e virar Thai Center (onde treinei), ficava ali no Largo do Machado, no 2 andar de uma galeria que tinha ali na frente de uma das entradas do metro, mesmo endereco da famosa invasao da Academia Naja na decada de 80 e que teve uma serie de reportagem aqui no PVT. O endereco certinho com numero, etc. eu nao vou saber te dizer.

Na epoca (96 a 98) treinava com aquela calca preta com uma faixa vermelha na lateral e usava faixa...rsrsrs...tenho aquela calca ate hoje e a faixa vermelha (apesar de na epoca ser faixa ja usava as mesmas cores de graduacao do Muay Thai em Curitiba ate hoje - branca/vermelha/azul calara/azul escura/preta com as pontas entre as faixas) mas apesar da vestimenta e das infuencias do Tae Kwon Do e do Boxe Ocidental como eu citei tinha tambem a parte de clinch, cotovelo e joelho, o que diferencia do Kick Boxing e se assemelha mais ao Muay Thai, termo que na epoca nao era nem usado, usava-se o "Boxe Tailandes".

Quanto ao Ademir da Costa, foi por pouco tempo que eu treinei la mas era um estilo de Kick Boxing bem agressivo que ele criou chamado Seiwakai, com muita influencia do Karate Kyokushin (ele criou o Karate Seiwakai tambem apos se desentender com o pessoal do Kyokushin) e a academia principal fica no Campo Belo em Sao Paulo. O estilo tem muito do Kick Boxing Japones, com chutes circulares que voce nao ve muito em uso no Muay Thai e com menos chute na coxa e sem clinch.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não é ao vivo, mas está aí o vídeo na íntegra. Sugiro a todos que "curtam" o canal do PVT lá no YouTube, eu vi que tinha essa assim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vi isso ontem excelente resenha , ele bateu num ponto que citei sobre Edmar, ele disse que era um pedreiro que fazia Full contatc e o Paulo seco o botou no hospital e não deu detalhes sobre e faltou perguntas e explorar mais esse ponto.

Falou pouco porém bem do Rafael cordeiro.

Citou muito o Anderson elogiou uma hora disse que Pelé salvava ele nos treinos outra disse que Anderson sempre foi guerreiro que pessoal corria do Wanderlei e dos poucos a comparecer mesmo leve foi Anderson.

Disse que os melhores treinos eram Pele vs Anderson, wand vs Pelé, Wanderlei vs Anderson.

Faltou perguntar quem foi o melhor lutador de Thai da equipe.

Não citou nenhuma vez o Shogun

Gostei que ele falou que faltou gerenciamento na carreira do Wanderlei pós UFC.

Faltou falar do incidente do Diógenes .

Foi muito boa porém faltou alguns pontos.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, NEGO DÁGUA disse:

Vi isso ontem excelente resenha , ele bateu num ponto que citei sobre Edmar, ele disse que era um pedreiro que fazia Full contatc e o Paulo seco o botou no hospital e não deu detalhes sobre e faltou perguntas e explorar mais esse ponto.

Falou pouco porém bem do Rafael cordeiro.

Citou muito o Anderson elogiou uma hora disse que Pelé salvava ele nos treinos outra disse que Anderson sempre foi guerreiro que pessoal corria do Wanderlei e dos poucos a comparecer mesmo leve foi Anderson.

Disse que os melhores treinos eram Pele vs Anderson, wand vs Pelé, Wanderlei vs Anderson.

Faltou perguntar quem foi o melhor lutador de Thai da equipe.

Não citou nenhuma vez o Shogun

Gostei que ele falou que faltou gerenciamento na carreira do Wanderlei pós UFC.

Faltou falar do incidente do Diógenes .

Foi muito boa porém faltou alguns pontos.

 

Mágoa talvez pela forma como eles saíram? Não sei

Edit: Shogun e ninja

Edited by MV8

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now