antamoeba

Membros
  • Total de itens

    463
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

1 Seguidor

Sobre antamoeba

  1. Confusão demais, cara. Na realidade, se você parar para pensar 1 segundo, não faz diferença nenhuma para o Conor. Como o UFC já se pronunciou, quando o Conor decidir voltar ele vai ser dado o direito de lutar pelo "titulo" de qualquer maneira. Seja ele lutando daqui alguns meses defendendo o titulo, ou daqui 1 ano ou 2 anos, tanto faz, ele vai estar lutando em uma disputa de cinturão de um titulo que ele nunca "perdeu". Então virtualmente não muda nada, apenas que para ele é muito melhor deixar os 2 top contenders se queimarem agora, assistir a luta e deixar para voltar mais tarde. Pensa só, se o Conor "decidir" voltar final de 2018 para o provável vencedor da luta da próxima defesa dos leves (Khabib) - e com certeza o UFC irá querer marcar essa luta a partir de qualquer intenção do Conor - será a terceira luta do Khabib em menos de 12 meses, mas uma luta no qual o Conor estará novo em folha e descansado. Não faz diferença nenhuma para o Conor o que vai ser anunciado agora, se a próxima luta do Fergunson será pelo interino ou pelo linear, de qualquer maneira ele estará lutando pelo o cinturão quando ele quiser e com quem for melhor para ele. Na real isso me cansa mais ainda sobre como está a situação do UFC hoje em dia...
  2. A não ser que diga explicitamente no contrato que, caso a luta caia, ele deva aceitar a luta que seja oferecida pela organização para não perder a bolsa (e eu acho que não pode ser assim, por favor né), é uma descaramento gigante o UFC não pagar o Vitor. Não foi culpa do Belfort que a luta caiu, ele compareceu e bateu o peso. Não tem nem o que falar né pessoal, sinceramente.
  3. http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2015/03/cyborg-responde-rener-pergunte-aos-reais-gracies-o-que-e-respeito.html
  4. No Brasil tinha o Emerson Almeida (que aparece no video aos 6:30). Ele era a ultima promessa brasileira que eu lembro. O maior nome é talvez é do Eduardo Fujihira (esse sim era um talento, poderia ter futuro no MMA, mas já está aposentado).
  5. Opa, legal o tópico. Obrigado por compartilhar, @Gurkha e obrigado por me colar no assunto, @Daniel Mendoza Pessoal, vou tentar responder brevemente, até porque esse é um assunto complicado, ainda por cima em um fórum de MMA (onde existe muito preconceito a respeito do kung fu). Kung fu é um termo amplo usado para referenciar as artes marciais chinesas tradicionais. Os estilos variam muito. O @Daniel Mendoza fez Garra de Águia e teve uma determinada impressão, se tivesse feito outro estilo, a percepção poderia ser bem diferente*. O ponto principal é que o Kung fu não é um esporte de combate, também não é apenas uma arte marcial. Tai chi chuan, Chi Kung, massagem chinesa e alguns aspectos da medicina tradicional chinesa entra no "currículo" do kung fu de algumas escolas. Existe muita coisa legal pra caramba para aprender no Kung fu que não diz respeito a luta em si. Sobre a componente marcial dos estilos mais tradicionais de kung fu, rapaz, é aqui que entra a polêmica. Quando você fala em "kung fu", as pessoas pensam em floreios, fazer movimentos desnecessários, alguns chutes legais, enfim, algo que seria muito difícil de efetuar caso alguém viesse com uma chuva de socos para cima de você. Por outro lado, ao ver um documentário sobre kung fu tradicional na China (como o colado acima), você vê algumas cenas do que parece ser uma luta de kickboxing, luva, guarda alta, soco na cara, chute na costela, nariz sangrando. Alguns daqui conhecem o Sanda (ou boxe chinês) e não entendem como isso pode se relacionar com o Kung fu tradicional dos floreios. Como pode? O Sanda é o esporte de combate que nasceu do Kung fu. No começo do século XX existiam incontáveis estilos de Kung fu e mestres na China, e também começavam a renascer as competições de "vale tudo" (ou Lei Tai) na China. Na realidade, essas competições no começo do século XX eram uma febre, que surgiram parte pelo o boom do comércio e começo da globalização. Rolavam desafios aqui no Brasil (com os Gracies), nos EUA (wrestlers contra boxeadores) e no Japão**. O que ocorreu na China, é que vários mestres resolveram criar uma modalidade ou estilo "geral a todos" de Kung fu, para balizar os combates (Lei Tai) e as competições de Kati. Esses mestres fizeram um resumo das técnicas de combate (socos, chutes, quedas) mais comuns a todos os estilos (***), e também dos movimentos de katis mais comuns a todos os estilos. Eles criaram um estilo com currículo "uniforme" para competições de combate e katis e chamaram esse estilo de Wushu. O Sanda é a modalidade combate do estilo Wushu. Como o Wushu é um estilo competitivo (voltado para competição) o Sanda é então um esporte de combate. Os estilos tradicionais de Kung fu, do jeito que são ensinado, não estão muito preocupados em passar o currículo marcial orientado a uma luta, como um combate. Para piorar tudo, com a exposição massiva que o Kung fu teve de 1970 a 2000, é muito difícil não achar uma acadêmia que não seja picareta. Isso não quer dizer que em um estilo sério de kung inexista golpes simples ou o básico. O currículo básico de defesa pessoal dos estilos clássicos de Kung fu (Shaolin do Norte/Sul, Choy Li Fat, Garra de Águia) em uma academia séria, é (ou deveria ser), imobilizar ou se livrar do oponente da forma mais simples e sem floreios possível (chute no saco, dedo no olho, mordida, jogar areia na cara, soco no pomo da garganta, algumas imobilizações, etc.). Depois, se for o caso, você ver coisas mais "bonitas" ou "floreios" (os quais são muitas vezes mais para treinar elasticidade ou coordenação motora)****. O currículo básico de combate dos estilos clássicos de Kung fu contempla (ou deveria contemplar), todos o currículo de golpes mais simples que existe no Sanda (embora não necessariamente voltado para competição). Depois, se for o caso, você aprende os inúmeros chutes rodados e variedades que os estilos podem te ensinar. Essa é a minha maior critica ao Kung fu. Por fim, por ser uma arte marcial tradicional, existe muito conhecimento de armas a ser aprendido, que fica um pouco perdido no século XXI. Por isso, muitas armas são aprendidas super por cima, apenas para saber fazer os movimentos. Mas se você se interessar e tiver um professor bom, é legal aprender a usar algumas armas (tipo um bastão, ou uma bengala) para quebrar os dedos de algum fdp se defender. Por fim, sobre o Sanda, o Brasil tinha uma seleção muito boa uns anos atrás. Com a explosão do MMA, as academias de Muay Thai se multiplicaram e as de Wushu ("estilo" do Sanda, como expliquei acima) sumiram. Espero que o Sanda volte a crescer, é uma modalidade que eu acho super eficaz para o esporte MMA, especificamente. Eu acredito que em vale tudo ou nas regras do K-1, por exemplo, o Muay Thai pode ser mais eficaz que o Sanda, mas nas regras do MMA eu vejo o Sanda com uma grande vantagem por ter todo um universo de quedas e defesas de queda (e toda a noção de distância para socar e chutar atrelada ao jogo de quedas). Existe muito preconceito em relação ao Sanda, por ser, de uma forma ou de outra, a modalidade de combate do Wushu (que é um estilo de Kung fu). Também existe desinformação. Em várias lutas de Sanda que eu já assisti na arquibancada, as pessoas que entravam para ver achavam que estavam vendo uma luta de Muay Thai. Eu mesmo, na minha unica luta séculos atrás, as pessoas vieram falar comigo "Pô cara, eu vi a sua luta no Muay Thai". Tomara que essa nova onda de lutadores russos (uma potência no Sanda) e chineses o Sanda entre mais em destaque. (*) = se tivesse feito, por exemplo, Shaolin do Norte com o mestre Nereu, ou o estilo que o Sérgio Batarelli é formado (esqueci o nome agora), talvez teria tido uma impressão completamente diferente mesmo. (**) = A criação de um "esporte de combate" a partir de uma "arte marcial" tradicional, não foi um fenômeno a parte na China, o mesmo caminho a partir do jujutsu tradicional estava sendo tomado na mesma época quase com o mestre Jigoro Kano no Japão. (***) = Por ser uma espécie de denominador comum dos vários estilos de kung fu, as pessoas não observam tantos "floreios" no Sanda. As componentes de combate de um dado estilo eram chamadas de "boxe do estilo X", por exemplo, boxe do bêbado, boxe da águia, boxe shaolin, etc. Todos os estilos de boxe chineses no começo do século XX ensinavam o básico: soco reto, cruzado, gancho, chute baixo, girado, lateral, quedas básicas, etc. (****) = Embora, muita coisa que você vê um Kati (ou Kata), que um instrutor despreparado passa para você sem falar o que é, na realidade você estaria reproduzindo o que seria embolar para dar uma baiana, chutar ou socar saco, enfiar o dedo no olho ou jogar areia na cara. Nao é muito eficaz se você não treinar, no entanto.
  6. "São esses detalhes que se não treina qnd tá numa Kings da vida pq não é uma tecnica oriunda do MT embora o MT use mto banda tb" Sim! Obrigado por compatilhar, MV8.
  7. Sim, também vejo muita gente falar que "o jogo do Lyoto foi mapeado", ou o "jogo de contra-ataque do Lyoto foi manjado", mas ainda não vi ninguém explicar exatamente o quê foi mapeado.
  8. Muito bem observado, Sartori! Nunca mais vi o Lyoto fazer essas truncadas, essa "banda" do Karatê pos-clinche (ou De Ashi Barai, obrigado MV8 por trazer o name) nunca mais vi o Lyoto fazer e eram eficazes demais.
  9. Dedé jogando tudo no ventilador. Não precisava falar tanto.
  10. Hahaha. Ia ser o ouro.
  11. Porque importa tanto se ele é um traveco? Não deveria apenas contar se a pessoa é de caráter, trabalhadora, de palavra e educada?
  12. Bem observado. Tá variando mais que antigamente. A blitz do Rafael tá decente até para o nível de gás que ele ainda tem.
  13. Totalmente imediatista. Sim, mas ele é pago pelo UFC, entre outras coisas, para botar pilha mesmo.