Scolfield

Membros
  • Content count

    1840
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About Scolfield

Recent Profile Visitors

14841 profile views
  1. Tyson turco é pra lá de exagero, né? Mas lembro dele no K-1 e era bom mesmo. Só acho que talvez seja tarde para brilhar no MMA, e que o octógono pode atrapalhar muito a vida dele, pois é bem diferente de um ringue. O Cro Cop já era veterano no Pride e nunca se encontrou depois que foi pro UFC.
  2. O UFC 214 acaba de ganhar um duelo de invictos. Foi confirmado nesta sexta-feira que o brasileiro Renato Moicano enfrentará o norte-americano Brian Ortega no evento que acontece dia 29 de julho, em Aneheim, na Califórnia. Com três vitórias no Ultimate, dez na carreira, Moicano vem de um bom desempenho contra o duro Jeremy Stephens no UFC Kansas, em abril. O norte-americano era considerado favorito, mas o brasileiro conseguiu imprimir bem sua estratégia e venceu por decisão dos juízes. O rival de Moicano também vem de uma boa vitória. Ortega nocauteou o veterano Clay Guida no terceiro round do UFC 199, em junho de 2016. O norte-americano já venceu brasileiros conhecidos do público, como Thiago Tavares e Diego Brandão. Seu cartel no UFC é de três vitórias e um No Contest, com onze vitórias na carreira. http://www.ufc.com.br/news/renato-moicano-brian-ortega-ufc214
  3. Empresário não descarta Belfort no Bellator: “Vitor x Wanderlei ou Sonnen nos interessa” Aos 40 anos de idade, Vitor está a apenas uma luta de ter seu contrato com o UFC encerrado, mas se engana quem pensa que esta será a última de sua carreira. De acordo com seu empresário, Gustavo Lacerda, o “Fenômeno” foi sondado para lutar em outros eventos após a luta contra Nate Marquardt, marcada para o dia 3 de junho, no Rio de Janeiro. Em entrevista ao podcast “MMA Ganhador”, que também contou com a participação do editor do PVT Marcelo Alonso, o manager revelou até planos para uma revanche entre Vitor Belfort e Wanderlei Silva, ou até mesmo um duelo contra Chael Sonnen, hoje atletas do Bellator. “O que acho que é possível imaginar é: o que o fã de MMA quer? Quer ver um Vitor x Wanderlei (Silva), quer ver um Vitor x (Chael) Sonnen. Quer ver lutas desse tipo. E é esse tipo de luta que nos interessa. O Vitor não precisa provar mais nada em relação a ranking ou título. A ideia é que sejam lutas que tenham interesse. Interesse do público e que despertem interesse ao lutador. Eu, particularmente, sou doido para ver Vitor x Wanderlei. É uma luta que eu pago para ver. Tem lutas que as pessoas querem ver, e são essas lutas que se tornam interessantes. Onde vai ser e como vai ser eu não posso dizer nada agora. Mas que elas devem acontecer, isso devem”, disse Lacerda. Confira abaixo outras declarações do empresário: O QUE ACONTECEU PARA O BELFORT MUDAR O TOM SOBRE APOSENTADORIA? A decisão sobre aposentadoria é exclusiva do atleta. O que posso dizer é que estamos vindo de um período que o Vitor estava desanimado para lutar. Estamos indo luta por luta. Tecnicamente e fisicamente o Vitor tem plenas condições de continuar lutando. Claro que ele tem a deficiência hormonal que todo mundo conhece… Mas acho que deu uma acendida na chama dele. Vamos luta por luta. Primeiro vamos pensar no confronto contra o Nate Marquardt e depois temos coisas boas mais à frente. É POSSÍVEL IMAGINAR O VITOR LUTANDO EM EVENTOS COMO BELLATOR OU O RIZIN, NO JAPÃO? O que acho que é possível imaginar é: o que o fã de MMA quer? Quer ver um Vitor x Wanderlei (Silva), quer ver um Vitor x (Chael) Sonnen. Quer ver lutas desse tipo. E é esse tipo de luta que nos interessa. O Vitor não precisa provar mais nada em relação a ranking ou título. A ideia é que sejam lutas que tenham interesse. Interesse do público e que despertem interesse ao lutador. Eu, particularmente, sou doido para ver Vitor x Wanderlei. É uma luta que eu pago para ver. Tem lutas que as pessoas querem ver, e são essas lutas que se tornam interessantes. Onde vai ser e como vai ser eu não posso dizer nada agora. Mas que elas devem acontecer, isso devem. VOCÊS JÁ RECEBERAM PROPOSTAS DE OUTROS EVENTOS? Durante o contrato com o UFC, todos os eventos sondam o Vitor. Até para saber quando vai terminar o contrato e tudo mais. O Vitor é um nome que alavanca o evento, então todos os eventos ficam sondando. Agora que estamos pensando nisso. COMO SE DEU O ACERTO PARA A LUTA ENTRE BELFORT E NATE MARQUARDT NO UFC RIO? Sempre foi nossa vontade lutar no Rio. Estava nessa questão de adversário para o Vitor. Ele enfrentou (Luke) Rockhold, (Dan) Henderson, (Chris) Weidman, (Dan) Henderson, (Ronaldo) Jacaré, (Gegard) Mousasi e Kelvin (Gastelum). Se vocês olharem esses nomes, todos são tops da categoria. Nunca escolhemos adversário. Eu passo o nome para ele e ele diz: “tá bom, vou lutar’. Esperamos por um adversário para o Rio e nada. Até que aconteceu de cair a luta do Anderson (Silva). O UFC ligou e nós falamos: estamos ok, lutamos com o Anderson, sem problemas”. É uma luta que todo mundo quer ver, quem não quer ver Anderson e Vitor 2? Eles foram negociando com o Anderson, mas aí não posso dizer o que acontece do outro lado. Depois ficamos sabendo que o Anderson não tinha interesse. Morreu essa história do Rio e já íamos lutar em Las Vegas, na International Fight Week, em julho. Já estávamos organizando camp, estava tudo fechado, era o Nate (Marquardt). Estavam entre o Nate e o Uriah (Hall). Caiu a luta, nos ligaram e perguntaram se queríamos ainda lutar no Rio. Vitor disse que queria lutar no Rio e daí foi. http://portaldovaletudo.uol.com.br/empresario-de-belfort-nao-descarta-futuro-no-bellator-vitor-x-wanderlei-ou-sonnen-nos-interessa/
  4. Uma pena mesmo não ter concorrente
  5. Uma pena ele não conseguir lutar entre os moscas, tinha tudo pra fazer boa luta contra o DJ Acho que nao se cria na de cima
  6. O peso leve Neto BJJ volta ao octógono neste domingo, em Estocolmo, Suécia, depois de pouco mais de 10 meses sem lutar devido a lesões na mão e no joelho. Originalmente, ele enfrentaria Mairbek Taisumov, que se lesionou e acabou substituído por Reza Madadi. Em bate-papo com o PVT, o treinador do brasileiro, André Dida, analisou o combate e mostrou muita confiança em relação ao pupilo, dono de nove vitória em nove lutas na carreira. “O jogo do Reza Madadi não casa, é uma luta muito boa para nós. A gente sabe exatamente o que ele gosta de fazer, que é derrubar e ficar por cima, além de jogar alguns cruzados, mas não é especialista na parte em pé. O que ele mais sabe fazer é provocar. Gás não é problema, tática não é problema e a gente vai trazer essa vitória para o Brasil. Duvido que esse cara aguente dois rounds contra o Neto. Vai ser bem difícil para ele. A gente está apostando em nocaute com joelhos ou finalização com guilhotina”, acredita. O líder da Evolução Thai lamenta apenas o fato de o adversário ter mudado, já que, para ele, uma vitória sobre Taisumov poderia valer mais que uma vitória sobre Madadi. “O Neto está pronto para este combate. A gente já vinha em um ritmo muito forte, até porque a gente estava se preparando para um atleta com mais nome, que oferece mais perigo, que a gente imaginava que trabalharia muitas entradas, mas há duas semanas entrou o Reza Madadi no lugar. O Neto é um atleta completo, é faixa-preta de jiu-jitsu, tem os fundamentos do wrestling e é muito bom na trocação. Apesar de ser um faixa-preta de alto nível, ele ainda não teve a oportunidade de mostrar tudo o que sabe no chão por estar desligando todos os seus adversários em pé”. Aos 28 anos de idade, Neto BJJ é oriundo do jiu-jitsu, modalidade que começou a praticar aos 15 anos, mas se descobriu um excelente striker depois que passou a treinar muay thai, dois anos depois. Hoje, cinco de suas nove vitórias são por nocautes, três por finalizações e apenas uma por decisão, o que lhe dá o status de atleta completo. “A gente tem planos para o Neto. Ele é jovem, tem uma cabeça muito boa, treina bastante, inclusive a gente tem que dar uma travada para ele não treinar além da conta, e independentemente de qualquer coisa, ele é um atleta completo. Quem bater 70kg e lutar contra o Neto BJJ vai se deparar com um atleta de alto nível. Ele tem tudo para deixar um legado no UFC”, projeta Dida. UFC Suécia Estocolmo Domingo, 28 de maio de 2017 CARD PRINCIPAL (a partir de 14h, horário de Brasília): Peso-meio-pesado: Alexander Gustafsson x Glover Teixeira Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Misha Cirkunov Peso-meio-médio: Peter Sobotta x Ben Saunders Peso-meio-médio: Abdul Razak Alhassan x Omari Akhmedov Peso-meio-médio: Oliver Enkamp x Nordine Taleb Peso-médio: Jack Hermansson x Alex Nicholson CARD PRELIMINAR (a partir de 11h, horário de Brasília): Peso-galo: Pedro Munhoz x Damian Stasiak Peso-médio: Trevor Smith x Chris Camozzi Peso-leve: Reza Madadi x Netto BJJ Peso-meio-médio: Nico Musoke x Bojan Velickovic Peso-meio-médio: Darren Till x Jessin Ayari Peso-leve: Marcin Held x Damir Hadzovic http://portaldovaletudo.uol.com.br/andre-dida-nao-ve-madadi-oferecendo-muitos-riscos-neto-bjj-duvido-esse-cara-aguentar-dois-rounds/
  7. Max Holloway promete aposentar José Aldo no UFC 212, que acontece daqui a nove dias, no Rio de Janeiro. Na coletiva de imprensa que aconteceu na Cidade Maravilhosa em abril, o havaiano já havia presenteado o adversário com uma bola de futebol, e voltou a provocá-lo nesta semana, em vídeo produzido pela organização do Ultimate. “Esse cara disse que após terminar de lutar ele quer jogar futebol. É por isso que eu lhe dei uma bola de futebol, essa será sua última luta”, afirma o campeão interino. “Eu vou lá, colocar tudo em meu escudo, entrar com minha espada e mostrar ao mundo o porquê sou o melhor no momento. Isto não é ser desaforado, isto é confiança”. Por sua vez, José Aldo prefere não dar corda para as provocações do rival. Para o campeão linear, as pendências serão resolvidas apenas quando o octógono fechar. “Quem fala por mim são minhas mãos, minhas pernas, essa é a maior resposta que eu dou sempre quando chego lá dentro”, avisou. “Ele mesmo se engana, ele mesmo está mentindo para ele, e eu vou passar por cima dele”.
  8. Também não aprovo a atitude dela, embora compreenda. Mas ela é uma atleta de elite, baita profissional, deveria se controlar mais
  9. Também acho. O Sterling vai ser um otimo teste pra ver se ainda pode voltar as cabeças
  10. Renan Barão está de volta ao peso-galo do Ultimate, conforme havia antecipado o Combate.com, em abril. E, em sua reestreia na divisão até 61kg, na qual foi campeão em 2012, o brasileiro irá enfrentar Aljamain Sterling, dia 29 de julho, em Anaheim, na Califórnia, pelo UFC 214. O duelo foi anunciado nesta quinta-feira pela organização. Depois de duas lutas - uma vitória discreta e uma derrota - no peso-pena, Renan Barão tentará reencontrar os bons tempos nos galos outra vez. Oriundo da Kimura/Nova União, o potiguar vem treinando nos Estados Unidos, para onde o seu mestre Jair Lourenço se mudou meses atrás. O último compromisso de Barão no Ultimate se deu na vitória por pontos contra Phillipe Nover, no UFC Brasília, em setembro de 2016. Uma das sensações do peso-galo, Aljamain Sterling enfileirou quatro adversários - até perder para Bryan Caraway e Raphael Assunção, ambos na decisão dividida dos jurados. "Funk Master", no entanto, se reabilitou na categoria ao bater Augusto Tanquinho nos pontos, em abril deste ano. UFC 214 29 de julho, em Anaheim (EUA) CARD DO EVENTO (até o momento): Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Jon Jones Peso-pena: Cris Cyborg x Adversária a ser anunciada Peso-galo: Renan Barão x Aljamain Sterling Peso-pena: Ricardo Lamas x Chan Sung Jung Peso-pena: Doo Ho Choi x Andre Fili Peso-leve: Sage Northcutt x Claudio Puelles peso-palha: Kailin Curran x Aleksandra Albu Peso-leve: Josh Burkman x Drew Dober Peso-mosca: Jarred Brooks x Eric Shelton Peso-pesado: Dmitri Smoliakov x Adam Wieczorec http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2017/05/de-volta-ao-peso-galo-renan-barao-enfrenta-aljamain-sterling-em-julho.html
  11. Tambem acho que estragaram a categoria, e esse hype em cima do Diaz é exemplo disso. Nunca foi top 5, mas é um potencial enorme de vendas depois das lutas com Mcgregor
  12. Se o cara ganhar 75 milhões numa luta de Boxe, pra que voltar ao UFC. Imagina se ele vence!!! A bolsa ficaria astronomica. E mesmo se perder, q é o mais provavel, vai ter uma visibilidade tão grande que teria que aumentar ainda mais sua bolsa no UFC. me parece mesmo um caminho sem volta
  13. Na semana passada o PVT publicou um vídeo no qual o ex-chute boxer Sergio Cunha relembra com detalhes o início da rivalidade entre praticantes de muay thai e capoeira no início da década de 90 em Curitiba. Em seu relato, ele aponta que Pelé Landi foi “depenado” por cerca de 30 bombeiros capoeiristas e teve até seus dreadlocks retirados durante a agressão. Em um vídeo enviado ao PVT, Pelé Landi deu sua versão da história e desmentiu alguns fatos. “Estou meio chateado com o lance de ‘depenaram o Pelé’, como se o Pelé fosse uma galinha fujona. Tudo o que eu sempre fiz foi em pró e amor ao esporte. Sempre procurei fazer minha história com muito amor para que ficasse um rosa nas artes marciais”, relatou. “Não me tiraram nenhuma trança. O que aconteceu é que cheguei na praça e tinha um caminhãozinho com cerca de oito pessoas, comecei a intimar todo mundo, mas todo mundo amarelou”. Ainda segundo Pelé, as vias de fato dele com o bando da capoeira aconteceu somente duas semanas depois. “Teve uma etapa do campeonato brasileiro de skate e eu era um dos seguranças. Começou a chegar um, dois, três, quatro caminhões de bombeiros… Eles avisaram à organização que iam me pegar. Começou a confusão, saí correndo, entrei no restaurante achando que eles iam parar… Eram 40, mas quem participou mesmo foram de 12 a 18 pessoas. Tomei logo uma cadeirada na cabeça, ficaram me chutando, fiquei acordando e desmaiando e fui parar no hospital”, garante. A história não terminou nesse episódio. De acordo com Pelé, dias depois ele voltou a ser vítima dos desafetos. “Eu estava numa canoa namorando e alguém jogou um paralelepípedo que acertou na minha cabeça. Barulho de computador quebrado, eu não sabia o que estava acontecendo, e aquele barulho de cachoeira, que era o meu sangue. O Nilson (Castro) viu e me levou para o hospital. Chegando lá, o médico quis arrancar uma trança minha para dar ponto, e eu não deixei ele tirar a trança. Por isso que eu digo que não arrancaram nenhuma trança minha. Fiquei até indignado com o ‘depenaram o Pelé’”. Outra reclamação de Pelé Landi é a respeito do vídeo no qual Sergio Cunha e Bebeo Duarte relembram os bastidores da rivalidade entre Brazilian Top Team e Chute Boxe durante o auge do extinto Pride. “Eu fiquei chateado com o Cunha, porque nas vezes em que ele se refere ao Pelé, esse grande lutador José Pelé Landi, que tanto honrou Curitiba e as artes marciais, ser entregue à boca dos leões. Cada vez que ele se manifestava sobre a parte ruim do Pelé, ele penetrava os olhos do Bebeo como se fosse servi-lo, e o Bebeo se delicia com isso. Se o Cunha virou carioca, tudo bem, mas tirar de mim, que sou um samurai honroso… Eu sou pica, sou foda, sou linha de frente, e é assim que vai ficar na história. Neguinho pode fazer politicagem para eu não lutar… Tudo bem, vocês têm o direito! Mas tirar a história que o Pelé fez, ninguém vai conseguir tirar. Isso foi feito com lamas de sangue, litros e litros de suor e um espírito imortal”, desabafou. “Fico até chateado porque tenho uma amizade tão grande com ele, com família dele, e ele usando o nome do guerreiro em forma de deboche. O nome do Pelé tem que ser respeitado. Quando você fala, você fala como se tivesse falando com um mestre. Quem não conhece a história, procure conhecer. Quem sabe um dia eu posso fazer um livro, um filme, porque na história o traído mesmo fui eu. Eu que me doei tanto, e depois que começaram a rolar as cifras milionárias houve a exclusão do Pelé”.