Entre para seguir isso  
Seguidores 0
Eder Jofre55

‘Bate-Estaca’ revela que UFC ofereceu luta pelo cinturão

1 post neste tópico

Jessica ‘Bate-Estaca’ revela que UFC ofereceu luta pelo cinturão

Por Diego Ribas

Com duas vitórias contundentes desde que desceu para a divisão peso-palha (52 kg) do UFC, Jéssica ‘Bate-Estaca’ Andrade já ocupa a quinta posição do ranking oficial do evento. E, beneficiada pelo domínio da campeã Joanna Jedrzejczyk, que obriga a organização a lhe oferecer novos desafios no octógono, a brasileira garante que está mais perto do que nunca do cinturão, a ponto de já ter recebido até mesmo a oferta para encarar a polonesa.

No entanto, a paranaense de 25 anos tretou de adiar a possibilidade e pedir por ao menos mais um confronto antes de poder ter a sonhada chance. Isso porquê, de acordo com o planejamento de sua equipe, ela poderia investir o dinheiro de mais uma vitória em intercâmbios para aprimorar suas deficiências antes de fazer um confronto de tamanha importância.

“O UFC ofereceu para gente duas hipóteses”, afirmou em conversa com a reportagem da Ag. Fight. “Quero muito lutar, preciso de mais uma luta pela parte financeira para poder fazer um bom camp para enfrentar a Joanna. Eles ofereceram: ‘Ou você luta ou espera e já vai direto pelo cinturão em abril’. Mas seria muito complicado fazer uma luta com a campeã sem ter uma boa estrutura. Tenho que estar bem preparada para fazer uma luta dessa. Quero fazer mais uma luta e depois mostrar para todo mundo que estou na categoria certa e que sou capaz de disputar um cinturão”.

Com as cartas abertas para a organização, Jessica pediu, através de seu empresário Tiago Okamura, uma luta no final de janeiro, o que lhe daria, em caso de vitória, tempo e dinheiro suficientes para planejar com calma uma disputa com Joanna em abril.

“A Joanna acabou de lutar, está se recuperando. Ach que ela quebrou o nariz. Acho que abril seria uma boa marca para lutar pelo cinturão se eu lutasse em janeiro. Seria ótimo”, afirmou antes de analisar a relação entre ela e a ‘ex-amiga’.

Por anos, tanto Jéssica quando Joanna trabalhavam com o mesmo empresário, o que garantia vínculo amistoso o suficiente para que, em certas ocasiões, elas treinassem juntas. Relação esta que desde a troca de equipe da polonesa mudou de figura.

“Quando entrei na categoria dela, no 52 kg, acho que fiz uma luta e ela já trocou de empresário e equipe. O vínculo que a gente tinha já não vinha muito bem. Ela por saber que eu ia mudar de categoria, por já treinado comigo e dizer que eu era muito forte, ficou meio que com o pé atrás. Não acho que foi por isso que ela trocou de empresário e equipe, hoje eu vejo ela como oponente. Mas repudio o que ela fez. Você não pode largar a equipe, eles são a nossa familia. Não importa o que ela fale, vou tratar com respeito. Mas na hora lá eu acho que vou querer matar ela e acabou [risos]”, finalizou.

Com 15 vitórias e apenas cinco derrotas como profissional de MMA, a baixinha de apenas 1,57m de altura costumava competir na mesma divisão de Amanda Nunes, com limite de até 61 kg. Com a reeducação alimentar, agora Jéssica baixou de peso e compete com limite de 52 kg, onde sobra no quesito força e não tem mais o incômodo de ser a menor das atletas e, portanto, sofrer com a envergadura das oponentes.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0