Lucas Timbó

Pontuação dos juízes de Amanda x Valentina ll

152 posts neste tópico

1 hora atrás, cisao disse:

Este critério do controle da área de luta só sera válida para pontuação quando os dois outros (striking/grapling) e agressividade estiverem exatamente empatados. 

http://mmabrasil.com.br/abc-boxing-aprova-maior-pacote-de-mudanca-de-regras-desde-a-implementacao-das-regras-unificadas

 

Striking/Grappling efetivo vai traduzir a grande maioria das avaliações feitas. Agressividade efetiva é um ‘Plano B’ e não deve ser considerado a menos que o juiz não veja NENHUMA vantagem no campo do striking/grappling efetivo. Controle da área de luta (‘Plano C’) só deve ser necessário quanto TODOS os outros critérios forem 100% iguais para ambos os competidores. Isso vai ser de ocorrência extremamente rara. Agressividade efetiva e controle da área de luta são planos de contingência.”

 

Sobre agressividade efetiva, a ABC reforça a palavra “efetiva”, dizendo que um lutador caçar um oponente sem haver resultado não deve ser avaliado pelos juízes. Sobre controle de área de luta, a avaliação é em determinar quem dita o ritmo e a posição da luta.

 

Eu sei que controle do 8 é  somente o terceiro fator a ser analisado, mas até onde sei não existe essa questão de analisar controle do 8 somente se os outros dois quesitos estiverem "exatamente" empatados. Até porque a palavra "exatamente" é muito subjetiva em uma luta. 

 O que se fala é:

1. Analisar primeiro striking/grappling efetivo. (Nenhuma delas foi efetiva). 

2. Não havendo superioridade no quesito 1, analisar agressividade. (Nenhuma delas foi agressiva). 

3. Não havendo superioridade nos quesitos 1 e 2, analisar controle do 8. (Amanda).

Em suma, nos rounds parelhos a Amanda ganhou pelo terceiro quesito porque em nenhum dos outros dois houve superioridade efetiva de qualquer lutadora. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
5 horas atrás, afterforever disse:

Tipo  rounds de 10 minutos por uns 2 min de descanso?

Eu diria, 2 ou 3 rounds de 8 minutos. 

Mas é complicado pra caramba. Por uma série de fatores.

Essa minha sugestão seria apenas pensando nos problemas de julgamento por parte dos juízes.

Mas o esporte precisa de suporte em outras áreas tambem, o que inviabilizaria esse formato, que inclusive já foi usado no passado. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, cabrió disse:

Eu sei que controle do 8 é  somente o terceiro fator a ser analisado, mas até onde sei não existe essa questão de analisar controle do 8 somente se os outros dois quesitos estiverem "exatamente" empatados. Até porque a palavra "exatamente" é muito subjetiva em uma luta. 

 O que se fala é:

1. Analisar primeiro striking/grappling efetivo. (Nenhuma delas foi efetiva). 

2. Não havendo superioridade no quesito 1, analisar agressividade. (Nenhuma delas foi agressiva). 

3. Não havendo superioridade nos quesitos 1 e 2, analisar controle do 8. (Amanda).

Em suma, nos rounds parelhos a Amanda ganhou pelo terceiro quesito porque em nenhum dos outros dois houve superioridade efetiva de qualquer lutadora. 

É complicado pra caramba esses critérios 

Eu tenho a impressão de que os caras complicam o que era para ser simples. Julgar quem ganhou um round não é tão difícil, e se foi equilibrado, não poderia ser tão absurdo dar empate. Pode ver que quase nunca marcam empate em rounds. Qual o problema disso?

Se ninguém de destacou,  marca empate! Isso obrigaria os caras a lutaren mais. Buscarem o combate.

Esses critérios de agressividade e controle geralmente estão intimamente ligados. O cara que busca o controle, geralmente busca ser mais agressivo. Essa confusão entre esses dois critérios apenas dificulta a aceitação dos torcedores, equipes, lutadores, dirigentes, etc.. 

No meu ponto de vista seria

10x10 - round equilibrado 

10x9 -alguém dominou

10x8 - amplo domínio com quase KO

10x7 não é necessário! Só complica as coisas também...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
24 minutos atrás, junior-sjc disse:

Eu diria, 2 ou 3 rounds de 8 minutos. 

Mas é complicado pra caramba. Por uma série de fatores.

Essa minha sugestão seria apenas pensando nos problemas de julgamento por parte dos juízes.

Mas o esporte precisa de suporte em outras áreas tambem, o que inviabilizaria esse formato, que inclusive já foi usado no passado. 

Interessante a ideia... Difícil julgar MMA,na parte em pé daria até pra fazer pontuação mas na parte agarrada avaliar dominância ,posições ,tentativas de finalização gnp e transformar isso em pontos sem usar o 10 a 9 e etc... Difícil... Se MMA fosse algo como o que tinha no rings que no chão não valia bater no rosto... Poderia considerar que pancada no chão não vale ponto é pontuar chão como luta agarrada submission, jiu-jitsu etc... Mas seria uma variação do MMA e não o que temos hj... Gnp sem bater no rosto pode ser interessante pra integridade dos atletas e na parte técnica da luta agarrada mas não vende bem e não é tão legal

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, cabrió disse:

Eu sei que controle do 8 é  somente o terceiro fator a ser analisado, mas até onde sei não existe essa questão de analisar controle do 8 somente se os outros dois quesitos estiverem "exatamente" empatados. Até porque a palavra "exatamente" é muito subjetiva em uma luta. 

 O que se fala é:

1. Analisar primeiro striking/grappling efetivo. (Nenhuma delas foi efetiva). 

2. Não havendo superioridade no quesito 1, analisar agressividade. (Nenhuma delas foi agressiva). 

3. Não havendo superioridade nos quesitos 1 e 2, analisar controle do 8. (Amanda).

Em suma, nos rounds parelhos a Amanda ganhou pelo terceiro quesito porque em nenhum dos outros dois houve superioridade efetiva de qualquer lutadora. 

É a última avaliação. Abaixo das demais outras. Só será utilizada com as duas primeiras forem ou iguais ou 0. Não é aplicável a esta luta e, com as novas regras, raramente será. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, junior-sjc disse:

É complicado pra caramba esses critérios 

Eu tenho a impressão de que os caras complicam o que era para ser simples. Julgar quem ganhou um round não é tão difícil, e se foi equilibrado, não poderia ser tão absurdo dar empate. Pode ver que quase nunca marcam empate em rounds. Qual o problema disso?

Se ninguém de destacou,  marca empate! Isso obrigaria os caras a lutaren mais. Buscarem o combate.

Esses critérios de agressividade e controle geralmente estão intimamente ligados. O cara que busca o controle, geralmente busca ser mais agressivo. Essa confusão entre esses dois critérios apenas dificulta a aceitação dos torcedores, equipes, lutadores, dirigentes, etc.. 

No meu ponto de vista seria

10x10 - round equilibrado 

10x9 -alguém dominou

10x8 - amplo domínio com quase KO

10x7 não é necessário! Só complica as coisas também...

Seria uma boa, mas imagino que eles evitam pontuar 10 a 10 para diminuir a possibilidade de que ocorra muitos empates, o que seria ruim para as casas de aposta. Tá na cultura deles essas apostas. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
7 minutos atrás, cisao disse:

É a última avaliação. Abaixo das demais outras. Só será utilizada com as duas primeiras forem ou iguais ou 0. Não é aplicável a esta luta e, com as novas regras, raramente será. 

Mas qual o critério que você marcaria para definir a vitória da Shev nos rounds parelhos? Agressividade? 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 minutos atrás, cabrió disse:

Mas qual o critério que você marcaria para definir a vitória da Shev nos rounds parelhos? Agressividade? 

Só para esclarecer, eu não achei garfo e não tenho problema com quem viu vitória da Amanda. Luta apertada é isso. 

Mas eu achei que no 2º, 3º e 4º round a Shev acertou os melhores golpes. Exceto Low Kicks sem muita efetividade e pisões no joelho, a Amanda praticamente não acertou, ao meu ver.

Cito também que, de acordo as novas regras, o 5º round pode ser visto também para a Shev (eu marquei 3x2). A Amanda derrubou. Mas lembramos que atualmente, repito. a agressividade/efetividade por baixo conta igualmente a de quem está por cima. E, por baixo, Valentina bateu bem mais do que a Amanda. E para ambas, não houve progressão de posição. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
17 minutos atrás, cisao disse:

Só para esclarecer, eu não achei garfo e não tenho problema com quem viu vitória da Amanda. Luta apertada é isso. 

Mas eu achei que no 2º, 3º e 4º round a Shev acertou os melhores golpes. Exceto Low Kicks sem muita efetividade e pisões no joelho, a Amanda praticamente não acertou, ao meu ver.

Cito também que, de acordo as novas regras, o 5º round pode ser visto também para a Shev (eu marquei 3x2). A Amanda derrubou. Mas lembramos que atualmente, repito. a agressividade/efetividade por baixo conta igualmente a de quem está por cima. E, por baixo, Valentina bateu bem mais do que a Amanda. E para ambas, não houve progressão de posição. 

Entendo sua opinião, mas tive outra percepção. 

Na minha opinião nesses rounds parelhos a Shev se defendeu bem contra-atacando, mas não foi agressiva, efetiva e nem causou impacto/dano (quesito esse que não está literal na regra,  mas que eu li que continuará a ser usado como medida. Fonte no final). O Woodley, por exemplo, fez uma luta de merda contra o Demian, só na defesa, mas causou impacto: fechou o olho dele e aplicou um knockdown isolado, o que foi suficiente para cristalizar sua vitória. Shev não fez nada disso. 

No quinto round podemos retirar essa queda (que não foi efetiva), mas sobra o quê? Foi o único round que a Shevshenko ousou andar pra frente, mas mesmo assim a Amanda controlou o 8 a maior parte do tempo. Novamente a agressividade foi parelha, já que ambas as lutadoras foram pouco efetivas. 

https://www.mmafighting.com/2016/8/2/12363980/abc-body-approves-changes-to-mma-scoring-criteria-new-rules-in

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
10 horas atrás, cabrió disse:

Eu sei que controle do 8 é  somente o terceiro fator a ser analisado, mas até onde sei não existe essa questão de analisar controle do 8 somente se os outros dois quesitos estiverem "exatamente" empatados. Até porque a palavra "exatamente" é muito subjetiva em uma luta. 

 O que se fala é:

1. Analisar primeiro striking/grappling efetivo. (Nenhuma delas foi efetiva). 

2. Não havendo superioridade no quesito 1, analisar agressividade. (Nenhuma delas foi agressiva). 

3. Não havendo superioridade nos quesitos 1 e 2, analisar controle do 8. (Amanda).

Em suma, nos rounds parelhos a Amanda ganhou pelo terceiro quesito porque em nenhum dos outros dois houve superioridade efetiva de qualquer lutadora. 

Correto. E por mim fecha o tópico. Argumentar contra isso é ser torcedor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, junior-sjc disse:

É complicado pra caramba esses critérios 

Eu tenho a impressão de que os caras complicam o que era para ser simples. Julgar quem ganhou um round não é tão difícil, e se foi equilibrado, não poderia ser tão absurdo dar empate. Pode ver que quase nunca marcam empate em rounds. Qual o problema disso?

Se ninguém de destacou,  marca empate! Isso obrigaria os caras a lutaren mais. Buscarem o combate.

Esses critérios de agressividade e controle geralmente estão intimamente ligados. O cara que busca o controle, geralmente busca ser mais agressivo. Essa confusão entre esses dois critérios apenas dificulta a aceitação dos torcedores, equipes, lutadores, dirigentes, etc.. 

No meu ponto de vista seria

10x10 - round equilibrado 

10x9 -alguém dominou

10x8 - amplo domínio com quase KO

10x7 não é necessário! Só complica as coisas também...

Concordo novamente contigo Junior. Normalmente usam esses critérios todos meio juntos. E acho mesmo que deveriam usar bem mais o 10 a 10. Mas dai dizem que dar empate não é bom para apostas. Bom, pode ser, mas seria o certo a fazer. Estimularia os atletas a saírem desse jogo de ganhar o round por diferença mínima. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Lixo de luta! Não sei nem porque perdi meu sono com esta merda! A Cyborga bate nestas duas ao Mesmo Tempo!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 horas atrás, junior-sjc disse:

Mas não daria para fazer isso sem entrar em um monte de polêmicas e ainda entregar o resultado na hora...

MMA é um esportes cheio de viradas! Para avaliar dessa forma, os caras teriam que rever as lutas algumas vezes pra encontrar alguma justiça.

Pra mim os rounds deveriam ser ligeiramente mais longos e em menor número.

2 rounds em lutas comuns e 3 para cintas. Ligeiramente mais longos. 

Mas aí entramos em outra discussão, sobre integridade física dos atletas, etc...

É complicado!

nao tem tanto problema assim nao junior!

antes era assim e funcionava mto melhor que hj em dia. e dessa forma diminui mto a chances dos amarradores.

diminui a chance daqueles que enrolam o round inteiro e tentam a queda no final round tb.

mma nao é boxe...sao 3 rounds apenas. nos maximo 5... é mto pouco.

sou a favor de rounds mais longos tb. rounds curtos fudeu com bjj passadores de guarda...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu acho que luta feminina deveria ter duração menor.

A mulherada cansa mais rápido e sofre mais com as pancadas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora