Lucão,

Membros
  • Total de itens

    49
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Lucão,

  1. GSP garante que irá defender cinturão do UFC, caso derrote Michael Bisping Canadense declara que há uma cláusula em seu contrato, que o obriga a lutar pelo posto de campeão do peso-médio, se destronar o inglês, no UFC 217, em novembro Por Combate.comLas Vegas, EUA FACEBOOK TWITTER St-Pierre vai lutar contra Michael Bisping e poderá entrar no hall dos campeões do UFC em duas categorias (Foto: Evelyn Rodrigues) Após um hiato de quatro anos, Georges St-Pierre voltará ao octógono no UFC 217, no Madison Square Garden, em Nova York, dia 4 de novembro, desafiando Michael Bisping, dono do cinturão do peso-médio. A novidade, porém, é que o canadense - por força contratual -, terá de defender o título, caso destrone o adversário. - Tenho que defender o meu título. Está escrito no meu contrato. Eu tenho que defender meu cinturão se eu vencer - destacou ao podcast "The MMA Hour". St-Pierre afirma que a cláusula é para evitar que ele desça para o peso-meio-médio - divisão que dominou antes de pausar sua carreira -, e deixe vago o cinturão dos médios. - Não era o meu plano inicial, mas entendo o ponto de vista do UFC. Eles querem proteger seus cinturões. Eles não querem atrasar as defesas de título, não querem que as pessoas fiquem esperando - declarou o veterano, que se juntará a Randy Couture, BJ Penn e McGregor, caso seja campeão em outra categoria. Se conquistar o cinturão, GSP deverá tentar unificar os títulos contra Robert Whittaker, campeão interino da divisão. O atleta da Tristar Gym, no entanto, fala com cautela desta possibilidade. - Você nunca vai saber com antecedência. Se seguirmos a lógica, é isso que o UFC me disse. É para isso que eles me contrataram. UFC 217 4 de novembro, em Nova York (EUA) CARD DO EVENTO (até o momento): Peso-médio: Michael Bisping x Georges St-Pierre Peso-galo: Cody Garbrandt x T.J. Dillashaw * Peso-palha: Joanna Jedrzejczyk x Rose Namajunas Peso-médio: Paulo Borrachinha x Johny Hendricks Peso-meio-pesado: Gadzhimurad Antigulov x Ion Cutelaba Peso-pesado: Curtis Blaydes x Alexey Oliynyk
  2. Essa luta do Wand x Cro cop, o Wanderlei comentou alguns anos depois da luta que foi a unica ocasião até então que ele realmente pensou que iria morrer. Sinistro de mais. OBS: não tenho fontes dessa declaração, eu me lembro de ter visto um cara aqui do Fórum comentando.
  3. Jon Jones ergue a bandeira branca e diz querer fazer as pazes com Cormier Campeão dos meio-pesados do UFC revela incômodo ao ver o arquirrival chorar após a derrota no UFC 214 e acredita que possam se aproximar, como Tyson e Holyfield Por Combate.comAlbuquerque, EUA FACEBOOK TWITTER Em entrevista ao programa "Sway In The Morning", nos EUA, Jon Jones levantou a bandeira da paz para Daniel Cormier. O campeão dos pesos-meio-pesados do UFC revelou seu desejo de que ele o arquirrival fizessem as pazes após anos de rivalidade intensa, e se unissem não só pelo esporte, como também para levar um ao outro sempre para cima. Jones também ressaltou a importância dos lutadores negros não mostrarem raiva um do outro. Jon Jones disse achar triste que dois atletas negros mostrem raiva um pelo outro (Foto: Evelyn Rodrigues) - Eu gostaria que nos déssemos bem. Especialmente por ser negro, e não haver tantos negros assim no MMA. Acho triste quando ficamos tentando nos agredir. Deveríamos nos desafiar, nos apoiar, e levar um ao outro cada vez mais para cima. Queria poder chegar a um ponto em que pudéssemos torcer um pelo outro, participar de eventos beneficentes, dar entrevistas juntos e falar da nossa rivalidade, como Mike Tyson e Evander Holyfield fizeram anos após lutarem, relembrando suas batalhas. Eu adoraria fazer algo assim com Cormier. Acho que as pessoas gostariam de nos ver dessa forma. Jones, que após a luta principal do UFC 214, foi até Cormier er lhe deu um beijo na cabeça, disse ter sido duro ver o ex-campeão chorando copiosamente no octógono. Para ele, a pressão pela vitória no MMA é imensa, por se tratar de um esporte individual, ao contrário do basquete ou do futebol, nos quais os atletas sempre podem dividir a responsabilidade pelos insucessos. - Foi muito duro vê-lo chorar, porque ele é um grande embaixador do nosso esporte. Acho que, em esportes individuais como o MMA ou o boxe, é comum ver homens feitos chorando, porque a pressão pelo sucesso está toda sobre os seus ombros, diferente do basquete ou do futebol, que são esportes nos quais você pode culpar mais gente pelas derrotas. Você pode dizer que deu tudo de si, mas o time não estava bem naquele dia. No MMA, quem está lá é apenas você, e é você quem perde. Quando falam do seu legado, não falam da sua equipe, só de você, para sempre. A forma como as pessoas se engajam nesse esporte é linda, porque mostra o que ele significa para todos eles.
  4. Oque contradiz que foi equilibrado.... hahaha
  5. 4 rs. O Thomas perdeu para o atual campeão e outra para um TOP5 da categoria que vem embalado por 5 vitorias. Ainda tem uma estrada longa, mas ainda sim não descarto a possibilidade de ficar igual ao fenômeno.
  6. Tambem acredito que o Thominhas ainda não tenha atingido o potencial máximo, mas ainda sim tem que tomar cuidado por que se não fica igual ao fenômeno capixaba. Vai ficar para sempre no "quase".
  7. Sem contar que o Thominhas ainda pode sim se reencontrar e fazer muito estrago.
  8. Acredito que Aldo está desmotivado desde muito antes, devido a falta de respeito do UFC com ele. Quando o mesmo queria subir e pegar o campeão (Pettis), e não deixaram.
  9. Muito plantando, sei não. Ultimamente estou vários comentários referente a isso, mas na sua penultima luta, contra o Edgar, ele se movimentou muito bem. Saia batendo, movimentando a cabeça e contra golpeando.
  10. Muito boa essa postura do Aldo, que volte logo e volte bem.
  11. Um lutador que foi monstro na derrota, Rafael dos Anjos, que perdeu e mandou a letra. "Ele venceu o meu melhor, o melhor Rafael dos Anjos". Sem mimimi sem palavras ao vento.
  12. Interpretei mal. Concordo com voce, dessa lista DC não é maior que nenhum.
  13. Mas na época em que o Jones pegou esses lutadores a maioria ainda estava nas cabeças. Um exemplo Lyoto que disputou a cinta e perdeu. Depois desceu enfileirou alguns negos e ainda disputa a cinta.