Fabri

Membros
  • Total de itens

    1,186
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

1 Seguidor

Sobre Fabri

Profile Information

  • Gender
    Male
  1. No próximo domingo um dos maiores lutadores de todos os tempos sairá de cena. Em entrevista ao podcast do UFC, Vitor Belfort afirmou que a luta contra Uriah Hall, que acontece em St. Louis-EUA, será a última de sua vitoriosa carreira, iniciada no longínquo ano de 1996, ou seja, há mais de 20 anos. “Esta é a minha luta de aposentadoria. Depois disso, vou me aposentar. Agradeço as outras organizações pelos convites feitos para eu seguir lutando, mas meu corpo precisa de repouso”, declarou o “Fenômeno”. Aos 40 anos de idade, Vitor Belfort vai para a 41ª luta de sua carreira. No total, seu cartel é de 26 vitórias – 18 de3las por nocaute –, 13 derrotas e um recente no-contest. Ao pendurar as luvas, ele voltará suas atenções exclusivamente aos mundo dos negócios. “Desenvolvi um negócio próprio, uma franquia de um sistema de treinamento em grupo. Encerro meu ciclo como lutador, mas vou continuar ajudando o esporte, só que de outra forma. Cada um sabe o momento certo de iniciar e encerrar uma carreira, e a minha hora chegou”, afirmou o ex-campeão do UFC. UFC Fight Night St-Louis, EUA Domingo, 14 de janeiro de 2018 CARD PRINCIPAL (1h, no horário de Brasília): Peso-pena: Jeremy Stephens x Doo Ho Choi Peso-médio: Uriah Hall x Vitor Belfort Peso-mosca: Paige VanZant x Jessica-Rose Clark Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Emil Meek CARD PRELIMINAR (21h, no horário de Brasília): Peso-pena: Darren Elkins x Michael Johnson Peso-leve: James Krause x Alex White Peso-leve: Matt Frevola x Marco Polo Reyes Peso-meio-médio: Thiago Alves x Zak Cummings Peso-mosca: Kalindra Faria x Jessica Eye Peso-galo: Talita Bernardo x Irene Aldana Peso-palha: Danielle Taylor x JJ Aldrich Peso-pena: Mads Burnell x Michael Santiago Peso-galo: Kyung Ho Kang x Guido Cannetti http://portaldovaletudo.uol.com.br/vitor-belfort-anuncia-aposentadoria-apos-luta-de-sabado-minha-hora-chegou/
  2. Renan Barão está de compromisso marcado no UFC. Ode acordo com o jornal “Orlando Sentinel”, o ex-campeão dos galos enfrentará o norte-americano Brian Kelleher no dia 24 de fevereiro, em Orlando-EUA. O brasileiro vive a pior sequência da carreira, tendo perdido quatro das últimas seis lutas que disputou. A mais recente foi em julho do ano passado, quando foi dominado por Aljamain Sterling. Será a primeira apresentação do potiguar sob a bandeira da American Top Team. Brian Kelleher venceu duas das três lutas que fez no Ultimate, onde estreou em junho do ano passado, com vitória por finalização sobre o brasileiro Iuri Marajó. No mês seguinte, foi finalizado por Marlon Vera, se recuperando três meses depois ao vencer Damian Stasiak por nocaute técnico. http://portaldovaletudo.uol.com.br/na-busca-da-recuperacao-renan-barao-volta-ao-octogono-em-fevereiro-contra-brian-kelleher/
  3. Vivendo o momento mais delicado de sua carreira no MMA, Lyoto Machida parou para ouvir as críticas do mestre de Karatê Vinicio Antony, que há tempos, inclusive em algumas entrevistas ao PVT, aponta o distanciamento de sua modalidade raiz como o principal motivo da má fase. De volta ao octógono no dia 03 de fevereiro, quando faz a luta principal do UFC Belém contra o invicto norte-americano Eryk Anders, o brasileiro recorreu à ajuda do antigo treinador para tentar reviver os momentos de glória. “Ele me questionou no que poderia melhorar”, revelou Vinicio Antony ao PVT. “O que aconteceu com o Lyoto foi um acidente de percurso, aconteceu com muita gente dentro do MMA. Estava conversando com o Flávio Canto… a Ronda Rousey foi uma que sofreu esse efeito… começa a treinar Boxe demais, acha que pode lutar Boxe e esquece a raiz, que é do Judô. A gente tem pouca gente que teve esse sucesso nessa transição, como o Rafael Dos Anjos, que é oriundo do Jiu-Jitsu e hoje em dia está arrebentando no Muay Thai, mas isso é raro de acontecer. O ideal é que o atleta preserve as características dele e consiga só complementar o jogo com as outras artes”. Lyoto iniciou o camp no Rio de Janeiro sob a batuta de Vinicio Antony, que analisou detalhadamente o erro que supostamente facilitou para os recentes nocautes sofridos pelo Karateca em suas últimas lutas. “O Lyoto acabou fazendo uma transição perigosa. A questão de treinar muito Muay Thai tornou o jogo do Lyoto mais previsível, ele caminha dentro da distância de uma maneira perigosa para um lutador de Karatê, porque o lutador de Karatê sabidamente não tem grandes esquivas pendulares como no Boxe e também não tem uma guarda muito bem postada, então isso tem dificultado a performance do Lyoto e facilitado a leitura para os adversários, que hoje leem o jogo do Lyoto com uma facilidade muito maior”. Em relação ao próximo adversário, que venceu todas as 10 lutas de MMA que disputou na carreira, sendo seis por nocaute, o professor em Educação Física Vinicio Antony aponta o condicionamento como seu principal trunfo, mas exalta a “infinita” superioridade técnica de Lyoto Machida como o fator que deve desequilibrar o duelo. “O Eryk Anders é um atleta muito forte, oriundo do futebol americano, tem um condicionamento físico privilegiado, é um cara que dá o mesmo ritmo para a luta do primeiro ao último round, imprime a mesma cadência, o mesmo ritmo, é um cara muito bem condicionado. Dito isto, no resto, ele é o que eu chamo – de maneira respeitosa – um pato dentro do MMA. O que é isso? Ele nada, ele anda e ele voa, mas ele nada mal, ele anda mal e ele voa mal, exatamente como um pato. Ele não é especialista em nenhuma arte marcial, não domina os fundamentos de nenhum arte marcial, nem no chão, nem em pé e nem no Wrestling. O Lyoto tem uma qualidade técnica infinitamente superior. Se o Lyoto tiver tranquilidade e impor seu jogo técnico para cima dele, deve vencer sem problemas. Acredito que uma vitória por nocaute no segundo ou no terceiro round, no máximo”. http://portaldovaletudo.uol.com.br/vinicio-antony-aponta-erros-que-levaram-lyoto-pior-fase-da-carreira-e-aposta-em-nocaute-sobre-o-pato-eryk-anders/
  4. O UFC Belém, que acontece no dia 03 de fevereiro, já tem sua luta principal definida, e terá como protagonista um anfitrião. Baiano radicado na capital paraense, Lyoto Machida enfrentará o invicto norte-americano Eryk Anders. A informação foi noticiada pelo “MMA-Today”. O brasileiro, de 39 anos, vive uma das piores fases da carreira. Ex-campeão do UFC, ele não vence desde 2014. De lá para cá foram três derrotas em sequência, além de uma suspensão de mais de um ano por uso de substância proibida. Nove anos mais jovem que Machida, Anders estreou no MMA profissional há pouco mais de dois anos. Diferentemente de Machida, ele vive grande fase, já que venceu todas as 10 lutas profissionais que disputou – as duas últimas pelo UFC, sobre os brasileiros Rafael Sapo e Markus Maluko, respectivamente. UFC Belém Sábado, 03 de fevereiro de 2018 Card em construção Peso-médio: Lyoto Machida x Eryk Anders Peso-mosca: Valentina Shevchenko x Priscila Pedrita Peso-médio: Thiago Marreta x Anthony Smith Peso-mosca: Deiveson Alcântara x Joseph Morales Peso-pesado: Marcelo Golm x Timothy Johnson Peso-palha: Polyana Viana x Maia Stevenson http://portaldovaletudo.uol.com.br/lyoto-machida-enfrenta-norte-americano-invicto-na-luta-principal-do-ufc-belem/
  5. Neste sábado, em Detroit-EUA, Alex Cowboy vai tentar emplacar a terceira vitória consecutiva no UFC. Pela frente ele terá o havaiano Yancy Medeiros, de quem ele revelou ser fã, embora tenha deixado claro que, na hora em que o octógono fechar, a estratégia é buscar o nocaute. “Sou fã desse cara. Infelizmente a gente vai bater de frente, e eu vou sair campeão. O estilo dele é maneiro. Eu também sou fã do Cerrone e acabei lutando com ele. Nosso trabalho é esse, tem que saber separar amizade de trabalho, então vamos trocar porrada”, disse o meio-médio em bate-papo com os fãs através do Facebook oficial do UFC. Assim como o brasileiro, Medeiros também vem de duas vitórias em sequência, a última, um nocaute sobre o Erick Silva em junho deste ano. Sua derrota mais recente foi para Francisco Massaranduba numa guerra de três rounds. “Muito boa esta luta para a gente, somos dois trocadores, e espero que ele venha para trocar, porque chão não vale a pena, já que ele é trocador. Quero uma luta igual ele fez com o Massaranduba, sair na porrada o tempo todo”, almeja. Perguntado por um fã se deseja lutar no UFC Belém, marcado para 03 de fevereiro, Cowboy não só deu uma resposta positiva, como também apontou um adversário de sua preferência, o norte-americano Colby Covington, que vem ofendendo o Brasil. “Vou pedir (para lutar em Belém), quero sim, quero lutar com um americano lá, pode botar qualquer um, ainda mais aquele cara que falou mal do Brasil. Ele que espere a gente, tem muito brasileiro querendo a cabeça dele. Quer falar mal do Brasil? Fala mal do brasileiro que você vai lutar, mas não fala do Brasil, não, pois tem muita gente boa lá, tirando os políticos”. Por fim, Cowboy, 15º do ranking dos meio-médios do UFC, não reclama por ter recebido um adversário não ranqueado, que é o caso de Yancy Medeiros, e revela sua única exigência. “Não importa ( o adversário). Está me dando luta, eu quero lutar e o mais importante é isso, eu só não quero ficar sem lutar. Eu sou azarão. Todo mundo me chama de azarão, nas bancas de apostas estou sempre lá embaixo, estou sempre surpreendendo as pessoas e é melhor assim (risos)”. UFC 218 Detroit, EUA Sábado, 02 de dezembro de 2017 CARD PRINCIPAL (a partir de 1h, horário de Brasília): Peso-pena: Max Holloway x José Aldo Peso-pesado: Francis Ngannou x Alistair Overeem Peso-mosca: Henry Cejudo x Sergio Pettis Peso-leve: Eddie Alvarez x Justin Gaethje Peso-palha:Tecia Torres x Michelle Waterson CARD PRELIMINAR (a partir de 21h15, horário de Brasília): Peso-leve: Paul Felder x Charles do Bronx Peso-meio-médio: Yancy Medeiros x Alex Cowboy Peso-leve: Drakkar Klose x David Teymur Peso-palha: Cortney Casey x Felice Herrig Peso-meio-médio: Abdul Razak Alhassan x Sabah Homasi Peso-meio-Pesado: Jeremy Kimball x Dominick Reyes Peso-palha: Amanda Cooper x Angela Magaña Peso-pesado Allen Crowder x Justin Willis http://portaldovaletudo.uol.com.br/cowboy-revela-ser-fa-de-yancy-medeiros-e-manda-recado-colby-covington-no-brasil-so-tem-gente-boa-tirando-os-politicos/
  6. Nesta semana, Ronaldo Jacaré revelou que o UFC planeja colocá-lo frente a frente contra Derek Brunson no card de Belém, programado para o dia 03 de fevereiro. Embora o norte-americano ainda não tenha confirmado se aceita ou não o desafio, o brasileiro já deu início à preparação. Caso confirmado, o duelo será uma revanche de uma luta que aconteceu em 2012, pelo extinto Strikeforce, e na oportunidade, Jacaré venceu por nocaute aos 41 segundos de luta. Apesar disso, ele descarta qualquer vantagem. “É uma nova luta. Eu não posso contar com a primeira luta entre a gente, até porque de lá para cá ele evoluiu bastante, tanto que vem de uma boa vitória sobre o Lyoto no Brasil, fez um bom trabalho. Estou focado no Derek Brunson de agora, nem penso na luta que a gente teve”, garante. “São momentos diferentes. Estou vindo de uma lesão séria, voltei a treinar tem duas semanas e acredito que em fevereiro vou estar 100% preparado para enfrentá-lo. Vejo ele como um adversário duro e que evoluiu bastante nesse tempo. Será um bom desafio para o meu retorno”, analisa. Morando na Flórida há cerca de quatro meses, Jacaré treina na academia Fusion X-Cel, uma filial da American Top Team que, segundo ele, tem um excelente material humano e muitos especialistas em wrestling, modalidade que motivou sua mudança para os EUA. “A família se adaptou bem aqui e eu encontrei um local para fazer meus treinamentos e evoluir no wrestling, o que foi o motivo da minha vinda. Além da Fusion X-Cel, a gente também faz um intercâmbio na academia do Paul Rodriguez, que também é uma filial da American Top Team, onde tem atletas do UFC e muito material humano para trocar conhecimento”. http://portaldovaletudo.uol.com.br/treinando-em-filial-da-att-jacare-analisa-revanche-contra-brunson-ele-e-duro-e-evoluiu-bastante/
  7. De volta ao posto de campeão meio-pesado do UFC graças ao doping de Jon Jones, Daniel Cormier revelou em entrevista ao programa “Giro Combate” que sua próxima defesa de cinturão será contra o suíço Volkan Oezdemir. Data e local ainda não foram definidos. Daniel Cormier conquistou o cinturão meio-pesado do UFC em 2015 e defendeu com sucesso nas lutas contra Alexander Gustafsson e Anthony Johnson. Em sua última luta, em julho deste ano, foi nocauteado por Jon Jones, mas como o oponente caiu no doping, o resultado foi anulado. Aos 28 anos de idade, o suíço Volkan Oezdemir chegou ao UFC em fevereiro deste ano e já possui uma sequência de três vitórias dentro da organização, as duas últimas por nocaute no primeiro minuto, contra Misha Cirkunov e Jimi Manuwa. http://portaldovaletudo.uol.com.br/daniel-cormier-revela-que-sua-proxima-defesa-cinturao-sera-contra-volkan-oezdemir/
  8. Empresários de Anderson Silva, Ed Soares e Jorge Guimarães, o Joinha, estarão de olho no duelo entre Michael Bisping e Georges St-Pierre neste sábado em Nova York. Embora garantam que o foco atual é a luta do brasileiro contra Kelvin Gastelum, marcada para o próximo dia 25 na China, eles não negam o interesse em promover uma grande luta entre Spider e Bisping ou St-Pierre. Mais conservador, Joinha não esconde a torcida a favor do atual campeão dos médios, Michael Bisping, e explica o porquê. “A gente corre um risco muito grave caso o St-Pierre vença. Tudo pode acontecer nesta luta, mas espero que o Bisping vença porque essa é uma revanche que para mim, não que faça mais sentido, mas meu medo é o St-Pierre vencer essa luta e ‘sentar’ no cinturão”, justificou. Ed Soares também acredita que a revanche é uma possibilidade mais viável, mas elege um duelo contra St-Pierre como sendo o dos seus sonhos. “Seria uma luta dos sonhos. Eu adoraria ver esta luta, é a luta que o mundo quer assistir, o Ultimate quer ver, ia ser bom para os atletas, bom para o esporte, bom para todo mundo. Se isso acontece, Deus sabe o que faz”. A revanche entre Anderson Silva e Michael Bisping é pleiteada pelo staff do brasileiro desde o anúncio do resultado da luta entre eles, em fevereiro de 2016. Naquela ocasião, o inglês venceu por decisão unânime, mas para muitos teria sido nocauteado com uma joelhada no final do terceiro round. O confronto entre Anderson Silva e Georges St-Pierre era imaginada por fãs de todo o mundo quando os dois dominavam suas categorias no UFC, sendo os maiores recordistas de defesas de cinturão, entre 2007 e 2013. http://portaldovaletudo.uol.com.br/empresario-de-anderson-silva-nao-esconde-torcida-por-bisping-na-luta-contra-st-pierre/
  9. Aos 26 anos de idade e com um perfeito cartel de 10 vitórias em 10 lutas, o peso médio Paulo Borrachinha tem neste sábado seu maior desafio desde que se tornou profissional de MMA. Pelo UFC 217, em Nova York, o mineiro enfrenta o ex-campeão dos meio-médios Johny Hendricks. Seu empresário, Wallid Ismail esbanja confiança, aposta em vitória por nocaute e projeta um futuro brilhante para o pupilo. “Ele é dedicado, é focado, chega a ser um psicopata. Ele quer realmente ser campeão e eu acredito que ele vai ser campeão do UFC. Ele tem tudo que um campeão precisa ter, que é a determinação e a vontade de vencer, e treina realmente como um campeão. Acredito que ele vai nocautear e em breve vamos ter mais um campeão do UFC, que é o Borrachinha”, acredita. Além de, até agora, não ter dado chances aos adversários que enfrentou, Paulo Borrachinha também chama atenção pela boa desenvoltura à frente das câmeras com declarações sempre confiantes, o que faz Wallid Ismail compará-lo ao irlandês Conor McGregor. “O Borrachinha toca o terror, mas vai lá e faz, sai na porrada, porque o lutador tem que sair na porrada. Isso sem dúvida nenhuma o McGregor faz e o Borrachinha faz, e eu comparo muito o McGregor ao Borrachinha, só que o Borrachinha é ‘real deal’, nunca perdeu, invicto e venceu todas as lutas no primeiro round, só uma foi para o segundo”. http://portaldovaletudo.uol.com.br/wallid-ismail-compara-borrachinha-mcgregor-e-aposta-em-nocaute-sobre-johny-hendricks/
  10. Joanna Jedrzejczyk está prestes a igualar um importante recorde no UFC: o de defesas bem sucedidas de títulos na divisão feminina. Ronda Rousey lidera esta estatística, com seis, e a polonesa poderá igualar a ex-campeã caso vença Rose Namajunas neste sábado, no UFC 217. Em entrevista ao “Revista Combate” na última terça-feira, a campeã peso-palha falou da possibilidade. “Esses números significam muito pra mim. A Ronda é uma amiga, tenho uma ótima relação com ela, mas é bom para mim, bom para o UFC, é legal igualar esse recorde e depois passar com sete defesas de títulos na minha categoria. Eu disse alguns dias atrás que seria minha décima quinta luta no MMA, e continuo invicta. Será minha sexta defesa de título. Agora estou lutando pelo meu legado, pelo que vou deixar. Isso é o que eu dizia algumas lutas atrás, e é o que continuo dizendo. Quero me aposentar invicta, não penso em perder ou sair. E essas lutas me estimulam, me incentivam a treinar mais e quero quebrar ainda mais os recordes. Famosa pelo alto nível na luta em pé, a campeã contou que treina na ATT com Gezari Matuda, multi-campeã na Arte Suave, e revelou um ousado plano para seu futuro. “Eu treino com as melhores do mundo, me preparo com os melhores e no futuro serei campeã do ADCC”, garantiu. UFC 217Nova York, EUA Sábado, 04 de novembro de 2017 CARD PRINCIPAL (a partir de 1h, horário de Brasília): Peso-médio: Michael Bisping x Georges St-Pierre Peso-galo: Cody Garbrandt x T.J. Dillashaw Peso-palha: Joanna Jedrzejczyk x Rose Namajunas Peso-meio-médio: Stephen Thompson x Jorge Masvidal Peso-médio: Johny Hendricks x Paulo Borrachinha CARD PRELIMINAR (a partir de 20h30, horário de Brasília): Peso-leve: James Vick x Joe Duffy Peso-pesado: Walt Harris x Mark Godbeer Peso-meio-pesado: Michael Oleksiejczuk x Ion Cutelaba Peso-meio-médio: Randy Brown x Mickey Gall Peso-pesado: Alexey Oliynyk x Curtis Blaydes Peso-meio-pesado: Ovince Saint Preux x Corey Anderson Peso-galo: Aiemann Zahabi x Ricardo Carcacinha http://portaldovaletudo.uol.com.br/prestes-igualar-recorde-de-ronda-joanna-jedrzejczyk-projeta-outro-titulo-serei-campea-do-adcc/
  11. Após rumores e desencontros, enfim o UFC marcou o duelo entre Edson Barboza e Khabib Nurmagomedov. O combate que deve decidir o próximo desafiante ao cinturão dos leves está programado para acontecer no dia 30 de dezembro, em Las Vegas. Minutos depois da confirmação da luta, o brasileiro falou dos assuntos que envolvem o encontro. Em relação ao duelo de estilos, entre um exímio striker e um eficiente grappler, Edson Barboza não se mostra muito preocupado com o provável antijogo do russo. Além disso, discorda de muitos quando afirma que não acha o jogo de Nurmagomedov chato. “O plano de luta sempre é: vai lá e se divirta”, garante. “É uma luta de MMA, então se ele acha que o jeito mais fácil de vencer uma luta é agarrando, eu entendo. E é muito eficiente, porque ele nunca perdeu uma luta. Eu sou um amante da luta agarrada, estou ‘in love’ com o Jiu-Jitsu e adoro assistir, adoro treinar Jiu-Jitsu, Wrestling, e não acho chato, não”. Sobre o confronto Brasil x Rússia, que é considerado um clássico desde a época do Vale-Tudo, Barboza exalta os lutadores brasileiros. “Eles (russos) são cascas-grossas como os brasileiros. Me fala aí, quantos russos já ganharam o cinturão do UFC? Não existe povo mais casca-grossa que a gente, pode ter certeza”. Embora ainda não seja oficial, tudo indica que Conor McGregor e Tony Ferguson lutarão pela unificação do cinturão. Sendo assim, o vencedor do confronto, teoricamente, seria o adversário do vencedor do duelo entre Edson Barboza e Khabib Nurmagomedov. Embora um combate contra o irlandês traga mais retorno, tanto financeiro quanto midiático, o brasileiro não esconde sua preferência por Ferguson. “Para mim, ele (McGregor) tem o cinturão, mas o campeão é o Ferguson, por tudo o que ele fez pela divisão”, aponta, garantindo sua torcida pelo norte-americano e justificando. “Para fazer a revanche e porque o Ferguson é o verdadeiro campeão da categoria”.
  12. Francisco Massaranduba estava vindo de uma incrível sequência de sete vitórias consecutivas até esbarrar em Kevin Lee em março deste ano. No último sábado, o piauiense mostrou que não deixou se abater pelo tropeço e voltou a vencer. A vítima da vez foi o também experiente Jim Miller, superado via decisão unânime. Aos 39 anos de idade, o atleta da Evolução Thai não quer saber de descanso e já planeja o retorno ao octógono. “Os dois últimos lutadores que lutaram com ele (Jim Miller) foram Anthony Pettis e o outro foi o… Max Holloway? (na verdade ele quis dizer Dustin Poirier). Esses dois adversários é uma boa luta para o Massaranduba. Qualquer hora que eles quiserem lutar com o Massaranduba vai estar pronto para eles”, garantiu. Contra Jim Miller, embora tenha perdido o primeiro round, Massaranduba não deixou dúvidas sobre sua vitória. Apesar disso, ele se mostrou bastante crítico quanto a sua performance. “Fiquei devendo um pouco como Jim Miller, porque eu treinei para nocautear ou finalizar ele. Juro para vocês que eu treinei todo o santo dia, não perdi nenhum treino, fazia quatro treinos por dia, e no dia que eu pensava que meu corpo estava cansado, eu olhava para o meu moleque e falava: ‘Nem fod*** que eu vou ficar aqui. Vou treinar porque eu preciso dessa vitória’”. http://portaldovaletudo.uol.com.br/com-oito-vitorias-em-nove-lutas-massaranduba-mira-anthony-pettis-e-dustin-poirier/
  13. O nocaute sobre Jack Hermasson no UFC São Paulo no último final de semana foi o terceiro consecutivo do peso médio Thiago Marreta, que agora deve avançar algumas casas no ranking da categoria. Questionado logo após descer do octógono qual seria o próximo passo, o brasileiro citou Derek Brunson. Naquele momento, o norte-americano ainda não havia confirmado a vitória sobre Lyoto Machida. “O Derek Brunson é uma boa opção. Está lutando na mesma noite que eu, então ele vencendo ou perdendo do Lyoto eu aceito lutar com ele, basta ele aceitar”, respondeu o atleta da TFT. O nocaute do último sábado foi o sétimo de Thiago Marreta dentro do UFC, o que o torna o segundo maior nocauteador dos pesos médios, atrás apenas de Anderson Silva e Michael Bisping. Aos 33 anos de idade, ele admite que ainda tem muito a aprender, mas afirma que não tem tempo a perder. “É um risco, né (aceitar qualquer luta)? Eu já tenho 32 anos, não tenho que fazer plano de carreira, isso serve para um cara de 20 anos, 22, que entrou no UFC agora, eu já tenho 32 anos (na verdade tem 33), já não tenho tanto tempo assim para esperar seis meses, oito meses… Eu tenho que lutar e vencer, o momento é agora, eu me sinto bem, estava bem treinado, sem lesão, então tenho que lutar”, explicou. http://portaldovaletudo.uol.com.br/apos-3o-nocaute-consecutivo-thiago-marreta-quer-enfrentar-derek-brunson-o-momento-e-agora/
  14. Colby Covington conseguiu o que queria. Além de derrotar Demian Maia na penúltima luta do UFC São Paulo, por decisão unânime, o norte-americano também terminou como o lutador mais comentado do evento, mesmo que para o mal, já que suas ofensas aos brasileiros repercutiu de forma negativo entre o público e até mesmo entre seus companheiros de American Top Team, equipe fundada e formada por muitos brasileiros. Em entrevista ao PVT nos bastidores do evento, Eduardo Alonso, empresário de Demian Maia, revelou que o falastrão pediu desculpas a eles logo após a luta e confessou que encarna um personagem para tentar chamar a atenção. “Os dois foram juntos para sala médica tomar pontos, o Colby também se machucou, se cortou, e lá ele falou comigo: ‘Espero que você saiba que isso é só um personagem, é só marketing, para vender. Optei por isso e preciso disso para me promover. Eu respeito muito o Demian, ele é uma lenda, foi uma luta muito dura, eu sou fã dele, sou grappler também, acompanho a carreira dele, ele foi guerreiro, e por favor fala para ele que eu sou fã dele e isso é só um personagem’. Acho que ele não vai gostar de ver eu falando isso aqui. Enfim, quem conhece o Sonnen nos bastidores sabe que ele nos bastidores também é um gentleman, então a gente tem que respeitar, cada um se promove do jeito que acha que deve se promover, não é o que eu faria, mas para ele parece estar dando certo”. Em relação aos próximos passos de Demian Maia, Eduardo Alonso revelou que o meio-médio, que completa 40 anos no próximo dia 06, manifestou o desejo de fazer a última luta que possui no contrato com o UFC. Porém, o empresário afirmou que entende caso o atleta resolva encerrar a carreira de atleta de MMA. “Muito difícil falar de futuro imediato agora, o que eu posso te dizer é que no vestiário depois da luta ele falou que quer continuar lutando, falou em dois anos, um ano e meio mais de carreira, mas isso é muito subjetivo, é a dinâmica do dia a dia que vai dizer. Ele tem mais uma luta no contato e eu acredito que ele vá fazer essa luta, mas vai depender muito do contexto”, contou. “O que vai dizer é o futuro dele é a vontade dele, pois é muito normal se ele começar a ficar de saco cheio também, porque ele está há muito tempo na estrada, já fez muita coisa pelo Jiu-Jitsu brasileiro, acho que ele não tem que provar mais nada para ninguém, e enquanto ele estiver treinando bem, rendendo bem e querendo, eu acho que ele vai continuar lutando”. A derrota no último sábado foi a segunda consecutiva de Demian Maia, que antes de ser derrotado para Tyron Woodley na disputa de cinturão dos meio-médios ostentava uma sequência de sete vitórias. Ao todo, o faixa preta de Jiu-Jitsu possui um cartel de 25 vitórias e oito reveses, e disputou os cinturões dos médios, em 2010, quando perdeu para Anderson Silva, e mais recentemente o da atual categoria. http://portaldovaletudo.uol.com.br/empresario-de-demian-maia-revela-pedido-de-desculpas-de-colby-covington-confessou-que-e-um-personagem/
  15. As ofensas desferidas por Colby Covington ao público do Brasil após a vitória sobre Demian Maia no UFC São Paulo do último sábado repercutiram de forma negativa até mesmo dentro de sua própria equipe, a American Top Team, fundada e formada por muitos brasileiros. Um dos líderes da equipe é o carioca Marcos Parrumpinha, que em entrevista ao PVT desaprovou as declarações do atleta e afirmou que os líderes da American Top Team irão se reunir para analisarem o caso. Em relação a uma provável punição por parte do UFC, o treinador defende o lutador. “Se o UFC vai tomar algum tipo de punição, de medida, eu não sei. Acho meio estranho porque o McGregor fez isso com o Aldo e não foi punido, Chael Sonnen fez isso com o Minotauro e com o Anderson Silva e não foi punido… Punir o Colby? Acho isso estranho. Com relação à American Top Team é outra coisa. A gente vai ter uma conversa entre os treinadores, uma conversa com o dono da American Top Team, que é o Dan Lambert, e a partir daí vamos tomar decisões para o melhor não só do nosso relacionamento com o mundo do MMA, mas também (dentro) da American Top Team”. Para Parrumpinha, o estilo falastrão de Covington é válido, desde que não ultrapasse os limites do bom senso, o que, para ele, foi o erro cometido pelo norte-americano. “Acho que ele foi extremamente infeliz nas declarações. Não me importo se ele fala mal dos adversários dele, Apesar de que o Demian é um cara excelente como pessoa, mas é uma coisa do business, se ele quer falar mal do adversário, é um direito dele. Só não acho legal quando ele começa a falar mal de uma nação, principalmente sendo do povo brasileiro, do qual eu faço parte, então eu acho que ele foi extremamente infeliz nesse ponto”. http://portaldovaletudo.uol.com.br/american-top-team-fara-reuniao-para-analisar-postura-de-colby-covington-afirma-treinador/