franxxisco

Muay Thai Internacional

760 posts neste tópico

Em 13/11/2017 at 6:45 PM, robertoum disse:

Luta brutal do thanonchai vs seksan

 

Dois monstros. Acho que na época dessa luta eles eram os dois lutadores mais bem pagos da Tailândia.

Hoje em dia os dois estão lutando kickboxing na China. o Thanonchai se lesionou há um ano atrás e demorou muito pra voltar, quando voltou falou que ia fazer só lutas de três rounds por um tempo. O Seksan lutou o torneio até 62kg do Kunlun kickboxing (melhor orgaização de kickboxing atualmente) e ganhou três lutas em uma noite, foi campeão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O muaythai Amador na Russia já tem muitos anos e é bem desenvolvido 

Russia Muaythai.jpg

rJ6g8rvWUzU.jpg

rVgtpOKlFiQ.jpg

Quob3MA-PKc.jpg

M5u-GAlNrL4.jpg

Afo_HqEqQFg.jpg

Editado por FrankBassi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Basicamente, só estou acompanhando o mt tailandês, por sua excelência, e alguns eventos de kb, como kunlun, wlf, glory, etc. Por causa disso, acho cada vez mais desnecessária a forma que o ufc trata o esporte para o esporte se desenvolver. Muita gente fala que o entretenimento do ufc trouxe a melhoria dos combates, mas o mt da Tailândia, queo oposto do ufc prova o contrário. É um esporte ligado á cultura, religião e história do país, oposto ao conceito de entretenimento do ufc, e o que se vê lá é uma enorme excelências em seus competidores, inclusive muito mais lutadores de alto nível que no mma. Como o mt é algo enraizado e o esporte nacional e um patrimônio cultural ele é encarado de outra forma, os lutadores se entregam de corpo e ama, treinam muito desde pequenos, o que faz eles focarem na parte marcial em sí, e não em promoções, etc etc. enfim, o dinheiro apenas não se faz uma competição de excelência, existem outros fatores para tal, o ufc se tornar  uma empresa de entretenimento não faz o esporte melhor, como muitos falam.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Provavelmente o nocaute mais surpreendente do ano aconteceu hoje no Lumpini - Puenkon (vermelho) vs. Kompatak (azul)

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Luis Cajaiba vai lutar no Lumpinee dia 26/12 numa aposta de $ 200.000,00 baths, mais ou menos R$ 20.000,00

 

23915707_1604960119587885_16434646666839

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 25/11/2017 at 3:16 PM, robertoum disse:

Basicamente, só estou acompanhando o mt tailandês, por sua excelência, e alguns eventos de kb, como kunlun, wlf, glory, etc. Por causa disso, acho cada vez mais desnecessária a forma que o ufc trata o esporte para o esporte se desenvolver. Muita gente fala que o entretenimento do ufc trouxe a melhoria dos combates, mas o mt da Tailândia, queo oposto do ufc prova o contrário. É um esporte ligado á cultura, religião e história do país, oposto ao conceito de entretenimento do ufc, e o que se vê lá é uma enorme excelências em seus competidores, inclusive muito mais lutadores de alto nível que no mma. Como o mt é algo enraizado e o esporte nacional e um patrimônio cultural ele é encarado de outra forma, os lutadores se entregam de corpo e ama, treinam muito desde pequenos, o que faz eles focarem na parte marcial em sí, e não em promoções, etc etc. enfim, o dinheiro apenas não se faz uma competição de excelência, existem outros fatores para tal, o ufc se tornar  uma empresa de entretenimento não faz o esporte melhor, como muitos falam.

Concordo com a crítica ao ufc, eu quase não tenho mais saco para acompanhar. O muay thai na Tailândia eu considero que é mais ou menos o que seria o campeonato brasileiro de futebol, se todos os jogadores brasileiros jogassem por aqui. Competidores saídos de uma peneira com milhões de praticantes, que treinam desde a infância e praticam o esporte no mais alto nível.  Quanto à comparação com outros esportes de combate, o muay thai talvez seja o único que se desenvolve somente pela lógica esportiva. Somente os resultados dentro do ringue contam, e todo mundo que acompanha sabe analisar o que se passa no ringue. "Roubos" e controvérsias praticamente não existem. E muito disso se deve aos apostadores.

Mesmo que a cultura das apostas traga alguns prejuízos, é graças aos apostadores que não existem lutas mal casadas ou "roubalheiras" no muay thai. As apostas praticamente financiam o muay thai, e como os apostadores lá apostam 1 contra 1 e não contra uma "banca", ninguém seria louco de apostar o seu dinheiro em uma luta mal casada ou toleraria resultados controversos devido a juízes corruptos ou incompetentes. Simplesmente não existe a possibilidade de um promotor "proteger" um determinado lutador (como o ufc cansa de fazer) e evitar lutas difíceis ou casar defesas de cinturão contra desafiantes que não têm nenhuma chance. Isso porque esta prática iria contra o interesse do próprio promotor - ele aluga o Estádio e faz dinheiro com os ingressos. Se ele alienar o principal público, que são os apostadores, vai estar perdendo dinheiro. 

Porém, não vamos no enganar. O mundo inteiro está virado numa palhaçada, e o muay thai não é diferente. A principal atração do muay thai em 2017 foi a lutadora transex Nong Rose, que luta bem, mas demanda mais atenção por ser uma "ladyboy"  lutando de sutiã do que por qualquer outra coisa. A "money fight" do muay thai no ano foi Nong Rose vs. Kompayak, um cara que era campeão nos anos 1990 e estava aposentado há anos; Há uns dois anos atrás, uma das maiores atrações foi uma luta bizarra entre o campeão olímpico de boxe em Atlanta 1996, Somrak, vs. o velhinho Yodwanpadet, lutador da "era de ouro do muay thai" (anos 1980 e início dos 1990), com uma regra inexplicável na qual o Somrak só podia usar socos enquanto o adversário podia usar todo o arsenal do muay thai; Outra luta que pelo que eu li teve grande audiência na Tailândia foi uma briga de galo entre dois bombadões das redes sociais que estavam se ameaçando e foram autorizados a lutar no Lumpini; Também notei que durante este ano, às vezes, nos cards mais tradicionais (durante a semana), tinha lutas de peso pesado gordinho rolando e obviamente num nível muito baixo.

Além disso, tenho muito receio de anúncios recentes como o Lumpini abrindo cinturões para categorias de peso acima de 70/80 kg, o que vai resultar em lutas de péssimo nível no estádio mais famoso da Tailândia.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como exemplo do muay thai ser guiado estritamente pela lógica esportiva, compare Conor McGregor vs. José Aldo com Panpayak vs. Pet-U-Thong - um "desafiante" nocauteia um campeão no primeiro round, e o que acontece?

No MMA, o desafiante se apega àquele nocaute e nunca mais luta contra o ex-campeão; no muay thai, o nocaute rápido significa que eles vão lutar de novo, para ver se aquilo vai acontecer de novo ou se o ex-campeão vai se redimir - no caso, Panpayak teve uma vitória contundente contra o Pet-U-Thong na revanche. Não significa que o nocaute no primeiro round não valeu nada - o Pet-U-Thong inclusive selou o prêmio de lutador do ano de 2016 com o nocaute no Panpayak, escreveu o seu nome na história do muay thai; mas como é um esporte, a competição demanda que aconteça uma revanche.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 28/11/2017 at 8:50 PM, regular john disse:

Provavelmente o nocaute mais surpreendente do ano aconteceu hoje no Lumpini - Puenkon (vermelho) vs. Kompatak (azul)

 

Fiquei surpreso tb, baita nocaute. Puenkon ano passado venceu todo mundo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora