Luiz Melo

Membros
  • Total de itens

    741
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Luiz Melo

  1. Caso arranque os dois braços talvez bata os 70. Acho o GSP gigante( tanto é que não ficou minúsculo ao lado do Bisping- e há quem diga que ele tava mais forte) Acho que ele é do porte do Woodley.
  2. Que belo post. Excelente reflexão. Compartilho do mesmo" incômodo." Muito me intriga o fato de um atleta estar em um esporte há 20 anos, com todos os recursos à disposição, rodeado de gente inteligente e qualificada e conseguir não incrementar minimamente seu striking. Procuro e não consigo encontrar uma resposta aceitável.
  3. Tbm n acho que o problema seja apenas falta de aditivo. Penso que o estilo e proposta de luta simplesmente tenham-se exaurido. Com os anos, o que um dia já foi mítico, passou a ser repetitivo e padronizado: tanto as qualidade quanto os defeitos. O acho muitíssimo óbvio- mesmo com o plus dos chutes. É óbvio que o Vitor n é nem sombra do que já foi, mas tbm é certo que nunca foi constante ou crescente nas lutas: daqueles que vão progredindo e sendo mais eficientes ao longo do combate. Qualidade que podemos enxergar no Aldo, Max, Gustafsson e em tantos outros. Sempre dependeu do tudo ou nada para ter êxito. E aí, com o passae do tempo, o n regular, o cara de lampejos, fatalmente será mapeado e exporá sua baixa variedade e inconstância no jogo. É como se ele precisasse encerrar o combate a todo custo, já temendo um esperado atraso que viria em lutas mais longas. Por isso que mesmo bombado, n boto fé no Vitor. As lutas em que ele brutalizou, basicamente foram monólogos e muito pouco ou nada se teve de " luta." Tinha confiança, fisicalidade e a atitude operando mas n n acho q a frouxidão tenha sido eliminada. Ela só n teve tempo de aparecer. Nesses anos todos vimos que isso é dele. N é algo treinável ou que dê pra remover. Duvido espancaria todo mundo caso tivesse anabonilzado. Padronizado como é, n dando certo duas blitz e tendo sido defendidos uns dois chutes, esgotaria seu arsenal e passividade viria daquele jeito...
  4. Tbm vi assim. De positivo que se pode falar, é que pelo menos tentou algo. Diferente da luta contra o Jaca que foi vexatória.
  5. Não é de hj que o Belfort tem se mostrado passivo. É um atleta q, hj, n mete medo em absolutamente ngm. A lesão foi séria e comprometeu sua performance ? Sim. Mas n acho que tenha justificado algo que me parece ser uma condição e que independe de lesões para que apareça. Com ou sem lesão o cara arrega n hora do vamo ver. Por outro lado, tb n vejo muito sentido em condenar o atleta.
  6. Rapaaaz... torci pra o Gastlum e tal... A primeira impressão que tive, só tendo visto a luta na hora, foi a de que o Jacaré esteve perto de ser nocautedo e que o gás tava sofrível. Vendo novamente, com calma, mudei de ideia: n achei que seu gás esteve assim horroroso. Inclusive a demora pra levantar no primeiro round teria sido devido a uma suposta lesão n perna e n por fadiga. Bom...talvez tenha sido na perna esquerda, pq no decorrer da luta ele chutou bastante. No segundo round até o o KD que levou, tinha acertado pelo menos 7 mãos limpas, sem contar os chutes. Em dado momento, caiu e isso deu o round ao Gastelum. N fosse isso o round teria sido bem claro pra o Jacaré. ( Foi " meio" que comparável ao fatídico 4° round de Gustafsson vs Jones) No terceiro, a tônica se manteve: Gastelum mais acertado até os 2 e 30 - n tinha feito absolutamente nada até ali. Por volta dos 2 e 20 Jacaré teve uma queda súbita de performance( naquele momento cansou a vera) e começou a bambear. O gordinho começou a acertar mais e o brasileiro deu uma assustada. Mas n acho q nada do q o Gastelum apresentou tenha sido tão condundente qt as mãos do Jacaré que entraram no decorrer da luta. Lembrando do atenuante do queixo de de vibranium do Gastelum que com certeza aplaca a impressão dos golpes pra os juízes e pra quem ta assistindo. É aquela coisa: acertou mais, foi claro, mas n lesivo. O que acho que pegou mesmo, foi a postura dos dois: enquanto um recebia golpes limpos - o que me desapontou um pouco: n esperava esse atraso) - e continuava andando pra frente sem nenhuma menção de receio - procurava a luta e ia à caça mesmo sem tanta contundência; o outro apresentou uma linguagem corporal mais passiva e assustada. Cansou mais - embora eu discorde que tenha morrido já o segundo round - perdeu um pouco a forma nos golpes, andou pra trás e ao longo do combate demostrou estar mais preocupado. Enfim... pra mim deu Jaca.
  7. Já pensou, bicho... o cara é ossudo demais. Ah... vou de Jacaré.
  8. É aquela coisa: TJ é mais elusivo e fluido. As ideias que tem, a complexidade das sacadas... sua concepção de striking e desenvoltura estão em outro patamar. É um cara completo. E o mais importante: tem fibra e aparece sempre muito bem condicionado. Não arrefece na hora do vamo ver. Em contrapartida temos o Cody, que mesmo trazendo menos tecnicamente e, tendo uma abordagem mais simples e retilínea, compensa sendo bem mais físico. Da pra notar muito claramente o maior encaixe e a pegada de boxer, o que no final das contas o torna mais ameaçador. Peca por ser passional: tende a se deixar afetar por ego/super confiança e raiva, e aí volta e meia entra numa disputa desnecessária de macheza. Por isso, mesmo mais incisivo e perigoso, transmite aquele ar de acertável nos deixando com um pé atrás. Sinceramente, não tenho previsão.
  9. Aquela abdômen dilatado de GH- palumbuísmo n engana ngm. Sem falar que o cara é denso e seco pra caralho. Muito acima da média. O foda é que n temos como provar e aí rola a presunção de inocência e tal, mas pra mim mera formalidade e publicidade separam GSP e cia limitada dos pegos. Lembrando que há 4 anos atrás nego mataria e morreria ou apostaria a casa cravando q o Anderson sempre foi limpo. Enfim... mão acredito que exista alguém que nunca se dopou.
  10. Eita. Sou de lá tbm das antigas. Inclusive ainda estou na comu do VK. Hehe
  11. Penso igual: pode treinar como quem for, se não se desligar do padrão de luta e vícios que têm- o que demanda uma autocrítica severa e uma grande inquietação quanto ao estilo e filosofia de luta que adotou - e, sinceramente, n me iludo nenhum pouco achando que vá ocorrer/ com ngm , na verdade- vai continuar exatamente a mesma coisa. No máximo acrescentará alguns golpes pontuais mas nada estruturalmente modificador ou revolucionário. Vide o Barboza que é praticamente o mesmo da luta com o Pearson: forma de pensar luta, se deslocar, o modo como reage às situações, enfim... continua extremamente previsível. E o interessante é que os seus parceiros mais famosos lutam cada um à sua maneira. N se vê unidade alguma. Vc n enxerga nada do Edgar no Alvarez. Nada do Zabit no Edgar e nada do Barbosa no Alvarez. Os exemplos são numerosos. Com o Gustafsson e o Manwa ocorre algo semelhante. Vc vai na Kings e vê um Gastelum propenso à boxear e com muita qualidade nas mãos ao mesmo tempo em que nota que o Werdum n conseguiu polir essa parte do jogo. Falta de treino e puxão de orelha n foi. Por isso sou um tanto cético e pessimista quanto à narrativa de mudança e evolução. Dificilmente vejo a tão falada evolução. O Marreta ta nos EUA há um bom tempo e continua com um boxe sofrível. O próprio Aldo, mesmo melhorando no boxe e deixando de chutar, opera numa zona que é comum à todas as suas apresentações: trejeitos, ataques, passadas, ta tudo conservado - com alguns acréscimos, claro, mas nada de renovador ocorreu. Quando vejo atletas que efetivamente se reinventaram, noto que geralmente eram pré dispostos ao novo estilo, só tendo incrementado o jogo. Tipo o TJ, que desde o TUF sempre foi chegado nos ângulos e naquele estilo de deslocamento. Há tempos que o Whitaker gosta de antecipar aquela esquerda. O RDA... sempre foi de mover a cabeça e se movimentar bastante, gostava de chutar e tal. Enfim... n acho que mudar de equipe necessariamente resolva os problemas. Os atletas têm tiques, estilos e vícios que muitas vezes são insanáveis.
  12. Acho que n assimilamos bem a ideia de que tudo funciona em ciclos e que talvez o momento do Aldo tenha passado. Assim como o Aldo surgiu para impor um novo nível e colocar caras como Cub, Brown e Faber em um degrau abaixo, surgiram Max e Conor para fazer o mesmo. Claro q isso n exauri o debate ou inviabiliza a tentativa de entender mais especificamente os motivadores do fim do ciclo. Mas vejo como um processo natural e inevitável que faz parte da dinâmica e do curso de qualquer esporte. Aldo é excelente, mas têm problemas e vícios( ngm é perfeito. E hoje, seus problemas e o seu prório padrão de luta foram lidos e decifrados. Suas falhas foram capitalizadas pela nova safra( mais alta, talvez mais técnica e certamente mais forte que a anterior.)
  13. O Lee aparentou ser estupidamente forte. Talvez tanto quanto o Khabib e se brincar, mais. Tinha suspeitado por alto de sua força depois da luta com o Ferguson. RDA n arrumou nada com o cucuy nas quedas e o Lee o pôs pra baixo numa facilidade incrível. Acredito até q ele tenha derrubado o Barboza com mais facilidade q o Khabib. Seu GnP tava brutal demais. Aparentemente ele é mais letal que o russo batendo por cima e talvez tenha um chão melhor( posso estar equivocado- me corrijam caso esteja.) Chiesa tem um chão top e n arrumou nada. Ferguson tbm tomou um atraso legal. Mesmo tendo várias qualidades, ele me parece inseguro. N o vejo impondo muito respeito; sempre passa algum perrengue e meio que se assusta quando apanha. Vejo q ainda n ajustou o jogo. Ainda n ta sólido e seguro. Sofre desnecessariamente e volta r meia flerta com a derrota. Mas uma coisa é certa: quando cair a ficha de q ele pode botar quem quiser pra baixo e espancar por cima... vai ser difícil parar esse monstro.
  14. Agora podemos dar todos os créditos ao Ortega. Vimos q n teve nada de declínio ou de idade. Inclusive, acredito que trnha sido a melhor performance do Edgar na categoria.
  15. Rapaz kk vc é inistente nessa lógica do Mendes e as quedas. Assista ao filme dele. Ele nem deveria ter lutado. Tava com com o joelho zoado. E independente de lesão: determinada característica/ vício é estanque e perpétuo ? Os atletas não evoluem? Vc pode argumentar que a evolução não dê conta. Aí td bem. E eu concordo Tipo... vc fala bastante do Mendes. E o Alvarez ? - Não conta! O Alvarez tava avariado de pancada aí n tava bem pra derrubar. Acho que esse foi um papo do Minotauro transformado em lei e que todos abraçaram. Dá pra achar dezenas de lutas em que o atleta que apanhou bastante em pé quedou o adversário com defesa de quedas ridícula. Taí Cain vs Kongo como exemplo. Eu poderia dizer q o Max seria colocado pra baixo a hora que o Aldo quisesse, apenas por ter sido derrubado pelo Conor há trocentos anos atrás. Este sine qua non condiz com a realidade de hj ? É um argumento legítimo ? O fato é q a defesa de quedas do irlanda está longe de ser patética ou um bônus pra os adversários. O gás sim é pífio - pra mim é o pior do evento. Talvez ele n seja um Whitker da vida, e é quase certo que com ou sem evolução ele seja posto pra baixo pelo russo( o q n é demérito) mas usar a luta com o Mendes como parâmetro eu acho q n faz muito sentido.