Luiz Melo

Membros
  • Content Count

    983
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About Luiz Melo

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Só que os outros são brutos e tem punch. Ele n tem boa envergadura nem punch. Sem contar que se trata de caras bem fortes e mais parrudos - o que faz com seja ocupado mais lugar no espaço e pouca envergadura seja compensada. Por ex: os 1.77 do Khabib n encontraram problema algum pra encarar os 1.86 do Conor.
  2. Acredito que a coisa continuaria complicada pq dificilmente se ganha algo de músculo consolidado em 6 ou 8 meses de preparação. É muito pouco tempo pra uma diferença significativa. Por outro lado, temos outros caras que tbm n contaram com um preparo mais bem programado e ainda assim se saíram muitíssimo bem: Whitaker, Conor, " Cormier", Marreta, Gastelum. Acho que o problema se encontra parricularmente no Holloway: ele é bem esguio e tem uma relação altura/envergadura que juntos explicam a ausência de punch bruto mesmo nos penas. Acredito que o biotipo dele seja o menos indicado pra esse tipo de empreitada : envergadura de T-Rex, pouco punch e baixa muscularidade. Ngm da nata nos leves pode se dar ao luxo de n ter punch algum. Veja o fim do Pettis. Ainda mais, n ter punch, n ser explosivo e ter das piores envergaduras da divisão. Podemos fazer um paralelo com o Ferguson, q n é nenhum pegador, tem alguma semelhança no jogo ( volume - gás ) mas que tem bizarros 1.94 de envergadura; enquanto o Max tem 1.75. Essa diferença altera completamente a dinâmica da luta em pé, o controle de distância e etc. Os lutadores citados - que subiram e se deram bem - , todos tem boa envergadura, ou são fortes fisicamente - alguns t rex, mas atarracados e de muito punch como Cormier e Gastelum. Acho que a subida calha pra esse tipo de atleta. Caras como Thompson, Till e Max sofreriam demais caso subíssem. É necessário um quê de brutalidade pra se impor. Quem n tem isso como traço do jogo, mesmo que minimamente, n pode subir jamais.
  3. Luiz Melo

    [UFC 236] Kelvin Gastelum x Israel Adesanya - Luta Completa

    Eu vejo dessa forma tbm. N que o Anderson n tenha sido foda. Mas acredito que ele tenha feito parecer mais do q era de fato. Firula engana bastante. Transmite uma falsa ideia de domínio e controle. Tanto que as pessoas juram que o Weidman estava perdido na primeira luta mesmo n tendo recebido um único bom soco ao mesmo tempo em que encaixou vários duríssimos. Por isso que tento limpar a firula e o desfecho e olhar a técnica. Essa n engana. A pessoa pode ter sido bem sucedida por uma felicidade extrema, mesmo sendo menos técnica q outra. O circunstancial tbm conta. Até o Charles ja teve seu lance genial em pé. Rodriguez e etc. No caso do Anderson, qd era pra ele arrasar, pintar e bordar, lutando com grapplers medianos pra ruins em pé, exatamente pq a firula n colou e o grande momento n apareceu, ele n teve grandes performances nem arrasou. Vejo o Anderson como um cara com muitas firulas, com certa carência, ciente das carências, mas com um senso de opurtinidade foda pra capitalizar o momento chave. Falo em senso de oportunidade e n em time pq, pra mim, o time é regular, aparece sempre, n depende de firula pra acontecer. O contragolpe do Conor sempre aparece- n em um caso de sucesso máximo - q é, ao meu ver, uma forma equivocada de medir destreza. A iniciativa do golpe está sempre lá e é isso aue importa. N precisa fazer mil danças pra encontrar esse momento. Tbm n aparece só pra acabar com a luta com um único golpe. Mesmo perdendo o time está lá. As duas lutas com o Diaz deram maior dimensão de seu talento do q todas as outras em que venceu rápido nos penas. Sinceramente, eu desconfio da superioridade- nos níveis em que pintam - de quem que pauta muito em firulas e depende de momento chave. Rory n precisou disso pra tirar vários pra nada. Mousassi n precisou. Woodley. TJ , Lawler, Aldo, RDA , Barão, Conor, AJ, Jones, Miocic, Cornier, Cigano, Velasquez Gaethje, MJ, Max, Thompson, Masvidal: Os caras simplesmente construem vitórias lutando, sendo efetivos e regulares no combate, e n por terem capitalizado um momento ou por tentarem induzir a todo custo o adversário a uma situação pra só assim vencer. Eles vão lá e constantemente acertam- e apanham tbm. O " jogo das circunstâncias "é meritório, é inteligente, mas tbm enxergo como revelador de " uma n superioridade." É como se na ausência dessas situações n existisse algo sólido por trás... n sei... N vi uma luta em que o Anderson venceu alguém como o Moussi venceu o Rory. Pra mim isso diz muito. No último sábado Poirier foi lá e venceu na moral, acertando incontáveis socos, se dispondo a lutar. Apanhando e batendo. É nessa superioridade que acredito. Essas de circunstâncias eu sou negador mesmo. Sou desconfiado com esse jogo aí. Isso Vale pra o Michael Page e pra Anderson. Pra o Lyoto tbm. Apesar de o achar maos técnico e regular q o Aranha.
  4. Luiz Melo

    [UFC 236] Kelvin Gastelum x Israel Adesanya - Luta Completa

    Td bem. Td certinho ? Obrigado pela paciência e educação de sempre. São visões contrastantes, realmente. Eu vejo da seguinte maneira : acredito que golpes fulminantes podem trazer a falsa impressão de perícia e técnica em algum fundamento. O feeling, timing e o senso de oportunidade ficam, mas n necessariamente aquilo corresponde à excelência técnica . Pq digo isso ? Pq acredito que a técnica dominada de fato aparece numa constância maior, é algo regular e n factual. Independe do desfecho pra ser destacável. E o q venho batendo na tecla é que o timing do Anderson pra socar e o talento pra contragolpear nunca foi regular e constante. A gente consegue perceber isso revendo as lutas uma a uma e comparando com outros caras. Temos parâmetro hoje em dia. O Conor, que mesmo perdendo rebate tudo que do adversário lança. Em qualquer contexto ele responde. Jab na linha de cintura, diretos, cruzados. Tudo. E nem to me referindo aos casos mais famosos. Entra na conta até os q n foram conectados de fato. Quero destacar a iniciativa de contragolpear. Por conta de 3 resultados felizes do Anderson, há quem aproxime os dois em matéria de precisão e timing com as mãos. Mas sinceramente, n da pra comparar. Um abismo separa os dois. Thompson tbm é um senhor contragolpeador além de bem ofensivo - com as duas mãos inclusive. Combos excelentes. Aparece na lateral do adversário como um fantasma. Os contragolpes sempre estão lá Podemos citar o Adesanya q respondeu inúmeros ataques do Gastelum. O próprio Aldo que tem um direto de resposta excelente. Ou mesmo o Lyoto. Veja quantos diretos o Adesanya conectou no Gastelum. Quantos tentou. Agora pega as lutas do Anderson. Sempre socou muito muito pouco. O Aranha era um mix paradoxal de comedimento e ousadia extrema. Fazia coisas perigosíssimas e genais enquanto se recusava a tentar dois socos em sequência - tentava pouquíssimos socos mesmo contra Demian, Coté e Thales - respeitava n strikers. Nessas últimas lutas ele até mandou uns 2 ou 3 socos perseguindo o adversário, meio que ao estilo werdum. Eu Sempre tive a impressão de q sua mão de trás era lenta e que ele sabia diss, daí o comedimento e o pouco uso. Prudência e conhecimento das limitações. Inteligente. E finalmente : Sei que existem "estilos" e "estilos." Certo. Mas a comparação é necessária: Pegue as lutas e veja que ele acerta um único " ao estilo Conor " movendo a cabeça e respondendo imediatamente.( A sacada do Anderson contra o Grifin foi genial, mas n tenho dúvidas de que o grau de dificuldades daquelas respostas do irlandês é muito maior - menos estético talvez, mas de uma perícia absurda ) . Pra gente ver que é algo extremamente difícil de se aplicar e q só ele domina, em vários momentos o Gastelum moveu a cabeça no tempo certo e faltou " o soco junto." Gustafssom deixa o Glover atordoado com os uppers, faz um pivot e n bate imediatamente. Precisa parar, pensar pra daí mandar aquele direto. Voltando : Pegue a primeira luta com o Franklin e veja quantas investidas do americano são iniciadas sem nehuma resposta do Aranha. A luta com o Lee Murray. Coté. Pra mim ta mais do q claro q ele n dominava esse recurso. Tanto q n tinha a inciativa de tentar. O chamariz de seu jogo era as joelhadas sinistras, as esquivas míticas e uma indução a erro que era genial. O cara conseguia minimizar a necessidade dos socos, ofuscar o elo fraco da liga e levar a luta pra onde queria. Isso era absurdo. Na parte dos socos a fama do timing veio com a caminhada pra trás e o jab q deixava - sua marca registrada. Tentava com uma certa frequência, errou a maioria e se consagrou por conta do Grifin. Obs : antes disso ele tinha feito lutas insossas e o público havua vaiado. Contra o Weidman ele tbm tentou e levou um direto. Aqueles contragolpes no Bonnar n foram nada ortodoxos. Até podemos falar em time e tal mas n em comparação com os citados. Tentou responder o Vitor com um gancho e errou. Tinha bons jabs tbm, apesar da baixíssima frequência. Temos Mousassi como parâmetro. Rory, GSP, ou mesmo o Gastelum. Então eu n acho justificável essa fama de contragolpeador absurdo e técnica extra classe com as mãos. Tbm acho pouco eficiente quando se propõe a atacar. N me parece ter aquele encaixe do Conor e dos demais. Aquele direrto que parece uma lança e q entra seco. Nesse aspecto, acho o Conor fora de esquadro. Até o Floyd " foi pego". Obs : n é uma tentaiva de descontruir seus feitos e relativizar seu talento. É q acho que existe um exagero quando falam do timing e de seu potencial como contragolpeador. Acho exagero dizer que o Adesanya temia um contragolpe do Anderson.
  5. Luiz Melo

    [UFC 236] Kelvin Gastelum x Israel Adesanya - Luta Completa

    Deixa de ma fé, pow. Pega a luta com o Lee Murray a luta com o Coté, Franklin e compara. Sério.
  6. Luiz Melo

    [UFC 236] Kelvin Gastelum x Israel Adesanya - Luta Completa

    Vc é fanático. Pegue as lutas e reveja. Bote uma do lado da outra. Mas são todas. Pega as lutas com o Frankiln. E bota as do Conor depois. Até mesmo o Aldo tem mais contragolpes que o Aldo se vc for comparar. Acontece q vc mede execelência pelo resultado. Mas eu te digo : ponha as lutas do lado e assista.
  7. Luiz Melo

    [UFC 236] Kelvin Gastelum x Israel Adesanya - Luta Completa

    Acho que ele é pouco efetivo devido à falta de punch mesmo. N é algo mutável e dependente de técnica ou ajuste- em partes até que é. É um cara bem esguio - até demais pra categoria - por isso carente de força/ punch - embora compense com um puta encaixe: mesmo sem força aparente, todos os socos no Gastelum entraram secos demais e o baixinho sentiu bastante, coisa que o Jacaré que é muito forte - e que acertou inúmeras bombas - n consegiu fazer. O vejo mais técnico que o Aranha. Mais polido e ajustado em tudo: melhor timing e maior destreza com as mãos, mais ativo socando, maior variação, os combos interessantes- coisas do Karatê inclusive, defesa - a evasão , os contragolpes. Execuções mais limpas e ,no geral, vejo que ele traz coisas mais complexas. O Aranha tinha o fator X. Mas sou cauteloso quanto a isso. As vezes pode dar a falsa impressão de perícia. Em alguns casos , notei mais como senso de oportunidade e feeling do q algo que aparecia regularmente. N acho q o Anderson n tinha essa precisão socando. Nem que era fenomenal nos contragolpes. Em várias situações o conter punch entraia e ele n usou. Coisa q Adesanya e Thompson fazem direto...e o Conor então. Cheguei nessa conclusão revendo as lutas dos citados. E acho que podemos contextualizar melhor a tal " baixa efetividade ". Vejo duas coisas: o queixo do adversário em questão é muito foda - Gastelum é dos caras que mais aguentam porrada do MMA moderno. A baixa efetividade tbm n diz respeito à comedimento ou excesso de prudência. Ele lança muitos golpes, até. N é um cara que espera demais - ao contrário do Anderson que, se fosse o caso, passava um round sem tentar um soco. E o segundo ponto é que - perdoe-me o anacronismo - o nível dos strikers aumentou absurdamente, sobretudo em postura. Os caras, além de bem mais técnicos- pelo menos a nata - e mais fortes que antes - Gastelum é exceção no quesito força - são ariscos e desrespeitosos num nível jamais visto. É 0 receptividade ao jogo do outro. Um grappler de origem, baixinho e gordinho, com um 1.75 de altura e .181 de e vergadura, caindo pra cima sem pudor de um striker de excelcência e se propondo a lutar em pé sem nenhuma cerimônia ou temor. N temos paralelo no passado. O outro - Whitaker - sobe de categoria e enfrenta um monstro que desceu - cara de punch monstruoso, wrestler olímpico - e n se intimida com as quedas, contrapartidas, nada: cai pra dentro o tempo todo e é o ofensor. Anderson nunca lidou com esse tipo de cenário. A premissa dos adversários sempre foi de muita cautela beirando a inação. Hoje, n vemos ngm se acovardando se intimidando ou perdendo antes mesmo de lutar... a coisa ta bem mais nivelada, por isso a dificuldade. Ngm é receptivo ao jogo de ngm. Tanto é q os caras perdem entre eles. Pra mim, isso revela o nível altíssimo em q a divisão chegou, e n ausência de qualidade de quem está no topo ou inferioridade 3m relação ao passado . Obs: sei q o senhor n deixou isso expresso. O q sintetiza e expressa tudo que falei: Anderson vs Lee Murray, Anderson vs Franklon 1 e 2. Gastelum vs Adesanya, Whitaker vs Romero 1 e 2. Anderson vs Weidmab 1 e 2. Notem a mudança brutal de postura e ímpeto dos lutadores.
  8. Luiz Melo

    Ex técnico de Anderson Silva agride ex aluno.

    Já que um ato de violência é justificável a depender do contexto, - mesmo n tendo havido violência física da parte de quem iniciou o desacordo - em resposta, posso esquecer a proporcionalidade e agredir alguém covardemente em nome de minha honra. Né isso ? Ta certo. Pois bem... segundo essa lógica, o agredido ta mais do que autorizado a, em reação à violência sofrida, matar o agressor em uma outra oportunidade. Também será razoável o ato de planejar e atuar dias depois, já q , a princípio, o mestre n agiu num ato impensado em um contexto de ofensas mútuas e tensão. Desproporção por desproporção. Premeditação por premeditação. A vítima teve sua honra ferida num grau extremo - na frente da namorada- foi exposto e "desmoralizado" na internet - algo muito pior que fofoquinha de academia. Poucos suportariam. Honra por honra. Sendo assim, o ex aluno tem legitimidade moral pra armar uma tocaia e assassinar o ex mestre. " - opa, aí não... mas pera lá... bom, bom... mas, mas... "
  9. Imediatismo e simplismo, diria. Incrível como nunca se analisa a mecânica da coisa, o contexto do golpe. É sempre esse apego a uma explicação final que é anterior às circunstâncias da luta. Nunca aprendem. Obs: o próprio Pettis até um dia desses - quando tinha perdido pra o Max- não tinha mais queixo. TJ já perdeu o queixo. Aldo perdeu e em seguida recuperou. kkk É uma onda.
  10. Gênio dos socos. O cara mais preciso da história do esporte. O melhor timing com as mãos que o MMA já viu. Quem viu viu. Fara muita falta pra os apreciadores de grandes strikers. Tbm fará falta pra o UFC já que os outros grandes nomes do evento n vendem nem 500 mil pacotes de ppv enquanto o cara ta na casa dos milhões. Kkk Um luta do cara vende até dez vezes mais que uma do Aldo. Vende mais que todos os outros campeões juntos kk... e o evento n sentirá falta. Ai ai kkk
  11. Luiz Melo

    PBP - UFC FN on ESPN Thompson x Pettis

    GPS ja falou isso. Vai rir do GSP tbm ? Disse que era o cara mais técnico que ele já havia visto - isso antes dele entrar no UFC . Ou seria sandice do GSP ? Acho que o GSP tem moral pra falar.
  12. Luiz Melo

    PBP - UFC FN on ESPN Thompson x Pettis

    Wonderboy tentou cruzar com a mão da frente( na verdade pensou em cruzar) quando o Pettis vinha e foi pego no meio do caminho- golpes assim são os piores. Por isso o estrago foi tanto. Por algo parecido o Barbosa caiu com um jab. No boxe chove nocautes assim. O recurso por si só já é ultra perigoso, vide Luke vs Romero, e o karateca nem tinha firmado a base no chão, a perna quase que ainda no ar, todo desequilibrado - e inventou de responder. Totalmente temerário. Vacilou e pagou caro. Pra gente ver como as circunstâncias podem amplificar o resultado: um cara que assimilou duas bombas limpas do Woodley, cai fedendo com a mão de um cara que nunca pegou ninguém na categoria de baixo. É assim mesmo : contextos criam nocautes. .
  13. Luiz Melo

    [UFC 235] Misha Cirkunov x Johnny Walker - Luta completa

    Rapaz, esse negócio de nocaute rápido, de encerrar a luta de várias maneiras, muitas vezes, é uma ótima forma de mascarar inconstância ou mesmo um psicológico fraco - vide Belfort e Erick the goat Silva, Cody e Travis Browne - ou mesmo carência técnica(que se aplica a todos esses .) Confio muito mais na constância de um Jones da vida, de um Whitaker, de um Aldo, Woodley Assunção, Max, RDA( todos nós, né ?)... caras que não têm um jogo "extravagante", que não andam encerrando as lutas rapidamente de forma mirabolante, mas que possuem um jogo justo, e que sei que contam com psicológico pra uma luta tensa de toma lá da cá. Coelho na cartola é fora do padrão e circunstancial. Não dá pra depositar expectativas e esperar constância de coisas mirabolantes e fortuitas. É como exigir que o jogador faça um gol de bicicleta toda semana. Uma hora a temporada de coelhos acaba e chega a hora da verdade. O Browne chegou construir um hype parecido com nocautes de vários tipos. Depois vimos que, tirando os lampejos, tratava-se de um cara extremamente desajeitado, grosso e inconstante, que tinha nada além daquilo e que não conseguiu dar o passo seguinte. Um dia a fonte seca, tudo que deu certo passa a não da mais e aí o atleta terá que lutar "humildemente" como todo mundo e aí é hora da técnica. Embaixo do showman existe um cara sólido capaz de dominar alguém em pé por 5 rounds tendo que defender quedas? Veremos. O Marreta ta mostrando que existe algo além de brutalidade . Vamos ver o Walker. O cara é muito atlético, extremamente rápido pra categoria, a perna é solta e tal, é violento e explosivo, mas queria ver algo mais consistente e longo. Tenho a impressão que ele é meio desajeitadão...não sei. É inegável que tem talento e estrela. Tem minha torcida. Simpatizo com a figura dele e com o estilo e torço pra que voe alto. O Brasil precisa de um cara assim pra movimentar a cena. Além do talento lutando, é o carisma em pessoa. E se existir um atleta sólido além desses coelhos na cartola ... se segura Jones.
  14. Luiz Melo

    PBP - UFC 235 Jon Jones x Anthony Smith

    Mas o tamanho sozinho, talvez sejano fator menos importante no composto aí da superioridade física. De nada vale ser grande e lento como o Struve. Ou ser grande e n dispor de punch e explosão pra ser respeitado, ainda que sua trocação sja decente- como é o caso daquele gigante que lutou com o Paul Felder. Bomzinho e tal, gigantesco mas ngm respeita e é acertado direto. Então acho q seja apenas tamanho. É tamanho, velocidade, explosão e força. Jon Jones tem tudo isso. Outros caras tem o composto semehante e só falta a parte do tamanho. Vejo que todos o grandes campeões contam com vantagem em alguns desses elementos aí. A implicância com o Jones é pq ele é alto. Mas veja o GSP, q era tão mais forte em relação aos demais q ngm conseguia ficar em pé de forma alguma. Obs: contra o Jones até que conseguem. O Max que fez o Ortega paecer um menino perto dele. Tem gás infinto, queixo absurdo e é extremamente veloz. O Aldo q opera num outro nível de explosão e força em relação aos demais. Na adianta isso sempre ai aconter. Mas o Jones além dess superioridade é o maos talentoso e omplet que já houve.
  15. Luiz Melo

    PBP - UFC 235 Jon Jones x Anthony Smith

    É a prova que quase nunca operamos racionalmente. A ideia de debate, de convencimento é meio que sonho. Isso aqui é quase como torcida de futebol. Simpatizamos com alguns, n simpatizams com outros e o esforço na defesa e o rigor nas críticas dependerá de que lado partimos. Tbm odiamos aqueles que indiretamente rivalizam com nossos queridos. É normal. Tipo : defensores do Fedor e do Anderson cheios de dedos com o Jones. Isso nunca sumirá. Mas ta cada dia fica mais complicado pra os haters.