Luiz Melo

Membros
  • Total de itens

    645
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Luiz Melo

  1. Na hora do vamo ver o Marreta afina. Me despontei depois daquela amarelada contra o Moussasi. Enquanto não bater um ou dois tops permanecerei cético. Mas terá a minha torcida.
  2. Se fosse o Cigano rolaria um desafio... via twitter. kk O cara é rei da valentia seletiva... é birra com o Luke, Ferguson, Conor. Nesse contexto ele é o máximo. Ouriçado, pavio minúsculo. Mas direcionar essa rispidez a algo razoável e efetivo...parece que ta difícil. Encarar o Cigano que é bom... Nagnnou taí na boca do TS, a luta com o Cigano caiu e o Old school preferiu se fingir de morto. Corajoso demais.
  3. Concordo em alguma parcela. Mas eu acredito que tendemos a criar as mais variadas explicações para justificar a perda de hegemonia de alguém. Sou bem cauteloso no uso desse raciocínio, que até pode trazer algumas respostas, mas que foge e nega o principal: o esporte se renova e os até então dominantes também são superados. Campeões dominantes tbm são superados- por um ou mais atletas, e isso não necessariamente instala a decadência física. O cara ta ali no cume há anos... jogo fica manjado mesmo e ao mesmo tempo vem surgindo uma galera melhor que antes, caras maiores... e aí não tem jeito: o ciclo acaba. Não assimilamos bem isso. Pensamos que em condições naturais um campeão é inquebrável e infalível... sendo batido, só mesmo acontecimentos extra octógono tornaram possível a derrota. Não da pra mensurar o nível de desmotivação numa luta e sua contribuição pra derrota. O cara tentou socos e joelhadas, botou a força toda nos golpes: com e sem desmotivação seria como ? Não levo muito pra esse lado. No final eu concordo com vc: o que eu acredito que role após um nocaute brutal é a perda de respeito por parte dos adversário -que passam a vir mais ariscos e destemidos, isso combinado a perda de segurança do derrotado. Então temos um cenário novo e estranho pra alguém que sempre impôs respeito e foi o ofensor.
  4. Eu acho que tudo pode acontecer mas dou vantagem pro Argentino pela pegada, força e ímpeto. Um chute bem sucedido e uma queda circunstancial e providencial contra um cara de chão duvidoso é muito pouco. RDA acertou um chute e caiu de guarda passada contra o Magny... isso já diz muito pouco ou quase nasa sobre o curso da luta contra o magrelo o que dirá contra outros caras... foi feliz e aí aproveitou. Mas não acho que essa luta ofereça algum tipo de norte pra os próximls combates. Vimos muito pouco. Se isso é suficiente pra q vc o crave como campeão potencial... aí é contigo. Não creio nessa fala de nível. É uma categoria diferente. RDA não apanhou, não levou a primeira. Não sabemos como ta o queixo, sobretudo contra um pegador que passa dos 90 kg. Ponziníbio tem muito mais rodagem que ele e por isso boto fé no Argentino. Tbm não botava fé no Cerrone contra o Top 5. Posso estar errado...veremos em breve.
  5. Até pq temos muito material pra falar sobre o RDA na divisão né? Pra galera a autoridade dos feitos passados impõe algum tipo de vantagem energética espriritual ... o que ta em questão não é o choque de estilos e a diferença física dos envolvidos mas sim o peso dos feitos. É certeiro que um ex campeão, em qualquer situação, bata em todos que nunca foram campeões ou não são grandes nomes. Nem sei pq o evento perde tempo casando Conor vs Aldo. Jones vs Shogun. Werdum vs Cigano. Anderson vs Weidman se diante dos feitos tão insignificantes dos desfiantes eles nem mereciam pisar no mesmo tablado que seres tão poderosos.
  6. Atropelou socando ? Intercalou chutes e quedas. Não se atreveu a trocar socos com o Nate e fez certo. Mas o jogo o favoreceu por se tratar de um canhoto totalmente recptivo aos chutes baixos. Sua fala sozinha se contradiz ja que o mesmo RDA apanhou em pé pra o Ferguson, que tem estatura parecida com o Diaz e um boxe inferior- porém é destro, o que eliminou a possibilidade de um chute a cada 30 segundos. Também não aceitava as quedas. O que vimos foi um monólogo. Agora imagine o Ponzininíbio é destro, tem one punch e é quase 10 cm maior , maior envergadura e passa dos 90 kg. Achamos a fórmula. Usando sua lógica cartesiana: se o RDA não aguentou a primeira do Alvarez que apesar de cascudo é um tampinha de 1.72 de envergadura menor e que mal deve chegar nos 80 kg, o que dirá contra alguém que passa dos 90 kg, tem muito mais punch...
  7. RDA não tomou um soco. Não trocou porrada ainda. A galera é bem imediatista. Ele arrumar algo contra um cara como o Ponziníbio seria uma grande surpresa pra mim. 1.83 de altura, 1.90 de envergadura. Porradeiro, forte, nunca foi posto pra baixo. Vou de Ponzoníbio fácil.
  8. Não vejo o RDA aguentando o argentino em pé, que além de mais alinhado na parte mais fraca do conjunto do brasileiro (mãos) é bem ogro pra divisão e significativamente maior. Também não vejo o RDA botando fácil pra baixo( caso levasse aí sim o cenário seria outro.) Luta é luta, são atletas de ponta e tal... não existe convicção... mas ainda não comprei esse hype do brasileiro na divisão. Vencer Saffiedine 2- 3 no evento, e ter passeado no chão contra o Magny , sem ter trocado um soco ainda é pouco pra mim. Logo, sou cético quanto ao RDA contra os cabeças. Precisaria ver mais regularidade em pé: um toma lá da cá com uma galera mais encardida e bruta pra ver o que rolaria... ver se tem força suficiente pra botar caras bem maiores pra baixo. O cara pode vir a ser campeão sim, mas alguma coisa me diz que em breve rolará um efeito Cerrone.
  9. O irlanda é esperto. Deve ter preprado algo bem esdrúxulo e sujo, então ta fazendo de tudo pra não vazar nada de sua estratégia e assim poder contar com o elemento surpresa. Nem mesmo uma sombra ele exibe. Inclusive, acredito que naquele treino aberto dele, o padrão dos golpes, aqueles diretos.... foi tudo migué,. Até mesmo as esquisitices com os ombros. O intuito é ser subestimado mesmo.
  10. Vou falar de minha percepção disso aí. Efetividade numa luta em pé gira em torno de quatro coisas: distância- onde entram:envergadura, altura e também robustez física, velocidade/agilidade/explosão e punch. Ainda que alguém seja bem mais técnico que o outro em pé, quando entre os envolvidos houver equilíbrio nesses três pontos, ou caso haja uma superioridade em dois desses fatores daquele que em tese é o inferior, o dito superior não vai sobrar. E a parada ai era a seguinte: os dois se equivaliam em velocidade, sendo o Woodley bem mais explosivo, com muito mais punch e com uma envergadura maior- mesmo menor, era mais forte fisicamente, então essa diferença de altura que deveria eliminar a distância do mais baixo na prática não teve validade. Thompson simplesmente não viu um terreno minimamente seguro pra se soltar. Temos que ver a conveniência e a oportunidade para ser agressivo. O cara pode ser mais técnico, mas um soco na cara é um soco na cara. Brutalidade e explosão governam esse negócio. Tentar ser mais contundente pra cima de um negão daquele tamanho,lançar a mão pra fazer volume, receber uma contrapartida e cair babando... risco desnecessário. A luta era aquela mesmo. Ah! E ainda tinha o risco de ser posto pra baixo...
  11. Isso aí é alguma armação do farsante... ele sempre mente. Suja qualquer coisa que toca. Certamente foi algo arranjado, ou foram os únicos socos que conectou em 12 rounds. kkkk
  12. Vou de Cody. Curto os dois. Sou fã do TJ. Mas considerando que a luta transcorrerá em pé, não vejo ngm trocando com o campeão.
  13. Vc entendeu o que eu quis dizer ? Amarrou ao contexto? A discussão não é se RDA surrou Pettis tanto quanto Jones surrou Shogun. O ponto é que, todas essas lutas que citei os vencedores impuseram-se com propriedade. Surraram( RDA em menor nível que os outros). Tendo essas lutas como referência não sei como alguém pode falar que o Lyoto surrou Jones no primeiro round. Sacou ? Não faz nenhuma sentido.
  14. Se o Conor por algum alinhamento de astros muito raro chega vencer, nego ia deixar de acompanhar MMA e partiria pra esgrima. Kk Aí vai uma viagem despretensiosa, não direcionada a ngm especificamente. Não me odeiem kk Esses debates sobre MMA tomam tanto minha atenção nem tanto pelo conteúdo da luta em si, mas por fornecerem um material rico enquanto padrões da psicologia humana. Aqui e em outros grupos eu vejo os gatilhos do remorso; a origem da antipatia e do ressentinento; o maniqueísmo. Pessoas enchendo de demérito e desabonando por completo aqueles que não gostam- atletas que encarnam o mal ... os sentimentos despertados quando algo a que nos apegamos rui. Os contorcionismos que fazemos para que a realidade siga nossos desejos. O material é rico demais. O resultado disso td pode ser visto aqui, o tempo inteiro. Sobretudo qd se fala no irlandês. Por isso geralmente apareço em seus tópicos, é quando esses esses padrões mais aparecem. Talvez por isso eu torça por ele. Gosto de ver a galera chupando manga kkkk Obs: E eu me incluo nesse balaio ja que tbm tenho antipatia por uns e que não sou nenhuma representação da razão. Voltando à luta. É ilegítimo esperar que o irlandês tenha a obrigação de ser competitivo e quando não for, despejar o desgosto pelo cara . Qualquer um que use o atraso certo do irlandês para o descreditar como lutador, ta mais habilitado a torcer que a debater. Não viajemos. Se Canelo tirou Chavez Jr pra nada e vimos um cara da nata do boxe sendo inócuo por 12 rounds, Floyd tem por obrigação nocautear em 2 ou 3 rounds e não ser acertado uma única vez.
  15. Se vc já ta achando que RDA x Pettis não foi surra, imagine Lyoto vs Jones no primeiro round.