Lucão,

Membros
  • Total de itens

    136
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Lucão,

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Lucão,

    DONALD CERRONE vs MIKE PERRY Luta Completa

    Cerrone é zika, não escolhe adversário nunca.
  2. Lucão,

    Yair Rodrigues x Chan Sung Jung - luta completa

    Aquela do Anderson, acho que foi bem diferente. Venho de baixo pra cima, frontal.
  3. Lucão,

    Alvarez assina com ONE FC

    Se é mo mala hein
  4. Lucão,

    Futuro da divisão peso leve

    Edson barboza mudou de categoria?
  5. Foge um pouco do assunto do tópico, mas são coisas como essa que mostra quão grande é o Aldo que aguentou/ suportou a pressão durante 10 anos invicto (se eu não estiver enganado) e alguns como o rei da categoria.
  6. Honra ao mérito! Mostro que tem seus valores.
  7. Lucão,

    Jon Jones x Gustafsson

    Ele sofreu uma lesão seria nas costas.
  8. Lucão,

    Evan Dunham anuncia aposentadoria

    Guerreiro!!!
  9. So lembro dele sendo nocauteado pelo Thiago silva kkkkk
  10. Sei que já tem um post com o mesmo contexto, mas esta ai a entrevista completa. Achei bem bacana o posicionamento do Aldo quanto ao final da sua carreira, que feche com chave de ouro.
  11. Aldo diz que pode lutar no card de Toronto e cogita super luta no peso-leve Ex-campeão tem Brian Ortega como alvo, mas não descarta subir de categoria caso apareça a oportunidade Por Ana Hissa e Raphael Marinho, Rio de Janeiro 10/08/2018 08h00 Atualizado há 1 hora José Aldo deixou claro desde antes de seu confronto contra Jeremy Stephens, dia 28 de julho, que gostaria de cumprir as lutas restantes de seu contrato com o Ultimate o mais rápido possível. Com o nocaute no americano no primeiro assalto, o brasileiro pretende fazer seu próximo compromisso - dos três restantes - o mais rápido possível e disse ter ouvido de Dana White que o plano é que ele seja escalado no UFC 231, 8 de dezembro, em Toronto (CAN). - A gente já está pedindo, quero lutar até o fim do ano mais uma vez. Ano que vem faço mais duas e vamos ver o que vai acontecer. O Dana falou que eu talvez lute 8 de dezembro, no Canadá. Até bom porque lá é só 15% das taxas e isso ajuda bastante - afirmou, em entrevista ao Combate.com. José Aldo não descarta a possibilidade de lutar no peso-leve em um futuro próximo (Foto: Raphael Marinho) A mira de José Aldo está apontada para Brian Ortega, número 1 do ranking no peso-pena (até 66kg), uma posição acima da sua. Entretanto, caso não seja possível, já que o americano é o desafiante natural ao cinturão linear caso Max Holloway retorne ao MMA sem a necessidade de criação de um cinturão interino, o atleta da Nova União não descarta duelos contra Renato Moicano, quarto da categoria, ou uma super luta entre os leves. Confira a entrevista completa por tópicos: CHORO PÓS-LUTA - Foi um acúmulo de emoção. A gente vinha passando por uma fase que não era muito boa, vinha de duas derrotas, tinha pressão de vencer, mas não por mim, mais pelos amigos, pela família e pela minha filha, que tinha peso fundamental. Eu queria que ela visse, porque quando ganhei do Frankie Edgar ela era muito pequena, não tinha muita noção, hoje em dia ela tem, fala com os amigos, então acho que foi muito mais pressão por eles do que por mim mesmo. TIROU PESO DAS COSTAS? - Um peso não, mil pesos. Peso qualquer um carrega. O peso estava grande, a pressão também, não só nossa, mas dos fãs, da mídia, muita gente falando para eu me aposentar, que eu não era mais o mesmo, então pude mostrar que a gente ainda está na ativa e tem muita coisa ainda para fazer. ESTRATÉGIA CONTRA STEPHENS - O plano era ficar bem longe dele, fugir um pouco das mãos, porque ele tem mão pesada. E tentar dar uns botes na perna, colocar a luta no solo, assim desgastar os braços dele para, quando voltasse em pé, a gente ficar mais a vontade. Principal meta era tentar me controlar um pouco e não partir para a troca franca porque assim dava chance para ele também, a luta ficava 50-50. Logo no começo fiz a estratégia bem, dando chutes, fintas, até que ele me encurralou na grade e só tive que ir para cima o tempo todo José Aldo nocauteou Jeremy Stephens no primeiro round no UFC Calgary (Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images) PRESSÃO DE STEPHENS ANTES DE NOCAUTEAR - Acho que fui passar por baixo do braço dele, bati na grade. Ali ele abriu uma sequência e na minha cabeça ninguém explode mais do que 20 segundos. Estava esperando, bem na hora que fui tentar olhar, ele me acertou um bom upper. Ali senti o golpe, pegou no queixo, mas pensei: "Ah, agora não tem como, agora vou partir pra cima, me abrir mais". Fui para cima e falei: "Agora um dos dois vai cair". A estratégia fugiu totalmente, foi mais no coração, mas consegui conectar bons golpes e pude acabar a luta. REAÇÃO PARA O NOCAUTE - Aquele momento era o certo porque ele teve a explosão dele, precisava dar um giro para recuperar o fôlego e não deixei ele respirar. Sabia que ele estava ofegante pelo olhar e pela respiração dele. TROCAÇÃO FRANCA CONTRA STEPHENS - Foi coração de lutador. Quando o lutador é pressionado, se ele tiver um meio para escapar, vai partir para a troca franca. Não foi fugir da estratégia, foi o fato de o meu coração falar isso. Até antes todo mundo conversou comigo sobre isso, se ele chegasse mais, como eu ia reagir. Não tem como, minha reação é essa, toda vez que alguém tenta me encurralar eu vou para cima. E é sorte um pouco, loteria, porque qualquer um dos dois podia tomar um golpe. CHUTES NAS PERNAS - Chutei bastante, as pernas funcionaram bastante. minha esquerdinha está mais ativa, dei um frontalzinho, um "passa pé", acho que dei uns três ou quatro chutes se não me engano, mas uma coisa é o atleta vir te pressionando e você chutar, você se abre muito. Eu tinha que obrigá-lo a andar para trás e assim eu combinar e chutar, mas acho que tive bons chutes e foi bem do jeito que eu imaginava a luta. TREINO DO GOLPE NA LINHA DE CINTURA - Geralmente é aquilo que a gente faz no treino. A gente treina bastante. Eu, por exemplo, treino a posição mil vezes até memorizar, repito exaustivamente. Ali foi mérito do Dedé, ele pediu linha de cintura, ele fazia isso na academia, toda vez que alguém me abafava na academia, ele pedia para bater na barriga. Ele pediu, eu lembrei e pude conectar um bom golpe. COMEMORAÇÃO DA VITÓRIA NO OCTÓGONO - Foi o combo completo. A gente saiu do octógono, pulou, invadiu, foi uma emoção muito grande, nós sabíamos que era uma pressão muito grande, mas foi tranquilo, UFC não teve problema nenhum com isso. Comemoração de José Aldo foi inspirada em jogo de vídeo game (Foto: Jeff Bottari/Getty Images) INSPIRAÇÃO NOS GAMES - Sou viciado nos jogos, desde criança tenho vício de video game e pude fazer pelo fato de que sempre estou jogando. Tentei imitar. Tinha outra coisa pra fazer, mas na hora veio essa. Vou guardar para as próximas com certeza. LUTA QUE MAIS SE EMOCIONOU? - Acho que não. Tem dois pesos diferentes. O título é uma alegria, você realiza um sonho. Você sempre sonha e almeja chegar no título. Quando consegue, você fica emocionado por todo o caminho até aquele dia. Esse peso pode ser maior porque é um desafio a mais, tanto da minha pessoa, como de todo mundo da academia. A academia está de volta no cenário e para mim é a melhor. Esse peso é bem diferente e melhor. VITÓRIA POR NOCAUTE APÓS CINCO ANOS - P***... Coisa linda né? Meu Deus do céu. Estava esperando por isso faz tempo, a gente vinha fazendo lutas bastante difíceis pelo fato de que quando você é o campeão, você vira um alvo, é bem estudado, mas fiz tudo aquilo que eu queria. PRESENTE PARA A FILHA JOANA, DE SEIS ANOS - Logo depois da luta a gente fez um vídeo com ela, ela pulando e gritando que o papai ganhou. Felicidade muito grande, queria dar de presente para ela porque no outro dia era aniversário dela e a gente pôde vencer e dar esse presente especial. CINTURÃO INTERINO POSSÍVEL DUELO COM RENATO MOICANO - Quero lutar com os melhores. Se ele for o próximo, não vejo problema nenhum. Ele vai procurar defender o dele, eu o meu, não vejo problema nenhum. Pode colocar um e até dois no mesmo dia que a gente enfrenta MOICANO X SWANSON - Foi boa a luta, o Swanson vem decaindo, vem de derrotas então não me surpreendeu não. Resultado mais justo era esse mesmo. ORTEGA NA MIRA - Ortega hoje em dia é o principal, furou a fila vencendo o Edgar e, se o Ortega aceita o interino, seria Ortega x Stephens, mas Ortega não aceitou, eu pude vencê-lo, então pode ter certeza de que a próxima luta pelo título, sem o Holloway, sou eu e Ortega. SUPER LUTA NOS LEVES - A gente não sabe a situação do Holloway ainda, estamos esperando para saber se o Holloway vai lutar ou não. Mas ele não lutando ou lutando, vamos sim buscar uma luta no peso de cima o mais rápido possível. Acho que pode acontecer. ALVOS NA DIVISÃO DE CIMA - Todo mundo. Até peso-pesado quero enfrentar. Queria o Brock Lesnar, mas o Cormier já desafiou ele. Vamos ver (risos). RELAÇÃO COM KHABIB NURMAGOMEDOV E JOANNA JEDRZEJCZYK - O Khabib já tinha, não uma relação mais próxima, mas pelos fãs russos, fui na Rússia, recebi carinho muito grande e sabia do carinho dele e do povo russo. Já esperava por isso. Joanna já vinha falando há muito tempo pela internet sobre título, pelo fato de eu e ela termos duas revanches pelo título e perdemos. Trocamos bastante ideia sobre isso, pude falar com ela pessoalmente, é uma pessoa fantástica. Ela tem o teatro que faz na luta, mas é muito mais para crescer a luta do que qualquer outra coisa. É uma grande campeã. O Khabib não sei qual foi, não sei porque o povo russo me adora muito. Quando venci, ele foi lá falar comigo, me cumprimentar, e vi quão grande ele é. José Aldo posou para foto com Joanna Jedrzejczyk depois de sua vitória (Foto: Evelyn Rodrigues) TORCIDA PARA KHABIB CONTRA MCGREGOR - Khabib, não pelo fato de ter nada contra o Conor, porque foi a melhor luta que já fiz financeiramente, me deu bastante dinheiro. Mas Khabib pela pessoa que ele é, pelo carinho que tenho pelos russos, então torço para o Khabib. Independentemente de ser contra o Conor. Não sendo contra brasileiro, sempre torço para o Khabib. PREVISÃO DE KHABIB X MCGREGOR - Khabib vai jogar agarrado, não tem como. Não é que eu ache não, é que não tem outra coisa. Ele é um wrestler que agarra o tempo todo, pode ser o melhor ou pior da trocação que ele sempre vai se manter agarrado o tempo todo.
  12. Marreta mira vaga no UFC 230 e revela bate-papo com adversário durante a luta Evento do dia 3 de novembro tem quatro lutas do peso-médio, e brasileiro se coloca à disposição para substituir atletas do card de Nova York, caso haja necessidade Por Camilo Pinheiro Machado, Evelyn Rodrigues e Marcelo Barone, Direto de Los Angeles, EUA 06/08/2018 08h19 Atualizado há 11 horas Thiago Marreta tinha acabado de vencer Kevin Holland no UFC 227, neste sábado, e já estava com a cabeça em sua próxima luta. Com a mira apontada para o dia 3 de novembro, no UFC 230, o brasileiro se colocou à disposição para substituir qualquer lutador do peso-médio (até 84kg) que precise ser retirado do card de Nova York. Até o momento, quatro lutas importantes da divisão estão marcadas para a data: Chris Weidman x Luke Rockhold, Ronaldo Jacaré x David Branch, Yoel Romero x Paulo Borrachinha e Derek Brunson x Israel Adesanya. O atleta da Tatá Fight Team (TFT) ainda revelou que pretende subir para os meio-pesados (até 93kg) no futuro. - A gente já vem pensando em subir para os meio-pesados, mas têm alguns caras no peso-médio que quero enfrentar e alguns deles vão estar lutando dia 3 de novembro. Quero uma oportunidade de estar lá lutando contra algum deles. Quero lutar mais uma vez esse ano, vou continuar com o peso baixo, treinando, na mesma categoria ainda. Penso em subir, mas acho que ainda não é a hora. Tem alguns caras que quero enfrentar. Em novembro é uma grande oportunidade para isso, vão lutar caras tops, muitos que sempre têm algum problema. Não tive nenhuma lesão grave, estou com dores normais, vou dar uma pausa de uns dias, voltar a treinar, manter a dieta e dizer ao UFC que estou pronto para, se surgir a oportunidade, lutar neste card - afirmou. Thiago Marreta quer lutar no UFC 230, dia 3 de novembro (Foto: Getty Images) Marreta aceitou o combate contra Holland poucos dias antes do UFC 227 e sofreu para cortar o peso, como mostrou o Combate.com. O resultado disso foi um cansado que, segundo o lutador, foi o maior que já sentiu dentro do octógono. - Realmente, acho que a minha maior luta foi o corte de peso. A luta começou neste corte de peso e se estendeu até dentro do cage. Tanto que, quando terminou o primeiro round, já fiz três rounds no UFC e nunca me senti tão cansado. Quando terminou o primeiro, me senti bem cansado. Foi uma oportunidade de mostrar coração, foi na raça, oportunidade de mostrar um pouco do meu MMA. Pude mostrar um pouco do meu wrestling e jiu-jítsu, o menino vendeu caro a luta e engrandeceu a minha vitória. Sobre Kevin Holland, que fez sua estreia no Ultimate e chamou a atenção por falar com Marreta o tempo todo durante o confronto, o brasileiro teceu elogios. - Ele mostrou potencial, personalidade, estava feliz em estar ali, sorrindo, falando, mas em nenhum momento foi desrespeitoso. No meio da luta ele estava agradecendo a oportunidade. Eu na guarda, por cima, batendo nele, tinha hora que parava e ele falava: "Obrigado, irmão. Obrigado pela oportunidade". Sabia que ele era assim, vi as lutas dele. Vi que estava feliz de lutar comigo, como se fosse um fã meu. Eu também entrei no clima e agradeci, conversamos durante a luta, eu agradeci também: "Grande luta, você é um cara muito duro". No fim, falei para ele: "Você é novo, tem um longo caminho pela frente, é muito duro". Foi uma grande luta que pude mostrar minha evoluçlão em outras áreas. Foi uma superação, estava bem cansado nesta luta, minhas pancadas não estavam como realmente são. Senti que bati forte, mas que consigo bater mais forte que aquilo - concluiu. UFC 230 3 de novembro de 2018, em Nova York (EUA) CARD DO EVENTO (até o momento): Peso-leve: Nate Diaz x Dustin Poirier Peso-médio: Chris Weidman x Luke Rockhold Peso-médio: Ronaldo Jacaré x David Branch Peso-médio: Yoel Romero x Paulo Borrachinha Peso-médio: Derek Brunson x Israel Adesanya Peso-meio-médio: Lyman Good x Sultan Aliev
  13. Sempre na torcida, máximo respeito.
  14. Grandes chances de vitoria se lutar de novo contra o gordinho
  15. Fez boas lutas, ate mesmo contra alguns top´s como a luta dele contra o John fitch. Que se renove e quem sabe ele não coloque o plan da carreira nos trilhos