Eder Jofre55

Moderador
  • Content Count

    4629
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutra

About Eder Jofre55

Profile Information

  • Gender
    Not Telling

Recent Profile Visitors

9325 profile views
  1. Eder Jofre55

    Moderação: Regras e Critérios de Punições

    Usuário - MV8 e Cesar _ Rasec Penalidade - Advertência Motivo - Linguagem imprópria, ambos usuários extrapolaram ao discutirem e revidaram um ao outro, esse tipo de comportamento é passível de punição!
  2. Não saco muito desses números de PPV mas penso que o fato do cara ser popular não quer dizer automaticamente que seja bom em PPV ,o UFC com certeza tem esses números mais detalhados ,tantos já foram campeões e não vendiam tanto ,assim como tem muito lutador que jamais conseguiu a cinta e vende mais do que o campeão da sua categoria !
  3. Ainda não consegui ver essa luta e achava que a Esparza iria conseguir impor seu wrestler porque se trocasse com a Grasso poderia ser nocauteada ,pelo visto foi quase finalizada também ,curto muito o jogo da Alexa desde a época do Invicta!
  4. Eder Jofre55

    Dustin Poirier se oferece para encarar Tony Ferguson no UFC 245

    Se rolar o Poirier apanha de novo ,não consigo ver ele ganhando do Ferguson ,e o único sentido pra acontecer essa luta é o GSP furar a fila e pegar russo!
  5. Talvez ,mas nem isso é garantido ,o UFC já demitiu lutadores com lutas no contrato por deficiência técnica ,falando só de Brasil ,Pedrita,Viviane Sucuri,Ariane Lpski,Duda Cowboizinha,Sara Frota entre outras são lutadoras que correm esse perigo na minha opinião ,não tem nível para estarem no UFC !
  6. Contratado pelo Bellator, Nick Newell cutuca presidente do UFC: “Foi bom ser tratado como um ser humano” Ag Fight Após vencer Corey Browning em sua luta de estreia, e única prevista no acordo anterior, pelo Bellator, Nick Newell assinou um novo contrato com a organização, desta vez, com quatro combates esperados. O peso-leve (70 kg) – que possui uma malformação congênita no braço esquerdo e, obviamente, teve que encarar muitos olhares tortos e preconceitos em sua carreira no MMA – declarou, ao site ‘MMA Fighting’, que se sentiu valorizado como lutador pela entidade presidida por Scott Coker. Como todo lutador, Newell possuía o desejo de se apresentar no octógono do UFC, maior evento de MMA do mundo, mas o americano enfrentou uma rejeição inicial de Dana White – presidente da organização –, que apontava sua deficiência física como um empecilho para sua contratação. No entanto, com o crescimento do peso-leve em sua carreira, que até então contava com apenas uma derrota em 15 combates, o cartola se viu obrigado a mudar de ideia e dar uma oportunidade a Nick de conseguir um contrato com o Ultimate através do programa ‘Contender Series’. Em julho do ano passado, Newell acabou derrotado por pontos para Alex Munoz e viu o sonho de se tornar um lutador contratado pelo UFC ir por água abaixo. Acostumado a se superar, o peso-leve se recuperou com duas vitórias seguidas e conquistou um acordo longo e definitivo com outra importante organização no cenário do MMA, o Bellator. E, de acordo com ele, foi o melhor que poderia ter acontecido em sua carreira. “Eu acho que Scott (Coker) viu valor em mim. Além disso, eu atraio muitos olhares quando luto. Sou divertido (de assistir) e tenho uma história interessante. Eu sou um artista marcial misto habilidoso e legítimo. Estou entre os melhores do mundo. Eles viram valor em mim, viram o que eu sou capaz de fazer, os caras que eu venci, e o recorde deles. Tenho vencido lutadores bons, com recordes vencedores. E tenho feito de forma impressionante”, declarou Nick, antes de completar. “Foi bom ser tratado como um ser humano por Coker e não como uma novidade que não pertence (ao MMA). Fez me sentir muito bem ser reconhecido pelas minhas habilidades por aquela que eu acredito que vai ser a melhor organização de MMA do mundo. Eu estou pronto para ser parte de algo especial no Bellator. Não quero ir a nenhum outro lugar. É aqui que eu quero estar. Quero lutar aqui até encerrar minha carreira”, decretou o peso-leve. Apesar da confirmação do novo contrato assinado com o atleta, o Bellator ainda não informou oficialmente quando será a próxima luta de Nick Newell pela organização. Com o contrato longo garantido, o lutador afirmou que pretende crescer gradativamente dentro da categoria em busca do título, atualmente em posse do brasileiro Patrício ‘Pitbull’ Freire.
  7. Dustin Poirier se oferece para encarar Tony Ferguson no UFC 245 Ag Fight Ainda sem combate marcado para seu retorno ao octógono após ser finalizado por Khabib Nurmagomedov na luta principal do UFC Abu Dhabi, realizado no dia 7 de setembro, Dustin Poirier desafiou mais um lutador que se encontra no topo da categoria. O ex-desafiante ao cinturão peso-leve (70 kg) – que já havia demonstrado interesse em uma revanche contra Conor McGregor – utilizou suas redes sociais para se colocar a disposição de Tony Ferguson caso a disputa pelo título com o campeão russo não possa ocorrer (veja abaixo ou clique aqui). Ferguson, que já foi apontado por Dana White – presidente do UFC – como o próximo desafiante ao cinturão dos leves, utilizou sua conta oficial no ‘Twitter’ para sugerir a data do confronto contra Khabib: 14 de dezembro. Visando subir no ranking da divisão e, assim, se credenciar novamente a uma disputa pelo título, Poirier respondeu à publicação do primeiro colocado na lista da categoria. “Se ele (Khabib) não puder (lutar no dia 14 de dezembro), eu posso”, escreveu Dustin. Ainda que possa ser um combate interessante para os fãs, não faria sentido para Ferguson aceitar enfrentar Poirier neste momento e correr o risco de perder a oportunidade de uma disputa pelo título da categoria. Na data sugerida por ele para sua disputa contra Khabib, a organização tem agendado o UFC 245, que já conta com o duelo entre a campeã Amanda Nunes e Germaine de Randamie, pelo cinturão peso-galo (61 kg) feminino. 296 pessoas estão falando sobre isso
  8. Rodríguez dá “benefício da dúvida” a Stephens após dedo no olho e explica reação agressiva Ag Fight Yair Rodríguez não sofreu a dedada no olho que encerrou a luta principal do UFC México, mas também tem seus motivos para sofrer. O peso-pena (66 kg) era a grande estrela do evento, ocorrido na capital de seu país, mas viu seu confronto terminar em apenas 15 segundos depois de Jeremy Stephens ser declarado incapaz de seguir no duelo. Após frustrar família, amigos e torcedores que compareceram à Arena Cidade do México, ‘Pantera’ lamentou o episódio e deu “o benefício da dúvida” para o adversário. Logo que o combate acabou, Rodríguez parecia irritado com a postura do rival, chegando a subir na grade e incitar os gritos da torcida, que, em resposta, atirou copos plásticos no octógono. Posteriormente à luta, Stephens falou que Yair alegou que ele estava fingindo a lesão ocular. Ao se justificar, o mexicano preferiu não ser tão assertivo. “Fico triste. Não gostaria que isso tivesse acontecido. Vou dizer novamente: vou apenas dar o benefício da dúvida a Jeremy Stephens. Ele é o único que tem de viver com isso em sua mente, esta dúvida. É ele. Apenas ele. Ele é o único que sabe como se sente”, declarou ao site ‘MMA Fighting’. “Nunca sofri uma dedada no olho durante uma lutas, mas já fiquei com o olho muito mal. Na luta contra Frankie Edgar, meu olho ficou completamente fechado, eu não conseguia ver nada, mas queria continuar. Nem todo mundo é igual. Não sei como ele estava se sentindo, então eu dou completamente o benefício da dúvida a Jeremy Stephens. Vamos ver o que acontece. É triste”, completou. Questionado sobre a reação agressiva que teve ao fim precoce da luta, chegando a ser grosseiro com o comentarista do UFC Michael Bisping (veja abaixo ou clique aqui), ‘Pantera’ assumiu que “se perdeu” com a notícia da interrupção do duelo e explicou o motivo de tanta frustração. Ele alegou que estava pronto para fazer “uma guerra” com Jeremy em frente aos seus compatriotas e que perdeu a cabeça quando percebeu que tudo havia acabado. “Você vê minha família bem vestida, meus amigos e todos que estavam pagando muito dinheiro e perdendo muito tempo para vir aqui, e toda a minha equipe. Todos (da equipe) têm bebês e passaram muito tempo fora de suas casas, viajaram para um lugar que é ótimo de estar, mas também é difícil. É difícil simplesmente pelo fato de dormir e estar lá. Embora tivesse sido meu melhor camp, ao mesmo tempo foi difícil para todos nós. Foi isso. Tudo aquilo estava na minha cabeça, e eu queria muito lutar. Foi isso”, analisou. Em vídeo publicado pela emissora americana ‘ESPN’ após o confronto, Jeremy Stephens prometeu estar pronto em “duas, quatro ou cinco semanas” para uma revanche contra Rodríguez. O UFC ainda não se posicionou oficialmente sobre uma eventual revanche.
  9. Tranquilo, por isso que eu disse que eles provocam as mais diferentes opiniões!
  10. Faz sentido ,em caso de vitória do canadense também duvido que defenda ,assim como já fez na 84 ,mas como a grana fala mais alto e o Nurma não seja um campeão de vendas ele não perca a oportunidade de casar essa luta! O cinturão anda cada vez mais desvalorizado e eles podem fazer fazer valendo o cinturão de maior modafuker ,durão do planeta ou outra bobagem, já estão pensando patentear isso! Contra o Conor seria mais divertido, dois semi aposentados, ficaria mais justo, nas acho que o irlandês não ia querer passar a luta toda sendo amassado outra vez!
  11. ‘Guerra’ entre Esparza e Grasso leva o prêmio de ‘Luta da Noite’ no UFC México Ag Fight O combate entre Carla Esparza e Alexa Grasso levantou o público na Cidade do México. Apesar de o confronto não ter acabado em nocaute ou finalização, o público aplaudiu de pé a performance de ambas as atletas no UFC México, no último sábado (21). Por isso, o Ultimate premiou as duas com o bônus de ‘Luta da Noite’. Elas vão levar para casa a quantia de 50 mil dólares (cerca de R$ 204 mil). A americana levou a melhor por decisão majoritária. Este confronto, que foi o co-main event da noite, teve momentos de tirar o fôlego. Nos dois primeiros rounds, Esparza foi dominante, com uma estratégia perfeita de levar o duelo para o solo e evitar a trocação de Grasso. No entanto, no terceiro round, a mexicana encaixou duros golpes na rival e quase a nocauteou. Na sequência, esteve perto de conseguir uma finalização, com um armlock muito justo, mas não obteve sucesso. Outros dois atletas também saíram com mais dinheiro no bolso do México pelas ‘Performances da Noite’: Steven Peterson e Paul Craig. Ambos vão levar US$ 50 mil. Peterson conseguiu um lindo nocaute sobre Martin Bravo, quando aplicou um soco rodado no rival. Já Craig finalizou Vinicius ‘Mamute’ ainda no primeiro round. Confira os resultados do UFC México: Pena (66 kg) | Yair Rodriguez e Jeremy Stephens terminou em ‘no contest’ por interrupção médica aos 15 segundos do primeiro round Palha feminino (52 kg) | Carla Esparza venceu Alexa Grasso por decisão majoritária (28-28, 29-28, 29-28) Mosca (57 kg) | Brandon Moreno e Askar Askarov empataram de forma dividida (28-28, 30-27 e 28-29) Galo feminino (61 kg) | Irene Aldana venceu Vanessa Melo por decisão unânime (triplo 30-26) Pena (66 kg) | Steven Peterson venceu Martin Bravo por nocaute a 1min31 do segundo round Galo (61 kg) | José Alberto Quiñónez venceu Carlos Huachin por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27) Pena (66 kg) | Kyle Nelson venceu Polo Reyes por nocaute a 1min36s do primeiro round Palha feminino (52 kg) | Angela Hill venceu Ariane ‘Sorriso’ por nocaute técnico a 1min56s do terceiro round Mosca (57 kg) | Sergio Pettis venceu Tyson Nam por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27) Meio-pesado (93 kg) | Paul Craig venceu Vinicius ‘Mamute’ por finalização (mata-leão) a 3min19s do primeiro round Galo feminino (61 kg) | Bethe Correia venceu Sijara Eubanks por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28) Leve (70 kg) | Claudio Puelles venceu Marcos ‘Dhalsim’ por decisão unânime (30-25, 30-25, 30-25)
  12. Stephens se coloca à disposição para revanche “em duas semanas” contra Rodríguez Ag Fight Jeremy Stephens não teve condições de continuar lutando no último sábado (21), mas já se colocou à disposição para enfrentar Yair Rodríguez em muito breve. O combate entre os dois no UFC México foi interrompido com apenas 15 segundos, depois que o mexicano acertou acidentalmente uma dedada no olho do rival. Em vídeo gravado para a emissora ‘ESPN’, parceira do Ultimate nos Estados Unidos, ‘Lil’ Heathen’ declarou que logo estará pronto para os dois fazerem o tira-teima. O americano declarou que sofreu um “arranhão profundo” no seu olho esquerdo. Na ocasião, logo após um chute baixo que seria contra-atacado por Stephens, Rodríguez tentou afastá-lo com as mãos, o que acabou causando a irregularidade. Ainda no octógono, o mexicano demonstrou irritação com o desfecho do episódio, o que suscitou interpretações de que ele estava questionando a veracidade da lesão do adversário. Jeremy, então, rebateu. “Yair, você acha que eu estou fingindo, cara. Você foi o cara que me dedou o olho. Vamos fazer de novo em quatro ou cinco semanas, duas semanas, que seja. Estarei pronto”, afirmou o peso-pena (66 kg) americano. O incomum resultado encerrou o UFC México em um verdadeiro anticlímax, já que Yair, principal estrela do MMA do país, não atuou aos olhos de seus compatriotas. Indignados com o encerramento prematuro da luta, os torcedores arremessaram copos e outros objetos dentro do octógono.
  13. Ultimate confirma Holloway vs Volkanovski pelo cinturão dos penas para o UFC 245 Ag Fight O UFC 245, que acontece no dia 14 de dezembro, em Las Vegas (EUA), ganhou mais um combate valendo um cinturão. Após a organização confirmar Amanda Nunes e Germaine De Randamie valendo o cinturão peso-galo (61 kg) feminino, agora foi a vez do duelo entre Max Holloway e Alexander Volkanovski entrar no card, em disputa do posto de número 1 do peso-pena (66 kg). Max Holloway conquistou o cinturão dos penas ao derrotar José Aldo, em 2017. Após esse confronto, o americano derrotou o brasileiro em mais uma ocasião. Após isso, foi a vez de Brian Ortega ficar na frente de ‘Blessed’, em dezembro de 2018. Todas essas três lutas, Max venceu por nocaute. Em sua última apresentação na franquia, acabou derrotado por Dustin Poirier, valendo o cinturão interino dos leves (70 kg), em julho deste ano. Alexander Volkanovski ainda está invicto no Ultimate após sete confrontos. Com 20 vitórias e apenas um revés na carreira, o australiano vem de triunfo sobre José Aldo, em maio deste ano, no UFC 237.
  14. O colega Cesar_Rasec já disse tudo, talvez você tenha respondido ele e sem querer me quotou, de qualquer forma só pra deixar claro eu não estava me referindo a você e o MV8 em particular, discordar é absolutamente normal e faz parte de qualquer debate, ainda mais em fórum de internet! GSP, Conor ,AS ,Nurma ,só pra citar alguns, sempre vão provocar as mais diferentes opiniões, embasadas ou achismos e ou por questão de gosto /empatia por esse ou aquele atleta, talvez eu esteja enganado em afirmar isso, é apenas a minha leitura de como vejo alguns debates por aqui!
  15. Se eu achasse que você é um deles eu teria dito seu nome ou quotado algo que você disse para lhe responder diretamente, citei o tópico da Bethe pra dar como exemplo, não é preciso ficar apontando o nome de um ou outro pra ver o nível baixo que o assunto do tópico virou! E tem muito lutador que se fizer alguma crítica gera um mal estar desproporcional ao tamanho do que se está criticando, GSP é um deles e cada um tem o direito de expressar o que pensa sobre ele ,desde que dentro de normas civilizadas, coisa que está acontecendo aqui e não acontece no tópico da Bethe, na minha opinião!