CIPIÃO

Membros
  • Total de itens

    228
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre CIPIÃO

  1. Esse lutador não foi testado ainda. Está buscando e isso é louvável. Mas menosprezar adversário e anunciar que está escolhendo luta...
  2. Vi vitória do Mousasi. Primeiro round claro, segundo também. Controlou a luta, anulou boa parte da fúria do russo e, por pouco, não finalizou. Tática do Mousasi e da equipe bem planejada, presumo, e seguida com perfeição. Aquela pancada no olho no início do primeiro round quase levou tudo a perder. No mais, vitória unânime, ao meu ver, justa.
  3. Atravessou o momento da entrevista do cara, que o mandou oportunamente calar a boca, perdeu a razão, tentou intimidar com o tamanho, tipo brigão de boate, recuou e saiu com o rabo entre as pernas, mas falando alto pra disfarçar, finalmente, fazendo uma coisa sábia.
  4. Tá lá lutando e merece respeito. Oss
  5. Overeem venceu o primeiro round (mais contundente, ganhou o centro etc) e o segundo. Ele achou, na cabeça dele, que se a luta se prolongasse teria ganho, mas a verdade é que pelas regras, Werdum perdeu. Discurso de mau perdedor. Ele deveria pedir revanche ou coisa parecida. A verdade dele é que a culpa da derrota foi dos outros... Até a má escolha de derrubar ele atribui aos outros com essa conversa de "Se eu batesse e não nocauteasse em pé, falariam: "Por que não botou para baixo, já que você é do jiu-jítsu?" ... Cara, segue a vida.
  6. O McGregor conseguiu essa luta, ou seja a vitória ele ele queria, já teve. Agora ganhar a luta... Embora eu tenha que colocar mais uma perspectiva quanto a esse aspecto. Em todas as lutas o irlandês entrou sem nada a perder, inclusive, nunca defendeu o título. Essa será mais uma peleja em que a responsabilidade de ganhar é toda do boxeador. Uma tática interessante do McGregor, sempre lutar a favor do sol.
  7. Gostei dessa postura. Não está ao alcance dele, mas ainda assim deixa em aberto que a não disputa não foi decisão dele. Embora acredito que inevitavelmente aconteça com a inversão de papéis no seguinte cenário. No primeiro confronto o McGregor não tinha nada a perder. Numa segunda luta seria o contrário. Provavelmente para abrir essa possibilidade o irlandês certamente teria que vir de derrotas e tentaria mostrar que aquilo não foi um golpe de sorte e retomar o que julga seu: o título no qual o Aldo é titular.
  8. Excelente postura do Werdum. Madura, coerente e definitivamente enxotou qualquer dúvida de que estaria com medo de aceitar uma luta contra o Cigano de maneira eloquente e, ainda, deu um show de tolerância, respeito ao próximo e combate à homofobia em prol da diversidade. É tanta sabedoria junta que não sei por onde começar.
  9. Parabéns às duas! Não parecem temer desafios!
  10. Eles serão os padrinhos do filho do McGregor. Aí fecha os grandes anúncios do ano do UFC.
  11. O risco de perder é grande nas duas categorias. É claro que ele, McGregor vai valorizar a situação que obteve (tanto lutando, quanto com política) inédita de dois títulos simultâneos. Capitalizar a situação é o que deve ter de meta agora e conseguir o máximo de imagem possível. Ele já chegou no topo e sabe q manter-se aí é difícil. O negócio é cozinhar a situação.
  12. Tipo, entregou a luta, né?
  13. Quero ver o que Connor vai inventar para não enfrentar o Aldo e o Nurma. Embora há possibilidade disso acontecer: pausa na carreira; terceiro cinturão ou superlutas, contra um GSP, por exemplo. O fato é que o cara está gerando lucros num momento em que JJ e Anderson passaram o bastão. Ele é a estrela e irão capitalizar no que puderem para mantê-lo como tal e continuarem os lucros. Sinal verde pra ele nesse momento. Divertido, porém afasta a imagem de esporte sério que por anos foi perseguido pelo MMA, com desconsideração total por ranking.
  14. Falar em cinturão sem falar no Jacaré é falar em transporte público e não falar em trens.