Scolfield

Suspensa pela USADA, Amanda Ribas alega inocência, alerta outros lutadores e promete volta por cima

9 posts neste tópico

amanda-ribas-sangue-1024x683.jpg

Amanda Ribas só pode voltar a lutar em junho de 2019 – Foto: Leonardo Fabri

O ano não começou nada bom para a brasileira Amanda Ribas. Na última quarta-feira a USADA anunciou uma suspensão de dois anos para a peso-palha por conta do uso da substância proibida ostarine, encontrado em sua urina em teste feito em junho de 2017. Com o gancho, a mineira só pode voltar a lutar em junho de 2019.

Vale lembrar que Amanda Ribas sequer estreou pelo UFC. Aos 24 anos de idade, a judoca possui um cartel de seis vitórias e apenas um revés. Antes de estrear profissionalmente, ela ainda sagrou-se campeã mundial de MMA amador em competição realizada em Las Vegas-EUA no ano de 2014.

Em comunicado oficial enviado à imprensa, Amanda Ribas acatou a decisão da USADA, mas garantiu inocência.

“Quem me conhece sabe a minha opinião sobre esse tipo de produto. Fui atleta da seleção brasileira de Judô, sou lutadora profissional de MMA e sempre fui completamente contra esse tipo de coisa (dopagem)”, afirma. “Jamais fiz uso de doping e tampouco sabia o que era essa substância. Me sinto extremamente humilhada e prejudicada por estar pagando por algo que não fiz”.

A lutadora também revelou que uma análise feita a partir dos suplementos usados por ela acusou a existência de uma outra substância proibida, que não foi detectada no antidoping.

“Depois de gastarmos muito dinheiro com os testes, que são todos pagos pelo atleta, soubemos que ostarine não foi encontrado nos produtos. Porém, em um dos suplementos foi encontrado clenbuterol, substância que, apesar de não ter surgido nos meus exames antidoping, também é classificada como ilegal”.

Amanda Ribas agora quer alertar outros atletas para tomarem cuidado na hora de comprar produtos de suplementação.

“O aparecimento de clenbuterol em um dos suplementos anteriormente utilizados por mim só mostra a má qualidade e a fiscalização precária de alguns fabricantes desse tipo de produto. Aconteceu comigo e com outros atletas brasileiros. Quero declarar minha inocência e deixar um imenso alerta a todos os outros atletas profissionais do Brasil sobre esse risco que pode prejudicar vidas e carreiras”.

Por fim, a lutadora garante que o episódio não a desanimou para seguir em frente na busca do sonho.

“Vou continuar treinando forte em busca do meu cinturão do UFC”.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caso esteja falando a verdade é uma pena. Mas não acho que consiga mudar a pena que recebeu. O trem é usar esse ano para se lapidar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Enquanto isso tão fazendo de tudo pra salvar o Jon Jones da punição ... sorte .  ...Até a volta 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parece sincero pq ela confessou outra substância

Inclusive isso é perigoso o doping do CroCop foi assim

Ele avisou o UFC que precisava fazer um tratamento com GH prescrito pelo médico

UFC avisou a usada e ele se fudeu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa questão de suplementos no Brasil é sério e a anvisa não faz nada.

Tinha um cara que mandou testar os suplementos e a grande maioria é tudo farinha.

Agora pra falso doping não sei como que é 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hour ago, Garfield said:

Essa questão de suplementos no Brasil é sério e a anvisa não faz nada.

Tinha um cara que mandou testar os suplementos e a grande maioria é tudo farinha.

Agora pra falso doping não sei como que é 

Pois e rapaz . Eu nunca confiei nessas merdas q vendem por aí 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora